24 de dezembro de 2013

É certo celebrar o Natal?


É certo celebrar o Natal?

Sim, é uma festa cristã! A ala evangélica mais “fundamentalista” alega que o Natal é uma festa pagã, mas isso é um grande equívoco.
É verdade que a Bíblia não ordena a comemoração do Natal, mas o nascimento de Jesus foi celebrado até pelos anjos segundo a Bíblia, e dois anos após seu nascimento os magos do Oriente vieram celebrar também.
Além disso, desde os primórdios os cristãos celebravam o nascimento de Jesus — cada região celebrava numa data do ano. Os cristãos orientais (que mais tarde passaram a se chamar ortodoxos) celebravam e ainda celebram em 06/01. E isso bem antes de Constantino ser Imperador.
No reinado do Imperador Constantino o Natal foi unificado no dia 25/12 para os cristãos do Ocidente, visando combater uma festa pagã dos romanos (o dia do Sol Invicto). Não foi para disfarçar, mas para combater.
Sabemos que Jesus não nasceu em 25/12, mas celebramos o Natal nessa data pois não há nada de errado nisso. Pelo contrário, é uma época do ano em que as pessoas se abrem para o amor de Deus.

E O PAPAI NOEL E OS DUENDES? É CERTO O CRISTÃO DECORAR A CASA COM PAPAI NOEL OU ENSINAR SEUS FILHOS A ACREDITAR NO “BOM VELHINHO”?

Esses personagens não tem nada haver com o Natal cristão! São mitos populares fabricados para roubar o sentido do Natal.
Dede a criação do Papai Noel em 1822 o Natal vem deixando de ser a celebração do nascimento de Jesus para ser a noite do Papai Noel. Ou seja, a sociedade secular se apropriou de uma festa religiosa dando-lhe outro sentido totalmente diferente.
Graças ao Noel as crianças de hoje (mesmo cristãs) quase não lembram que o Natal comemora o nascimento de Jesus. Faça um teste simples: se você tem filhos, pergunte a eles por que comemoramos o Natal. Isso vai dizer muito sobre a influencia que você tem exercido sobre eles como pai cristão.
De nada adianta um cristão falar aos outros do “verdadeiro sentido do Natal” se ao mesmo tempo ensina seus filhos a acreditar em Papai Noel, fazer pedidos a um ser “mitológico” que traz presentes, dizer que a criança precisa se comportar senão o Papai Noel não trará presentes, levar os filhos para tirar foto com o “bom velhinho” no shopping, etc. Isso tudo não cabe a um cristão.
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Celebrando a “condescendência” de Jesus

21 comentários :

Willians disse...

Amanhã (dia 25) é o dia de comemoração do nascimento do deus Tamuz, nascido lá na antiga Babilônia. O mundo pagão (inclusive a igreja protestante paganizada) estará festejando o seu nascimento. Eles apenas mudam o nome de Tamuz para papai noel, são nicolau e até mesmo Jesus Cristo apenas para disfarçar. Então, aproveito esta oportunidade para desejar um "feliz" natal pagão a todos! Ah! E não esqueçam de levantar um pinheirinho com bolinhas vermelhas em homenagem ao papai do Tamuz, o deus Ninrode. Isso também faz parte da celebração.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto Julio Severo. Ele veio de encontro ao que eu comentava esses dias com o pessoal aqui da minha igreja, pois dias atrás, mudando de canal passava um desenho dos Simpsons, cuja a história se passava como se fosse no futuro. E no desenho as crianças eram proibidas de saber que o Natal representa o nascimento de Cristo. O desenho certamente é inspirado nas muitas iniciativas de movimentos ateistas,inclusive dentro da ONU e União Européia, que tentam proibir a celebração do Natal. O pior é saber que, há muitos cristãos do meio protestante-evangélico, que cada vez mais dão todo apoio para esse tipo de iniciativa. Comentei a história do desenho com um irmão aqui da minha igreja e ele disse: Oxalá que a diabólica festa do Natal seja proibida.
Acho lamentável esse tipo de pensamento, pois vejo que a divisão que há no meio cristão será uma das principais armas que a Nova Ordem Mundial do Anti-Cristo se utilizará para enfraquecer o Cristianismo como um todo, já que em muitas questões que visam a censura, contará com o apoio de alas do próprio Cristianismo.
Julio Cesar.

carlos Magno magno disse...

DEUS nunca mandou celebrar esta data, e muito menos JESUS, pelo simples fato de que nosso SENHOR sempre existiu!E festa no tempo do Imperador Costantino passou a existir pelo simples fato de que o mesmo através de decreto proibiu a manifestação de todas as religiões pagãs em virtude de um sonho que teve com "deus", e neste sonho, ele, Constantino, ganhava a batalha.Diante desta "revelação" ele decretou que o "deus" de Roma seria o mesmo "deus" dos cristãos, proibindo qualquer culto ou adoração aos deuses pagãos, seja nas ruas ou templos. Nesta época houve grande "conversão" por parte dos adoradores de diversos deuses, pelo simples fato de que o não enquadramento ao decreto do imperador, era passível de morte. Face a esta grande e espontânea pressão houve "conversões" em massa.É exatamente nesta época e por conta destas ordens que a igreja, que até aquele período não tinha conceito de templo, onde as pessoas pagãs utilizavam estes templos para suas reuniões.Veja como a falsa conversão daquele decreto fez mal à igreja. No dia 25 de dezembro existia uma comemoração chamada de Brumalia ou Mitraica, que era simplesmente uma festa em homenagem ao “deus sol”. E esta comemoração era feita no início do inverno, sendo no dia mais curto chamado solstício de inverno. Era uma comemoração muito antiga e como eles estavam proibidos de fazer qualquer outro tipo de adoração, passaram a dizer publicamente que aquela festa era pra comemorar o nascimento de Jesus. Só que o espírito da festa era a mesma, uma festa pagã de culto ao “deus sol”.

Logo em seguida, já naquela época, protestaram contra a maneira vulgar e indecorosa que era comemorado o nascimento de Jesus, com uma festa que era na verdade pagã.Então o natal tem que ser comemorado com o nosso testemunho, falando a verdade a respeito desta mentira que já faz parte da tradição secular , e é muito bem aceita entre os cristãos em todo o mundo.Em nenhum livro da Bíblia se faz menção a comemoração do nascimento de NOSSO SENHOR, pelo simples fato de que o mesmo sempre existiu!
“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” - João 1:1-3

“sem pai, sem mãe, sem genealogia; que não teve princípio de dias, nem fim de existência, entretanto, feito semelhante ao Filho de Deus), permanece sacerdote perpetuamente” – Hebreus 7:3


Leia mais: http://umsocorpo.com.br/site/a-verdade-sobre-o-natal/#ixzz2oOHP7k8Z
Paz a todos!

Anônimo disse...

Excelente texto!
O único propósito de celebrarmos o Natal é por representar, ainda que simbolicamente o nascimento de Jesus!
Julio,
Que Deus abençoe à vc e a toda tua familia com um Feliz Natal e um 2014 com muita saúde, esperança de um futuro melhor!
Feliz Natal à todos!
Grande abraço
Valéria

Anônimo disse...

Hoje se sabe que existe erro no calendario. Na verdade o Senhor Jesus veio a este mundo cerca do ano 4 a.C. E, provavelmente, o nascimento nao se deu no mes de dezembro, posto que eh inverno e, dificilmente, os pastores ficariam ao relento com os animais em epoca tao fria. Seja como for, o FATO eh que o Senhor veio a este mundo para salvar a humanidade. Todo o tempo devemos nos lembrar do Salvador, ainda que nao seja problema ter um dia em especial, que nos leve a uma reflexao mais apurada do significado e da existencia d'Ele. O resto eh discutir sobre o sexo dos anjos.

Antonio.

Anônimo disse...

Pra essa galerinha que só faz o que Deus mandou expressamente... Deus nunca mandou usar a internet nem encher o saco em blogs, estão fazendo o que aqui?

Abs


Daniel

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém) disse...

Amado irmão Júlio Severo,

Que todos nós possamos vivenciar, todos os dias, o verdadeiro significado do Natal: o nascimento, a vida, a morte e a ressurreição do Senhor Jesus.

Foi através da morte e ressurreição Dele que obtivemos a certeza da vida eterna. É como Ele próprio diz na Sua Palavra:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16)

Júlio, deseja a você um Feliz Natal, e que você continue sendo esse destemido servo do Senhor Jesus. E que o ano de 2014 seja de muitas vitórias para você e toda a sua família. Desde já, pode contar com as nossas orações (minha e dos irmãos da igreja onde congrego). Fique na paz do Senhor.

Um grande abraço,

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém)

ÉLQUISSON disse...

Júlio,

A cada Natal, ao invés de nos preocuparmos com festas, presentes e comemorações, deveríamos lembrar que Jesus veio ao mundo para nos dar o maior de todos os presentes: a vida eterna.

