21 de junho de 2013

A morte de Exodus Internacional: Ativistas gays chegaram atrasados…


A morte de Exodus Internacional: Ativistas gays chegaram atrasados…

Julio Severo
Algumas manchetes estão noticiando a morte de Exodus Internacional como sinal de que não há esperança para os homossexuais.
Exodus era uma organização que passou 37 anos usando a terapia reparativa e outros meios psicológicos para ajudar pessoas em conflito com desejos ou práticas homossexuais.
Seu presidente, Alan Chambers, dizia no passado que havia encontrado solução na terapia reparativa. Mas acabou abraçando uma teologia mais liberal, que é um problema grave na Cristandade americana.
Philip Yancey, um conhecido líder cristão ligado à revista Christianity Today (cuja versão brasileira é a revista Cristianismo Hoje), já vinha proclamando um evangelho liberal e esquerdista há muitos anos, inclusive com maior aceitação da homossexualidade.
Sua influência no público americano e brasileiro tem sido devastadora.
Recentemente, a revista Cristianismo Hoje publicou uma entrevista exclusiva com Brennan Manning, cujas posturas sobre homossexualidade são igualmente liberais e esquerdistas.
Muitos desses liberais pertencem também à linha calvinista, e são denunciados há anos por mim, inclusive o tabloide calvinista Genizah, que alegou dias atrás que o PLC 122 não representa ameaça.
O certo é que, lendo o Blog Julio Severo, o público brasileiro não vai ficar assustado com a morte de Exodus. Em julho do ano passado, publiquei artigo de uma entidade calvinista ligada ao falecido Chuck Colson sobre Exodus. O artigo, “Terapia reparativa: curar ou não curar,” sinalizava mudanças na Exodus, mas aparentemente não muito negativas.
Entretanto, logo depois meu amigo D.L. Foster, que é pastor pentecostal, avisou que Exodus não estava mudando. Ele de fato anunciou a morte de Exodus, numa atitude que demonstrou muito discernimento e coragem. Em seu artigo “Notícia de última hora: Morre Exodus Internacional aos 35 anos,” Foster explica uma das razões que levou Exodus à apostasia liberal e esquerdista e, depois, à renuncia da mudança das práticas homossexuais. Foster também disse que “Andy Comiskey havia avisado o Exodus sobre sua atitude de adotar a doutrina falsa que prega que ‘uma vez salvo, sempre salvo’” — uma doutrina tipicamente calvinista.
Conheci Andy Comiskey anos atrás numa Igreja da Vinha em outro país. Ele estava ministrando sobre homossexualidade falando sobre o poder de Jesus. Ele é ex-homossexual e teve um encontro com o poder do Espírito Santo.
No artigo “O perigo da graça sem a verdade,” Comiskey desmascara Brennan Manning, um cristão liberal e esquerdista que é celebrado nos meios evangélicos esquerdistas do Brasil.
Comiskey destaca no texto que a graça e a verdade são fundamentais para a libertação do homossexual.
Se Alan Chambers descobriu que a terapia reparativa não funciona, descobriu tarde. Eu pelo menos não estou surpreso. Conforme diz meu artigo “Homossexualidade: há esperança e libertação fora da psicologia?,” durante quase dois mil anos antes da psicologia, o Cristianismo já oferecia ajuda para as pessoas oprimidas pela homossexualidade. Era uma ajuda com base na graça e poder do Espírito Santo. Por que mudar para modernos métodos piores?
Entretanto, o erro de Chambers foi mais profundo. Ao adotar o moderno calvinismo, que está em grande parte dominado pelo liberalismo e esquerdismo nos EUA, o diretor da Exodus perdeu o foco de Cristo.
No evangelho esquerdista, Jesus não é Salvador. Ele é apenas plataforma para uma ideologia. E essa ideologia hoje proclama uma mensagem clara de reinterpretação da Bíblia, inação conservadora no combate cultural e morte para a verdadeira obra do Espírito Santo.
Muito diferente de um calvinismo liberal e negador das atividades sobrenaturais do Espírito Santo, Andy Comiskey conhece o poder e a cura do Espírito Santo. Ele proclama um Cristo vivo disponível para ajudar as pessoas em suas necessidades.
Juntamente com muitos outros ex-homossexuais, Comiskey iniciou no ano passado uma grande rede de ajuda para pessoas oprimidas pela homossexualidade.
Exodus morreu, dizem neste momento os ativistas gays, tentando mostrar que não há esperança para os homossexuais.
Exodus morreu, disse eu há quase um ano atrás. E morrerá todo ministério cristão que aderir às ideias da mídia cristã esquerdista. Morrerá todo grupo cristão que seguir Philip Yancey, Brennan Manning e outros falsos mestres.
Juntamente com Cristianismo Hoje, o Brasil está cheio de fábricas de falsos mestres, proclamadores do evangelho liberal e esquerdista que, no final, acabam fazendo a vontade da militância gay.
Infelizmente, morrerá espiritualmente toda pessoa, em necessidade homossexual ou não, que abrir o coração e a mente para todo o lixo ideológico oferecido hoje pelas editoras brasileiras com seus falsos mestres.
E, para que ninguém tenha dúvida da apostasia que nossa geração já está vivendo, as duas maiores editoras evangélicas do mundo pertencem ao homem que publica a Bíblia Satânica, produzindo literatura evangélica para satanizar o povo de Deus.
A morte de Exodus, anunciada um ano atrás, é o efeito inevitável da satanização da Cristandade americana.
Leitura recomendada:

3 comentários :

Osmar Neves disse...

Apóstolo Paulo, Agostinho, Lutero, João Calvino, Charles Spurgeon, John Piper, Paul Washer, e o próprio Senhor Jesus Cristo pregaram e pregam uma falsa doutrina segundo os srs. D.L. Foster e Andy Comiskey! Lamentável que num artigo tão instrutivo e oportuno tenhamos que constatar uma aberração dessas. Mas isso só confirma o que o apóstolo Paulo disse em II Coríntios 4.7: "Mas temos esse tesouro em vasos de barro, para mostrar que este poder que a tudo excede provém de Deus, e não de nós." O homem é falho, mesmo quando realiza a obra de Deus, a ponto de chamar de falsa a verídica, porque confirmada pela boca do próprio Senhor Jesus Cristo, doutrina da Perseverança dos Santos! Nenhum daqueles que o Pai deu ao Filho se perderá e nenhuma condenação aguarda aos que foram eleitos e predestinados na eternidade pelo conselho divino. Glória a Deus por tão grande salvação!

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Respondendo ao Osmar Neves,

Amigo Osmar Neves,

Você foi perfeito no seu comentário. Realmente, o homem é falho. O ser humano tem a tendência de se achar auto–suficiente diante de Deus (ainda mais se tiver um determinado nível de conhecimento). Foi por isso que o profeta Jeremias disse:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Do jeito que o pecado já dominou o mundo, as pessoas procuram uma religião que satisfaça somente as suas próprias conveniências pessoais (ou que não diga nada contra o pecado). Em outras palavras: as pessoas só querem acreditar no que elas desejam (e não no que elas realmente precisam). Não é de se espantar que, em virtude disso, há uma total inversão de valores: o errado é certo, o certo é errado, o mal virou bem, o bem virou mal, enfim, os preceitos morais da nossa sociedade estão completamente ao contrário. É como bem disse o profeta Isaías:

"Ai daqueles que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem da luz trevas, e das trevas luz; que fazem do amargo doce, e do doce amargo" (Isaías 5:20)

Não será surpresa se, qualquer hora dessas, criarem uma lei nos impedindo de crer em Deus. Aliás, do jeito que existe tanta podridão e tanta imoralidade na nossa política, eu nem me espantaria se uma lei dessas fosse aprovada. Não é sem razão que a Bíblia diz, com muita precisão, que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19)

Quem quiser ser um verdadeiro cristão tem que estar pronto para ser odiado pelos homens. Mas quantos, hoje, teriam essa mesma disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele também revelava os pecados ocultos de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, quanto mais com os Seus servos!

O nosso amado irmão Júlio Severo é um bom exemplo isso. Por ter falado a verdade sobre o movimento homossexual, ele passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o endereço dele, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, ele teve que ir, com a família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus (e pela sua luta contra o pecado). Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)? Quem, nos dias de hoje, teria a mesma postura firme de um Elias ou de um João Batista para combater o pecado (e também para falar certas verdades que muitos estão precisando ouvir)?

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram firmes nas suas convicções, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a ser verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

Unknown disse...

Olá Julio é estarrecedor, pois quem fala em cura gay é o conselho federal de psicologia na resolução 1/1999 Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e
serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.
http://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/1999/03/resolucao1999_1.pdf Se alguém fala em "cura gay" são eles e o Brasil precisa saber disso. O próprio vídeo do "Marcos Feliciano fala tudo da cura gay" explica que o conselho e não os evangélicos falam em "cura".