13 de agosto de 2013

Invenções de Israel: muito mais que você imagina


Invenções de Israel: muito mais que você imagina

Exclusivo: Jim Fletcher analisa um livro revelador: “Tiny Dynamo”

Jim Fletcher
A maioria das pessoas tem uma ideia sobre estado de Israel; boa, ruim ou indiferente. A maioria conhece o básico. Todos devem concordar que 99% do que escutamos sobre o estado judeu é negativo, seja notícias de guerra, diálogos de paz malsucedidos ou potenciais boicotes de grupos hostis.
O que quase nenhum de nós sabe é das extraordinárias inovações trazidas pela tecnologia de Israel. Avanços revolucionários na medicina, benefícios culturais, invenções tecnológicas, entre outras coisas, tudo contribui para um mundo melhor. Tudo isso contribui para uma visão muito diferente, e creio eu, mais verdadeira do que realmente é o estado de Israel.
Por exemplo, no campo do socorro humanitário, quantos de nós sabemos que a principal delegação médica que atuou no Japão após o terremoto de 2011 era israelense? Quem sabia que Israel enviou equipes a Nova Orleans logo após o furacão Katrina? Você sabia que Israel enviou uma equipe de especialistas em trauma a Boston após os recentes ataques a bomba para ajudar no processo de recuperação das escolas de Watertown?
Não, isso não é o tipo de coisa que você escuta na mídia de massa. É por isso que o incrível novo livro de Marcela Rosen, “Tiny Dynamo: How One of the Smallest Countries Is Producing Some of Our Most Important Inventions,”[Pequeno Dínamo: Como Um dos Menores Países Está Produzindo Algumas das Invenções Mais Importantes do Mundo] é tão relevante.
Esse pequeno volume está repleto de histórias sobre a inovação israelense que melhoram a qualidade de vida global. Pense nisso: um país do tamanho do Sergipe fornece todo tipo de auxílios e conveniências modernas para os quatro cantos do mundo.
Testemunha:
Yossi Fisher, da empresa Solaris Energy, deu-se conta de que o principal obstáculo à energia solar era a quantidade de terra necessária para torná-la viável. Afinal, ambientalistas, fazendeiros e construtores têm ressalvas. Veio então a grande ideia de Fisher: mover os painéis solares para a superfície da água, e ao mesmo tempo aprimorar a tecnologia do painel para torna-lo mais eficiente.
O Dr. Doy Rubin, diretor presidente da Itamar Medical (localizada na Cesareia), ajudou a desenvolver um novo método para lidar com a tão temida apneia do sono: “O WatchPAT, um aparelhinho muito elegante que representa uma mudança drástica na forma como a apneia do sono era tradicionalmente diagnosticada”.
O campo da cirurgia espinhal é obviamente cheio de perigos, pois os olhos e as mãos humanas não foram feitos para a precisão necessária às cirurgias espinhais ultra-delicadas. Entra o professor Moshe Shoham. Engenheiro mecânico e fundador da Mazor Robotics, Shoham desenvolveu o Assistente Cirurgião Robô SpineAssist.
Além de listar um grupo enorme de inventores, Rosen também torna a leitura divertida.
Note seu tom humorístico de escrever, descrevendo a inovação de Shoham: “Se você é como eu, quando pensa em uma equipe médica recorrendo a algo chamado Assistente Cirurgião Robô SpineAssist, você imagina algo como um Homem-Lata esterilizado capengando para fora de um armário com uma bandeja de bisturis e um esfregão”.
Engraçado, mas Rosen também escreve muito seriamente em se tratando de fazer conhecer as incríveis invenções produzidas pelos israelenses. Seu projeto UntoldNews.org (Histórias não Contadas) é um site surpreendente que apresenta um lado de Israel que poucos conhecem.  É especialmente útil, também, para combater o vazio movimento “BDS” (boicote, desinvestimento e sanções), que tenta marginalizar o estado judeu por meio de um boicote econômico. O que parece perdido para os líderes e proponentes do BDS, entre outras coisas, é que a tecnologia que torna suas arengas nas redes sócias possíveis vem de…… Israel.
Então… A idiotice que promove a ideia de excluir justamente o país que fornece tratamentos que salvam vidas, grandes avanços na agricultura e engenhocas tecnológicas das quais a maioria de nós veio a depender é em si excluída à luz de “Tiny Dynamo”.
Como um aficionado por livros e comentador, sempre observo todo o conjunto de um livro; mais ou menos como um índio eficientemente usa toda a carcaça de um animal. Tudo bem, é uma má analogia, mas a questão é, não vejo nenhum ponto fraco em “Tiny Dynamo”. O design da capa é impressionante e memorável, é uma leitura rápida, a informação fica marcada no leitor, e o melhor de tudo, é claro, destrói os mal-entendidos sobre uma questão distorcida por boa parte da mídia, principalmente os detratores árabes de Israel.
Como escreve Rosen no prefácio: “Enquanto todo mundo se concentrou em décadas de conflitos militares do país, Israel discretamente se tornou a mais energética, ambiciosa e agressiva incubadora de empreendimentos e invenções que o planeta já viu”.
“Eu poderia lhe dar estatísticas: Israel é a origem de mais empresas iniciantes, invenções e patentes que toda a União Europeia junta; Israel atrai facilmente duas vezes mais capitais de risco per capita que o segundo receptor mais próximo (os EUA).
E essa história marcante continua. Você vai ler sobre tudo isso em “Tiny Dynamo”.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do original do WND: INVENTED IN ISRAEL: A LOT MORE THAN YOU REALIZE
Leitura recomendada:

5 comentários :

Anônimo disse...

E em ti serão benditas todas as famílias da terra. (Gen.12:3).

Mais uma vez e como sempre, o Estado de Israel demostrando ao mundo inteiro que de la saem bencaos sem medidas a todos.

Interessante irmao Julio, que as organizacoes Globo e nem a grande midia nunca divulgam esses fabulossos feitos a favor da humanidade, porque sera ? rsss

Pastor Caleb.

ServoX disse...

Não sou a favor das igrejas judaizantes, afinal, os cristãos não vivem mais da Lei e os judeus rejeitam o Senhor Jesus como Messias. Porém é inegável a grandiosa ajuda dada por Israel ao mundo em outros campos.

Anônimo disse...

No livro bíblico de Romanos, cap. 11, Deus lembra à humanidade que NAO DEIXOU DE CONSIDERAR ISRAEL COMO SEU POVO, ainda que povo rebelde ( o numero "11" do capitulo é muito sugestivo, pois, na simbologia bíblica é o numero da REBELDIA, embora, para sociedades secretas o "onze" é considerado "sagrado", por isso mesmo, tem tudo a ver). Existe uma maligna "teologia da substituição", que afirma que Israel "já era". Melhor não apostar nisso. É interessante que no Cap. 37 de Ezequiel, o Senhor prometeu restaurar Israel, mas "sem o Espírito de Deus"; são os "ossos secos". Relembrando Romanos, "em parte veio o endurecimento aos ( coração) judeus...". Sim, em parte, porque é algo que veio do próprio Deus. Assim, Deus, em sua Soberania, Onipotência, Onipresença e Onisciência usou três satanistas para recriar o Estado de Israel, efetivada em maio de 1948. A questão irracional da humanidade em relação a Israel vem do próprio satanás, pois ele sabe que o cumprimento final da Bíblia passa pelo povo judeu. Destruindo o povo judeu frustraria os planos do Senhor. Como se diz por aí, "que viagem". Mas, sabendo ou não que NUNCA o Senhor permitirá isso, por oito vezes, ao longo da historia satanás tem buscado realizar seu intento, instigando o sentimento mais perverso que o coração humano pode abrigar: a inveja. Lembrem-se de que por ela - a inveja - teve inicio a tragédia cósmica que vivenciamos, pois o anjo caído, sentindo inveja do Altíssimo, julgando-se mais que o Criador, pelo orgulho e ambição provocou o caos . Mas, esse projeto de eliminar o povo de Deus já é fracassado desde a "fundação do mundo". Pode tirar o cavalo da chuva. Aquele povo tem a garantia do Altíssimo de que veio para ficar e, eternamente.
Sobre a questão de Israel ter sido recriado sob auspícios dos mistérios babilônicos, basta observar a bandeira, em que, ao invés do verdadeiro símbolo judeu, que é a menorah ) o Candelabro de Sete Braços), o que aparece é o "Selo de Salomão", símbolo ocultista dos mais terríveis, erroneamente entendido como Estrela de Davi.

Antonio.

Carla-SP disse...

Em outro texto vc escreveu o seguinte: "De acordo com o profeta Joel, logo antes da volta de Jesus, um vasto número de nações invadirá Israel e cercará a cidade de Jerusalém. Joel nos diz que Jesus executará juízo contra todas as nações envolvidas nessa invasão e também contra todos os que forçam a divisão da Sua terra". Então o Estado de Israel ainda será invadido?? Os inimigos vão conseguir o q querem, ainda q por um período? Boa noite.

Min. Semeadores disse...

Encontra ele traduzido para o português?