22 de dezembro de 2013

LGBTs Promovem Agenda na ONU no Dia dos Direitos Humanos


LGBTs Promovem Agenda na ONU no Dia dos Direitos Humanos

Dr. Stefano Gennarini
NOVA IORQUE, EUA, dezembro (C-FAM) No Dia dos Direitos Humanos, atletas famosos e autoridades da ONU se reuniram na sede da ONU para condenar o que consideram ser discriminação contra os homossexuais.
A Rússia sofreu o peso maior das críticas, por causa dos Jogos Olímpicos de Inverno que serão realizados em Sochi em fevereiro próximo. A Rússia foi o primeiro de vários países a sancionar uma lei para proteger as crianças de informações que glamorizam condutas sexuais prejudiciais, sendo a homossexualidade uma delas.
Samantha Power, embaixadora dos EUA na ONU, chamou a lei da Rússia de “ultrajante e perigosa” numa coletiva à imprensa no início do dia.
Considerando a crescente influência internacional da Rússia, essa lei é particularmente problemática para ativistas homossexuais e críticos. A embaixadora Power disse que a discriminação aos homossexuais é “barbaridade” e passou a manhã numa sessão estratégica com ativistas homossexuais.
“O esporte tem o poder de mudar o mundo,” Martina Navratilova, estrela checa do tênis, disse aos ativistas homossexuais e transgêneros num evento na sede da ONU. Ela atribuiu as palavras a Nelson Mandela.
Jason Collins, ex-jogador de basquetebol que ficou famoso ao revelar suas tendências homossexuais num longo artigo de revista neste maio, se uniu a Navratilova no painel de palestrantes no “O Esporte Sai do Armário Contra a Homofobia,” evento patrocinado por uma dúzia de países que se chamam de Principal Grupo LGBT da ONU. Ele disse que a lei da Rússia incentiva as pessoas insultar a homossexualidade.
Exatamente quando celebravam sua “saída” depois de terem estado “no armário” os atletas recorreram a eufemismos esportivos, dizendo que estavam ali para “empurrar a bola para frente” e que os homossexuais “ainda têm um longo caminho para ir.”
Um indivíduo transexual que se identificou como masculino não estava otimista quanto às chances para os homossexuais “viverem livremente.” No final do evento ele disse que os heróis reais eram pessoas como ele mesmo que perderam carreiras e oportunidades porque saíram do armário.
Uma nota sombria foi também dada por Ivan Šimonović, uma autoridade de elevada posição na ONU que fez a moderação do painel. Ele disse que o sistema da ONU estava longe de alcançar uma norma internacional legalmente obrigatória para avançar os direitos homossexuais, ainda que ele afirmasse que o número de países favoráveis havia dobrado nos últimos oito anos. Simonovic também reconheceu que seu escritório só poderia usar “poder suave” e campanhas de publicidade, como um vídeo recente sobre a “História dos Direitos LGBT na ONU” que foi mostrado no evento.
Algumas autoridades e especialistas da ONU dizem que limitar a definição de casamento a um homem e uma mulher é discriminação, e que as convicções religiosas ou culturas que não acolhem a conduta homossexual precisam mudar. Mas nem todos têm essas opiniões. Na semana passada, o supremo tribunal da Rússia sustentou a lei contra propaganda [homossexual] como uma iniciativa válida para proteger as crianças. Nesta semana, o tribunal mais elevado da Índia sustentou as leis antissodomia da nação.
Os ativistas que estiveram no evento de esportes foram de novo lembrados dos obstáculos que eles enfrentam durante os procedimentos oficiais da ONU mais tarde naquele dia.
Quando os atletas e ativistas deixaram a sala na sede da ONU, os diplomatas se reuniram para a cerimônia do Prêmio de Direitos Humanos da ONU. O Grupo Africano deu uma declaração denunciando as tentativas frequentes de criar “novos direitos” que “não são reconhecidos nos instrumentos internacionais de direitos humanos” — um termo de arte para se referir a direitos homossexuais.
Tradução: Julio Severo
Fonte: Friday Fax
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
EUA e Rússia: caminhos inversos na agenda gay

4 comentários :

Anônimo disse...

