23 de março de 2013

Marcha em Favor do Casamento Marcada para Próxima Semana em Washington DC


Marcha em Favor do Casamento Marcada para Próxima Semana em Washington DC

Austin Ruse
Washington DC, EUA, 22 de março (C-FAM) Boa parte do mundo olha para os Estados Unidos em busca de direção em questões de políticas sociais. A realidade do aborto legal nos EUA tem sido um exemplo que outros países têm continuado a imitar.
O casamento é a questão social mais recente de campo de batalha nos EUA e em muitas partes do mundo. Por isso, todos os olhos não só nos EUA, mas também nos mundo inteiro estão voltados para o Supremo Tribunal em 26 de março quando haverá uma audiência em Washington DC.
Os que defendem o casamento tradicional estão se reunindo em Washington DC na próxima terça-feira para participar da primeira Marcha em Favor do Casamento organizada principalmente pela Organização Nacional do Casamento, mas que está trabalhando com mais de dez grupos dos EUA (C-FAM, que publica o Friday Fax, é um dos patrocinadores da marcha).
Os organizadores esperam que multidões de muitos milhares se ajuntarão para ouvir mais de dez palestrantes, inclusive o Prof. Robert George da Universidade de Princeton, Penny Nance, presidente de Concerned Women for America, o arcebispo Salvatore Cordileone de São Francisco, o Rev. Bill Owens da Coalizão de Pastores Afro-Americanos e muitos outros.
Os organizadores estão bem cientes de que uma campanha política nacional foi desencadeada pelos ativistas homossexuais e tem como alvo direto nove membros do Supremo Tribunal e principalmente o juiz Anthony Kennedy que é visto por muitos como um voto ambivalente entre juízes esquerdistas e conservadores. Os líderes da marcha esperam que seus esforços repercutirão no tribunal, embora entendam que nesse esforço eles tenham gasto muito mais do que podem.
O ativismo homossexual está de forma sistemática e barulhenta defendendo sua causa. Parece que todo dia aparece algo novo que a mídia nacional submissamente traz em seus noticiários. Um dia foi 100 líderes republicanos que assinaram um depoimento de amicus curiae em favor do casamento de mesmo sexo. Outro dia foi o conservador político e estrela do cinema Clint Eastwood anunciando que favorece uma mudança na lei. Outro dia ainda foi o senador republicano Rob Portman anunciando sua mudança de pensamento, seguido — o que não foi surpresa — por Hillary Clinton dizendo a mesma coisa.
Alguns especialistas dizem que essa campanha nacional da mídia mirada no Supremo Tribunal não tem precedentes na história americana.
O tribunal decidirá duas questões nesta primavera. Uma é se os cidadãos da Califórnia estavam dentro de seus direitos de definir por referendo que o casamento é entre um homem e uma mulher. A outra questão é se a Lei de Defesa do Casamento, que foi aprovada pelo Congresso e assinada pelo presidente Clinton e que define o casamento entre um homem e mulher para propósitos de programas federais, é constitucional ou não.
O tribunal poderia decidir apertadamente cada caso e deixar a decisão final para os estados individuais. O tribunal, porém, poderia tornar o casamento homossexual uma questão constitucional e forçá-lo em todos os estados dos EUA, inclusive os 41 que já decidiram que o casamento é apenas para homens e mulheres.
Se o tribunal permitir o casamento homossexual, pode estar certo de que a mesma coisa vai acontecer em países do mundo inteiro, pois o exemplo dos EUA é poderoso.
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: C-Fam
Leitura recomendada:

Um comentário :

Anônimo disse...

Contra a ditadura GAY.

Pastor Caleb.