14 de julho de 2013

França Acusada de Brutalidade Policial Contra Manifestantes do Casamento Tradicional


França Acusada de Brutalidade Policial Contra Manifestantes do Casamento Tradicional

Dr. Stefano Gennarini
PARIS, França (C-FAM) Um advogado internacional entrou com denúncias contra a França no Conselho de Direitos Humanos da ONU por brutalizar manifestantes pacíficos. Vídeos mostram a polícia francesa batendo em manifestantes pró-casamento, usando gás lacrimogênio e cassetetes contra mulheres, homens, idosos e crianças.
Manifestação contra 'casamento' gay na França
O casamento e adoção homossexual se tornaram lei na França em 18 de maio. Mas um movimento contando milhões de cidadãos franceses está determinado a mudar isso. La Manif Pour Tous, que significa “manifestação para todos,” não está cedendo apesar das tentativas governamentais de intimidá-los e reprimi-los com violência.
Desde que a lei foi aprovada, La Manif vem seguindo o presidente francês Francois Hollande com manifestações exuberantes caracterizadas por jovens de face limpa, famílias e idosos que acreditam que as crianças têm direito a uma mãe e um pai.
As autoridades francesas decidiram que os manifestantes pró-família são uma ameaça pública. As tropas de choque aparecem em todos os lugares em que aparecem os manifestantes. Eles têm sido sujeitos a infundas verificações de identidade, prisões arbitrárias e detenções, bem como brutalidade policial por meio de agressões físicas e gás lacrimogênio. Entre os que sofreram violência policial estão Christine Boutin, ex-ministra do governo Sarkozy que sofreu um ataque de gás lacrimogênio, e Jean-Fredrick Poisson, membro da Assembleia Nacional da França.
Uma reportagem do jornal Le Figaro tem estimativas de mais de mil prisões e 500 detenções desde 26 de maio. Mais de 150 indivíduos entraram com denúncias por meio de diferentes mecanismos de reparação.
Em comparação, quando violentas badernas irromperam depois de uma vitória do time de futebol de Paris em maio, apenas 11 pessoas foram presas. Cerca de 300 foram presos numa manifestação La Manif no mesmo mês.
Muitos foram presos exclusivamente por estarem vestidos com uma camiseta com o lema de La Manif, um desenho com uma mãe e um pai com dois filhos. Quarenta e oito parlamentares exigiram que Holland terminasse as detenções e prisões arbitrárias.
De acordo com os organizadores, três aglomerações em massa de até um milhão de manifestantes ocorreram desde janeiro. Manoel Valls, ministro francês do Interior, justifica a presença das tropas de choque citando rápidos confrontos entre a tropa de choque e “algumas centenas” de manifestantes no final de algumas manifestações.
Mas os vídeos mostram as tropas de choque francesas agredindo pacíficos manifestantes e famílias com crianças e idosos ou deficientes cidadãos franceses cegados por gás lacrimogênio. Imagens da polícia a paisana indicam que eles estavam sob ordens de instigar violência e então reprimir os manifestantes de modo violento.
Um advogado de direitos humanos trouxe uma queixa contra a França na sessão mais recente do Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra. Gregor Pupnick do Centro Europeu de Lei e Justiça (CELJ) lamenta que a França, um país que afirma ter um histórico exemplar de direitos humanos, seja o primeiro país europeu contra o qual o CELJ tem entrado com uma queixa na ONU. O CELJ realizou um debate da repressão a La Manif no Conselho da Europa nesta semana.
Um comício na segunda-feira protestou contra o julgamento de um manifestante pacífico, Nicolas Bernard-Busse, de 23 anos. Ele foi sentenciado a dois meses de prisão e mil euros. Nicolas se refugiou num restaurante depois que a polícia agrediu um grupo de manifestantes em 26 de maio. Ele foi acusado de esquivar-se da prisão, muito embora não tivesse sido alegada nenhuma causa contra ele.
Dezenas de casos iguais ao de Nicolas inundarão o sistema judicial francês nos próximos meses, e talvez anos. Os manifestantes dizem que não se importam quanto tempo leve para revogar a lei.
Axel, um líder de jovens, disse aos participantes num comício que foi violentamente disperso pela polícia: “É nossa vida interior, nossa paz, nosso amor que formam a maior força de resistência, e a isso, nada há que o governo possa fazer para se opor.”
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: C-Fam
Leitura recomendada:

2 comentários :

Roger disse...

ELEGEM O DIABO PARA OS GOVERNAR E QUEREM QUE FAÇA BOAS OBRAS?`
Acredito até que NÃO sejam os manifestantes os eleitores dos comunistas, talvez alguns; pareceria um absurdo avalizar o título, mas corresponde à verdade pelo fato de na mente de um revolucionário comunista nada existir - são agentes satânicos, representantes ao vivo na terra das hostes infernais.
Os comunistas onde adentram trazem de imediato a perseguição religiosa em particular ao cristianismo, destruição, chantagens gerais, atraso, miséria e morte, baseando no estado dos fracassados redutos depois de 50 anos Cuba e Coreia do Norte, dois países-prisão, cidadãos tratados como gado estabulado, vigiado, reprimido e sob péssima ração, ainda vivendo no século XVIII.
Pior para o Brasil sob as patas dos comunistas, sob a foice e o martelo e a bandeira de 5 pontas que é o pentagrama satânico, ocupado em descristianizar, desagregar, massificar lançando as pessoas e classes uma contras as outras, e como na China também, escravizar!
Desde que adentraram ao poder na França e Brasil via PT - com ajuda dos alienados e anti Cristo eleitores - o país está em recesso pleno sob todos os aspectos ético-moral nem é bom falar.
No Brasil, agora mais uma, além da acima: levar as crianças para escola a partir dos 4 anos para inocularem nelas o vírus pestilento do marxismo para se tornarem os futuros autômatos de um regime materialista e ateu!
Vocês, eleitores de comunistas, junto com outros cristãos coniventes ou omissos por não se instruírem e o povo, não se os pode esquecer, são os responsáveis, excluindo a Cristo, preferindo o diabo, o qual
após a morte os recompensará por ajudar a instalar seu reino das trevas!
No Brasil, até que enfim o povo saiu do túmulo depois de sentir o peso do jugo comunista, de cortar na pele dos outros, menos na deles!


Nil disse...

Não vamos cair no erro simplista de só condenar a policia.
Todo policial ou agente público obedece a uma autoridade.
O policial tem que obedecer aos seus superiores e o maior deles são os governantes que tem um mandato dado pela população , apôs vitorias nas eleições.

Logo ! Se houver distúrbios,badernas,vandalismo,nas ruas,mas a policia receber ordens para ficar nos quarteis,a policia tem que ficar nos quarteis. Ir contra as ordens superiores é insubordinação. Se um policial desobedece as ordens dos superiores pode ser preso,advertido,multado ou preso por vários anos.

O problema como diz o irmão Roger é ELEGEM O DIABO PARA OS GOVERNAR E QUEREM QUE FAÇA BOAS OBRAS?`

O ruim de elegerem governantes ímpios é que agora é ELES QUE MANDAM. Os ímpios estão no comandam,nos mais importantes cargos. E não seguir uma ordem do governante ímpio é uma insubordinação,mesmo que essa ordem seja a mais injusta,errada,insana possível.

Por isto quando as autoridades socialistas francesas dão ordem para a Policia repreender os manifestantes do La Manif .

O policial tem que reprimir,mesmo que no seu intimo reconheça que os manifestantes fazem algo bom,justo e certo.

Mas ! Pode ocorrer também que a policia(ou grande parte dela) vejam os manifestantes como errados,reacionários,retrógrados.

Aí ! A violência policial pode aumentar muito. Nossa oração tem que ser que Deus abra a mente e o coração dos policiais para que eles vejam os manifestantes pró família só com bons olhos.

E nesta situação é até justo que a policia francesa acha com uma certa insubordinação contra as ordens das autoridades socialistas.

Fora disto há o problema nos tribunais francês será que não vão seguir a risca as leis injustas e erradas feitas por legisladores socialistas ?

De qualquer maneira o atual caso da França ensinam muitas lições a nós cristãos brasileiros.