7 de dezembro de 2012

O que a Bíblia diz sobre um Estado palestino?


O que a Bíblia diz sobre um Estado palestino?

Joel Richardson
Em 29 de novembro de 2012, 138 países aprovaram a Resolução 67/19 da ONU sobre “A Questão da Palestina.” A resolução expressa apoio pelo direito do “povo palestino… ao seu Estado independente da Palestina.”
À luz desse acontecimento profundamente histórico, e à luz da esmagadora tendenciosidade mundial contra a nação de Israel, é essencial que todos os estudantes da Bíblia parem para considerar o que a Bíblia diz sobre o futuro da nação de Israel e da “Palestina.”
Quando pesquisamos as muitas passagens bíblicas que falam da volta do Messias, fica imediatamente claro que entre as principais questões que Jesus está voltando para confrontar é a perseguição, marginalização e tratamento injusto que as nações da terra sempre deram a Israel. Apesar do fato de que a propaganda antissemita e antissionista de nossa época é amplamente adotada até mesmo por grandes segmentos da Igreja Cristã, a Bíblia deixa claro que quando Jesus voltar, ele de forma específica executará juízo contra os inimigos de Israel.
De acordo com o profeta Joel, logo antes da volta de Jesus, um vasto número de nações invadirá Israel e cercará a cidade de Jerusalém. Joel nos diz que Jesus executará juízo contra todas as nações envolvidas nessa invasão e também contra todos os que forçam a divisão da Sua terra:
“Reunirei todos os povos e os farei descer o vale de Yehôshaphat, Josafá, isto é, YahwehJulga; e ali hei de julgá-los por causa da minha herança: Israel, o meu povo escolhido. Porque eles maldosamente espalharam os israelitas pelo mundo, e dividiram entre si a minha terra.” (Joel 3:2 KJA)
Essa profecia deixa claro que um distinto Estado palestino se tornará realidade. O profeta fala do Senhor executando vingança contra gente do Egito, Jordânia, Líbano e territórios palestinos que têm se engajado em violência contra o povo de Israel:
“O que tendes vós contra a minha pessoa, Tiro e Sidom, e todas as regiões da Filístia? Porventura quereis vingar-vos de mim? Se vingança é o que desejas, retribuirei sem demora tudo quanto tens feito.” (Joel 3:4 KJA)
“Por outro lado, o Egito ficará desolado, Edom se tornará um deserto arrasado, por causa das malignidades desferidas contra Judá, em cujas terras derramaram muito sangue inocente. Judá, por sua vez, será habitada para sempre e Jerusalém por todas as gerações. E purificarei a sua culpa do sangue que Eu ainda não havia perdoado, porquanto Yahwehhabita em Sião!” (Joel 3:19-21 KJA)
De acordo com o profeta Ezequiel, Jesus está voltando para executar juízo contra aqueles que estão apegados ao “antigo ódio” dirigido ao povo judeu e que derramaram o sangue dos israelitas.
“Porque mantiveste teu antigo ódio e inimizade, e entregaste os israelitas ao poder da espada no tempo da calamidade deles… por este motivo, juro pela minha própria vida, afirma Yahweh, o Eterno e Soberano Deus, que te entregarei ao espírito sanguinário, à morte, e este sangue te perseguirá.” (Ezequiel 35:5-7 KJA)
E de acordo com o profeta Isaías, o Dia do Senhor, ou a volta de Jesus, será especificamente um tempo em que o Senhor vingará Israel no meio da “causa legal” ou a “controvérsia de Sião”:
