18 de abril de 2013

Bispo Robson Rodovalho e o caminho dos mornos


Bispo Robson Rodovalho e o caminho dos mornos

Julio Severo
Em artigo recente intitulado “A democracia está no caminho do meio,” o Bispo Robson Rodovalho diz que a função do Congresso Nacional é “debater e fazer dos dissensos consensos; das posições mais antagônicas, acordos.”
O debate é um recurso usado por socialistas em governos democráticos para alcançar seus objetivos. Quando a ditadura socialista é implantada, o debate termina. Por isso, Vladimir Ilich Lenin disse: “Democracia e socialismo são inseparáveis.”
Os primeiros líderes políticos dos EUA não gostavam do sistema democrático. O presidente John Adams (1735-1826) disse: “Lembrem-se: a democracia nunca dura muito. Sem demora causa desperdícios e esgotamentos, matando-se.”
Benjamin Franklin (1706-1790) disse: “A democracia é dois lobos e um cordeiro votando no que ter para o almoço.”
Na democracia, é a maioria, ou o uso da maioria, que escolhe. Se a maioria decidir legalizar a pedofilia, isso é democracia.
Como se já não fosse suspeito o suficiente o sistema democrático ser louvado e apontado pelas esquerdas desde Lênin como o caminho certo para a ditadura socialista, o que mais ajudaria a pavimentação desse caminho do que líderes cristãos apelando para um “caminho do meio” com a desculpa de que todos têm o livre arbítrio?
Rodovalho disse: “Foi o Senhor Jesus Cristo quem disse que Deus, nosso Pai, dá o livre arbítrio a todos as pessoas (Mateus 5:45). Mas as escolhas de uns não podem ser impostas aos demais sem antes negociarmos com os diferentes segmentos nos foros apropriados, sob pena de construirmos novamente uma sociedade com o amálgama da intolerância.”
Quando a maioria, sob manipulação ou não, escolher o aborto e o homossexualismo, seremos tachados oficialmente de intolerantes. Nesse ponto, o que devemos fazer? Amaciar nossas posturas, sentar em cima do muro ou escolher o caminho do meio para evitarmos o rótulo de intolerantes?
Se a sociedade, sob manipulação das esquerdas, aceitar a pedofilia, teremos, em nome do livre arbítrio, de desviar nossos olhos dos milhares de crianças que encontrarmos sendo estupradas? Teremos de fechar os olhos para os milhares de crianças em gestação sendo mortas em hospitais?
Finalizando seu artigo, Rodovalho comenta sobre o caso Marco Feliciano: “Cabe à Câmara, que pavimentou a estrada para esse impasse, garantir uma saída democrática. E urgentemente, sob pena de falhar em seu objetivo maior, que é o de ser o foro para a construção do consenso possível no país. Da mesma forma, é fundamental que os deputados que compõem a CDH, e não só Feliciano, saiam de posições radicais e achem o caminho do meio, que é o de Deus; o caminho do diálogo, com interlocutores à direita e à esquerda. Sem imposições, só negociações. De parte a parte.”
As posturas de Feliciano contra o aborto e o “casamento” gay são corretas. Poucos são hoje os políticos que têm a coragem de assumir tais posturas. Por que então Rodovalho tenta enfraquecer alguém com tais posturas?
Todas as esquerdas seculares e evangélicas se levantaram contra Feliciano. Por que ajudá-las? Por que fortalecê-las?
Um dos maiores líderes evangélicos esquerdistas do Brasil já se levantou contra Feliciano. Por que ajudá-lo? Por que fortalecê-lo?
Se Rodovalho tivesse criticado a incoerência de Feliciano, que defende seu partido como um partido a favor da família, eu entenderia. O secretário nacional do Partido Social Cristão (PSC), Antonio Oliboni, é a favor do “casamento” gay. Há outros ativistas gays dentro do PSC. Nessa questão, Rodovalho poderia, como cristão, repreender Feliciano por elogiar tanto seu próprio partido, que não é tão bom assim e não merece tanto apoio assim.
A postura de Rodovalho também está equivocada, na minha opinião, ao usar Gandhi como referência “democrática.” A esquerda evangélica adora fazer isso. Mas vale a pena? O jornal esquerdista Huffington Post tem uma matéria que mostra Gandhi como homossexual e racista.
Gandhi não gostava de negros, por motivos puramente raciais. Ele dormia com jovens adolescentes, como teste para vencer suas tentações. E não compreendo a razão por que colocar o exemplo político dele como modelo e referência, já que a independência que ele conquistou para a Índia produziu um banho de sangue, não por parte dos ingleses, mas por parte do próprio povo da terra dele. A independência que ele obteve trouxe uma onda de assassinatos, estupros e pilhagem jamais vista antes na história da Índia.
Esse é o “caminho do meio” de Gandhi a que temos de aspirar? Quer dizer que precisamos nos preparar para ondas de estupros, assassinatos e pilhagens? Quer dizer que temos de ter o racismo e homossexualismo de Gandhi como referência? E depois ainda no final teremos, como resultado de nossos esforços democráticos, de colher uma ditadura socialista pró-aborto, pró-homossexualismo e pró-pedofilia?
Rodovalho é pastor. Todo pastor deveria saber que o papel dos filhos de Deus nos últimos dias, conforme apontado pelo livro do Apocalipse, é fazer resistência ao sistema satânico do Anticristo. Tudo vai piorar, por mais que escolhamos ficar em cima do muro ou trilhar por caminhos que ficam no meio — no meio do inferno, vale dizer.
Nossa postura deve ser a de resistência profética.
Quando Rodovalho e outros pastores tentaram o caminho do meio apoiando Lula em duas eleições presidenciais, o que ganhamos foi um governo obcecado com o sexo anal dos homossexuais e com o sacrifício de bebês em gestação por meio do aborto.
Depois, tentaram o caminho do meio apoiando a eleição de Dilma. Não é o suficiente? Ainda não nos cansamos desse maldito caminho do meio, desse caminho dos mornos, desse caminho de morte, desse caminho que leva à ditadura socialista?
Há outro motivo mais forte por que nós, cristãos, não deveríamos aceitar o caminho do meio:
“Conheço as tuas obras, sei que não és frio nem quente. Antes fosses frio ou quente! E, por este motivo, porque és morto, não és frio nem quente, estou a ponto de vomitar-te da minha boca.” (Apocalipse 3:15-16 KJA)
É preferível o caminho estreito do que o caminho dos mornos.
É preferível ouvir, da boca dos intolerantes, que somos intolerantes do que ouvirmos da boca do Senhor Jesus Cristo que somos mornos.
Leitura recomendada:

