3 de agosto de 2013

Papa escreve mensagem pessoal para muçulmanos no final do Ramadã


Papa escreve mensagem pessoal para muçulmanos no final do Ramadã

Comentário de Julio Severo: Depois da recente adulação de Barack Obama aos muçulmanos no início do Ramadã, o papa dá o toque final: no final do Ramadã, ele manda uma mensagem aos líderes islâmicos. Qual será a intenção? No passado, os papas tratavam o islamismo publicamente como religião violenta e assassina — que é a mais pura verdade. E agora que o islamismo está crescendo sem parar na Europa, até em Roma (confira este importante link: http://bit.ly/19FSNMd), o papa dá uma mensagem de paz, talvez na esperança de que ao tratar hoje com bondade os islâmicos, eles tratem com bondade um Vaticano que será minoria católica numa Itália islâmica em futuro não muito distante. O discurso claro e grosso do Vaticano no passado contra o islamismo deu lugar a um discurso de apaziguamento. Já está começando a jogar a toalha para os islâmicos.
Em mensagem publicada na sexta-feira, o Papa Francisco deu o passo raro de pessoalmente expressar suas “estimas e amizade” aos muçulmanos do mundo enquanto eles se preparam para o fim do jejum do Ramadã.
Embora seja um costume tradicional do Vaticano enviar mensagens aos líderes religiosos do mundo em seus grandes dias santos, essas saudações geralmente são assinadas pelo departamento de diálogo inter-religioso do Vaticano.
Em sua mensagem, Francisco explica que no primeiro ano de seu papado ele queria pessoalmente saudar os muçulmanos, “principalmente os que são líderes religiosos.”
O Papa Bento 16, o antecessor de Francisco, tinha relações tensas com os muçulmanos. Num discurso de 2006 ele citou um imperador bizantino que disse que Maomé só havia trazido coisas “malignas e desumanas” para o mundo, provocando uma crise mundial nas relações entre cristãos e muçulmanos.
Em anos subsequentes, ele trabalhou muito para consertar as relações com os muçulmanos e visitou três mesquitas. Mas ele nunca teve êxito em dissipar a desconfiança entre líderes religiosos muçulmanos.
Desde o início de seu pontificado, Francisco tem frisado que ele dá valor elevado ao diálogo com outras religiões.
Num de seus primeiros discursos, em 22 de março, ele anunciou que queria “intensificar o diálogo entre várias religiões,” acrescentando: “E estou pensando principalmente de diálogo com o islamismo.”
Em sua mensagem de Ramadã na sexta-feira, Francisco frisou a importância de educar os jovens muçulmanos e cristãos a respeitar a religião um do outro.
“Temos de criar nossos jovens para pensar e falar de forma respeitosa das outras religiões e seus seguidores, e evitar ridicularizar ou denegrir suas convicções e práticas,” escreveu ele.
O papa também disse que se deve dar “respeito particular aos líderes religiosos e aos lugares de culto.” “Como são dolorosos os ataques contra um ou outro desses!” acrescentou ele.
O que Francisco fez, embora seja raro, tem precedente. O Papa João Paulo 2º em 1991 escolheu escrever pessoalmente a mensagem do Ramadã como sinal de solidariedade aos muçulmanos por causa da Guerra do Golfo.
Traduzido por Julio Severo do artigo da revista Charisma: Pope Pens Personal Message to Muslims at Ramadan's End
Leitura recomendada:

15 comentários :

Mais um no mundo disse...

E que venha a paz mundial e a harmonia entre todos com a tolerância que vai banir o Deus vivo da face da terra.

Anônimo disse...

desculpe-me, mas dialogar com muçulmanos é o mesmo que faze-lo com cachorros, eles não estão nem ai.

Trindade disse...


Olá Júlio;
Eu aprendi e tenho que amar os meus semelhantes (seres humanos e irmãos), mas aos Católicos eu sempre direi e sei do poder dessas Palavras que livrou minha família do abismo e continua livrando famílias inteiras:
Saí do meio dela, ó povo meu, e livrai cada um a sua alma do ardor da ira do Senhor. Jeremias 51:45
E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Apocalipse 18:4.
Pois são palavras poderosas, mas que podem gerar ódio.
Todos os humanos normais ao crerem que Deus os livrará dessa condenação, por meio da aceitação integral e SUFICIENTE do sacrifício de Jesus Cristo na cruz do calvário, menos os que voluntariamente rejeitarem e permanecerem rejeitando o sacrifício VOLUNTÁRIO E SUFICIENTE de Jesus Cristo como tem feito esse senhor que acredita que pode alcançar a glória de Deus por meio de “intermediário(a)s”, ou por meio de atos ou ações.
O Papa só esta fazendo o seu papel, pois o deus sol não permite fazer outra coisa, mas Jesus Cristo é Vida e Vida com abundância, portanto meus caros cristãos fiquem com o verdadeiro Cristo e renegue a religião e ao deus sol.
VIVA JESUS CRISTO E A VERDADE QUE VENCE O MUNDO.

Flavia Tavares disse...

Obrigada pela tradução.
Como são arrogantes aqueles que preferem ignorar as palavras de Cristo, escrita nos evangelhos, que pede a Pedro que funde sua Igreja e leve a palavra de Cristo para toda a humanidade. Não admitem a presença de Deus em uma Igreja fundada há quase 2 mil anos, cujos discípulos seguem rituais milenares representando os passos de Cristo e seus mandamentos. Mas, com soberba, acreditam que são os donos da verdade e do próprio Deus. É preciso um pouco de humildade e respeito como falou o Papa Francisco.

Anônimo disse...

Júlio, acho fascinante o caso em ponto. Quando voce publica uma notícia com o presidente dos USA fazendo elogios aos muçulmanos, muitos leitores seus imediatamente comentam que ele é o anticristo, isso, aquilo e aquilo outro. Mas basta o papa fazer exatamente a mesma coisa que aí o discurso desses mesmos muda 180 graus: ele é o representante de Cristo na terra! Isso faz o senhor Obama um azarão, não é?

Landinho

Anônimo disse...

Caro Júlio,
Ah que lindo!
E discursar contra o aborto nada? Essa conta não está fechando.
Essa história de diálogo com muçulmanos, é como fazer carinho em leão, um dia ele arranca a sua mão. Respeito é uma coisa (que muitos deles conhecem pouco), puxa-saquismo é outra.
Isso mais me parece ecumenismo-politicamente-correto. Será que ele é um patzo?
O tal Mohamed fumou ópium demais, entrou na caverna e veio com seus delírios vaidosos e ambiciosos, como todo herege que quer se tornar imortal na história e vem um bando de apedeutas, que esqueceram de estudar e acreditam em mais uma cilada do demônio.
Eu tenho medo deles, principalmente das mulheres com suas roupas pretas que mais parecem um spectro querendo assustar à todos. Será que elas pensam ser apenas uma vagina, para se cobrirem tanto como se fossem? Isso sim que é ser malicioso.
É o que eu vejo num povo que comete tanta atrocidade em nome de Deus, e vê maldade em tudo que não seja escrito por Maomé, menos eles. E a auto-surra que se imputam? Puro sadomasoquismo.
O Papa precisa estudar mais antes de pensar em sómente ser bonzinho.
Abraço, e um bom domingo!
Valéria

Ex-católico disse...

Isso é puro instinto de auto-preservação! O papa sabe muito bem que hoje os muçulmanos são o grupo que mais cresce na Europa e na Itália mesmo. O islamismo será a religião dominante da Europa em 40 anos. A mensagem do papa equivale a dizer: tô sendo bonzinho com vocês. Pelo amor de Deus, lembrem da minha bondade e quando crescerem na Europa, sejam bonzinhos comigo e com o Vaticano. Não o transformem em mesquita! Tô sendo bonzinho com vocês!!

Ex-católico disse...

Quando o papado vivia numa Europa totalmente cristã tinha liberdade de falar do islamismo como uma força maligna, pois isso era o que era. Ele podia mandar exércitos contra as hostes malignas do islamismo. Mas agora, enfraquecido e debilitado, tem de preparar-se para a dominação islâmica e rezando MUITO para que os islâmicos tenha misericórida do Vaticano quando dominarem a Europa. Dentro de menos de 100 anos, haverá um papa islâmico ou totalmente pró-islâmico, cercado por islâmicos na Europa!

Anônimo disse...

E no COMEÇO do Ramadã, 8 de julho, o Papa escolheu Lampedusa (para sua primeira visita oficial, fora de Roma) para saldar os imigrantes muçulmanos.

Trata-se de uma ilha italiana de 8 quilômetros quadrados com uma população permanente de 6000, que só este ano recebeu 7.800 imigrantes ilegais, que tentam chegar à Europa através do Mediterrâneo. Lampedusa está geograficamente mais próxima (do mundo muçulmano) da Tunísia que da Sicília, e é o ponto de entrada principal para a Europa.

Pois bem: quando o Papa oficiou a missa na quadra de esportes, havia 10.000 na congregação, dois terços mais que a população permanente, ou seja, 4.000 não-moradores da ilha (muitos deles presumivelmente não-católicos).

O Papa então denunciou a "globalização da indiferença" ao sofrimento dos imigrantes ilegais, condenou a “cultura do conforto” (que nos torna indiferentes ao sofrimento dos outros), e falou sobre "a fronteira dos desesperados" (da tragédia das pessoas que cruzam o mar para buscar uma vida melhor).