“Porquanto Yahweh terá um Dia de Vingança, um ano de retribuições pela causa de Tsión, Sião.” (Isaías 34:8 KJA)
Portanto, embora seja óbvio que Jesus está voltando para defender a oprimida e perseguida nação de Israel, talvez o que seja mais chocante ainda para alguns é o fato de que a Bíblia também descreve, de modo específico, a total devastação e juízo de Gaza e todo o território palestino. O profeta Sofonias, ao falar do Dia do Senhor, avisa todos os homens: “Buscai a justiça, buscai a humildade; talvez sejais poupados no Dia da ira de Yahweh.” Então vem uma descrição muito forte do que o futuro reserva para o Estado palestino quando Jesus voltar:
“Gaza será abandonada… Ai dos habitantes do litoral, da nação dos queretitas; a Palavra do SENHOR está contra vossas atitudes, ó Canaã, terra dos filisteus; e Eu vos destruirei sem que reste nem sequer um habitante. Toda essa terra junto ao mar, onde habitam os queretitas, se transformará em pastagem, com cabanas para os pastores e currais para os rebanhos. O litoral pertencerá ao restante da Casa de Judá, para que se alimentem ali; ao pôr-do-sol se deitarão nas casas de Ascalom; pois Yahweh, o seu Elohim, Deus, zelará por eles e restaurará o seu destino, trazendo-os de volta do cativeiro.” (Sofonias 2:4-7 KJA)
De acordo com essa profecia, o futuro Estado palestino será destruído e abandonado para o povo judeu habitar.
Para alguns, depois de ler essa informação, haverá a tentação de dar completamente por perdidos os palestinos e todos os inimigos de Israel. Mas se não conseguirmos reconhecer que por meio dessa passagem, o Senhor está chamando todos, inclusive os palestinos, ao arrependimento, então não conseguiremos mostrar gratidão pela misericórdia que Ele tem nos mostrado. Jesus morreu por nós, enquanto éramos ainda seus inimigos (Romanos 5:8-10). Jesus foi muito explícito em seu aviso contra esse tipo de espírito ingrato (Mateus 18:23-35). A igreja precisa orar diligentemente para que os palestinos se arrependam e se tornem servos do Deus de Israel.
Para os outros, haverá a tentação simplesmente de fazer pouco caso dessas profecias, casualmente desconsiderando-as como cumpridas na história antiga. Mas não dá para fazer isso sem cometer uma medida de violência contra esses textos. Os muitos avisos de um ajuntamento nos últimos dias das nações contra Jerusalém por meio dos profetas não são fáceis de desconsiderar como irrelevantes para nossa época, particularmente à luz da direção que o Oriente Médio está tomando neste momento.
Para aqueles que acreditam que Deus não tem mais nada a ver com Israel, você pode considerar o fato óbvio de que Satanás não parece ter recebido tal comunicado. Embora a maioria do povo judeu hoje ainda rejeite Jesus como Messias, a eleição e chamado deles permanecem garantidos (Romanos 11:28-29). Paulo alertou para que não nos tornássemos arrogantes nem ignorantes com relação a esse fato (Romanos 11:20, 25).
É hora da igreja inteira reconhecer o fato de que o Criador dos céus e da terra é o Criador de Israel. Esse é o título designado por Ele mesmo para sempre. Quando Jesus voltar, ele adotará uma postura política muito específica — é hora da igreja embarcar nessa postura.
Traduzido por Julio Severo do artigo do WND: What the Bible says about a Palestinian state
Leitura recomendada:

15 comentários :

Anônimo disse...

Fundamentado e tendo a base na Bíblia Sagrada, esse texto não deixa duvida sobre a fiel e eterna posição de Deus sobre a Nação de Israel.

Incrível e lastimável como ainda há pessoas que se dizem cristãos, lideres e pastores que boicotam Israel sem achar que isso não trará juízo e penalidades a estes por tal infâmia e pecado.

Interessante é saber que as igrejas que são contra a Nação de Israel, são as mesmas que hoje ordenam gays e lésbicas para serem seus lideres e algumas dessas igrejas apoiam até mesmo o assassinato de bebes através do aborto.

O dito "evangelho" progressista e liberal,sabe muito bem defender essa tese maligna.

De fato, tudo o que as profecias Bíblicas nos exortaram e nos alertaram estão em pleno cumprimento nessa geração.Maranata Senhor Jesus, o Cristo.

Pastor Caleb.

Anônimo disse...

Resta saber se Deus usará ou não as ações humanas para o cumprimento dessas profecias.

Trindade disse...

Olá Júlio;
Perfeito texto, sucinto, mas abrangente, pois a Igreja local dificilmente trata o assunto de Israel no verdadeiro sentido, tratam às vezes com idolatria, coloca a bandeira do atual Estado de Israel, que na verdade NÃO representa nada de Davi, pelo contrario a estrela de Davi é outra coisa. O papel da Igreja é orar por Israel, mas o Israel de Deus, aquele Israel que Deus vai restaurar não esse Israel rebelde e intransigente com o Messias, mas para a Igreja o Messias de Israel é o Salvador, portanto a mesma pessoa, então a Igreja (todos salvos e remidos no sangue de Jesus Cristo) tem que entender isso, esteja ele onde estiver o cristão pertence a essa família, em situação diferente, mas pertence.
Dai vem a importância de orarmos por Israel primeiro, mas não odiar Ismael (árabe), pois como diz o texto e é fato a mensagem de Deus no fundo é ao arrependimento dos palestinos e/ou os árabes em geral, ao falar sobre isso alguém pode dizer: se é plano de Deus porque orar? E se eles se arrependerem? Se se arrependerem o plano de Deus continua, pois existem muitas outras coisas que irão se cumprir nessa época, por exemplo: governar com justiça, mas a coisa mais importante nessa linha é vencer o último inimigo, ou seja, a morte; Mas aos que não creem na conversão dos árabes, tudo bem, mas a oração da Igreja continua sendo importante, porque individualmente existe a chance de muitas conversões, pois devemos lembrar sempre que nós não lutamos contra a carne e o sangue, mas contra potestades e principados, ou seja, o diabo e seus anjos.
Oremos por Israel e também pelos árabes, pois essa é a nossa função, e Deus que a tudo controla cumprirá a Dele, sem esquecermos que o Eterno não desprezará um coração contrito e a única coisa certa aos homens é a morte, mas aos arrependidos Deus nunca desampara.
Oremos.

Esther Kochav disse...

Olá, irmão Julio!
Um dia li em um site de notícias evangélico sobre um livro chamado “The Cloak of Antichrist”, do autor Jack Smith. Queria saber se o irmão já ouviu falar e ou leu este livro. Se sim, qual sua opinião?

Esther Kochav disse...

Esqueci uma parte do título do livro. Corrigido:
"Islam: The Cloak of Antichrist"

Anônimo disse...

Sra Esther,

Com a devida venia e antecipando ao blogueiro, mas não quanto ao conhecimento do livro, o islã é anticristo desde sua fundação no século VI. O problema é que não temos uma unidade e uma influência cristã para combate-los, a exemplo do que houve na Idade Média. Ao contrário, há uma agenda de favorecimento ao islã na Europa e nos EUA pós-cristãos por parte dos não menos Anticristos, socialistas fabianos. Obviamente a AL seguirá esses maléficos modelos.

Procure conhecer sobre quem são os Socialistas Fabianos nos sites de busca e aqui: www.olavodecarvalho.org

Gomes disse...

O VT não recebe a devida atenção por parte de muitas igrejas. Falar das profecias menos ainda.
Mas, creio que há espaço aqui para comentar o seguinte, neste caso, em relação à Babilônia (atual Iraque):
No Livro de Isaías, Caps 13, 17, 21, 47 e, Jeremias 50, 51 e outros há muitas profecias a respeito da terra de Nabucodonosor. E, recentemente, parece que o que Deus destinou àquela região se cumpriu totalmente. Hoje o Iraque é uma terra devastada, com o dna da população comprometido pelos resíduos do urânio "empobrecido" (lixo atômico) utilizado em munições e esparramado naquela região pelas duas guerras travadas ali. Assim, devido às tempestades de areia que varrem o território compreendido por países de toda a região - mais o Iraque -, se cumpriu sobre aquele povo o que está em Jr. 51:1 - "Assim diz o Senhor: Eis que levantarei um vento destruidor contra a Babilônia e contra os que habitam no coração dos que se levantam contra mim." É conhecida a gana com que "satã" hussein se voltou contra Israel, pretendendo cumprir a "solução final". E, aonde ele está agora?

