13 de outubro de 2012

USAID Lança Implante semelhante ao Norplant para Mulheres Pobres


USAID Lança Implante semelhante ao Norplant para Mulheres Pobres

Lisa Correnti
WASHINGON, DC, 12 de outubro (C-FAM) A Agência Americana para Desenvolvimento Internacional anunciou no Dia Mundial da Contracepção uma parceria com doadores internacionais para distribuir Jadelle, um Norplant de segunda geração, para mulheres pobres em países em desenvolvimento. O contraceptivo não é distribuído para uso em países mais ricos.
Jadelle foi desenvolvido pelo Conselho de População, uma organização conhecida por suas raízes eugênicas. “Metas eugênicas serão muito mais bem realizadas sob outro nome do que eugenia”, escreveu Frederick Osborn, o primeiro presidente do Conselho de População, fundado por John D. Rockefeller III na década de 1950.
Jadelle, nome comercial para o Norplant II, impede gravidezes liberando vagarosamente levonorgestrel (um conhecido abortivo) por meio de duas varetas em forma de tubinhos que são inseridas debaixo da pele do braço, assim inibindo a ovulação, engrossando o muco cervical e alterando o revestimento do útero.
O implante aprovado pela OMS dura até 5 anos e dizem que é reversível. Os promotores do Jadelle comparam sua eficácia ao da esterilização cirúrgica.
Estudos revelaram que de cada 100 mulheres, cerca de 19 descontinuaram o uso do Jadelle por causa de problemas de hemorragia. Cerca de 65% das usuárias relataram irregularidades de sangramento, e 6,2% relataram problemas quando as varetas foram removidas.
A distribuição de contraceptivos de longa duração para mulheres pobres era meta da recente Cúpula de Planejamento Familiar de Londres patrocinada pela Fundação Gates e pelo governo da Inglaterra e realizada no aniversário de 100 anos da primeira conferência internacional de eugenia em Londres. A Agência Americana para Desenvolvimento Internacional (USAID) renovou seu compromisso para com o planejamento familiar na Cúpula, especificamente para métodos contraceptivos de longa duração.
Essa nova iniciativa é um esforço conjunto com a Iniciativa Clinton de Acesso à Saúde, a Fundação Fundo de Investimento Infantil e os governos da Noruega, Inglaterra, Suécia e EUA.
Bayer HealthCare, a empresa farmacêutica alemã que produz o contraceptivo, concordou em reduzir o custo do Jadelle em cinquenta por cento — até 18 dólares — em troca de um contrato garantido de seis anos que inclua “financiamento para pelo menos 27 milhões dispositivos contraceptivos”.
A agência de vigilância sanitária americana FDA aprovou o uso do Norplant I nos EUA em 1990, mas a distribuição cessou em 2002 devido a queixas generalizadas de efeitos colaterais e processos feitos por mais de 50.000 mulheres. O contrato da USAID com o fabricante do Norplant, a empresa farmacêutica Wyeth, continuou até 2006.
Embora o FDA tenha aprovado o Jadelle em 1996, ainda não chegou a ser distribuído nos Estados Unidos, indicando um padrão diferente para mulheres em países em desenvolvimento. Um exame mais minucioso no site do Conselho de População revela potenciais riscos no uso do Jadelle e a falta de estudos importantes com pesquisa limitadas a apenas 5 anos após o uso.
Os conhecidos efeitos colaterais são sangramento irregular, cistos no ovário, coágulo sanguíneo, possível aumento de risco para a enfermidade da vesícula biliar e maior risco de câncer no local de implante por causa da “intrusão de um organismo externo”.
O financiamento do planejamento familiar e saúde reprodutiva internacional aumentou 40% sob o governo de Obama. O orçamento da USAID em 2012 de 524 milhões de dólares excedeu os orçamentos para tuberculose, ameaças de saúde pública, gripes pandêmicas, crianças vulneráveis e nutrição combinados.
“É outra vitória para as pessoas em países em desenvolvimento, pois nós nos países mais ricos podemos agora ver que aplicando, em parceria, uma modesta quantia de dinheiro e trabalhando com os fornecedores, podemos fazer as forças do mercado funcionarem para ajudar os pobres e salvar vidas”, anunciou o presidente Bill Clinton num evento da Assembleia Geral da ONU.
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: Friday Fax
A verdade sobre os métodos de planejamento familiar

Um comentário :

Anônimo disse...

Implante nossa mais um método abortivo agressivo para MULHER aí, aí,aí, minha gente muito isso muito sério o problema não se fala dos efeitos colaterais dos "métodos contraceptivos" e cada hora aparece mais um mais NOCIVO que o OUTRO.

Engraçado estava esses dias atrás conversando com minha mãe ela falou que era horrível fez uma careta feia pra mim e reclamando dava náuseas e enjoos tomar "pílulas anticoncepcionais" mais que tinha que tomar???
ãHHHHHH eu falei para ela direto e reto você tomou porque quis né? Você sabia que estava fazendo você tinha consciência que tava fazendo um aborto é ou não é ela disse com toda propriedade "É"
Tá, reclamando de que agora eu sei fui pouco dura com a minha mãe mais tinha falar a verdade pra ela mais uma vez ela disse que quando eu casar eu terei que tomar também ãããããã.
Eu falei vamos vê se eu vou tomar mesmo desde o dia que descobri aqui no seu blog Severo sobre as causas e os efeitos contraceptivos fazem no organismo da mulher e fora que eu não sabia era abortivos eu firmei uma decisão eu quando casar não usarei métodos contraceptivos.
E já vou informar e levar todos seus artigos para o rapaz cristão que eu namorar olha aqui meu amor isso e isso sobre o que está por detrás dos métodos contraceptivos.

Ester!!!!