21 de julho de 2013

Bispo Macedo: a favor do aborto e contra profecia


Bispo Macedo: a favor do aborto e contra profecia

Cessacionismo neopentecostal a serviço do assassinato de bebês em gestação

Julio Severo
Já não é novidade nenhuma a postura do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) a favor do aborto. Dez anos atrás, quando denunciei essa postura no meu artigo “Aborto nos casos difíceis: um teste para os líderes evangélicos?” muitos duvidaram.
Mas depois, o próprio Edir Macedo dissipou todas as dúvidas. Na biografia “O Bispo: A História Revelada de Edir Macedo” (Editora Larousse do Brasil), Christina Lemos e Douglas Tavolaro revelam o que Macedo diz:
“Sou a favor do direito de escolha da mulher… Sou a favor do aborto, sim. A Bíblia também é… Olha só: ‘Se alguém gerar cem filhos e viver muitos anos, até avançada idade, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto é mais feliz do que ele’. Fica em Eclesiastes, capítulo 6, versículo 3. O Brasil deveria se unir pelo direito da mulher de optar pelo aborto. Nossos governantes deveriam se empenhar para isso e não se curvar diante da pressão de alguns segmentos religiosos. Certamente, grande parte de nossas mazelas sociais diminuiria… Vamos ser frios e racionais: é preferível a criança não vir ao mundo ou vê-la nos lixões catando comida para sobreviver? Eu creio na Bíblia. Nesses casos, eu acredito que o aborto é melhor do que nascer. A mulher precisa ter o direito de escolher.”
Conforme o GospelPrime, a posição de Macedo tem sido cada vez mais enfática. Macedo disse: “Eu sou a favor do aborto sim, e digo isso em alto e bom som, e se eu estou pecando, eu cometo este pecado consciente, sim!”

Contaminação cultural

Como explicar que um grande líder como Macedo aceite o que para Deus é inaceitável? Talvez uma das explicações seja a contaminação cultural. O fundador da IURD vive há anos nos Estados Unidos, nação outrora conhecida como potência protestante, mas que abriga a vanguarda mundial da apostasia, especialmente em questões fortemente ligadas à cultura da morte.
O Brasil e outros países estão somente há poucos anos começando a ver o que os EUA já viam várias décadas atrás: pastores apoiando descaradamente o aborto e o homossexualismo. Grupos evangélicos pró-aborto não são um fenômeno novo nos EUA.
O mais famoso pastor abortista americano, o Rev. Howard R. Moody , já pregava abertamente o aborto na década de 1960, quando as igrejas do Brasil nem sonhavam que tal criatura evangélica pudesse existir. Como pastor esquerdista, o Rev. Moody havia criado na década de 1970 uma rede de 1.400 pastores e rabinos para ajudar mulheres que queriam abortar seus bebês.
Na época, era totalmente impensável o Brasil ter uma rede tão grande de pastores pró-aborto. Mas os EUA já tinham.
Ao que tudo indica, Macedo escolheu, por escolha ou burrice própria, ser vítima da contaminação cultural do protestantismo dos EUA, onde a maior denominação presbiteriana americana apoia o aborto há muitos anos.
Diferentemente do Brasil, que está começando somente agora a ver a apostasia pró-aborto e pró-homossexualismo entre os evangélicos, os EUA têm denominações protestantes pró-aborto e pró-homossexualismo há anos.
Aborto propositado
O que fazer quando um líder evangélico se deixou contaminar pelo mau exemplo de líderes da outrora superpotência protestante?

Aborto sim, profecia não

O que fazer quando o fundador de uma grande denominação neopentecostal do Brasil defende descaradamente o aborto? Já fiz minha parte, escrevendo anos atrás meu artigo público explicando a mudança negativa da IURD com relação ao assassinato de bebês. Mas Macedo não está aberto nem para mim nem para outros.
O que Deus poderia fazer? Deus poderia enviar profetas. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, Deus usava o dom de profecia para alertar Seu povo.
Aliás, em toda a história da Igreja Cristã Deus tem alertado por meio do dom de profecia.
No entanto, por incrível que pareça, Macedo rechaça totalmente o dom de profecia para hoje. Ele diz: “Antigamente, Deus falava por meio de sonhos, visões ou profecias, porque não havia a Palavra dEle escrita. Hoje, Ele fala por meio da Sua Palavra, orientada pelo Espírito Santo.”
Por coincidência, essa postura é um reflexo fiel da opinião de uma minoria calvinista que abraça a teoria cessacionista — uma crença teológica que ensina que a profecia e outros dons sobrenaturais do Espírito Santo cessaram dois mil anos atrás.
Macedo, junto com esses calvinistas, ensina que Deus só fala por meio da Bíblia. Comunicações fora da Bíblia são “satânicas” e merecem ser tratadas com dureza máxima.
Contudo, querendo ou não Macedo e outros, a Bíblia não aprova o assassinato de bebês em gestação. Assassinar é que é satânico. A Bíblia ensina:
“O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” (João 10:10 ACF)
Se essas e outras passagens da Bíblia são tão claras, apontando o diabo como aliado da destruição e da morte e apontando Jesus Cristo como aliado da vida, por que então os que as leem nada enxergam?
Durante toda a história da Igreja Cristã, grandes líderes e teólogos não enxergaram na Bíblia o que era óbvio. Em seu ministério terreno, Jesus Cristo confrontou os fariseus (que eram teólogos rigorosamente treinados na Bíblia) por sua dureza. Jesus era a Profecia máxima, a Revelação máxima de Deus. Mesmo assim, a teologia não era garantia para os fariseus enxergarem a Profecia e a Revelação.
De forma semelhante, Macedo e outros grandes líderes e teólogos estão não só fechados para verdades óbvias, mas também para alertas, correções e repreensões que venham de Deus.

Cessacionismo e abortismo neopentecostal

Tanto a postura pró-aborto quanto a hostilidade anti-profecia da IURD e seu fundador são uma aberração no meio neopentecostal. A IURD é uma das poucas denominações neopentecostais do Brasil a adotar a teoria cessacionista, tradicionalmente abraçada por alguns grupos teológicos calvinistas. A IURD também é, até onde eu saiba, a única denominação neopentecostal a defender descaradamente o aborto.
E se Deus enviar um profeta para dar um aviso para Macedo sobre sua postura pró-aborto?
Já que a IURD, na questão do aborto, adotou a dureza teológica dos fariseus para não permitir que a Bíblia fale conforme o coração de Deus, seria necessária uma intervenção profética em suas congregações para alertar seus membros?
De acordo com recente reportagem do GospelPrime, Macedo exortou toda a sua denominação: “Se alguém souber que há um ‘profeta ou profetisa’ na Universal, por favor, denuncie imediatamente ao pastor e também ao líder regional, para que providências imediatas sejam tomadas.”
Deus diz em Sua Palavra: “Onde não há revelação divina, o povo se desvia.” (Provérbios 29:18 NIV) É de estranhar então que a maior denominação presbiteriana dos EUA viva há anos na apostasia pró-aborto? É de assustar que depois de viver anos nos EUA, Macedo tenha se adaptado a essa apostasia?
Na IURD, o dom de profecia não é encarado de forma diferente de certos círculos calvinistas. Ou, melhor dizendo, a profecia é tratada do mesmo jeito que os fariseus fariam.
É o cessacionismo neopentecostal a serviço do aborto.
É a cegueira e a morte espiritual a serviço da morte física.
Leitura recomendada:
Apostasia pró-aborto nos EUA:
Postar um comentário