12 de maio de 2013

Igreja Presbiteriana da Escócia diz que os judeus não têm nenhum direito à Terra Santa


Igreja Presbiteriana da Escócia diz que os judeus não têm nenhum direito à Terra Santa

Comunidade judaica está furiosa e diz que relatório “tem linguagem polêmica igual à linguagem da era da Inquisição contra os judeus e contra o judaísmo”

Judeus escoceses disseram que ficaram “revoltados” com um recente documento da Igreja da Escócia — que é a Igreja Presbiteriana Nacional — que rejeita que os judeus tenham direitos especiais à terra de Israel.
Igreja Presbiteriana da Escócia
O relatório, intitulado “A Herança de Abraão,” rejeita “afirmações de que as Escrituras ofereçam a algum povo um direito privilegiado de posse de um território específico” e diz que “só dá para haver reconciliação depois da desocupação militar israelense da Margem Ocidental e da parte oriental de Jerusalém e do desbloqueio israelense de Gaza.”
O Conselho Escocês das Comunidades Judaicas disse numa declaração postada em seu site na sexta-feira que o relatório publicado nesta semana foi “um ultraje a tudo o que o diálogo inter-religioso representa” e “tem linguagem polêmica igual à linguagem da era da Inquisição contra os judeus e contra o judaísmo.”
Os judeus não têm direito à terra de Israel?
“A arrogância de dizer ao povo judeu como interpretar os textos judaicos e a teologia judaica é impressionante,” o conselho judaico disse.
A declaração disse que o relatório “fecha a porta para um diálogo proveitoso” e conclamou a Igreja Presbiteriana a removê-lo antes de sua próxima Assembleia Geral.
Traduzido por Julio Severo do artigo do jornal Times of Israel: Scottish church says Jews have no claim to Holy Land
Leitura recomendada:

11 comentários :

Os judeus não são donos da terra santa disse...

Hum, acho que vou me tornar presbiteriano. Ontem assisti na tv um programa com Paulo Romeiro, o cara que uns vinte anos pra trás denunciou os pastores da tv. O programa teve um árabe cristão que disse a verdade: quem agrediu e matou os judeus foram os alemães na segunda guerra. Os árabaes e os muçulmanos nunca fizeram nada contra os judeus. Não sei qual é a igreja do romeiro, mas é esta que eu frequentaria. Mas a presbiteriana também é válida porque enxerga a verdade.

julio disse...

Infelizmente não é só aqui no Brasil que a Igreja Presbiteriana está descendo a ladeira,sendo vítima do politicamente correto.
Negar um fato Bíblico tão elementar é prova de que ninguém rejeita a operação do Espírito Santo e fica impune.Dá nisso aí mesmo,nenhuma surpresa...

Anônimo disse...

E os muslas não são donos da península, nem do Sinai nem do Egito e nem da Pérsia. 1400+ anos pilhando e saqueando aquelas terras para deixar tudo estéril.. Quando esses vão ser expulsos para os povos dos locais voltarem? Constantinopla nem se fala...
E ainda querem falar de um estreito de terra aos israelenses e judeus...
Acha que o resto do mundo é idiota com essa coverzinha de vitima contra os judeuzins...
Alem do qual vão contra os texto de seu próprio livro de fervura, pôs fé...
Um dia esse povo violento sofrera ainda mais, atendidos no que tanto pedem. Já esta acontecendo, cada reino de crueldade deles estão caindo um a um, até os mais "sociais" como fora o Egito...

Anônimo disse...

Essa trágica declaração é da mesma igreja Presbiteriana que ordena gays e lésbicas para sacerdotes ?..sei...sei..

É a mesma Igreja em que seus reverendos lotam as lojas maçônicas no mundo inteiro ?..sei...sei...

É a mesma Igreja que aqui em terras Tupiniquins tem um dos seus maiores lideres ( no Rio de Janeiro) um satanista disfarçado de reverendo ?..sei..sei...

É a mesma Igreja que tem como um dos seus fundadores o perseguidor dos Judeu, Martinho Lutero ?..sei..sei..


Acho muuuito bom que tudo isso esteja acontecendo, pois assim a Escrituras estão se cumprindo cabalmente quando o mundo todo dirá a Israel e o mesmo será defendido pelo Próprio Cristo.

Pastor Caleb.

Alysson Vieira Lima disse...

Não foi Lutero quem fundou a Igreja Presbiteriana mas sim John Knox, discípulo de Calvino

Anônimo disse...