Soldier disse...

"Igreja Presbiteriana dos EUA contra Israel" - Até quanto não se cansarão de seguir o caminho da iniquidade, da inimizade contra Deus? Como se já não fosse escândalo o bastante aceitarem pastor gay "casado" com outro homem.

Nos comentários do artigo "Vaticano sobre Israel: erros grosseiros", algumas observações minhas sobre as igrejas presbiterianas foram motivo de "raivinha" de um leitor que pertence a essa denominação, que afirmou que eu estava sendo "usado pelo diabo para provoca-lo". O diabo está ocupado em usar essas "igrejas" para arrastar muitos apóstatas pro garfo.

Bem, falando de coisas boas, quero aqui compartilhar com todos um excelente livro, do autor cristão Dave Hunt: "Jerusalém, Um Cálice de Tontear". É uma análise muito interessante baseada em profecias bíblicas e estudos históricos sobre o que representa para humanidade a Cidade Sagrada e as razões de toda essa situação que tem acontecido e está acontecendo lá. Israel é o relógio de Deus, e conhecer o que ali se passa é de suma importância para sabermos qual momento estamos vivendo.

Dave Hunt inclusive mostra muito claramente que as reivindicações árabes sobre Jerusalém são forjadas e sem nenhuma razão histórica.

Esse livro está em e-book grátis no endereço abaixo, através do 4Shared. Para baixar é só registrar gratuitamente uma conta no site. É seguro e bastante útil, eu tenho e recomendo.

http://www.4shared.com/office/VnQqcRWO/Dave_Hunt_-_Jerusalm_-_Um_Clic.html

Soldier disse...

Creio que é importante analisar fatos relacionados à vinda do Senhor Jesus nos últimos tempos recorrendo ao texto bíblico para um bom entendimento.

Na medida em que se aproxima o dia do Arrebatamento e após isso o início do tempo do Anticirsto e da Grande Tribulação, haverá intensificação dos seguintes fatos no mundo, seguidos de alguns acontecimentos específicos.

Segundo as profecias da Palavra de Deus, os fatos seguem uma determinada ordem, que veremos a seguir:

Aumento do crime e desrespeito à lei de Deus
Aumento de guerras, fomes e terremotos
Diminuição do amor e da afeição no lar
Perseguição mais severa do povo de Deus
Aqueles que se mantêm firmes serão salvos
O evangelho será pregado ao mundo inteiro
O Arrebatamento
O começo do Dia do Senhor

O Dia do Senhor, não é uma data, mas um período quando alguns fatos sucederão.

Em 1 Tessalonicenses 5.1-3, o apóstolo Paulo escreve:

"Mas, irmãos, aacerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva; porque vós mesmos sabeis muito bem que bo Dia do Senhor virá como o ladrão de noite. Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então, lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão.

O Dia do Senhor começará após o Arrebatamento da Igreja, com a volta de Cristo, para levar a e livrá-la da ira vindoura (1Ts 1.10), que ocorrerá antes do início do Dia do Senhor e da manifestação do “homem do pecado” (Anticristo).

Ao começar o Dia do Senhor, “o iníquo” aparecerá neste mundo. Trata-se de um governante mundial que fará aliança com Israel por sete anos, antes do fim da presente era (ver Dn 9.27). Na metade desses sete anos, três anos e meio, o Anticristo vai romper essa aliança e começará a perseguir Israel. Portanto, o fato é que muitos judeus que ainda esperam o Messias, e não reconhecem que Jesus é o Messias, confundirão o Anticristo com o seu Salvador esperado. O mundo inteiro acreditará nas suas promessas de paz e prosperidade. Nessa época a humanidade será completamente pervertida, salvando-se apenas os cristãos que tiverem sido deixados no arrebatamento e as pessoas que se converterem logo após, e antes da marca da Besta.

