2 de março de 2013

Sobre as terapias reparativas


Sobre as terapias reparativas

Luciano Garrido
Muito do que se diz contra a chamada “terapia reparativa”, aquela em que homossexuais buscam apoio especializado para largar a atração pelo mesmo sexo, não passa de puro preconceito. Não existindo consenso científico sobre as prováveis causas do homossexualismo, quem quer que declare a priori a impossibilidade de uma reorientação das tendências sexuais estará emitindo apenas um palpite – e, na verdade, um palpite contra todos os indícios.
Não são poucos os casos de gays e travestis que, abandonando suas práticas homossexuais, passaram a viver uma heterossexualidade plena e ajustada dentro de uma família estável. Mesmo que se alegue que tais mudanças, em grande parte, ocorreram no contexto de uma crença religiosa, com o apoio espiritual de sacerdotes ou pastores, eis aí um dado de realidade com o qual os estudiosos do comportamento humano precisam se haver. Varrer fatos para debaixo do tapete, definitivamente, não é uma fórmula de sucesso para pesquisadores sérios.
Joide Miranda: antes, na homossexualidade; hoje, um homem normal
Deixando de lado as hipóteses de intervenção miraculosa pelo poder da fé, que não costumam ser bem aceitas no meio intelectual e acadêmico, o que se espera dos psicólogos é que elaborem explicações científicas para as mudanças de orientação sexual relatadas, ao invés tentarem reduzir o debate a um plano político e ideológico, como fazem alguns pseudo-psicólogos do Conselho Federal de Psicologia. Se a ignorância não é uma boa conselheira na tomada de posição sobre certo assunto, tampouco o são os preconceitos ideológicos. Preconceitos por preconceitos, cada qual que fique com o seu.
Levantar suspeitas sobre a eficácia das terapias que propõem a reversão de tendências homossexuais tem sido também um recurso bastante usual entre ativistas. Embora eu não acredite que seja esse o caso das terapias reparativas, é preciso reconhecer que, quando o assunto é eficácia, muitas são as abordagens psicoterápicas passíveis de questionamento, sem que isso, porém, tenha justificado a adoção de medidas drásticas. Um bom profissional sabe que nem todo método terapêutico obtém resultado satisfatório para todos os clientes e (ou) para todos os tipos de queixa. Portanto, se é verdade que um psicólogo não pode prometer mudança total e definitiva na orientação sexual de ninguém, isso se aplica igualmente a toda e qualquer demanda que lhe chega ao consultório. E aqui cabe um esclarecimento.
Diferentemente da medicina, em que o indivíduo, como regra, se submete de maneira passiva ao tratamento prescrito (daí chamar-se “paciente”), a psicoterapia requer, além do mero consentimento, uma atitude inteiramente pró-ativa por parte do cliente. Sem um ato de vontade que implique, entre outras coisas, esforço, disponibilidade, colaboração e perseverança, e mais: sem atributos cognitivos que proporcionem uma capacidade mínima de elaboração e autopercepção, torna-se praticamente impossível estabelecer um processo terapêutico que atinja resultados tangíveis para o cliente. Por tudo isso, os psicólogos não podem prometer, sob hipótese alguma, cura de psicopatologias ou transformações espetaculares da personalidade. Quando muito, é possível alimentar certas expectativas, e isso é tudo.
Apesar das terapias reparativas serem práticas clínicas relativamente novas, seus fundamentos teóricos estão assentados sobre uma longa tradição de base analítica. O próprio método psicanalítico do dr. Freud, que é considerado a matriz de quase todas as técnicas psicoterápicas que lhe sucederam, foi concebido teoricamente a partir de uma prática clínica inovadora e experimental, à margem dos centros acadêmicos de pesquisa, e cujo desenvolvimento se deu de forma bem paulatina, partindo da hipnose clássica até o atual método da associação-livre.
Portanto, não existem na praça psicoterapias que tenham surgido já prontas e acabadas. Aliás, no decurso evolutivo do que chamamos de Psicologia Clínica, inúmeras foram as tentativas frustradas e diversos os erros cometidos. Não obstante, sempre existiu por parte dos profissionais pioneiros a convicção de que todo esforço empreendido para tornar a existência humana menos sofrida e desajustada deve ser acalentado, desde que não se perca de vista o respeito à integridade física e moral do ser humano.
Sendo assim, para que uma prática terapêutica seja considerada eticamente condenável, é preciso atender pelo menos uma das três condições a seguir: (i) ausência completa de fundamentação teórica, (ii) utilização de métodos e técnicas que atentam contra a dignidade humana e (iii) incidência de efeitos iatrogênicos estatisticamente relevantes. Até o momento, não há qualquer estudo sério que, sob tais aspectos, invalide as terapias reparativas. O que há, sim, é muita pressão política, terrorismo intelectual, intimidação e cerceamento de liberdades.
É comum entre os ativistas gays a alegação de que as terapias para reorientação sexual violam direitos humanos, uma vez que, segundo eles, reduziriam a autoestima dos homossexuais e contribuiriam para sua estigmatização social. Mas, se esse argumento for levado realmente a sério, nada mais poderá ser tratado pelos psicólogos clínicos. O tratamento da fobia estigmatizaria o fóbico, o tratamento da timidez, o tímido, da ansiedade, o ansioso, da obesidade, o obeso, da depressão, o deprimido, do autismo, o autista, e por ai vai, até que todos os consultórios fossem fechados e restasse apenas o Conselho Federal de Psicologia lá em Brasília, fazendo da política a sua razão de ser.
Na verdade, por trás das opiniões contrárias às terapias reparativas há um equívoco bastante difundido, que é o de considerar a homossexualidade como um fenômeno único, de características uniformes, a partir das quais seriam possíveis as generalizações. O que se observa no mundo real, entretanto, é uma multiplicidade de formas de sentir, entender e manifestar a homossexualidade, e não raras vezes ela está atrelada a uma constelação de traumas psíquicos e conflitos emocionais cuja origem remonta a fases primitivas do desenvolvimento. Estamos falando de uma homossexualidade neurótica em que a atração pelo mesmo sexo, em última análise, revela-se como um dos sintomas de desordens variadas na identidade de gênero.
Bem sei que esse aspecto multifacetado da homossexualidade tem sido sistematicamente omitido pelos propagandistas do movimento gay. Eles já perceberam que a melhor maneira de reunir pessoas em torno de uma bandeira política é forjando-lhes uma identidade fictícia, mesmo que em sacrifício da diversidade que tanto pregam.
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

9 comentários :

Anônimo disse...

Porque as organizações globo não fazem uma reportagem sobre esse fato?

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

O anônimo acima fez esta pergunta:

"Por que as Organizações Globo não fazem uma reportagem sobre esse fato?"

Como diria Sherlock Holmes, "elementar, meu caro Watson!" (eu diria: "elementar, meu caro anônimo"). Por uma razão muito simples: a Globo é a emissora "oficial" do governo corrupto do PT e dos homossexuais. Falando num tom bem direto: A GLOBO NUNCA VAI SE POSICIONAR CONTRA O HOMOSSEXUALISMO!

Acreditar que a Globo vai fazer uma reportagem sobre um homossexual que se abandonou o homossexualismo é o mesmo que acreditar que o diabo virou cristão!

Graças a Deus que eu nunca assisti (e jamais assistirei) ao lixo que a Globo mostra na sua programação. Faço como disse o salmista:

"Não porei coisa má perante os meus olhos" (Salmo 101:3)

Apesar da Globo ser a emissora "oficial" do governo do PT e dos homossexuais, ninguém pense que as outras (Record, Band, SBT) são algum modelo de santidade. Querem ver um exemplo? A Record. E quem é o dono da Record? Ninguém mais ninguém menos do que Edir Macedo, o poderoso chefão pró–aborto da Igreja Universal do Reino de Deus (aqui pra nós: até hoje, a compra da Record pela Universal é uma história que, a meu ver, ainda está muito mal contada). A programação da Record e da Globo são rigorosamente iguais (não muda nada)!

Graças a Deus que este blog do nosso irmão Júlio Severo tem sido um canal abençoado para nos manter sempre informados (e mostrar tudo o que a mídia corrupta nunca mostra)!

Unknown disse...