Que esta mensagem desperte a importância de termos Jesus nas nossas vidas, para que todos nós possamos, todos os dias, adorar e glorificar Aquele que deu a Sua própria vida para salvar o mundo.

Desde já, eu desejo a você (e também a todos os leitores e comentaristas deste abençoado blog) um Feliz Natal e um ano de 2014 repleto de alegrias e bênçãos do Céu.

Anônimo disse...

A Paz do Senhor Jesus Cristo, irmao Julio.

Nao precisa pensar muito e nem ser inteligente para chegar a obvia conclusao que a festa de natal e idolatria romana, feiticaria, materialismo e hipocrisia de um mundo que jaz no maligno.

A historia e a teologia nos mostra claramente que o Senhor Deus, seu filho amado Jesus Cristo e nem os apostolos deram ordem ou sequer sugeriram que deviamos comemorar essa data. Jamais. O Interessante irmao Julio que a Igreja evangelica esta cega a tal ponto que hoje comemora nas Igrejas ate festa julina gospel, outras igrejas evangelicas fazem ate festa do dia das bruxas gospel e se comemora essa data paga ( natal ), mas nao faz nenhuma festa daquele que tem a sua raiz , o Judaismo, so lembrando irmao Julio que o Espirito Santo desceu a terra, em Jerusalem, no dia da festa Judaica, a festa do pentecoste.

E Publico e notorio que o indice de suicidio aumenta no mundo inteiro nessa epoca do ano, tal a forca infernal que jaz na vida das pessoas que entram no jogo do diabo quando ficam em depressao, angustia e remorso, outras , se endividam na compra de presentes, a maioria das pessoas se embriagam, sem dizer a falsidade e a hipocrisia que se manifesta , pois durante o ano inteirinho as pessoas nao se falam, nao se comunicam , nao querem saber, mas chega no natal o cinismo e a cara de pau e imensa a ponto de desejar para aqueles que nunca ligaram um feliz natal.

Alguns cristaos dizem que essa festa e uma oportunidade para falar do evangelho a parentes e amigos, mas desde quando precisamos de uma data especifica para evangelizar ?

Precisamos ficar firmes e constantes na Palavra de Deus, e nao nos conformarmos com esse mundo ( Romanos , 12 ) pois que comunhao ha entre essa festa paga e idolatra com Cristo ? Gracas a Deus que muitos pastores e lideres evangelicos ( tanto de igrejas tradicionais como pentecostal ) tem abertos seus olhos e nao tem mais participado do jogo do mundo e sua seducao ao falar nao para essa festa paga e idolatra.

Se ha festas que os cristaos devem seguir, seguimos o que esta na Biblia, na Palavra de Deus. Leia a Biblia.

Pastor Caleb.

Marcelo disse...

Apesar de todas as referências históricas ou ditas históricas por muita gente, é bom levarmos em conta o Natal hoje. O que ele traz para nós. Qual seu significado e aplicação em nossas vidas. Por isso, desprezarei a origem da data, da festa, do Papai Noel, etc.

Neste sentido, acredito que um Natal, como festa tradicional do mundo cristão, deve ter Papai Noel, árvore colorida, presentes, músicas, apelo à caridade com o próximo. Sim, porque isso sempre funcionou. Hoje em dia no Natal, a vida está mais vazia, impessoal.

Acreditar no Papai Noel nunca fez nossos pequenos idólatras. Eu acreditei e ao crescer passei, naturalmente, a entender o Papai Noel como uma boa lenda infantil. Meu filho menor acreditou em Papai Noel, hoje com 8 anos ele me diz que sabe que Papai Noel só existe na mente de quem acredita nele, diferente de Jesus, que existe quer o sujeito acredite, quer não.

Interpretações existem bastantes, tem até a que diz que Papai Noel existe - ele não passa de Melquisedeque. Enfim, pode ser, por que não? Ou nós já sabemos tudo? A Bíblia não tem explicação para tudo. E não está na Bíblia não quer dizer anti-bíblico.

Vamos comemorar o Natal, o nascimento de Jesus. Aliás, a lembrança do nascimento de Jesus é boa, mas os católicos até hoje tratam Jesus como o Menino Jesus - lá, ele ou é um bebezinho ou um morto inerte. Comemoremos o nascimento de Jesus e a partir daí, demos glória a Deus que se encarnou para nos salvar.

Paz. Feliz Natal.


Marcelo
João Pessoa-PB
@tiocelo

Mundo do Grátis disse...

Irmão Júlio,

Eu sempre celebrei o Natal, porque é uma data simbólica que representa o nascimento de Jesus e neste período costumamos mais ainda ser mais amáveis com o nosso próximo e fazemos reflexão de nossas vidas, de como nós estamos espiritualmente, com Deus e com nosso próximo, ou seja, conhecendo o verdadeiro sentido do Natal não há problema nenhum em comemorar

Agora, para os "teóricos" da conspiração que veem paganismo em tudo eu sugiro que se mudem para o Oriente, porque eles aqui no Ocidente convivem com um calendário com nomes pagãos, mas mesmo assim escrevem as datas usando os nomes pagãos.

Que Deus tenha misericórdia, porque o mais importante que é misericórdia, amor e justiça ninguém quer saber.

Feliz Natal a todos!

Pr. Elio Loiola disse...

Bom tarde, graça e paz a todos, e que a essência real, do sentido original, que é o nascimento de um Salvador para humanidade, pela Boa Vontade de Deus para com os homens que não têem boa vontade, de um Deus, O Único e Verdadeiro, que é bom para com os homens, onde não há um que seja bom, mesmo que o dia assim especificado não coincida com a verdadeira data de seu nascimento, sejamos mais sensíveis de que, o que realmente vale é a Pessoa em questão e a intensão, motivação para que veio, onde sejamos luz e não trevas, aproveitando-se da ocasião para apresentarmos Ele - JESUS, que é O Único Caminho que conduzirá verdadeiramente os homens à sua eterna e abundante salvação!
A questão é que precisamos nos conscientizar de que Jesus precisou vir a este mundo como homem, assim como é totalmente Deus e foi totalmente homem, porém sem pecado para que pudesse ser o Cordeiro que tirou os pecados do mundo ( PESSOAS ), onde também a Bíblia diz, e devemos crer totalmente nela, que só Jesus Cristo homem é o intermediário entre Deus e os homens ( 1 Timóteo 2:5 ) e também se no céu os anjos fazem festa pelo arrependimento de uma alma, ou seja, pelo nascimento de uma nova criatura em Cristo Jesus, porque não poderíamos então comemorar o nascimento d’Aquele que nos dá o poder de nos tornarmos filhos de Deus, novas criaturas, e se a vontade de Deus deve ser aqui na terra como é no céu, então entendemos que Deus não permitiria tal comemoração no céu, se este fato O abominasse e o fato é de que assim como não há nada na Bíblia explicitamente mandando comemorar o nascimento de Cristo, da mesma forma não há proibindo esta comemoração.
Nos apeguemos mais às verdadeiras motivações de Deus em relação ao nascimento carnal de Cristo e não ás nossas motivações carnais em refutar um fato que é inegável à historia da humanidade e a sua revolução em questão deste fato.
Um Feliz nascimento de Cristo em sua vida e para a sua vida!
E Lembremo-nos das Palavras do apóstolo Paulo:
1 Coríntios 9:
19 - Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais.
20 - E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei.
21 - Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei.
22 - Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.
23 - E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.
Pr. Elio Loiola
Ministério Só em Cristo Há vida

Lições Econômicas de Belém disse...

No cerne da história de Natal jazem algumas lições importantes relativas à livre iniciativa, ao governo e ao papel da riqueza na sociedade.

Comecemos com uma das mais famosas frases: "Não há vagas na hospedaria". Essa frase é frequentemente evocada como sendo uma cruel e desapiedada rejeição aos exaustos viajantes José e Maria. Várias versões da história suscitam imagens do casal indo de hospedaria em hospedaria, suplicando por uma vaga, apenas para serem seguidamente dispensados pelos donos que, aos berros, mandavam-nos irem embora, fechando estrondosamente a porta.

Mas a verdade é que as hospedarias estavam absolutamente lotadas em toda a Terra Santa por causa de um decreto do imperador romano. Esse decreto ordenava que toda a população fosse recenseada e cada pessoa, tributada. Por outro lado, hospedarias são empresas privadas e, sendo assim, os clientes são a sua única força vital. Portanto, não haveria razão alguma para que o dono de alguma hospedaria rejeitasse aquele homem de linhagem aristocrática e sua bela e grávida esposa.

De qualquer forma, o segundo capítulo de São Lucas não diz que eles foram continuamente rejeitados por todas as hospedarias que procuravam. Ao contrário, o capítulo relata a caridade peculiar de um proprietário de uma hospedaria, talvez a primeira pessoa que encontraram, e que, afinal, era um (pequeno) empresário. Sua hospedaria estava lotada, mas ele lhes ofereceu o espaço que restava: o estábulo. Não há qualquer menção sobre o proprietário da hospedaria ter cobrado qualquer coisa do casal, nem mesmo uma moeda de cobre, embora ele certamente pudesse ter feito isso, considerando-se seus direitos como proprietário do estabelecimento.

Assim, é extraordinário pensar que, quando o Verbo se faz carne com o nascimento de Jesus, isso se deu por meio do trabalho intercessor de um comerciante privado. Sem sua assistência, a história certamente teria sido muito diferente. As pessoas frequentemente reclamam da "comercialização" do Natal, porém resta claro que o comércio estava lá desde o início, exercendo um papel louvável e essencial.

E, ainda assim, sequer sabemos o nome deste proprietário da hospedaria. Nos mais de dois mil anos em que celebramos o Natal, estão ausentes quaisquer homenagens a ele. Mas esse é o destino reservado aos comerciantes ao longo da nossa história: utilizamo-los sempre, mas ignoramos todos os seus serviços prestados à humanidade.

Claramente, se havia uma escassez de espaços para hospedagem, isso certamente era um evento atípico, criado por algum tipo de distorção no mercado. Afinal, se esse tipo de escassez fosse algo frequente em Belém, empresários e empreendedores já a teriam notado, pois sabiam que poderiam colher grandes lucros caso satisfizessem essa demanda não atendida. Assim, eles se atropelariam para corrigir esse problema sistemático, construindo mais hospedarias.

Mas foi por causa de um decreto governamental que Maria e José, e muitos outros como eles, estavam viajando. Eles abandonaram suas moradias e se puseram a viajar por puro temor dos recenseadores e dos coletores de impostos. Mais ainda: apenas considere os custos dessa árdua viagem "desde a Galiléia, saindo da cidade de Nazaré, até a Judéia, em direção à cidade de David", pra não falar dos custos de oportunidade que José teve de enfrentar ao ter de largar seus próprios negócios. Portanto, temos aí outra lição: as leis coercivamente impostas pelo governo distorcem o mercado.

Apostle of Christ disse...

Caro irmão Júlio, Shalom!

Desde que descobri seu blog e tomei conhecimento de sua missão, luta e desafios, tenho tentado, no melhor de minhas habilidades e do meu tempo, tornar conhecidas as muitas verdades que você tem compartilhado aqui. Tendo dito isto, e sem qualquer prejuízo à causa que nos é comum, devo veementemente discordar deste texto, especialmente no que diz respeito à celebração desta data por parte de cristãos nascidos de novo. É fato irrefutável que há um aumento da sensibilidade espiritual nas pessoas e isto cria uma receptividade propícia à pregação do evangelho de Jesus Cristo. Contudo, tendo me aprofundado já há muito tempo neste tema, gostaria de deixar bem claro que esta festa não tem nenhum "sentido verdadeiro", como muitos procuram dizer, na tentativa de justificar seu apego a tradição da qual não querem ou não podem se desvencilhar. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." João 8:32
Uma vez tendo sido instruídos na verdade, não podemos e não devemos simplesmente ignorar os fatos em nome de uma suposta "tolerância", e isto me refiro ao filhos da luz (crentes). Sim, estou entre estes "fundamentalistas", qualquer que seja o sentido aqui. Eu na verdade até participo de confraternizações da empresa e de familiares. Há uma diferença entre transigir e tolerar. Jesus frequentava ambientes que os religiosos da época consideravam imundos, impuros, etc. Os jovens Daniel, Hananias, Misael e Azarias levados cativos para a Babilônia decidiram não se contaminar. Sejamos tolerantes com aqueles que não tem luz, mas jamais transigentes em relação à mentira. "E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2
O natal é uma festa pagã, com símbolos pagãos, fundamentada em uma mentira. Este fato pode ser ignorado voluntariamente, mas jamais mudado.
Quem desejar se aprofundar no assunto, recomendo os seguintes artigos:
http://www.espada.eti.br/n1796.asp
http://www.espada.eti.br/n1132.asp

A verdadeira festa bíblica associada a Jesus é esta:
http://ensinandodesiao.org.br/artigos-e-estudos/a-festa-dos-tabernaculos-sucot-ou-cabanas/

Que Deus o abençoe e à sua família.
Um grande abraço meu prezado irmão.

Seu humilde servo em Cristo Jesus,
Apostle of Christ

paulo paulino disse...

