14 de fevereiro de 2013

Malafaia versus Gabi: a loura se estrepou


Malafaia versus Gabi: a loura se estrepou

Mírian Macedo
Repórter não discute, nem opina, repórter pergunta. Marília Gabriela está lá para perguntar e provocar, isto ela sabe fazer com competência. Na entrevista com o pastor Silas Malafaia, Marília Gabriela quis meter os pés pelas mãos e falar do que não sabe; estrepou-se. Malafaia pulverizou-a. Bem feito.
A loura nada sabe de ciência nem de religião, mas tem lado: defende todos os mantras politicamente corretos da esquerda (aborto, gayzismo, etc). Malafaia é contra e não amarelou. Deixou a loura militante desconcertada.
Gabi está acostumada a entrevistar pessoas para quem ela só tem que levantar a bola. Desta vez, encontrou quem a enfrentasse. Malafaia só não calou Marília Gabriela porque ninguém cala uma mulher.
O que ficou claro, pelo que se falou depois da entrevista, é que qualquer pessoa que ouse falar em religião, na Bíblia ou pronunciar o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo é rebaixado, independente do que fala, à condição de tosco, precário, indigente mental, obscurantista e retrógrado.
Em contrapartida, qualquer 'iluminado' que defenda a manjada cartilha libertária (gayzismo, abortismo, eutanásia, ateísmo, liberação de droga, legalização da prostituição, etc.) é incensado e louvado nas alturas. Impressionaram o apoio a Marília Gabriela, a torcida para que ela ganhasse a discussão e o sucesso do vídeo "Resposta de geneticista a Silas Malafaia".
Pode-se criticar a abordagem do homossexualismo feita pelo pastor; afinal de contas, as suas causas e fundamentos ainda são questão aberta, não há conclusão se ser gay é genética ou comportamento ou uma mistura dos dois.
Há uma profusão de teorias explicativas, envolvendo/excluindo fatores biológicos, psicológicos, culturais, morais, espirituais etc. Mas as objeções à argumentação de Malafaia não tiram o brilho da entrevista.
A verdade é que não há nenhuma prova científica conclusiva de que homossexualismo tem fundamento genético. Nem de que não tem. O pastor poderia ter sido mais coerente ao argumentar. Se, por um lado, ele afirma que não há pesquisa científica provando nada, ele não poderia declarar categoricamente que homossexualismo é só comportamento.
Mas se Eli Vieira, o geneticista, fosse honesto e conseqüente, do ponto de vista científico, ele também teria que dizer que o assunto está sob investigação, que o debate não está encerrado, por aí. Porque este é o 'status quaestionis', no que diz respeito às causas, origens, bases e fundamentos do homossexualismo.
E eu pergunto: qual é a autoridade científica de Eli Vieira, que não tem mais que 25 anos? Um bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas na UnB (sou formada em Jornalismo pela Universidade de Brasília, entrei em 72 e saí em 1980, quando a UnB já não era granché; aliás, nunca foi) e um mestrado em "Evolução molecular de loci associados ao comportamento humano", na UFRS.
O doutorado em Cambridge — Eli faz crer que ele já é doutor — foi iniciado somente este ano. Ele se formou em 2009, é só fazer as contas. Este currículo jamais seria suficiente para tanto "como eu já mostrei" e "simples assim".
Não é preciso recorrer a nenhuma revista especializada em genética para pôr em xeque todas as 'provas' que o 'geneticista' Eli Vieira apresenta.  Em 2007 (e nada mudou substancialmente desde então), a revista Galileu publicou extensa matéria cujo título é ‘O polêmico gene gay’.
A publicação cita pesquisadores contra e a favor da teoria de que o homossexualismo tem base genética e demonstra cabalmente: não há nada provado sobre gene gay, nem sobre gêmeos univitelinos terem maior probabilidade de serem ambos gays.
Uma pesquisa com gêmeos univitelinos chegou a 60% de probabilidade; outra, num universo mais abrangente, achou 7%, o suficiente para levar seus autores a afirmar que, "se há influência genética (no homossexualimso), ela é inexpressiva". Repetindo: a ciência nada pode dizer de concreto sobre a questão e a genética é a área que apresenta mais dificuldades para que se obtenham resultados confiáveis.
Há outro aspecto a ser considerado: se querem impugnar os argumentos de Malafaia por ele ser um homem da religião, Eli Vieira é um militante gay. E ateu. Ele é presidente da LiHS (Liga Humanista Secular), que ostenta orgulhosa, entre os prêmios recebidos (o único), o Troféu Triângulo Rosa do Grupo Gay da Bahia.
