7 de fevereiro de 2013

Marxismo: uma ideologia religiosa


Marxismo: uma ideologia religiosa

Dr. Fábio Blanco
Não é possível negar a expansão que as ideias marxistas tiveram por todo o mundo. Além dos países que viveram ou ainda vivem sob governos explicitamente comunistas, há tantos outros que, sob bandeiras aparentemente menos extremas, como a da social-democracia, do trabalhismo ou até de democratas, continuam avançando a ideologia de Karl Marx a conquistas cada vez mais amplas.
Como, porém, uma ideologia fundamentada em textos de um pensador medíocre, que errou praticamente todas suas previsões, que cometeu fraude intelectual na apresentação de vários dados que corroboravam suas teses e que criou uma filosofia que é, no máximo, um arremedo materialista do idealismo hegeliano, pôde obter tamanho inserção em boa parte das cabeças deste mundo?
Marxismo: a grande heresia
A resposta dada pelo escritor Heraldo Barbuy, em seu livro Marxismo e Religião, é direta: o marxismo se mantém cada vez mais forte simplesmente porque possui aspectos maiores do que ideológicos; é, na verdade, uma verdadeira seita religiosa. Mesmo com os erros de previsão, mesmo com as análises eivadas de incongruências, o marxismo permanece porque o cerne de sua força não está em suas ideias, mas em seu espírito — um espírito de seita.
Como em toda seita, no marxismo a correção lógica, a rigidez filosófica ou a comprovação dos dados oferecidos são, simplesmente, dispensáveis. Se houverem, servirão para corroborar suas teses. Se não existirem, mais importante é a manutenção do fervor religioso e do apego emocional àquilo que é mais do que uma corrente de pensamento, mas uma verdadeira expressão religiosa.
Considerando que Marx, segundo bem demonstra Richard Wurmbrand, no livro “Era Karl Marx Satanista?”, possui todas as características e ideias de um, no mínimo, apreciador do demônio e, considerando também, que o diabo é um perpétuo imitador das coisas divinas, não é difícil imaginar como o marxismo desenvolveu seus aspectos miméticos, os quais estão contidos nos fundamentos, na cultura e nas ideias que professa.
Há no marxismo, como é comum nas seitas, também seus profetas. No caso da ideologia fundamental do esquerdismo mundial, estes são Marx e Friedrich Engels — amigo e provedor daquele. Eles, como os profetas de qualquer religião, transmitiram sua visões sobre os tempos futuros, apontaram as mazelas do presente e, de alguma maneira, prognosticaram sobre os últimos dias. Se erraram quase tudo que disseram, o que importa? Pelo contrário, o criador da teoria da Dissonância Cognitiva, Leon Festinger, já demonstrara como as seitas se fortalecem exatamente sobre seus erros mais importantes.
Outra imitação diabólica contida no marxismo, e que o carcteriza ainda mais como uma cópia religiosa, está na sua promessa de um paraíso vindouro. À semelhança do céu cristão, o futuro marxista é o tempo quando os males cessarão, a harmonia prevalecerá e os aspectos opressores do tempo presente não mais terão força. Até um certo saudosismo de uma Era de Ouro, nesse caso em uma interpretação tosca do paraíso adâmico, existe nos escritos de Marx, Engels e outros de seus apóstolos. Para eles, também com alguma semelhança com o Reino celeste de Cristo, o futuro paradisíaco comunista será um tempo além da história, quando os aspectos que afetam o presente não mais terão efeito.
Além de possuir sua própria Bíblia — no caso, o livro O Capital, do próprio Marx, o marxismo possui também o seu diabo. Enquanto, para o cristão, o diabo representa aquele que age com o intuito principal de afastar o homem da comunhão e compreensão da verdade divina, no marxismo é o capitalismo e seus burgueses (como Lúcifer e os demônios), aqueles que afastam o homem da verdade. Da mesma maneira que o diabo obscurece o entendimento do homem, para que não perceba sua condição de pecador necessitado de redenção e cura, o proletariado oprimido é alienado pelo capitalista que, por meio de seus métodos, impede que ele perceba o seu estado de alienação e busque a redenção por meio da consciência de sua posição e pela luta contra essa classe opressora.
A imitação parece que foi tão ampla que inclusive as falhas da cristandade se repetem no seio do marxismo. Basta ver como ele progrediu dividindo-se em novas seitas, variações, partidos e dissensões que, a despeito de cindirem, de alguma maneira, a homogeneidade ideológica, mantiveram um núcleo de fé inabalável.
Por isso, torna-se tão difícil convencer um marxista que a ideologia que ele professa é uma fraude. Por mais que se apresente para ele que, por exemplo, previsões como a pauperização ininterrupta do proletariado e o colapso do capitalismo não ocorreram de forma alguma (pelo contrário, os trabalhadores vivem em condições cada vez melhores e o capitalismo apenas experimentou um fortalecimento desde os tempos daqueles dois pensadores alemães), isso não afetará em nada sua crença.
Como escreve o professor Barbuy, “o marxismo não era ciência, e sim religião; indiferente aos fatos que o contradizem, progrediu como fé”. Assim, não resta nada mais senão combatê-lo como heresia, não como ideia.
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Sensacionalismo gospel vermelho: tabloide calvinista Genizah canoniza protestantes que sofreram consequências por sua colaboração com o comunismo no Brasil Esquerdistas são clinicamente loucos

6 comentários:

ÉLQUISSON disse...