20 comentários :

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Ser morno, de acordo com a Bíblia, é aquele que se diz cristão, mas não combate com firmeza o pecado.

Foi justamente isso que Jesus mandou o apóstolo João escrever na carta para a igreja de Laodicéia:

"Eu conheço as tuas obras: não és frio e nem quente; quem Me dera se fosses frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, estou para te vomitar da Minha boca" (Apocalipse 3:15–16)

Quem é morno é, às vezes, pior do que o ímpio. O ímpio já sabe que direção seguir. É um caminho que é errado, mas que já foi escolhido (pelo menos uma decisão já foi tomada). Já o morno é aquele que, como se diz no popular, fica "em cima do muro": não sabe para onde vai. Em outras palavras: não abandona a Jesus, mas também não resiste a certas tentações do diabo.

Foi por isso que o apóstolo Tiago disse:

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado" (Tiago 4:17)

Em outras palavras: aquele que sabe que deve combater o pecado e não toma uma atitude (ou seja, não diz nem faz nada contra o pecado) é cúmplice do pecado (e é tão ou mais culpado quanto o próprio pecador)!

O verdadeiro cristão não pode (e nem deve) ser morno. O verdadeiro cristão tem uma só palavra, uma só escolha, segue somente uma única direção, e é firme em suas convicções. Em suma, o verdadeiro cristão obedece ao que Jesus diz:

"Seja, porém, a vossa palavra: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna" (Mateus 5:37)

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou amará a um e odiará o outro, ou há de se dedicar a um e desprezar o outro" (Mateus 6:24)

"Quem não é por Mim, é contra Mim; e quem Comigo não ajunta, espalha" (Mateus 12:30)

A mesma coisa é dita pelo apóstolo Paulo:

"Não podeis beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podeis participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios" (1 Coríntios 10:21)

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade a justiça tem com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o Maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos?" (2 Coríntios 6:14–16)

Será que muitos que se dizem cristãos (como o bispo Robson Rodovalho) ainda estão lembrados disto?