A LiHS é uma ONG que "apóia pessoas não-religiosas que buscam viver eticamente sem crenças sobrenaturais e supersticiosas e que trabalha por uma sociedade aberta, com liberdade de crença, liberdade de expressão, e laicidade nas leis, na educação, na mídia, e no cenário público em geral, sem privilégios para a religião, especialmente a historicamente estabelecida".
Uma curiosidade: entre os Membros Eméritos da Liga Humanista Secular, figuram o deputado homossexual Jean Wyllys, do PSOL; o filósofo ateu, Daniel Dannett; o lingüista americano, também ateu, Daniel Everett; a antropóloga abortista, Débora Diniz e a militante ateísta, a finlandesa Åsa Heuser, que é vice-presidente da LiHS.
(Um parenteses: Heuser ganhou notoriedade, tempos atrás, ao defender o militante ateu, Haroldo Galves, acusado de pedofilia. A polícia encontrou em seu poder 65 mil fotos de crianças nuas, arquivadas em seu computador pessoal. Sobre Galves, Ana Heuser declarou:
"Ele nunca foi acusado de nada além de possuir algumas fotos de nus de menores de idade; principalmente não há uma única acusação de qualquer contao com alguma criança". (Comentário do site Marxismo Cultural: "Aparentemente, para a Sra. Ana Heuser, ativista ateísta, Vice-Presidente da Liga Humanista Secular do Brasil, ter fotos de crianças nuas é perfeitamente normal").
Voltando a Eli Vieira, para complementar as informações sobre seu  painel de interesses, basta entrar na sua página  no Facebook e dar uma espiada no que ele 'curte'. Ali, acaba o mistério:
"Cem homens em um ano;
Lgbtts Ateus e Agnósticos;
Feminews;
Direitos dos Animais;
Homem Feminista de Verdade;
Assentamento Milton Santos;
Anarcomiguxos;
Católicas Pelo Direito de Decidir – CDD;
Aborto é um Direito. Pela legalização do aborto no Brasil."
Quanto à Teoria da Evolução, que Eli Vieira brande como o Troféu Fiat Lux da ciência, a única coisa sensata que se pode afirmar é que ninguém sabe se ela aconteceu ou não.
Além disto, é preciso saber de que Teoria da Evolução estamos falando: intra-espécie ou inter-espécie? Macro-evolução ou micro-evolução? Dentro da mesma espécie é uma coisa. Uma virar outra...opa! Calma que aí complica. Hoje, a Teoria da Evolução é que virou religião. Crença cega.
Quanto ao pastor Silas Malafaia, eu, às vezes, o apoio e estou do lado dele; em outras ocasiões divergimos. Desta entrevista, eu gostei. Eu sou católica, logo, tenho implícitas divergências teológicas com Silas Malafaia. Nenhum problema, religião se discute. Fé é que não se impõe.
Mas, minhas ressalvas mais sérias a Malafaia são as que dizem respeito ao apoio (inaceitável e inadmissível) que ele hipotecou ao petista Lula na sua campanha de 2002 e à sua reeleição em 2006, em que era escancarada a defesa pelo PT do casamento gay e do aborto. Um cristão não pode aceitar o aborto e o casamento entre homossexuais em hipótese alguma.
(Ele também apoiou FHC: ainda que o PSDB não inclua a defesa do aborto e casamento homossexual em seu programa, o partido aceita as duas teses, como ficou claro na elaboração do PNDH-1 e 2, alterado para pior pelo PT no PNDH-3. Entre PT e PSDB, melhor PSDB, claro).
Apesar do erro de apoiar Lula, Malafaia teve a coragem de rever sua posição e, na eleição de 2010 para Presidente da República, ele declarou seu voto contra Dilma Rousseff e contra Marina Silva pela defesa que seus partidos - o PT e o PV - fazem do aborto e do casamento gay.
Convém não esquecer que o cristão Silas Malafaia foi um dos únicos na comunidade evangélica - junto com o abençoado e brilhante Pastor Paschoal Piragine Jr., da Primeira Igreja Batista de Curitiba - a desencadear uma campanha corajosa contra o PT na campanha de 2010. A questão era a defesa da legalização do aborto no programa do Partido dos Trabalhadores.
Por ocasião da votação da PL 122, Malafaia foi, com milhares de pessoas, para a frente do Congresso Nacional denunciar a aberração do projeto de lei (que criminaliza a “homofobia” e fere a liberdade de culto) e defender a família brasileira.
Quanto à denúncia de enriquecimento da Forbes, o assunto está fora da minha alçada. Para chamar Malafaia de ladrão, eu tenho que ter provas. Malafaia prometeu processar a revista. Aguardemos.
PS: Há um texto sobre homossexualismo escrito pelo psiquiatra Eduardo Adnet, de Curitiba, que formou-se em medicina há 25 anos (a idade de Eli). Vale a pena ler o ensaio de Adnet. A abordagem é bem ampla: médica, sociológica, psicológica e ideológica. Neste link: http://dradnet.com/section1/homossexualismo-homossexualidade-e-doenca.html
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