A maior parte dos que se dizem cristãos bíblicos se recusam (talvez venha da parte do Altíssimo, como julgamento) a analisar o que é o que se propõe a seita/filosofia/religião bahai. Ela é o cumprimento de Daniel, 11:20, em que o Altíssimo revelou ao profeta amado, cerca de 450 anos a.C., de que levantar-se-ia na terra alguém que chamaria para si ser a "gloria de Deus". Essa profecia passou a se cumprir qdo, na Pérsia (atual Iran), um filho das trevas, numa parodia satânica do que está na Bíblia, sim, um sujeito, imitando o feito de João Batista, que teve por missão anunciar a chegada do Senhor Jesus, ele anunciou a chegada de baha-u-llah (que na língua farsi/persa, falada no Iran, quer dizer "a gloria de Deus), o qual se deu a conhecer a partir de 1862. Da lavra escrituristica daquele possuído veio a base para a criação da ONU. Inclusive eles, os bahais, controlam o ECOSOC (Conselho Econômico e Social da ONU e, tb, a UNESCO, irresponsável pela perversão das crianças em todo o mundo com a famigerada grade curricular atual). Eles atuam no Brasil ha 90 anos, sendo que em 1995 o Congresso Nacional, em sessão solene, agradeceu a eles "pela inestimável ajuda na confecção da constituição cidadã brasileira (http://apocalipsetotal.wordpress.com/2013/10/10/25-anos-de-influencia-bahai-na-constituicao-brasileira/ - 25 anos de influência Bahá’i na constituição Brasileira ).
Assim, inclusive, bahaismo e comunismo tem tudo a ver. Qto aa imposição da ONU sobre as nações cativas dessa instituição que manda na casa de todos os países, aa revelia das populações, pois, nunca ninguém me perguntou se eu quero/autorizo isto, para entender esse transe sobre homossexualismo, ele se baseia na "autoridade" que satanás se acha investido, como explicitado nesse "versículo" de uma das obras do inimigo: “162. Se Ele (entenda aqui, o "ele" como satanás) decretar lícito o que desde tempos imemoriais fora proibido(..) a ninguém é dado o direito de Lhe questionar a autoridade..” (Kitáb-i-aqdas – Baha’u’llah).
Nao adianta ficar esmurrando o ar, se nao conhecemos o verdadeiro inimigo, o qual nao eh a carne e o sangue, embora, para fazer as obras que o inimigo deseja (destruir a humanidade), ele usa o ser humano.

Antonio.

Apostle of Christ disse...

É assustadora e terrivelmente impressionante como a manipulação do debate em torno da homossexualidade pôde atingir o nível em que está. Como o trabalho sutil (igual ao de Satanás no Éden e na vida diária dos cristãos) pode perverter e direcionar o discurso exatamente para o lugar que se queria.
"Ele disse que a lei da Rússia incentiva as pessoas insultar a homossexualidade." Insultar a homossexualidade? Não havia me dado conta da "sacralidade" deste abjeto comportamento. Mas é dessa maneira que o discurso é manipulado, usando-se de palavras de efeito, termos específicos para inspirar nas pessoas um falso conceito ou ideia.
Precisamos manter nossas mentes ativas e, acima de tudo, firmadas nos princípios da inerrante palavra de Deus e nos valores eternos por esta estabelecidos. É preciso que sejamos valentes e façamos as perguntas certas, como por exemplo: 1) Quem foi que determinou que a homossexualidade é normal? Para cada psicólogo, sociólogo, antropólogo, etc, afirmando sua normalidade, existe pelo menos um, senão o dobro destes dizendo justamente o contrário. Por que somente um lado é que prevalece? Por que somente um lado é ouvido? 2) Quando foi que o debate em torno de sua legitimidade foi encerrado? E por quem? Por que autoridade? Fala-se demais em direitos, mas muito pouco na legitimidade desses supostos direitos e de quem reivindica tais direitos. Ninguém pode exigir direitos sem que antes sejam estabelecidas as bases legais para tais direitos. O problema é que a questão dos direitos parte de uma falsa premissa: A de que os direitos do homem vem do Estado. Os direitos do homem, como bem expressos na declaração de independência americana, vem de Deus. "Nós consideramos estas verdades como sendo autoevidentes, que todos os homens são criados iguais, que eles são dotados por seu Criador com certos Direitos inalienáveis, que entre estes estão Vida, Liberdade e a busca da Felicidade."
Este comportamento é anormal, doentio, repulsivo, destrutivo e, segundo a maior Autoridade no assunto, abominável. Não podemos nos conformar com este mundo, mas precisamos transformá-lo pela renovação do nosso entendimento. Precisamos nos opor ao mal em todas as suas formas, especialmente nas formas aparentemente inofensivas. Mas para isso precisamos de discernimento. Discernimento este que só obtemos a partir dos princípios e verdades extraídos da Inerrante, Infalível e Santa Palavra de Deus.

Anônimo disse...

"Apostolo de Cristo", por favor, leia o meu comentario anterior e vc vai entender "quem" estah a dar autoridade para isto, nao somente 'autoridade", mas, determinando.

P.S.: esqueci-me de acrescentar que o "joao batista" do bahaullah iniciou a missao dele em 1844("coincidentemente", o mesmo ano do adventismo de Ellen White) e, para coroar com chave de ouro o escarnio sobre o Senhor Jesus, ele, tb foi morto logo depois de anunciar satanas incorporado no persa que eh aceito pelos seguidores de bahais como "a gloria de Deus".

Antonio.

Anônimo disse...

Este comportamento é anormal, doentio, repulsivo, destrutivo e, segundo a maior Autoridade no assunto, abominável. 2