Anônimo disse...

Talvez sem nem saber, esse rapaz prega a Dialética Hegeliana Marxista: tese, antítese e síntese. É a principal arma para se destruir os valores cristãos. Ele é um traidor, um Judas.
Quando um pastor for forçado a casar um gay, veremos a separação das ovelhas e dos bodes, do joio e do trigo.

Marcos

Anônimo disse...

O Cristianismo, ao menos no Ocidente, o "Cristianismo fáustico"(anelo do infinito, todo vontade de poder nietzscheana), que vai do século X até os nossos dias (Spengler), prefere a luta "por amor ao próximo"(o zelo pela salvação da alma alheia) ao amor - irrestrito e irresponsável - ao próximo. 
Por isso digo e repito: entre os atuais articulistas e pregadores religiosos, o autor desse artigo, Júlio Severo, é - arrisco dizê-lo - o único modelo de cristão adequado ao nosso tempo de convulsão e incerteza. Ciente de que se trata da vida ou da morte do Cristianismo e do cristão, luta pelo porvir da religião e, como fiel, pelo seu direito de vivê-la. 
No jornalismo brasileiro, o artigo encerra a primeira crítica conservadora e, pois, cristã, à democracia ocidental no Brasil. A Igreja Católica, já nas atas do Concílio de Latrão, por volta do século XII, disse tudo a respeito dos regimes políticos("civis") sob os quais a religião cristã é perseguida e o cristão não tem direito ao exercício da religião: é a posição do profeta Jeremias, que, inerte, apoiou o inimigo externo (um Estado invasor) contra sua própria pátria. Quer dizer, o "espírito" não conhece pátria; é afim ao espaço e ao intemporal; nada tem que ver com laços sanguíneos tais quais "tempo"(mudanças sociais nos costumes, v.g.) e "Estado". E o verdadeiro cristão, no fundo, prefere a Religião ao Estado; sua consciência à democracia; ou, em termos bíblicos: "é preciso obedecer mais a Deus do que aos homens." 

Marcelo de Oliveira e Oliveira disse...

Prezado Júlio Severo,

Penso que os cristãos precisam pensar no que vão fazer quando a lei da homossexualidade passar, pois mais cedo ou mas tarde isto ocorrerá. Não tenho dúvida que a verdadeira igreja continuará pregando o que sempre pregou. Se dois homens ou duas mulheres resolveram se unir, o Estado até deve legislar e regular esta parceria. Se construíram patrimônio juntos, é necessário haver uma lei que regule esta sociedade para que lá na frente não haja injustiças. Mas a Igreja continuará como sempre foi: afirmando com todas a letras que esta união é pecado. Mas que adultério também é, corrupção também, tráfico de pessoas é pecado, mentir e distorcer palavras de outras pessoas também é. Enfim, a Igreja continuará sendo voz profética neste mundo. Sinceramente não entendo porque tamanho alvoroço com este tema. Espero que nesta guerra os cristãos não cubra a maior identidade dada por Jesus para que o mundo o conheça através de nós: o AMOR.

Um abraço!

Presbítero Marcelo
Assembleia de Deus (CGADB)

Julio Severo disse...


Oi, Marcelo! Vi no seu perfil (http://po.st/34wMGm) que você é seguidor do Genizah. Veja isso sobre o Genizah:

A boca suja do dono do Genizah

Veja também o que Martinho Lutero disse: “Se eu professo com a mais alta voz e a mais clara expressão cada porção da verdade de Deus, exceto precisamente aquela pequena porção que o mundo e o diabo estão, neste momento, atacando, então eu não estou [realmente] confessando Cristo, por mais que eu cante de galo clamando que O estou professando.”

A principal questão levantada hoje é a legalização do aborto e do homossexualismo. Quem tem amor sabe confrontar o mal. Jesus tinha genuíno amor. Por isso, Ele foi o que mais falou do inferno.

Sugiro-lhe ler mais a Bíblia e menos o Genizah.

Luz LGBT disse...

Aprenda com o Marcelo de Oliveira e Oliveira, sr. Severo!

Até quando você continuará no caminho da escuridão, do ódio e do ressentimento? Venha para nossa luz. Muitos dos seus irmãos estão vindo. Falta você agora.

Bispo Rodovalho disse...

Caro Julio Severo, quero publique minha resposta. Conto com sua integridade.

Segue


Em resposta a seus comentários acerca de meu artigo publicado no jornal Folha de S.Paulo tenho também algumas palavras.

Primeiro, você não está atacando a mim, mas sim à democracia, que, entre todos os modelos de governo, é o menos imperfeito, o menos pior que se criou na história do homem.

Segundo, você se esquece de que em todas as "ditaduras", sejam de esquerda, de direita ou religiosas, como nos países islâmicos ,a primeira voz a ser calada sempre foi a do evangelho de Jesus Cristo. E são as democracias, mesmo com suas imperfeições, que nos oferecem sempre a liberdade para pregar a palavra de Deus. Sem democracia, a voz da igreja se cala. E qualquer um que tenha um mínimo conhecimento de história sabe que, todas as nações verdadeiramente democráticas, tiveram suas raízes no Cristianismo .

Terceiro, você critica o fato de que a Câmara, casa do povo brasileiro, tenha a responsabilidade de dialogar e encontrar algum consenso. O escrito, voltado para mentes abertas e democráticas, pressupõe subentender da frase que ali se fala em consenso possível, negociação. O stalinismo acabou.

Eu estive na Câmara como deputado federal e fundei a "Frente da Família", que uniu parlamentares evangélicos e católicos no proposito da defesa da vida e da célula fundamental da nossa sociedade, que é a união do grupo familiar. Sei, por experiencia, que aquele espaço é voltado para que os diferentes grupos possam tentar encontrar alguma forma de normatizar nossas leis - o consenso possível, portanto. É esse o caminho do meio.

Quarto ponto, para deixar bem claro, porque me parece que ou você não leu meu artigo ou, se leu, não o entendeu: não critiquei o deputado Marcos Feliciano. Para melhorar seu entendimento: eu disse que todos devem ter "bom senso", se esforçar, manter o respeito para dialogar e achar a saída, que se dá pelas vias democráticas.

Todos sabemos que a intolerância apenas leva as pessoas à violência, seja à violência das palavras, seja às vias de fato; seja a violência em casa ou para com o próximo, em situações que eu e você conhecemos.
Para colocar as coisas no seu devido lugar: sua exortação não tem qualquer valor profético. Onde você está? Por que não se mostra, mas prefere agir sob o anonimato da rede?

Verdadeiros profetas aparecem, até para padecer por suas convicções, se assim for necessário.

Profetas não vivem na sombra. Você, portanto, não tem autoridade para ser profeta.

Deixe que sua vida fale por suas palavras, e então você terá alguma credibilidade. Enquanto isso não acontecer, suas críticas não se sustentarão, serão apenas palavras. Vazias.

Bispo Rodovalho

Anônimo disse...

Sugiro-lhe ler mais a Bíblia e menos o Genizah.

2.

Pastor Caleb.

Julio Severo disse...

Caro Bispo Robson

Meu texto não foi um ataque a você como pessoa. Foi uma forte discordância ao seu posicionamento. Dicordar faz parte da democracia, não?

Seu artigo sobre democracia não foi vago. Seu foco e contexto foram a presidência da Comissão de Direitos Humanos, sob Marco Feliciano.

E nesse foco, sua proposta, no final, foi que “os deputados que compõem a CDH, e não só Feliciano, saiam de posições radicais e achem o caminho do meio, que é o de Deus.”

Sabemos que há deputados com posições radicais ali a favor do aborto e do homossexualismo. E sabemos qual é a posição de Feliciano: ele é contra o aborto e contra o homossexualismo. Ele é radical por ter tais posições? Como então achar o caminho do meio?