4 comentários :

Raí disse...

Eu assisti a entrevista. Malafaia é muito bem preparado.

Marília Gabriela se limitou a repetir os mantras idiotas e carcomidos da esquerda gayzista. Ela não tem nenhum conhecimento antropológico, filosófico, teológico, político ou científico para abordar o assunto. Como a maioria de seus colegas, ela é uma apologista da agenda gay.

Trindade disse...

Olá Júlio;
Belíssimo texto da Srª. Mirian Macedo, pois coloca os pingos nos “is”, na citada entrevista o Pr Silas, mesmo que não quisesse obviamente se colocou na defesa das ideias não só dos evangélicos, mas de todo cristão e dos brasileiros de bem que não pertence a nenhuma denominação religiosa, mas que gosta das coisas no lugar, inclusive de gays que vivem a sua sexualidade para ele, sem precisar levantar bandeira ou ter “orgulho” por ser gay, porque quem é seguro do que é não precisa sair pelas ruas se afirmando, quem assim procede na verdade são inseguros e ficam o tempo todo afirmando o que na verdade não tem certeza que é? Agora imaginem vocês se os héteros agora resolvessem sentir orgulho por serem heteros e saíssem pelas ruas em passeatas organizadas com dinheiro publico exibindo esse orgulho seriam taxados de loucos e os heteros com o juízo e seguros de sua condição de heteros os recriminariam, mas os sindicalistas gays poderiam praticar a sexualidade para si, mas precisam se afirmar, demonstrando assim um profundo sentimento de dúvida de sua sexualidade, porque se sentissem seguros emocionalmente praticariam sem precisar do consentimento ou aprovação de alguém, como naturalmente procedem os heteros, ou precisamos sair afirmando que somos heteros? Exceto alguns na adolescência e alguns retardados mentais que ficam se gabando porque “transou” com alguma garota (o que na maioria das vezes estão mentindo).
Outra coisa que deixaram os cristãos progressistas mordidos foi que a audiência foi recorde e a emissora já quer o Silas de volta para falar sobre o aborto e claro os tais cristãos progressistas que se posicionaram do lado dos gays, dessa vez e certamente se posicionarão do lado das abortistas caso esse programa venha a ser exibido, não porque o Pr Silas estará errado, mas porque eles é que são infiltrados na Igreja de Deus para combater quem combate o bom combate.

Daniel disse...

É O PROBLEMA COM MALAFAIA, É QUE ELE PARECE MEIO QUE DANAÇAR CONFORME A MUSICA DO "PODER" DO MOMENTO ? ESPEOR ESTAR ERRADO...COM ESSA MSITURA POLÍTICA X PODER...TELIVISÕES...ETC
NO CASO DA GLOBO DIGO...ESSA EMISSORA TRATOU EVANGÉLICOS SEMPRE FEITO LIXO OS DENEGRINDO E TUDO EM SUA PROGRMAÇÃO. MAS AGORA QUE SE VIU RECENTEMENTE EM DIFICULDADE COM QUEDA E DE IBOPE. TRATOU LOGO DE CORRER ATARS DO PREJUÍZO E IR ATRÁS DOS PASOTRES PEDIR SOCCORO
FAZENDO REUNIÕES DE EMEGÊNCIAS, ETC...MAS TUDO NA BSE DO INTERESSE $$ A GLOBO FAZ TUDO NA BASE DO $$$, PORTANTO CRISTÃO QUE CAI NESSA DE SE ALIAR A REDE GLOBO QUE FAZ TUDO CALCULADO COM INTERESSES NÃO MERECE CONFIANÇA...

Anônimo disse...

Gêmeos idênticos provam que o homossexualismo não é genético

See more at: http://ohomossexualismo.blogspot.com.br/2014/07/gemeos.html