29 de julho de 2013

O Papa, a Homossexualidade e o Aborto no Brasil


O Papa, a Homossexualidade e o Aborto no Brasil

Julio Severo
Conforme reportagem do Daily Mail, “O papa disse que ‘não julgará’ padres gays. Falando com jornalistas num voo de volta depois de uma visita de uma semana ao Brasil sexualmente permissivo, o Papa Francisco disse que ‘não julgaria’ gays dentro do Vaticano e que eles não deveriam sofrer discriminação. Os comentários do pontífice sobre gays marcam uma abordagem mais conciliatória do que seu antecessor. Bento assinou um documento em 2005 dizendo que homens com profundas tendências homossexuais não deveriam ser padres.”
Discurso sobre não julgar padres gays é uma surpresa, considerando que o enorme escândalo envolvendo pedofilia na Igreja Católica é em grande parte ligado à homossexualidade entre padres.
Mas a surpresa maior, pelo menos para os líderes pró-vida do Brasil, é que a presidente socialista Dilma Rousseff está para sancionar uma lei de aborto, e o papa não dirigiu nenhuma mensagem específica sobre essa situação urgente do Brasil. Ele deixou o Brasil sem abrir a boca contra essa ameaça iminente.
Como evangélico, penso que o papa poderia fazer seu polêmico comentário sobre homossexualismo em outra ocasião. A prioridade absoluta neste momento é abrir a boca contra a iminência da legalização do aborto no Brasil.
Por que ele não falou?
Versão em inglês deste artigo: The Pope, Homosexuality and Abortion in Brazil
Leitura recomendada:

9 comentários:

sergio r disse...

Vc levantou um ponto intrigante, senhor Júlio. De fato, se o Papa é tão combativo contra o crime do aborto, seria a coisa mais natural do mundo ele tocar diretamente no assunto com dona Dilma. Pairam agora dúvidas e mais dúvidas e mais dúvidas no ar.....

Paulo Amorim disse...

desconhecimento, esquecimento ou lapso?!! negligência, conivência ou covardia?!!

afinal, para um líder de uma religião imensa como o Catolicismo, que diz condenar este crime estúpido e inconsequente - o aborto, esse silêncio significa o quê?!!

me engana com essa demagogia de 1/2 voto de pobreza que eu gosto!!!

Anônimo disse...

Me deu a impressão de que o Papa de fato estava bastante desinformado sobre a situação geral do Brasil. Tanto é que em entrevista ele disse que não saber do que se tratam as manifestações no pais, quais são as reivindicações. sobre o posicionamento dele sobre homossexualismo e aborto há a entrevista dele no avião. O padre Paulo Ricardo escreveu um texto sobre isso mostrando que o Papa continua a afirmar o mesmo de sempre sobre essa duas questões:
http://padrepauloricardo.org/blog/papa-francisco-eu-sou-filho-da-igreja
Mas de fato, é uma pena que sobre aborto não tenha sido mais enfático.

Anônimo disse...

Na verdade abomino toda adoração feita aos homens, digno é o SENHOR DEUS de toda a adoração.
Acabo de ler o artigo "Papa ilegítimo espalha o comunismo, reúne-se com trinca do mal e prega a homodepravação"
"(...) assistimos estarrecidos e inertes o desfile sórdido deste papa usurpador do trono de Pedro, que num golpe marxista de estado, derrubou e mandou para o exílio o bom Joseph Ratzinger , a espalhar o comunismo aqui neste bananal bolchevista chefiado pelo nove-garras de Garanhuns. O tal pseudopapa portenho demostrou descaradamente o agente ateu comunista infiltrado na Santa Sé que é ao receber os caciques do mal que ocupam o poder nas republiquetas comuno-bolivarianas da Latino-América [photo]: bruja negra argentina, índio narco-boliviano e búlgara poste do Brazil. Tal encontro foi um murro na boca do estômago daqueles que há poucos anos regozijavam-se com a batalha de São JP2 no intuito inglório de extirpar o comunismo da face da terra. (...)
LEIAM MAIS EM: http://www.hariovaldo.com.br/site/2013/07/29/papa-ilegitimo-espalha-o-comunismo-reune-se-com-trinca-do-mal-e-prega-a-homodepravacao/
Abs fraterno
Hellen

Ricardo disse...

A Paz Julio. Sempre achei estranho, muito estranho a renuncia do Papa Bento 16. Agora, parece que as coisas começam a aparecer. O Papa que não julgará gays na igreja, e não defenderá a vida. A que ele veio??????

Isayas disse...

Quando o papa Francisco foi questionado sobre o casamento gay e o aborto, duas questões as quais a Igreja se opõe com toda a sua força, ele respondeu de forma breve e seca.
"Todos vocês estão bem cientes da posição da Igreja sobre esta questão", concluiu.
O antecessor era mais contundente, esse é menos; tipo latino.

Antonio disse...

sou católico e queria-lhe pedir um especial favor: que reze e mobilize outros a rezar, pelo papa Franscisco, porque ele tem falado e agido de forma estranha e temo que não esteja à altura do seu posto...
Que Deus o abençoe,

Antonio

Anônimo disse...

Julio, creio que o Papa não comentou sobre aborto porque ele quer ser pop, e este assunto, para quem é contrario, não deixa nenhum líder confortável.

Herberti disse...

O papa Francisco agiu como um legítimo chefe de Estado ao negar conhecer sobre assuntos particularmente espinhosos para a ICAR, muito semelhante a um certo outro político brasileiro, que quando presidente negou saber que todo o seu primeiro escalão estava metido até o pescoço em atos criminosos. Quando Francisco deixar de agir como político e passar a agir como representante de Cristo talvez possamos leva-lo mais à sério. Em entrevista à Rede Globo afirmou desconhecer a razão do aumento do numero de evangélicos no Brasil. É preciso ser muito tonto para acreditar nisto, visto que a repetida vinda de sumos-pontífices ao Brasil ao longo dos últimos 30 anos tem exatamente a finalidade de reverter a sangria pela qual a ICAR passa na América Latina. Haja visto a ida a Aparecida do Norte, Meca do catolicismo tupiniquim, e que não constava originalmente da agenda da JMJ. Notável também foi a ausência de algumas figurinhas carimbadas da ICAR nestes dias, tipo padres Marcelo Rossi e Fábio Melo, que teoricamente tem um forte apelo com a juventude. Enfim, apenas um evento de mídia, sem qualquer profundidade ou espiritualidade.