Os deputados radicais e Feliciano deveriam aceitar meio aborto e meio homossexualismo para agradar ambas as partes?

Os cristãos em ditaduras pagam um alto preço, mesmo suas vidas, para manter suas posições. E em regimes democráticos, podemos ser chamados até de radicais. Seu texto, conscientemente ou não, fez isso, se juntando a uma multidão de esquerdistas (secularistas e evangélicos) que tacham Feliciano de radical e intolerante.

Você disse: “E qualquer um que tenha um mínimo conhecimento de história sabe que, todas as nações verdadeiramente democráticas, tiveram suas raízes no Cristianismo.”

O melhor exemplo disso são os EUA. Mas deveríamos dar atenção às palavras de John Adams (1735-1826), segundo presidente dos Estados Unidos, que disse sabiamente: “Nossa Constituição foi feita para um povo cristão e com valores morais. Ela é totalmente inútil para o governo de um povo sem esses princípios”.

Isto é, vemos um presidente americano confessando o óbvio: um regime democrático é inútil para um povo sem princípios cristãos.

Não posso concordar quando você diz: “Sem democracia, a voz da igreja se cala.” A voz da igreja não depende de democracia ou ditadura. Durante dois mil anos de história, nem sempre tivemos democracia, mas sempre tivemos a voz da igreja. O problema maior é que, no aconchego da democracia, a voz da igreja fala muitas vezes os interesses do mundo, não de Cristo. Não foi isso, afinal, que você e outros importantes líderes evangélicos fizeram em 2002 usando suas vozes para dar apoio oficial a Lula? Ele não havia firmado um compromisso com você e outros 500 pastores de que seu futuro governo não promoveria o aborto e o homossexualismo? Na época, eu não lhe disse que Lula estava mentindo?

Tentar ser um cristão seguindo esses ventos “democráticos” leva a essas incoerências.

Parabéns pela fundação da Frente da Família.

Julio Severo disse...

Seu artigo me foi repassado por outros, que ficaram chocados com o que leram. Depois, quando fui ler por mim mesmo, entendi o choque. Fiquei também chocado.

Sobre bom senso e respeito, entendo que Feliciano está demonstrando isso muito bem. Ele está sendo atacado de todos os lados, e respondendo com brandura. Não tenho visto radicalismo nas reações dele neste momento. Ele tem sido agredido de todos os lados, e sua resposta tem sido de muita educação.

Mas, repetindo, seu texto diz: “os deputados que compõem a CDH, e não só Feliciano, saiam de posições radicais e achem o caminho do meio, que é o de Deus.”

Em que exatamente Feliciano tem sido radical neste momento?

É fácil ver que Jean Wyllys, Erika Kokay e outros são radicais. É fácil ver que o PT é radical na defesa de sua agenda de aborto e gayzismo. Mas onde é que Feliciano tem sido radical como presidente da Comissão de Direitos Humanos?

Você disse: “Todos sabemos que a intolerância apenas leva as pessoas à violência, seja à violência das palavras, seja às vias de fato.”

Onde Feliciano tem tido tal intolerância?

Você disse: “Onde você está? Por que não se mostra, mas prefere agir sob o anonimato da rede?”

Se eu fosse um anônimo e desconhecido, você não teria tido o trabalho de escrever seu longo comentário. E se você fosse anônimo para mim, eu igualmente não me daria ao trabalho de dar uma resposta. Ninguém conversa com anônimos. Estamos dialogando aqui porque ambos sabemos que não somos anônimos.

Não foi de um anônimo que você pediu uma exemplar autografado do meu livro “O Movimento Homossexual.” Não foi para um anônimo que você orou e teve uma visão de que por causa do chamado desse livro, eu seria perseguido de lugar em lugar (veja aqui: http://bit.ly/YAuXI5). Ou você foi um falso visionário e falso profeta? Acredito que não.

Além disso, meu texto não me apresenta como profeta. Apenas diz que TODOS nós, que seguimos a Cristo, temos um papel profético: “Todo pastor deveria saber que o papel dos filhos de Deus nos últimos dias, conforme apontado pelo livro do Apocalipse, é fazer resistência ao sistema satânico do Anticristo.”