Sugestão para um post.
Se nasce um filho gay que insiste em ser chamado de Juliete numa família heterossexual, os pais sequer podem cogitar a possibilidade de que o filho possui algum problema, se o fizerem, os pais serão encaminhados, eles sim, para uma terapia mesmo não tendo qualquer problema mental ou social.
Argumentam os gayzistas que a não aceitação do homossexualismo trata-se de uma doutrinação cultural.
Mas veja bem, se um casal homossexual adotar um filho e este, quando adolescente, disser que não gosta da "família" que tem e que preferiria uma família normal, é este adolescente que será encaminhado para a terapia até aceitar a "normalidade" do homossexualismo.
A inversão dos valores é clara e grave.
Chegamos ao ponto em que a heterossexualidade é uma imposição cultural e a homossexualidade é uma relação natural que pode ser vista em várias espécies de mamíferos e que se repete durante o transcurso dos tempos.
Loucura, loucura, loucura!
Parabéns Senhor Julio Severo pelo nobre trabalho. Força Sempre. Salve Maria!

Anselmo disse...

Um dia eu ainda vou contar minha história. Não que ela tenha algum atrativo especial, mas é como uma questão de honra falar. As pessoas precisam ouvir a verdade, mesmo que num primeiro momento debochem dela. Eu sou mais um enganado e ludibriado pelo vitimismo aliciador do movimento gay. Mas é claro que não é só o movimento gay o culpado. Eu quis ver no que dava viver na estilo e mentalidade gay. Deus permitiu e ficou assistindo por que Ele respeita nossas escolhas até as últimas consequências mesmo que sejam desastrosas. Mas o amor Dele está sempre ali...

Anônimo disse...

É ENGRAÇADO QUE O SILAS MALAFAIA FALA DE CURAR GAYS E TODO MUNDO CAI DE PAU EM CIMA, AGORA A BABY DO BRASIL QUE CRIOU UM MINISTÉRIO PRÓPRIO E DIZ TER CURADO DEZENAS DE GAYS EM SUA IGREJA, JÁ VI FALAR ISSO EM DIVERSAS ENTREVISTAS E TODO MUNDO ACEITA DE BOA. TALVEZ SEJA O MODO MAS ENFÁTICO DO SILAS QUE DESPERTA A IRA DO MUNDÃO. OU O SILAS MALAFAIA DEVERIA PINTAR O CABELO DE ROXO QUEM SABE NÃO TERIA MAIOR ACEITAÇÃO.

Anônimo disse...

Minha FÉ no Senhor Jesus Cristo que eu creio inteiramente na palavra de Deus do gênesis até o apocalipse não tem outro caminho as ciências humanas são limitadas de ir no fundo do ser(interior) da pessoa é restaurar, libertar, transformar só a mão de Deus na vida do ser humano que consegue fazer isso por isso necessário o primeiro passo se arrepender(não é remorso) confessar os seus pecados de verdade para o Senhor Jesus Cristo para poder passar pelas águas do batismo como a pessoa vai matar o "velho homem" se ela não se arrepende de verdade dos seus pecados?
Se não acontece com muita gente dentro das igrejas elas só tomam um banho mais o velho homem não morre não adianta nada e vamos segundo ponto continuar nesse processo da conversão depois do batismo nas águas a pessoa tem que buscar o NOVO NASCIMENTO que é ter o seu interior recriado por Deus uma nova pessoa com a natureza de Deus(divina) para se tornar de fato um filho de Deus ter encontro pessoal com Deus é no interior e de dentro pra fora a pessoa que passa por esse processo nunca mais será a mesma os seus pensamentos muda, aparência muda, mente muda você passa a pensar e agir como nosso Senhor e obedecendo a palavra de Deus na sua totalidade isso integral.

Só a libertação, transformação, salvação, isso qualquer pecado não só homossexualismo a pessoa se entregar totalmente de Corpo, Alma,Espírito, na mãos de Deus é QUERER MUDANÇA A PALAVRA DEUS VÊ PELO OUVIR A PALAVRA QUE LIBERTA, CURA, SALVA, ABENÇOA.

Ester!!!!!

Trindade disse...

