5 de dezembro de 2013

Artigo de Julio Severo abre portas para BBC de Londres entrevistar Dr. Rubens Teixeira


Artigo de Julio Severo abre portas para BBC de Londres entrevistar Dr. Rubens Teixeira

Julio Severo
Semanas atrás, a BBC de Londres queria me entrevistar sobre o crescimento das igrejas evangélicas no Brasil. O jornalista descobriu meu blog em inglês ao fazer uma pesquisa sobre esse assunto no Google e encontrar este artigo: Uma Resposta Carismática à “Crise Crescente por Trás da História de Sucesso Evangélico do Brasil”
Pelo fato de que o jornalista queria a entrevista ao vivo e no Rio de Janeiro, não pude aceitar, mas recomendei o Dr. Rubens Teixeira, conhecido advogado. Como líder da Assembleia de Deus, ele está bem preparado para falar sobre esse assunto, pois o crescimento das igrejas evangélicas do Brasil tem tudo a ver com o movimento pentecostal e neopentecostal.
Infelizmente, o interesse real da BBC não era, como eu já desconfiava e avisei o Dr. Teixeira sobre isso, tratar imparcialmente do crescimento dos evangélicos, mas exaltar as religiões afro-brasileiras.
A BBC zomba frequentemente do nome de Jesus, mas trata com todo o respeito o nome de Maomé. Provavelmente, não agiria de forma diferente sobre as religiões afros.
A BBC é hostil ao Cristianismo bíblico vivo, mas daria todo apoio a um pastor como o Rev. Marcos Amaral, da IPB, que se une a líderes das religiões afro-brasileiras para promover no Brasil as políticas da ONU.
Tudo o que dá para aproveitar da entrevista da BBC é a fala do Dr. Rubens. O resto é promoção e propaganda das religiões afro-brasileiras.
A propaganda se torna pérfida quando a BBC direciona a suposta reportagem para a interpretação de que traficantes “evangélicos” estão expulsando e perseguindo adeptos das religiões afro-brasileiras. Essa desinformação foi originária de um irresponsável jornalista brasileiro que, sem base alguma, criou a fantasia de que existem traficantes “evangélicos” perseguindo pais-de-santo.
No passado, os traficantes, por influência de suas famílias, praticavam as religiões afros, que eram úteis para a realização de macumbarias para destruir os inimigos. Com o crescimento explosivo do pentecostalismo e neopentecostalismo, essas práticas estão sendo abandonadas e traficantes que têm um parente transformado ou curado mostram melhor disposição de aceitar o Cristianismo e rejeitar práticas religiosas que só trazem brigas, bebedeiras, doenças e outros problemas na família.
Muitos anos atrás, na periferia de São Paulo, minha mãe estava passando por determinada rua após às 21h, quando foi abordada por um assaltante que lhe exigiu tudo. Olhando-a mais fixamente, ele perguntou: “A senhora é a mãe do Julio?” Quando a resposta foi “sim,” ele pediu mil perdões, garantindo que aquilo jamais se repetiria e prometendo que avisaria aos amigos para lhe darem segurança.
O que aconteceu? O criminoso era evangélico? Não. Eu evangelizava a mãe e os irmãos dele. Ela estava indo à igreja, e o rapaz, mesmo estando no crime, estava vendo a transformação.
Pelo fato de que minha mãe e muitos outros familiares têm uma base de espiritismo e religiões afros, sei por experiência que as “mudanças” são sempre negativas, exatamente o contrário de quando você tem um encontro com Jesus. As mudanças realizadas por Jesus são sempre positivas.
O programa da BBC de Londres com o Dr. Rubens Teixeira está em inglês neste link: AQUI.
Dr. Rubens Teixeira
Para ler a transcrição traduzida, confira abaixo:

Com a modernização do Brasil, o espiritualismo africano luta para sobreviver.

O Brasil continua a ser um país de maioria católica, mas a igreja perdeu terreno nos últimos anos para o movimento evangélico. A ascensão dos evangelistas apresenta um desafio para outros grupos religiosos também, especialmente os praticantes de religiões afro-brasileiras, como o Candomblé e a Umbanda.
A transmissão da rádio BBC foi no dia 3 de Dezembro de 2013.
Jornalista: O Brasil possui o maior número de católicos do mundo, mas recentemente, a Igreja tem perdido fiéis para o movimento evangélico, particularmente entre os pobres. Religiões de descendência africana, como Candomblé e Umbanda, que praticam a espiritualidade de ancestrais africanos, estão também em declínio. Isso é o resultado natural da modernização do país ou da discriminação das igrejas evangélicas? Essa luta pela sobrevivência foi registrada em entrevistas no Rio de Janeiro.
Em uma tarde de sábado, observei crianças jogando futebol na rua. Ao redor, notei pessoas em mesas de bar bebendo cerveja. Eu estava uma comunidade pobre, comandada por traficantes de drogas que se intitulam evangélicos, e que repudiam alguns adeptos do Candomblé, também moradores do local.
Depoimento de uma moradora do local: “Comprei um terreno para uma finalidade, mas não pude concluir a construção de um templo, pois o presidente da Associação me disse que eu não poderia fazê-lo, pois os traficantes que comandam a comunidade não permitiriam. Eles se intitulam ‘Soldados de Jesus’.”
Jornalista: O que fez você decidir vender o terreno?
Moradora: “Quando cheguei lá dentro [da comunidade] e fui conversar [negociar], um dos traficantes, que estava armado, começou a suar. Eu senti medo e decidi vender o terreno. Eu não tenho estrutura para aguentar isso.”
Jornalista: Eu fui a um templo de Umbanda. Umbanda é uma religião brasileira espírita de origem africana, que tem elementos de catolicismo, baseada em ancestrais africanos. Os adeptos utilizam roupas características, “figurinos”, que representam Santos Católicos e outras que representam espíritos ancestrais. Eles usam branco, vermelho e preto para caracterizar os espíritos dos ancestrais.
Flávia: “Meu nome é Flávia Costa”.
Jornalista: Quando você decidiu seguir a Umbanda?
Flávia: “Eu decidi há 6 anos. Eu tive alguns problemas espirituais e eu encontrei ajuda e conforto aqui.”
Jornalista: Flávia é uma professora de Inglês. Ela me disse que se sentia incapaz de compartilhar suas crenças.
Flávia: “As pessoas aqui, principalmente as que seguem religiões protestantes, não aceitam a minha religião. Eles dizem que é coisa do diabo e que nós temos um pacto com o diabo, que somos pessoas demoníacas, que temos corações negros e é por isso que eles nos ‘caçam’.”
Jornalista: As cerimônias têm música e bater de tambores. Nesta noite, foi invocado o espírito “Exu”. Eles fumam e dançam com o ritmo das músicas, como os escravos africanos.
Jornalista: As religiões brasileiras de origem africana têm um longo histórico de discriminação.
Jornalista: Eu conversei com um líder religioso ou “pai de santo”. Ele é um dos presidentes da Associação dos Amigos das Religiões Afro-brasileiras.
Pai de Santo: “De 2008 para cá, a coisa piorou. O Candomblé é popular em muitas favelas daqui. Com a chegada dos ‘falsos pregadores’, como eu os chamo, os traficantes tem se convertido a evangélicos. Eu penso que nenhum que siga a Deus pode permanecer no mundo do crime. Quando um desses traficantes se torna evangélico, eles começam a nos aterrorizar, nos expulsando das favelas. Eu fui à Polícia, mas eu não pude dar nomes. Eu colocaria em risco vidas de pessoas.”
Rubens Teixeira: “Meu nome é Rubens Teixeira, eu sou pastor da Igreja Assembleia de Deus.”
Jornalista: Eu falei com Sr. Teixeira, um engenheiro que é pastor de uma das mais populares igrejas evangélicas do Brasil. Ele trabalha em uma empresa de petróleo no Centro do Rio de Janeiro.
Rubens Teixeira: “Os jornais falam de pessoas que trabalham no tráfico de drogas  e atacam templos de umbanda e candomblé, mas ninguém sabe quem dá ordens a eles. Qual é a responsabilidade de todos os evangélicos sobre isso? Esse homem pode ter algum problema com o sacerdote da religião e o ataca usando o nome de Jesus Cristo, por exemplo, para o atacar. Qual a responsabilidade de Jesus Cristo, ou minha ou de qualquer pessoa evangélica?”
Antropóloga: “20% da população declara no senso ser protestante. Nós costumávamos dizer que o Brasil é um país católico, mas não podemos mais afirmar isso.”
Antropóloga: “Especialmente os pobres brasileiros desejam uma vida melhor e toda a cosmologia da Umbanda e do Catolicismo é baseadas na ideia de que Deus quer que você seja pobre e se você for uma pessoa boa, você vai para o céu. O que os protestantes prometem é ter aqui na terra riqueza e poder.”
Jornalista: Com o declínio do Candomblé e da Umbanda, o que os brasileiros perdem?
Antropóloga: “Penso que perdemos maravilhas, mas também você ganha modernidade, você ganha fé em si mesmo.”
Antropóloga: “Penso que perdemos maravilhas, mas também você ganha modernidade, você ganha fé em si mesmo.”
Leitura recomendada:

2 comentários :

neia disse...

GRAÇAS A DEUS POR TERMOS NO BRASIL PESSOAS COMO JULIO SEVERO,RUBENS TEIXEIRA E OUTROS. SÃO HOMENS COMPROMETIDOS COM DEUS E A FAMÍLIA TRADICIONAL. QUE DEUS ABENÇOE VOCÊS.

Leony disse...

''Tudo o que dá para aproveitar da entrevista da BBC é a fala do Dr. Rubens. O resto é promoção e propaganda das religiões afro-brasileiras.''

BBC, assim como outros canais, se tratando do evangelho são bem tendenciosos mesmo. O canal da history channel, por exemplo, também bem é tendencioso. Duvido muito que estas pessoas aí do jornal leiam a Bíblia para saber se a conduta do traficante está de acordo com o afirmar dele de ''ser cristão''. Era só fazer isso.

Gostei muito do testemunho do episodio do assalto.

( ultimamente tenho comentado bastante nos topicos aqui...eu não assisto mais televisão pq lá eles nunca apresentam o contraditório das informações.)

Júlio, que Deus guarde você e a toda a sua família com todo o zelo que só Ele sabe ter. Eu creio que em nome de Jesus seja o que for pelo que você esteja passando, nada vai acontecer com você e com a sua família que possa atrapalhar a vontade de Deus na sua vida.