Sendo profetas ou não, é nossa obrigação, conforme nos instrui a Palavra de Deus, nos exortarmos uns aos outros como irmãos. Não precisamos ser profetas para nos exortarmos.

Se o seu texto tivesse sido particular, daria para fazer isso em particular. Mas como seu texto foi público, todos podem opinar, comentar e — sim! — até mesmo criticar. Eu dei minha contribuição. Isso não é democracia?

Helena L. disse...

Já que bispo Robson Rodovalho apareceu por aqui para falar por quê não aproveitou para se explicar sobre sua gafe no tocante à Gandhi?

Anônimo disse...

Uai, como que um líder religioso que ajudou a campanha da eleicao de luis inacio lula da silva e dilma pode esperar um mínimo de credibilidade? Ou foi deus que mandou ele fazer isso?? Cade o carater desse deus e seu lider? Por isso não gosto de igreja de crente. quem precisa desse deus? Quem vive na mentira vota em seus pares, afff

Eliel disse...

Júlio,

Gostaria que você publicasse um artigo sobre o teor deste vídeo. Confira aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=WQ0Kc-PxL-U&feature=youtu.be

O povo cristão precisa ser urgentemente alertado! É hora de nos mobilizarmos já!

Claudio disse...

Boa noite.

Gostaria de parabenizá-lo pela réplica ao Bispo Rodovalho no Mídia Sem Máscara.

Simplesmente não pude acreditar quando li: "Sem democracia, a voz da igreja se cala". Na hora pensei "Julio Severo não vai deixar passar essa em branco". Bingo.

A igreja não precisa dos sistemas de governos, forma de Estados ou de ambientes democráticos.

Não desejo ser duro, mas parece é que o Sr. Bispo se preocupa com a tranquilidade ("democracia") necessária para poder tocar sua empresa (igreja) sem problemas institucionais, sem terremotos sociais, sem perseguição do estado socialista. Desejo sinceramente estar errado.

"Todos sabemos que a intolerância apenas leva as pessoas à violência, seja à violência das palavras, seja às vias de fato; seja a violência em casa ou para com o próximo, em situações que eu e você conhecemos".

É interessante observar os cristãos progressistas com seu discurso "contra a violência", "contra a intolerância".
Ora, discordar com firmeza faz de mim um intolerante?
A impressão que me dá é que se algum cristão ou, vá lá, até mesmo um ateu conservador (se existir) será considerado CULPADO, se receber alguma agressão física de um gayzista, POR DEFENDER SUAS OPINIÕES.

Não posso concordar também com a cobrança dele pra você "aparecer".
Creio que todos esses que te cobram, seja aquele canalha do "Bispo" gay Retamero, seja o Bispo Rodovalho, querem mesmo é vê-lo preso.
Sem poder escrever. Sem incomodar.

Muito obrigado pelo seu excelente trabalho.
(PS: Verdadeiramente sinto-me em dívida contigo; senti isso no meu coração.)

Neokoros disse...

'...repreender Feliciano por elogiar tanto seu próprio partido, que não é tão bom assim e não merece tanto apoio assim.' = nenhum partido hoje merece elogios no Brasil. Aff!

Quanto à discussão acima, aprenda, senhor Júlio: pastores famosos não gostam de serem contraditados.

Eles falam e o rebanho deve segui-lo, com todas as ovelhas fazendo "múúúúu" ao mesmo tempo.
E aí se uma dessas ovelhas fizer "beééeéé!"! É bronca na certa...

Democracia "evangélica" hoje é isto: alguns líderes acham que podem expressar a própria opinião querendo que todos á sua volta concordem sem pestanejar.
Quando alguém ousa questionar. logo recebe tratamento para ser desqualificado - técnica petista, por sinal.

Parabéns pelo texto, pela réplica e (pela quase) tréplica.

Em tempo: o citado pastor deve apoiar algo parecido com uma 3ª Via nas próximas eleições no DF. Ou sair candidato, dizem... Se for verdade, é melhor tentar agradar a gregos e goianos -além dos candangos: dá mais votos, você sabe!