É muito conhecida a recomendação bíblica de que não devemos lutar contra a carne e o sangue. Qdo Daniel foi desterrado para a Babilônia, o percurso que ele marchou foi de cerca de 1600 km (distancia de Jerusalém a Babilônia). Na Bíblia não consta que ele "estava devendo para Deus". Parece-me que se cumpriu nele o ditado "justo pagando pelos pecadores". Não sei se existe, e qual seja, o maior pecado humano perante o Senhor. Tenho pra mim que o orgulho que leva aa sua irma siamesa, a vaidade, pode ser o pior. Por ele, orgulho, aquele que se apresenta como anjo de luz chegou a pensar que não só poderia como também deveria ocupar o trono do Altíssimo. O resultado é a confusão cósmica em que estamos E, ao fazer ouvidos moucos aos conselhos bíblicos, seja por orgulho/vaidade/ambição, e, ou qualquer outra falta, as consequencias sao certas. Recentemente o irmao Julio Severo permitiu postar aqui referencia a uma das mais poderosas instituições religiosas, a qual atende pelo nome de bahaismo, ainda que quase totalmente desconhecida pelo povo brasileiro. Ela se deu a conhecer ao mundo em 1844, "coincidentemente' no mesmo ano em que o Adventismo veio a este mundo . Pois bem, avançando no tempo, em 1893, envolvidos pelo mesmo espírito que criou a religião bahai, realizou-se nos Estados Unidos a primeira reunião do Parlamento Mundial das Religiões, em Chicago, visando ao ecumenismo, uma das bandeiras do bahaismo, tendo se reunido naquela ocasião representantes das igrejas Testemunhas de Jeová, Adventista do Sétimo Dia, igreja Mormom e a igreja Presbiteriana. Os registros da conferência assinalam uma palestra proferida pelos
Reverendos presbiterianos George A. Ford e Henry H. Jessup . (http://estudosdafe.wordpress.com/2008/12/09/a-origem-da-onu-parte-iii/ - A origem da ONU – parte III - Dezembro 9, 2008 at 7:07 pm). E conhecida nos EUA a vaidade de membros de uma denominação se vendo como mais "intelectualizada" que, digamos, em relação aos batistas. E, aonde entra a vaidade, por si só, constitui enfraquecimento espiritual, abrindo porta para o inimigo. Pode ser que eu esteja errado, e tomara que esteja, mas, particularmente quanto aa denominação presbiteriana, ha uma serie de aspectos extremamente preocupantes cercando essa denominação. Um, dela saiu Nehemias Marien, falecido ha poucos anos, o qual findou seus dias proclamando que satanás tem salvação; outro, Caio Fabio, que trouxe incomensuráveis prejuízo a este pais, ao advogar ferrenhamente a candidatura política do ímpio alcunhado lula, o qual dispensa maiores comentários; outra, é a revista esquerdista Ultimato, a qual se apresenta como evangélica, sendo seu redator um presbiteriano; e, infelizmente, essa denominação deu a partida no respaldo a extrema abominação a Deus, que é oficiar "casamento" de homossexuais (que o Senhor me perdoe por usar essa expressão). E, como um abismo chama outro, esse, o de considerar sem efeito o que, por exemplo, o Senhor estatuiu, na Carta do Apostolo Paulo aos Romanos, capitulo 11, de que embora o povo judeu seja rebelde a Ele (nao sendo acaso o numero "11", do capitulo, posto que tem o significado bíblico de rebelião contra Deus), ainda assim, o povo judeu continua sendo o Primogênito d'Ele e o Concerto continua valendo. É loucura fazer tabula rasa da promessa de Deus. de que abençoaria o povo judeu e amaldiçoaria quem amaldiçoasse aquilo que ele abençoou.

Antonio.

Carlos de Cristo disse...

Esta igreja Presbiteriana está muito enganada! Israel é povo de Deus e a terra é exclusiva, dos judeus e não poderá ser vendida. Veja algumas palavras da bíblia sagrada sobre Israel eles tem toda a primazia , as alianças os concertos, as primícias; Qual é pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão?
Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas.
Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?
De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, E venças quando fores julgado.
E, se a nossa injustiça for causa da justiça de Deus, que diremos? Porventura será Deus injusto, trazendo ira sobre nós? (Falo como homem.)
De maneira nenhuma; de outro modo, como julgará Deus o mundo?
Mas, se pela minha mentira abundou mais a verdade de Deus para glória sua, por que sou eu ainda julgado também como pecador?
E por que não dizemos (como somos blasfemados, e como alguns dizem que dizemos): Façamos males, para que venham bens? A condenação desses é justa.
Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado;
Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.
Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.
Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.
A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios;
Cuja boca está cheia de maldição e amargura.
Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.
Em seus caminhos há destruição e miséria;
E não conheceram o caminho da paz.
Não há temor de Deus diante de seus olhos.
Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.
Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.
Mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas;
Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença.
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.
Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.
Onde está logo a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.
Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.
É porventura Deus somente dos judeus? E não o é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,
Visto que Deus é um só, que justifica pela fé a circuncisão, e por meio da fé a incircuncisão.
Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.
Romanos 3:1-31
Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel; Mateus 10:6
Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto? João 3:10
E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel. João 1:49
Vede a Israel segundo a carne; os que comem os sacrifícios não são porventura participantes do altar? 1 Coríntios 10:18
Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas; Romanos 9:6
Auxiliou a Israel seu servo, Recordando-se da sua misericórdia; Lucas 1:5
Só Jesus Cristo salva cura e liberta!

Marco Aurélio disse...

Não vejo implicância para com o Islã!
Será que é medo?
Ódio gratuito e covarde é coisa de Amaleque.

Pedro Santos disse...

Eu acho isso errado, pois os judeus tem direito sim a terra santa, porque será que eles não teriam direito? Qual o motivo para essa revolta? Será que essa Igreja Presbiteriana da Escócia é mais santa que os judeus? Eu acho que eles precisam ler mais a bíblia, pois a bíblia ensina que não devemos julgar a ninguém.

J.Marcos disse...

Bem lembrado

Pr. Fabiano disse...

O direito dos judeus à chamada Terra Santa é tão claro nas Escrituras Sagradas que fico sem entender como uma denominação evangélica questiona isso.
A que ponto chegamos.