As palavras de Francisco não passaram de exibicionismo moral, que é a adoção do sentimento generoso sem a dor de ter que pensar nos custos para as outras pessoas dessa implícita (mas não declarada) política moralmente adequada. Esta imprecisão lhe permitiu fugir da questão polêmica a respeito de exatamente QUANTO o sofrimento da África e de outros lugares, a Europa deve admitir e subsidiar (e pela Europa eu quero dizer, é claro, o contribuinte europeu).

Além do mais, Lampedusa é uma micro-representação do que vai acontecer com a Europa, se os atuais níveis de imigração muçulmana continuarem como estão, praticamente igualando o número de nativos e de muçulmanos - como já está ocorrendo em Lampedusa.

O Papa deveria se concentrar mais no número de cristãos que estão sendo abatidos por muçulmanos, isso sim.


Anônimo disse...

Gente, vamos acordar. A questão não é que um grupo possa se tornar majoritário. Pouco importa. Um dia, uma personalidade religiosa vai incorporar o demônio, como Falso Profeta. Há que se ensaiar benevolência para agradar a todos, sejam gays, sejam muçulmanos, sejam "irmãos separados". a serpente é astuta, como explicitado na Bíblia. Não se esqueçam: "Maldito o homem que confia no homem". Pode ser, e principalmente, qualquer "vaca sagrada", ainda mais, se apresentar como a pessoa mais humilde. Olho vivo. A coisa não está para brincadeira.

Antônio.

Anônimo disse...

Vocês evangélicos estão confusos. A maçonaria infiltrou gente nos seminários durante muito tempo. Através do Concílio Vaticano II, passou a dar as cartas na igreja, foi um golpe de mestre.

A maçonaria trabalha na implantação de uma religião mundial, ecumênica e quem não aderir será perseguido, considerado radical e inimigo da humanidade.

Isso é sinal claro que estamos próximos da vinda do Senhor Jesus, o que deverá acontecer até o final deste século.



Daniel disse...

O Papa abriu e fechou o Ramadã tecendo loas ao maometanismo. O mês sagrado muçulmano celebra a "revelação" do Alcorão a Mohamed. Este mesmo Corão que declara que Jesus não é o Filho de Deus, que não sofreu crucificação e que a ressurreição não ocorreu. São Paulo disse que, se Cristo não ressuscitou dos mortos, então nossa fé é vã, mas Francisco resolveu dar legitimidade a uma religião hostil alienígena que declara abertamente que a fé cristã não é só vã, mas uma blasfêmia e pecaminosa.

Sobre Lampedusa, tem aspectos dessa visita que são realmente preocupantes. Francisco decidiu visitar muçulmanos em sua primeira visita papal ao invés de cristãos perseguidos na Síria e no Egito, vítimas da violência muçulmana que não dá trégua. Ele acredita que se deveria fazer mais para proporcionar uma "vida digna" para esses imigrantes clandestinos... será que o Santo Padre acredita mesmo que seja prudente aceitar ainda mais muçulmanos em uma Europa descristianizada?

Como foi dito por aí: Temos um tontinho politicamente correto como Papa. Mas trata-se de um tonto intencional, revolucionário e malévolo. Temos o dever de contrariar este Papa.

Roger disse...

V SABE O QUE É "CUTUCAR O BICHO COM VARA CURTA"?
Imaginemos que o papa e os líderes evangélicos resolvessem dar umas "duras" nos muçulmanos devido às mortes indiscriminadas contra cristãos no mundo inteiro, apenas por serem cristãos, tachando-os disso ou daquilo?
De quando em tempo qualquer coisinha que um líder religioso cristão Ocidental fale contra eles as reações são sempre violentas, e como!
É uma religião de ódio secular aos cristãos, em geral são fanáticos e lidar com esse tipo de gente - E COM APOIO ESTRATÉGICO E DINHEIRO DE MUITOS GOVERNOS ATÉ DE PAÍSES DE TRADIÇÃO CRISTÃOS - todo cuidado é pouco!

Esther Kochav disse...

Ao irmão Julio e outros que possam se interessar. Sei que já estou “atrasada” nos comentários, mas os vídeos parecem propícios ao tema.

Dave Hunt – A Mulher Montada na Besta
http://www.youtube.com/watch?v=zH9Au5y2agk&list=PL6CC92F6EBCB22CB9

e

Israel, o Islã e Armagedom
http://www.youtube.com/watch?v=E8VIG-qw6Es

Anônimo disse...

Viu isso, Julio?

La Iglesia de Bergoglio, a las órdenes del islam: Una universidad católica belga enseñará teología islámica

http://www.alertadigital.com/2013/08/09/la-iglesia-del-jesuita-borgoglio-mas-cerca-de-ala-que-de-aca-una-universidad-catolica-de-belgica-ensenara-teologia-islamica/