(Ficar em cima do muro em relação a certos assuntos também deu certo pro PT... )
Aff, aff, afff!!!

Claudio Vaz disse...


O Sr. Bispo Robson Rodovalho e as Organizações GLOBO.

"Bispo Robson Rodovalho é contratado pela Som Livre"
http://saraonline.com.br/2012/08/29/bispo-robson-rodovalho-e-contratado-pela-som-livre/

"Próxima de pastores, Globo promoverá eventos da comunidade evangélica"
http://saraonline.com.br/2012/11/19/proxima-de-pastores-globo-promovera-eventos-da-comunidade-evangelica/

Trindade disse...


Olá Júlio;
Marcelo de Oliveira e Oliveira, pelo que se lê em seu comentário você quer dizer que a lei da homossexualidade virá, portanto o que fará o cristão e à partir dai você entra dizendo o que realmente é verdade, pois a igreja continuara a pregar a Palavra de Deus, mas esse Blog aqui não diz o que você tenta dizer, o que esse blog diz é o que vou te perguntar agora: Aprovada essa lei como o cristão pregara a Palavra de Deus? Pergunto porque nós cristãos somos 93% dos brasileiros que votam, portanto meu caro NINGUÉM é eleito aqui no Brasil sem os votos dos cristãos, portanto SÓ COM A CÚMPLICIDADE DOS CRISTÃOS OS ESQUERDISTAS SERÃO ELEITOS E APROVARÃO A TAL LEI, portanto meu caro Marcelo de Oliveira e Oliveira se essa lei for aprovada os cristãos serão tão culpados que não terão moral nenhuma para reclamar, e mais você fala em Igreja Profética, mas que igreja profética é essa que apoia abortista e homossexualista? E é essa mensagem que eu vejo esse magnifico blog produzir, ou seja, o aviso de que hoje nós somos governados por quem nós elegemos, portanto se teremos vida calma e sossegado ou se teremos tribulação Deus não tem nada a ver com isso; Ah e esse é o maior amor que um cristão pode transmitir ao outro, pois os alertas aqui produzidos o livrará juntamente com sua família do mal da ditadura dos pederastas.

JOEL CARVALHO - DF disse...

Julio Severo,

Realmente o estimado Robson Rodovalho de quem eu tenho lembranças boas da época em que ele era realmente preocupado com o Reino de Deus, precisa voltar à Bíblia!

Será que ele se lembra do profeta Elias?
Quantas vezes Elias se entregou para ser imolado, por que protestava em nome de Deus contra o pecado? NENHUMA VEZ!
Ao contrário.
Em uma ocasião, quando o rei Acazias mandou um Capitão com cinquenta soldados buscarem a Elias, que disse que o Rei morreria por ter procurado ao deus de ecrom, Elias mandou descer fogo do céu e matou o capitão e seus cinquenta. O mesmo sucedeu a outro capitão. Isto é, 102 mortos.
Elias também, jamais se entregou a Acabe e a Jezabel, mas matou 450 profetas de baal, que assistiam a Acabe e Jezabel!
PARA os DESINFORMADOS, ELIAS jamais se entregou a qualquer poder humano, mas FUGIU e no final de sua carreira, FOI ARREBATADO por Deus.

JULIO SEVERO, jamais se entregue a esses patifes do diabo. Eles sequer merecem ou são dignos de fazer mártir, um servo de Deus como você!

redenflu disse...

Olá amigos, para quem não viu o vídeo da Participação do Bispo Rodovalho no evento da LGBT segue o Link:
https://www.youtube.com/watch?v=4V32cCmyygc

O mesmo manteve a luta em defesa da Família!

Julio Severo disse...

Quando ele defende a família ou prega, é excelente. Mas quando ele se envolve em áreas que não entende, ele acaba servindo, inconscientemente ou não, a outras forças. Basta ver que uma conhecida marxista, que atacou o vídeo pró-família da Dra. Damares Alves, elogiou Robson, não por ser radical, mas, como observei aqui (http://bit.ly/115vaJW), porque, em algumas áreas, a “mornidão” mais contribue para o outro lado do que para o nosso.