Mt 24.42-44; 15.1-13; Mc13.33-37; Lc 12.35; 21.19, 34-36; Rm 13.11; Fp 4.5; 1Ts 1.10; 4.16-18; 5.6-11; 2Tm 4.8; Tt 2.13

Soldier disse...

Observe-se que haverá duas voltas de Jesus; Uma será invisível para o resto do mundo, e outra será visível perante todos os olhos, quando todo o joelho se dobrará.

Na primeira, que ocorrerá literalmente na velocidade de um piscar de olhos, com a ressurreição dos que morreram em Cristo e a transformação dos que estiverem vivos na Terra nesse momento. Será uma acontecimento instantâneo e consecutivo, quase concomitante, onde os ressuscitados e arrebatados receberão corpos celestiais e serão levados com o Senhor

As referências bíblicas para esses fatos futuros estão nas seguintes passagens:

Lc 21.36; 1Ts 1.10; 5.2-9; Ap 3.10,11 Rm 8.23; 1Co 15.51-54; 1Ts 4.16-17 1Co 15.50-55; 1Ts 4.16,17; Jo 5.22; Rm 14.12; 1Co 3.12-15; 2Co 5.10; 2Tm 4.8; Lc 21.36; Jo 14.3; 1Ts 1.10; 4.15-17; 2Ts 2.1; Ap 3.10,11

A segunda vinda, será quando Jesus voltar à Terra com os seus anjos e a Igreja, para aniquilar o Anticristo e a todos os ímpios, quando estes se reunirem para destruir Israel, e quando serão salvos os crentes sobreviventes da Grande Tribulação.

Como em Romanos 14.11 está escrito: "Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus."

A derrota do Anticristo será no fim da tribulação, quando Satanás congregará muitas nações no Armagedom, sob o comando do Anticristo, e guerrearão contra Deus e o seu povo numa batalha que envolverá o mundo inteiro (Dn 11.45; Ap 16.16). Quando isso ocorrer, Cristo voltará e intervirá de modo sobrenatural, destruindo o Anticristo, seus exércitos e todos os que não obedecem ao evangelho (ver Ap 19.15-21). A seguir, Cristo prenderá Satanás e estabelecerá seu reino milenar na Terra (Ap 20.1-6).

As referências bíblicas estão em:

Mt 24.30,31; 2Pe 3.10-13; Ap 19.11-212 Ts 2.8; Ap 16.16; 19.15-212 Ts 1.7-10; Jd 14, 15; Ap 19.14


Finalmente, após um periodo de mil anos de verdadeira paz e justiça sobre a Terra, no Reino de Jesus, satanás será solto de sua prisão e corromperá os descendentes daqueles sobreviventes que não foram arrebatados ou que converteram-se após o arrebatamento. Esses se rebelarão contra Cristo e haverá a batalha final de Gogue e Magogue. Após isso o diabo e seus seguidores serão lançados no lago de fogo, onde o anticristo e falso profeta já o estarão esperando.

Será então o Juízo Final, e em seguida o novo céu e a nova Terra.

Is 51.6; 65.17; 66.22; Rm 8.19-21; 2Pe 3.10-11; Ap 21.1-22.6; 2Pe 3.13; Ap 21.4; 22.3, 15;
Ap 21.1-3; Ap 21.1-13

Antônio disse...

Nos anos de 2001 e 2002 eu percebi na maior parte das pessoas algo como se estivessem possuídas pela força do mal. Digo isto porque, estando em ano eleitoral, era raro encontrar alguém que não via numa das pessoas mais imundas deste país um ser divino, que estava vindo para salvar o Brasil, quiçá toda a humanidade. Estou me referindo à pessoa que foi duas vezes presidente deste infeliz país.
Naquela época o Senhor me mostrou que tudo aquilo era um ensaio para o futuro governo do anticristo e que será esquerdista/socialista/comunista/marxista e, como está na Bíblia, 100% satanista.

Continuando, em 29 de junho de 2009 o moço lá das sete colinas expediu o documento (acesse a matéria no link http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/encyclicals/documents/hf_ben-xvi_enc_20090629_caritas-in-veritate_po.html ), sob o título
CARTA ENCÍCLICA - CARITAS IN VERITATE - DO SUMO PONTÍFICE BENTO XVI .
Nesse documento, no CAPÍTULO V - A COLABORAÇÃO DA FAMÍLIA HUMANA , no item a seguir o "falso profeta" bíblico clama pela urgência de um "Executivo Mundial" que venha a por ordem na Casa Global. Pela Bíblia sabe-se que tal criatura será o Anticristo. Segue o item " 67. ... urge a presença de uma verdadeira Autoridade política mundial, delineada já pelo meu predecessor, o Beato João XXIII. A referida Autoridade deverá regular-se pelo direito, ater-se coerentemente aos princípios de subsidiariedade e solidariedade, estar orientada para a consecução do bem comum[147], comprometer-se na realização de um autêntico desenvolvimento humano integral inspirado nos valores da caridade na verdade. Além disso, uma tal Autoridade deverá ser reconhecida por todos, gozar de poder efectivo para garantir a cada um a segurança, a observância da justiça, o respeito dos direitos[148]. Obviamente, deve gozar da faculdade de fazer com que as partes respeitem as próprias decisões, bem como as medidas coordenadas e adoptadas nos diversos fóruns internacionais."

E, como a "koisa tá vindo", dê uma olhada na matéria "Vaticano clama novamente por uma autoridade mundial na economia" (Publicado em dezembro 5, 2012 por apocalipsetotal ), acessível no link http://apocalipsetotal.wordpress.com/2012/12/05/vaticano-clama-novamente-por-uma-autoridade-mundial-na-economia/ .

No artigo consta que:“… Na verdade, diante da crise econômica que já estamos sofrendo há anos, está em questão justamente a falta de uma [2] autoridade pública de competência universal e mundial (…) quem detém o dinheiro e o capital manda neste mundo; e tem o mecanismo de dominação que é o mecanismo da dívida… Nós vimos na última eleição nos Estados Unidos onde os republicanos diziam que os impostos seriam diminuídos, mas invés dos impostos, os ricos vão emprestar dinheiro.O estado fica preso a classe mais rica, a dos bancos … “ .

Paulo Teixeira disse...

Os palestinos realmente estão dispostos à PAZ?

Por que então uma enorme multidão em Gaza pediu que Meshaal - líder do Hamas - para que permaneça como seu líder?

Veja >>> http://www.estadao.com.br/noticias/geral,multidoes-em-gaza-pedem-que-meshaal-permaneca-como-seu-lider,971033,0.htm

Enquanto na Cisjordânia do Fatah vive-se uma 'relativa' paz: na Faixa de Gaza (do Hamas) vive-se um 'inferno' opressor do Hamas.

São os palestinos da Cisjordânia mais sóbrios do que os da Faixa de Gaza?

Lucas Vasconcelos Pinto disse...

O Israel de Deus (Romanos 11:26) significa: Israel Estado político ou significa o conjunto de todo os escolhidos e redimidos por Deus, sejam judeus ou gentios?

Um grande abraço!

Lucas.

Julio Severo disse...

Lucas, para saber a resposta, clique no link abaixo:

O que todo cristão precisa saber sobre Israel

Carlos Alberto disse...

Todos que lutarem contra Israel na verdade estão a lutar contra Jesus de Nazaré, o Judeu. E quem lutar contra Jesus de Nazaré, o Judeu, será reduzido a pó.
"E, quem cair sobre esta pedra, despedaçar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó."
Mateus 21:44-45