Olá Júlio;
Belo texto do Luciano Garrido e que concordo plenamente, mas gostaria de alertar para o excesso de confiança na “ciência” dando a ela um cunho quase sagrado (não é o caso do texto), mas mesmo assim eu gostaria de alertar aos irmãos em Cristo e aos homens de bem, que essa ciência tal como está é contaminada pelo pecado e NÃO TEM AMPARO NA PALAVRA DE DEUS, portanto ela esta contaminada pelo deus deste século e portanto cuidado ao “confiar” nela, pois basta ler em Gênesis capitulo 1 e verás que a verdadeira Ciência o homem perdeu ao pecar e esta com Deus, e essa ciência atual está corrompida pelo pecado e sob a influencia do diabo, portanto eu alerto sempre a evitar crer totalmente nessa ciência, pois o sábio Salomão nos alertou que em baixo do sol tudo é vaidade.
Escrevo esse alerta para que quem quiser estudar sobre uma aberração científica aceita plenamente só é estudar a tal “teoria da evolução”, onde vários cientistas já contestaram veementemente e são completamente ignorados e perseguidos, portanto meus amados não duvidem se amanhã não aparecer um cientista ai e “provar” que existe o tal gene gay.
Portanto esse alerta é porque tenho ouvido muito essa história de que “não tem comprovação cientifica” e com isso saímos e/ou dividimos a Palavra de Deus com coisas que na origem esta contaminada pelo pecado, como é o caso da ciência ou de qualquer coisa que esta contaminada pela natureza do pecado.

Everaldo disse...

Amigo Trindade,

Você está certíssimo. Tem muita gente que acha que a ciência pode substituir as verdades da Palavra de Deus. E tem muita gente que se acha mais inteligente que outras pessoas (isso principalmente quem tem universidade).

De que adianta uma pessoa ter um diploma de universidade e continuar a ser egoísta? De que adianta alguém ter a melhor educação do mundo e só viver na prática do pecado? É como bem disse o apóstolo Tiago:

"Quem, dentre vós, é sábio e tem verdadeiro entendimento? Que o demonstre por seu bom proceder cotidiano, mediante obras praticadas com humildade que têm origem na sabedoria. No entanto, se abrigas em vosso coração inveja, amargura e ambição egoísta, não vos orgulheis disso, nem procureis negar a verdade. Porquanto esse tipo de sabedoria não vem dos Céus, mas é terrena; não é celestial, mas demoníaca. Pois, onde existe inveja e rivalidade, aí há confusão e todo tipo de atitudes maléficas" (Tiago 3:13–16)

A verdadeira educação só é obtida através da obediência à Palavra de Deus, porque ela é quem forma o verdadeiro homem. É como diz o livro de Provérbios:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência" (Provérbios 9:10)

O salmista diz a mesma coisa:

"Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, pois medito nos Teus testemunhos" (Salmo 119:99)

É justamente por isso que Deus não escolhe pessoas tidas como "cultas" para serem Seus profetas. Ele escolhe justamente aquelas que são ignorantes (na visão do mundo). É como disse com precisão o apóstolo Paulo:

"Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes" (1 Coríntios 1:27)

Jesus afirma a mesma coisa ao dizer:

"Graças te dou, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim Te aprouve" (Mateus 11:25–26)

Tem até uma frase que sintetiza isso de forma bem clara: "DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, MAS ELE CAPACITA OS ESCOLHIDOS"

Alguém ainda tem alguma dúvida de que a verdadeira ciência (ou a verdadeira educação) só pode ser obtida através da obediência à Palavra de Deus?

Trindade disse...

Olá Júlio;
Permita-me dirigir ao amigo EVERALDO.
Caro Everaldo, quando você pergunta: Alguém ainda tem alguma dúvida de que a verdadeira ciência (ou a verdadeira educação) só pode ser obtida através da obediência à Palavra de Deus?
A resposta de sua pergunta é uma só: Essa é a única e verdadeira ciência, pois quem se propõe a cumprir a Palavra de Deus nunca será envergonhado, enquanto essa ciência atual ela SÓ trabalha para denegrir as coisas de Deus.
Também Everaldo eu tenho observado que os esquerdistas trabalharam e misturaram a ciência atual com a educação, o que são coisas distintas, pois a ciência se aprende na escola, enquanto a boa educação se aprende primeiro na família e depois em todo lugar e de diversas formas, inclusive a própria vida educa; Por exemplo eu mandei meu filho aos cinco anos para a escola para aprender ciência, mas ele já foi educado, e NUNCA deixei professor(a) nenhum(a) educa-lo, podiam sim corrigi-lo e depois eu aperfeiçoava em casa tal correção, mas essas correções podiam serem feitas por qualquer adulto, pois eu o eduquei desde tenra idade a respeitar os adultos, agora matemática, biologia, química, enfim essas coisas da ciência atual eu deixei para os professores na escola.