3 de agosto de 2013

Surpresa! EUA Rejeitam Declaração de Direitos Homossexuais na OSCE


Surpresa! EUA Rejeitam Declaração de Direitos Homossexuais na OSCE

Comentário de Julio Severo: O governo de Barack Obama é patentemente homossexualista. Basta conferir este artigo:
O governo de Obama também está determinado a impor sobre o mundo inteiro seu imperialismo homossexual, como demonstra este artigo:
Ainda mais recentemente, Obama tentou impor sua influência homossexualista numa pobre nação africana:
Mas o que acontece quando um governo pró-morte comete o “erro” de colocar um cristão pró-vida numa delegação? A resposta está no artigo abaixo, que mostra o governo de Obama colocando o deputado federal americano Chris Smith, um grande católico pró-vida, como membro de uma delegação americana em evento europeu para tratar de questões homossexualistas. O resultado não poderia ser outro: a delegação dos EUA, sob o comando de Smith, rejeitou a agenda gay.
Julio Severo com Chris Smith
Estive com Smith recentemente e, desde que conheço a atuação dele há 19 anos, ele não abre mão de defender a vida contra o aborto e contra a agenda gay onde quer que esteja. Sua trajetória como deputado federal pró-vida tem sido das mais excelentes. Fico muito feliz que o governo de Obama tenha cometido o “erro” de colocar Smith na delegação americana. Talvez as orações do povo de Deus estejam cegando o presidente americano homossexualista.
Esperemos que o governo de Obama continue cometendo tais “erros.”
Atualização: Acabei de receber esta importante informação de um jurista americano: A reunião foi da Assembleia Parlamentar da OSCE, de modo que a delegação dos EUA foi do Congresso, não do Executivo. O governo de Obama nada teve a ver com a nomeação, e é evidente que o governo de Obama é a  favor da agenda LGBT. O controle da Câmara dos Deputados pelos republicanos, e a comissão do Congresso que lida com a OSCE, a Comissão de Helsinque, é presidida pelo deputado federal Chris Smith. Isso destaca a importância da separação de poderes num governo constitucional; todo poder não é concentrado nas mãos do Executivo. O artigo original do Stefano não estava claro nesse ponto e ele teve de modificá-lo; talvez essa tenha sido a fonte da confusão.
Eis o artigo:

Países Rejeitam Declaração de Direitos Homossexuais na OSCE

Dr. Stefano Gennarini
ISTAMBUL, Turquia, 19 de julho (C-FAM) Grupos homossexuais sofreram uma grande humilhação no final do mês passado por parte da maior organização regional de segurança do mundo.
A Organização de Segurança e Cooperação da Europa (OSCE) derrubou uma resolução que reconhecia uma declaração polêmica sobre homossexualidade por uma votação de 24 a 3. Até mesmo países que geralmente são amistosos com grupos homossexuais os desertaram.
A declaração não obrigatória, conhecida como Princípios de Yogyakarta, declara novos e abrangentes direitos especiais para indivíduos que se identificam como lésbicos, homossexuais, bissexuais ou transgêneros (LGBT). Os 29 princípios foram preparados em 2006 por ativistas, acadêmicos e ex-autoridades não eleitas de órgãos internacionais.
Os defensores insistem em que os princípios são interpretações autorizadas de leis internacionais existentes, e pediram que as organizações internacionais os endossassem. Eles tiveram sucessos variados, especialmente com autoridades que não foram eleitas. Colocar a OSCE a bordo teria sido uma vitória significativa para grupos homossexuais e seus amigos internacionais porque representantes nas reuniões da OSCE tendem a ser autoridades eleitas.
A Bélgica estava confiante em que a resolução seria aprovada. O Conselho da Europa, com quase os mesmos países como a OSCE, reconheceu alguns dos princípios numa resolução de 2010. Mas a iniciativa se transformou num pesadelo quando até mesmo países que geralmente ficam do lado de direitos LGBT se recusaram a apoiá-la. Para surpresa de muitos, o principal oponente foi os Estados Unidos.
Só três dos doze co-patrocinadores originais da resolução mantiveram seu apoio depois que a resolução foi debatida. Quando surgiu para debate, a atmosfera na sala de repente se tornou tensa.
Chris Smith, congressista dos EUA na delegação americana, foi o primeiro a falar. Ele disse que os Princípios de Yogyakarta “contradizem” os compromissos da OSCE para com a liberdade religiosa e a liberdade de expressão. Ele enumerou vários conflitos entre os princípios e os dogmas das grandes religiões, bem como leis internacionais obrigatórias. Smith também apontou para o fato de que os governos nunca negociaram os princípios.
Embora o governo de Obama tenha declarado os direitos LGBT como prioridade para os Estados Unidos, e declarações públicas feitas pelo presidente Barack Obama e outras autoridades continuem a dar essa impressão, esse episódio mais recente pode sinalizar uma mudança de direção.
Os Estados Unidos não estavam sozinhos denegrindo os Princípios de Yogyakarta.
A Polônia propôs a remoção da resolução da agenda, nem mesmo debatendo-a. Seu representante fez uma intervenção surpreendentemente vigorosa, dizendo que os princípios contradiziam a constituição da Polônia, e nenhum órgão chegou a definir os termos “orientação sexual” e “identidade de gênero.”
Países que concedem novos direitos especiais para indivíduos que se identificam como LGBT, como a Itália, que concede às duplas gays condição especial por meio de uniões civis, também falaram contra a resolução.
A promoção de ativismo partidário “diminuiria” a autoridade da OSCE, de acordo com o representante italiano. Ele observou que é impróprio que a OSCE até mesmo discuta os méritos dos Princípios de Yogyakarta. Ele apontou para o fato de que a OSCE reconhece o direito de todos os indivíduos, independente da orientação sexual ou identidade de gênero, serem livres de discriminação.
Ele efetivamente disse que os princípios vão além do sistema normativo aceito de direitos humanos adotados pelos países da OSCE, ecoando especialistas legais que dizem que os Princípios de Yogyakarta não refletem de forma acurada as leis internacionais.
A Rússia e a Armênia também fizeram comentários se opondo à resolução. Nenhum país da OSCE ofereceu palavras de apoio adotando a resolução, nem mesmo a Bélgica.
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: C-Fam
Leitura recomendada:

9 comentários :

Jadson Carvalho disse...

Julio, ontem conseguir ouvir toda a sua entrevista que você concedeu a dextra, gostei bastante dos assutos que você falou, durante 2 horas ouvir sua palavra até às 1:30 da madrugada. Irmão Deus está contigo, o Senhor Deus é contigo, espero um dia poder conhecê-lo bem de perto. Leio sempre seus artigos, todos os dias navego no seu site. E tenho aprendido bastante assuntos no que diz respeito a controle mundial. Já cheguei até a repreender O Pr Ciro Zibordi, por suas criticas a assuntos de espionagens, Disse ele que "eram paranoicos os que diziam haver uma espionagem mundial através da tecnologia". Não sei se ele se faz de bobo, ou se de fato ele é um dos tais. Veja minha resposta a ele neste link, http://www.cpadnews.com.br/blog/cirozibordi/?POST_1_108_ESTOU+COM+MEDO+DO+GOOGLE+E+DO+FACEBOOK.html. Contudo, ele não publicou a parte final do meu comentário.

Anônimo disse...

Toma! Que os esquerdistas continuem se estrepando em seu afã de construirem um governo mundial que passa por sobre a liberdade das pessoas e a identidade da familia natural, um Super Estado intervencionista na vida privada.

Julio Severo disse...

Infelizmente, Jadson, o pastor que você mencionou não tem vergonha nenhuma de ter seu nome no Genizah, que não tem credibilidade nenhuma. Quem anda com gente sem credibilidade merece o quê? Clique neste artigo para ver quem é o Genizah e dois de seus colunistas, que afirmam não ser liberais:

O político evangélico ideal e Leonardo Boff

Gayzudo disse...

Viu como o governo de Obama sabe manter os dois lados felizes?

Uma pequena derrota, um pouco de carne de pescoço aos cães, mas em nada se compara às derrotas sucessivas (de ontem, hoje e amanhã) do sr. severo! Hahahaha

Politica sem Medo disse...

Que e isso Gayzudo? Tome vergonha na sua cara! Bom mesmo e ver um idiota defendendo Obama apesar dele ser mussulmano e gayzistaaa, nao?.

A ESTRATÉGIA: REV. LOUIS P. SHELDON disse...

Isso são os Anjos de Deus removendo os pinos das carruagens do Faraó Gayzista do Obama. Oh "erro" abençoado! KKKKK. Abração amigo Júlio!

Jadson Carvalho disse...

Eu li esse artigo, o evangélico ideal na visão da esquerda, é aquele que concorda com todo pensamento anticristão. e pra fazer apologética a serviço da esquerda evangélica, nada melhor do que o púlpito anticristão.

Anônimo disse...

O que esse tal gayzudo chama de "derrota do Sr Severo", são as noticias frequentes que o Julio coloca no blog, sobre muitas mordomias que os governos liberam para os gayzistas?
Saiba que essas mordomias concedidas a vocês, não é derrota para o Sr. Severo, é derrota PARA O MUNDO! O mundo perde, o mundo sofre um atraso cultural... Sim, porque portar-se como animal irracional ( vocês gayzista que dizem isto, afinal não são vocês que adoram bater no peito e dizer que existe homossexualismo no reino animal? ) para mim, nada mais é que um atraso.
Fabiano Santos

jefferson Gonçalves disse...

Boa tarde!

A Paz do Senhor Jesus Cristo Julio

Eu queria primeiramente lhe parabeniza-lo pelo seu trabalho persistente junto ao mídia sem mascara , você junto com o professor Olavo de carvalho tem trago a luz esta politica criminosa que ps ativistas gays financiados por fundações como: rockfellers , Ford entre muitas outras além dos governos.
O que mais me impressiona Julio e que homossexuais que não estão ligados junto a tais ONGs não se manifesta contra e nem se pergunta do porque do interesse dos governos estar patrocinando suas causas pelo mundo.

Fica meu Abraço e Deus te abençõe.