Só para lembrar, Carlos magno magno, os magos do oriente, não vieram celebrar nada, e sim ADORAR á Jesus!!

Belo texto o seu!!

Chris Piantavinha disse...

ACHO QUE É VÁLIDO COMEMORAR O NATAL SE FOR PRA COMEMORAR O NASCIMENTO DO NOSSO SENHOR!! PORÉM AS PESSOAS PRECISAM ESTAR MAIS EMBASADAS NA PALAVRA DE DEUS, ASSIM TERIAM DISCERNIMENTO E SABEDORIA EM TODAS AS HORAS.

IRMÃO, QUERIA ENTENDER UM POUCO MAIS SOBRE SUA SITUAÇÃO, ACHO SEU BLOG BEM "DOIDO", ME PERDOE A PALAVRA, NÃO FOI OFENSIVO.. É QUE TEM MUITAS DENUNCIAS, TODOS OS POSTS COM LETRAS GIGANTES, ME DEIXAM MEIO PERDIDA.RS

VC PRECISA DE AJUDA PQ? NAO ENTENDI.. TEVE QUE SAIR DO BRASIL CM SUA FAMÍLIA ??
DEUS TE ABENÇOE E FELIZ NATAL!

Rocha disse...

...Vejo que as pessoas ainda se preocupam com teorias, fundamentalismos etc. Mas se esquecem da verdadeira essência.
Infinitamente maior do que tudo isso é Jesus Cristo Verbo encarnado, nosso Senhor e Salvador.
“A Sabedoria ó sopro do Espírito Santo na vida daqueles que crê”.

Adelson disse...

Já estudei profundamente a história da páscoa "cristã" e do natal. E certo é que são festas de natureza maligna. Nada tem a ver com a Palavra. Criticar os "fundamentalistas" me assusta muito. Esses são os últimos resistentes contra as enxurradas de heresias que anula a Bíblia. O meio cristão está cheio de estrelas que falam algumas coisas certas, mas são falsos em relação ao evangelho de Cristo.

Anônimo disse...

Eu estou do lado dos cristãos chamados de fundamentalistas. Fico do lado das pessoas que questionaram sobre o "real sentido" do natal. Real sentido? Fico ao lado dos cristãos que buscaram conhecimento sobre o natal e tudo o que está relacionado a ele, e não mais se baseiam nos conceitos outrora aprendidos (antes da conversão) para justificarem sua aceitação ao Natal. Fico ao lado dos cristãos, fundamentalistas, que realmente entenderam a expressão "o mundo inteiro jaz no maligno", e se sentem desconfortáveis em aceitar o Natal como uma festa cristã. O Natal nunca foi e nunca será uma festa cristã, como muitos verdadeiros cristãos disseram acima, outros discordaram, o verdadeiro cristianismo não compactua com essa data. Quando vejo pessoas falando que é uma data especial para evangelizar, vejo uma linha tênue entre sinismo e a idiotização, manipulação e doutrinação funcionando na vida de pessoas que, sinceramente, seriam as últimas que eu esperava se acometerem por essa falácia toda. Ver cristãos discutirem sobre a legitimidade do Natal, é no mínimo, surpreendente. Aceitaria ver um católico, um espírita, pois é claro, a magia e o espírito do Natal são um só com eles. Mas cristãos das batistas, das assembléias, das universais, das congregações, das comunidades? É uma vergonha! Se existem cristãos assustados ao verem cristãos fundamentalistas criticando o Natal, fico assustado em dobro ao ver cristãos ao lado de espíritas, budistas, católicos e todos aqueles que nunca percebem o ecumenismo e o paganismo pairando sobre essas festas. Que o espírito do natal, a magia do natal estejam bem longe de todos aqueles que buscam ao Deus Vivo por meio do Único Salvador, o Senhor Jesus! Thiago Santana

Wesley A. de Carvalho disse...

Eu fico admirado quando alguém comete um erro histórico e vem outro achando seu texto formidável. O senhor Carlos Magno errou feio em seu texto. Constantino não proibiu nada! Isso é ridículo, a pessoa é uma ignorante completa e deve ser chamada assim para que fique claro aos demais que ela não tem capacidade nem para dar um palpite. Mostre o documento ou um livro que prove isso que você disse? As pessoas que lhe aplaudem são tolos, pois, estão do seu lado não pelo seu conhecimento, mas pelo desejo de puxar seu saco!

Frosty (Carlos) disse...

Se comemorar o aniversário das pessoas que gostamos não é errado, por que seria errado comemorar o do nosso Senhor?