Se o diabo se mostrasse como ele realmente é, ninguém jamais iria querer aproximação com ele. Mas ele sempre se apresenta como anjo de luz, para enganar os que não estão firmes na Palavra de Deus. É como bem disse o apóstolo Paulo:

"E não vos admireis disto, já que o próprio Satanás insiste em se transformar em anjo de luz. Não é muito, portanto, que os seus ministros apareçam como ministros da justiça; e o fim deles será segundo as suas obras" (2 Coríntios 11:14–15)

Marxismo, esquerdismo, comunismo e socialismo (e outras variações) são ideologias criadas pelo diabo. E essas mesmas ideologias têm diversos objetivos em comum:

– Destruir a família;

– Eliminar todos os valores morais e os bons princípios;

– Legalizar o aborto;

– Promover o homossexualismo;

– Aprovar a eutanásia;

– Corromper (ou destruir) as igrejas;

– Usar a tirania (ou a ditadura) para permanecer no poder, sempre com o argumento mentiroso de ajudar os pobres;

– Eliminar todos os opositores do socialismo;

– Impor a idéia de que todos devem ser submissos ao Estado.

Estas ideologias usam um jogo de palavras tão perfeito (compaixão, ajuda aos necessitados, e outros termos semelhantes) que conseguem enganar facilmente muitas pessoas! Daí a razão de muitos partidos esquerdistas (PT, PC do B, PV, PSOL e outros semelhantes) estarem no poder em quase toda eleição!

Se essas ideologias penetraram as nossas igrejas, escolas e seminários, foi devido à negligência dos servos de Deus (que se deixaram seduzir pelos enganos do diabo). Toda e qualquer filosofia ou ideologia tem que ser obrigatoriamente testada e aprovada pela Palavra de Deus (para saber se é verdadeira ou não). Foi como disse o apóstolo Paulo:

"Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade" (2 Coríntios 13:8)

Eu prefiro ficar com a Palavra de Deus, porque somente ela tem todas as respostas que eu preciso! Não confio em nada que venha do homem. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

Será que eu estou certo neste meu ponto de vista?

Esther Kochav disse...

Tem uma frase que acho que foi dita por A. W. Toser, que diz o seguinte: “O comunismo é a imitação diabólica do cristianismo.”

Esther Kochav disse...

A. W. Tozer *

Ismael Júnior disse...

Júlio Severo, boa noite, tudo bem?


Primeiramente gostaria de dizer que admiro muito o seu trabalho, admiro gente que bota a cara á tapas sem medo e sem usar o politicamente correto! Parabéns!
Assim como o irmão, repudio esse regime asqueroso e estou me informando para também publicar algo a respeito.
Gostei muito do post e enquanto não publico algo sobre o assunto, já o postei em meu blog informando a fonte, ok?

Fica com Cristo!


Ismael Jr,


www.crtfoco.blogpot.com.br

George disse...

Amada irmã Esther Kochav,

Você está certíssima no seu comentário. Realmente, é isso mesmo: o comunismo é a imitação diabólica do cristianismo. E nem poderia ser diferente, pois o diabo gosta de imitar as coisas de Deus (ou melhor, o diabo quer se passar por Deus).

Assim como tem um ditado popular que diz que "nem tudo que reluz é ouro", nem sempre podemos confiar em certas pessoas que se dizem cristãs (mas que são escravas do diabo). É justamente por isso que devemos estar sempre firmes na obediência à Palavra de Deus, para não sermos enganados pelas mentiras do diabo e de seus escravos.

A respeito disso, o apóstolo João advertiu:

"Amados, não acrediteis em todo espírito; mas antes provai se tais espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas têm surgido em todo o mundo" (1 João 4:1)

Não menos importante é a recomendação de Jesus:

"Acautelai-vos dos falsos profetas, que vêm até vós disfarçados de ovelhas, mas que por dentro são lobos devoradores" (Mateus 7:15)

Outro aviso que não pode ignorado é o do apóstolo Paulo:

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para vos manterdes firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque temos uma luta que não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados, as potestades, os príncipes das trevas deste século, e as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais" (Efésios 6:11–12)

José Antônio disse...

Dr. Fábio Blanco,

seu texto é perfeito. Faz tempo que eu pensava em escrever algo semelhante, uma vez que já fui esquerdista e participei de várias seitas religiosas pagãs e pseudo-cristãs. Os métodos utilizados para alienação de pessoas e perpetuação de mentiras são os mesmos e você descreveu muito bem no presente artigo.