17 de abril de 2013

Outra doença mortal atinge homossexuais


Outra doença mortal atinge homossexuais

Autoridades de saúde se esforçam para dissipar o temor de uma epidemia nacional

A relação homossexual está se tornando cada vez mais perigosa.

Garth Kant
Autoridades de saúde estão alertando gays sexualmente ativos sobre o surto de uma meningite bacteriana potencialmente mortal em Los Angeles e Nova York.
A doença infectou 22 pessoas em Nova York e levou sete a morte desde 2010. Autoridades de saúde em Los Angeles estão realizando testes para verificar se o tipo de bactéria que está infectando os gays é o mesmo que atinge Nova York.
A fundação local AIDS Healthcare Foundation (AHF), conhecida por oferecer gratuitamente serviços de prevenção e tratamento de HIV, passou a oferecer também a vacina contra meningite depois que um homossexual de West Hollywood foi diagnosticado com morte cerebral na última sexta-feira.
O advogado de 33 anos Brett Shaad morreu uma semana após começar a sentir os sintomas.
Brett Shaad: depois de uma farra homossexual, fulminado por uma doença mortal
As autoridades suspeitam que ele foi exposto à meningite bacteriana em uma festa que aconteceu em Palm Springs no fim de semana de 30 de março. A festa atrai homossexuais de todo o país.
O jornal New York Daily News está chamando a doença de uma ameaça de DST, embora os Centros de Controle e Prevenção de Doenças não classifiquem a meningite bacteriana como uma doença sexualmente transmissível.
O que eles afirmam é que a doença não pode ser transmitida por contatos casuais, mas “Algumas bactérias podem ser transmitidas pela troca de secreções respiratórias e da garganta (por exemplo, o beijo)”.
Segundo reportagem do canal KTLA, a morte de Shaad, advogado residente em West Hollywood, causou alerta.
“Não estamos dizendo que neste momento temos um surto em Los Angeles”, explica Michael Weinstein, presidente da fundação AHF ao KTLA. “Mas sabemos que a doença é séria, é mortal e pode se espalhar de maneira relativamente fácil”.
Uma reportagem da Associated Press noticiou que Shaad foi para a sala de emergência na quarta-feira, e na quinta-feira estava em estado de coma.
Os sintomas da doença costumam aparecer dentro de três a sete dias depois da exposição. Dentre os sintomas estão febre, torcicolo, náusea, dor de cabeça, vômito, aumento de sensibilidade à luz e estado mental alterado, geralmente de confusão.
O vereador John Duran, de West Hollywood, disse que foram espalhados avisos.
“Para muitos dos membros mais jovens da comunidade, de 35 para baixo, essa é a primeira vez que perderam um amigo jovem e saudável”, Declarou Duran. “Muitos de nós que temos mais de 40 estamos vivendo um déjà vu, tendo vivido a epidemia de AIDS”.
Enquanto isso, especialistas de saúde estão tentando minimizar o alerta de uma epidemia “entre homossexuais”.
“Isso não é uma doença transmissível principalmente pelo contato sexual. Ela se espalha por gotículas respiratórias, o que significa que você pode estar sentado tendo uma conversa prolongada com alguém e espalhar a doença sem ter tido relação sexual”, argumenta o Dr. Parveen Kaur, da AHF.
Kaur afirma que geralmente, de 100 casos, haverá de 10 a 15 fatalidades, e mais ou menos a mesma proporção terá sequelas como perda de audição, redução da capacidade mental ou outros problemas.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do original do WND: Another killer disease striking homosexuals
Leitura recomendada:

6 comentários :

Nágila Souza disse...

Infelizmente eles mesmos procuram com as próprias mãos, fazendo o que é desagradável a Deus e recebendo em si mesmo a paga pelos seus pecados, inflamam e são inflamados.
Deus tenha misericórdia de nós.

Anônimo disse...

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.


Gálatas 6:7

Pastor Caleb.

Vânia disse...

O pior dessa situação toda, é que as pessoas que rodeiam os homossexuais, podem ser contagiados sem nada ter a ver com as relações sexuais deles.
Que Deus tenha misericórdia dos inocente, mesmo.

Robson Lelles disse...

Fato: assumir voluntariamente um comportamento de risco aumenta em muito as chances de sermos vitimados por moléstias que não teriam a menor chance de se instalarem em nosso organismo em situações de normalidade.

Essa afirmação não se aplica somente à opção sexual das pessoas, mas a TODO comportamento de risco voluntariamente assumido.

Anônimo disse...

Sempre tentam minimizar dizendo que não tem nada a ver com as relações sexuais entre eles...

Robério disse...

Vejamos o que a Palavra de Deus diz sobre o homossexualismo:

Romanos 1:24–32

24 Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
25 Pois mudaram a verdade de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, o qual é bendito eternamente. Amém.
26 Pelo que Deus os entregou às suas paixões infames. Pois até as mulheres mudaram o seu uso natural, no contrário à natureza.
27 E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a punição que convém ao seu erro.
28 E como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convém;
29 Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
30 Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes a pais e mães;
31 Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
32 Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

A "tradução" que eu faço dos versículos do texto acima é esta (me corrijam se eu estiver errado):

24 – Deus, através dos Seus servos, chama os homossexuais ao arrependimento. Como eles não querem se arrepender, então Deus os deixa entregues à própria sorte;

25 – Deixaram de crer na Bíblia (mudando-a em mentira), e passaram a ouvir homens corruptos (outros homossexuais e demais escravos do diabo);

26 – As mulheres, ao invés de terem relações naturais com os homens, preferem se relacionar entre si;

27 – Idem para os homens (preferem se relacionar com outros homens ao invés das mulheres). Será que a AIDS não seria a principal conseqüência disso?

28 – Como os homossexuais não se importaram em conhecer e temer a Deus, então Deus os deixou livres para fazerem o que quiserem;

29 – Cheios de todo pecado, sem nenhum sentimento de culpa;

30 – Se pudessem, viveriam como ímpios num mundo totalmente sem Deus para poderem pecar à vontade (como em Sodoma e Gomorra);

31 – Querem sempre pecar e fazer de tudo (e usando de todos os meios) para viver eternamente no pecado, não se importando com o sofrimento alheio. Será que o aborto, a eutanásia e a pedofilia não estariam incluídas aqui?

32 – Sabem que estão errados, mas, mesmo assim, não sentem nenhuma culpa ou remorso. E ainda são contra os que censuram o pecado (chamando-os de homofóbicos, fundamentalistas, e preconceituosos). Sem contar os que dão apoio às suas práticas (que o digam o STF, STJ, OAB, Marta Suplicy, Jean Wyllys, Toni Reis, Luiz Mott, Fátima Cleide, Iara Bernardi, Globo, Record, SBT, Band, partidos esquerdistas, pastores corruptos, evangélicos socialistas, progressistas, comunistas, demais ativistas e políticos pró–homossexualismo, além dos políticos da bancada evangélica que nada dizem ou fazem contra esta imoralidade)!

Será que a minha "tradução" está certa? Se alguém quiser dizer alguma coisa, o espaço está aberto para todos se manifestarem.