28 de abril de 2013

A sombra de Dave Hunt


A sombra de Dave Hunt

Exclusivo: Joseph Farah defende autor de “Harbinger” de dardos do chefão do Berean Call (Chamado Bereano)

Joseph Farah
Dave Hunt era meu amigo. O professor de assuntos bíblicos recentemente foi para o céu. Seus amigos e seus seguidores sentirão falta dele.
Ele era verdadeiramente um bereano, no melhor sentido da palavra. Por isso, o boletim dele tinha o nome apropriado — Chamado Bereano.
Os bereanos eram admirados pelo Apóstolo Paulo porque a atitude deles não era simplesmente aceitar seu ensino. Eles iam para casa e estudavam as Escrituras diariamente para garantir que o que ele dizia era verdade.
T.A. McMahon
Infelizmente, o protegido e sucessor de Dave no The Berean Call não está vivendo à altura da reputação. Digo isso como amigo de T.A. McMahon que desempenhou um papel num dos verdadeiros milagres da minha vida. Tínhamos palestrado juntos numa conferência e pegamos o mesmo voo na hora de ir embora. Eu tinha um histórico de pedras nos rins e tive um ataque horrível no voo. Eu estava em péssimo estado — em terrível dor e desconforto. Não há nada pior do que estar preso num avião, ainda que num voo relativamente curto, em agonia devido a pedras nos rins.
Já tive essa experiência antes, e eu sabia o que poderia ajudar — Tylenol. Mas eu não tinha nenhum Tylenol comigo. Eu não sabia se seria muito difícil achá-lo no aeroporto quando aterrissássemos, e eu tinha outro voo longo depois da parada em Minneapolis.
Perguntei a Tom McMahon se ele me ajudaria, no desembarque, a localizar o medicamento.
E é aí que entra o que chamo de “milagre do Tylenol.”
McMahon me acompanhou na saída do avião — eu estava em desespero para encontrar o Tylenol. Descemos a rampa, e a primeira máquina automática que vimos, a menos de 30 metros no terminal, era o milagre — algo que nunca vi antes nem depois: uma imensa máquina de venda de Tylenol. Demos uma boa risada sobre isso, ainda que eu ainda estivesse sentindo dores.
Creio que essa foi a última vez que vi McMahon.
Mas no ano passado, fiquei sabendo muitas coisas dele.
McMahon está envolvido numa desforra de alguma espécie contra o mais bem-sucedido e inteligente escritor cristão de 2012 e 2013, Jonathan Cahn, autor do livro “The Harbinger,” e a inspiração por trás do mais bem-sucedido filme evangélico do mesmo período, “The Isaiah 9:10 Judgment” (O Juízo de Isaías 9:10), que tive o privilégio de produzir.
Praticamente toda edição do The Berean Call inclui um novo ataque ao “The Harbinger” and “The Isaiah 9:10 Judgment” — cada um mais ridículo e difamador do que o próximo.
Ele acusa Cahn de ser cabalista. Ele o acusa de ser adepto da teologia da substituição. Ele o acusa de toda espécie de ensino herético. Nada disso é verdade. Aliás, é tudo absurdo.
Conheço os ensinos de Jonathan Cahn de dentro para fora. Li tudo o que ele já escreveu. Escutei dezenas de suas pregações. Passei muitas horas com ele. Ele é um judeu messiânico humilde e de muita oração. Ele ama o Senhor e é fiel às Escrituras.
Então, temos de tentar imaginar o que está motivando Tom McMahon — e um punhado de gente como ele — a gastar tanto tempo atacando um homem que está glorificando o Senhor e tenha dado o que pode ser o ensino mais importante para os EUA hoje.
Odeio julgar motivações. Tenho certeza de que McMahon realmente acredita no que escreve. Mas ele está completamente equivocado, mal-informado e errado. Algumas das coisas que ele disse e escreveu seriam dignas de um processo se Cahn não fosse uma figura pública.
Por isso, farei algo aqui que odeio fazer: especularei quanto às motivações por trás desses ataques falaciosos.
McMahon tem de viver à altura do legado que tem — o grande legado de Dave Hunt. Ele está tentando fazer isso com uma atitude santarrona para com o super-astro do evangelicalismo americano de hoje, Jonathan Cahn (e ocasionalmente para comigo mesmo por causa de minha associação próxima com ele).
É pura inveja, em minha opinião. É ciúme. É a tentação de atormentar alguém que tem muitos seguidores a fim de atrair a atenção de seu número de seguidores muito mais limitado.
Dá para imaginar alguém dirigindo um ministério de ensino cristão numa época em as grandes igrejas cristãs estão em apostasia quase total e vê-lo colocar como alvo número 1 um homem com os talentos e humildade de Jonathan Cahn, cuja mensagem simples é arrependimento, salvação e redenção — uma mensagem do Evangelho puro?
No meu caso, não dá para imaginar.
Contudo, a edição mais recente do The Berean Call continua mirando Cahn. Talvez esse boletim devesse receber outro nome, a fim de não manchar aqueles heróis do estudo das Escrituras citados pelo Apóstolo Paulo.
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: Dave Hunt’s shadow
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :