7 de outubro de 2012

Rússia Defende Valores Tradicionais na ONU


Rússia Defende Valores Tradicionais na ONU

Dr. Stefano Gennarini
GENEBRA, Suíça, 5 de outubro (C-FAM) Delegações dos países europeus e dos Estados Unidos sofreram um revés na semana passada quando o Conselho de Direitos Humanos adotou uma resolução defendendo uma ligação positiva entre valores tradicionais e direitos humanos. As delegações europeias e americanas veem os valores tradicionais como ameaças às mulheres e aos indivíduos lésbicos, gays, bissexuais e transexuais.
Essa é a terceira resolução sobre valores tradicionais a ser aprovada desde 2009. A Rússia avançou com muita energia a resolução, e teve sucesso, apesar de que outros membros da ONU tentaram sufocar a iniciativa russa.
A atual resolução, apresentada pela Rússia em coautoria com mais de 60 países (nem todos membros do Conselho), afirma que os valores tradicionais comuns a toda a humanidade têm um papel positivo na promoção e proteção dos direitos humanos. A resolução declara que “uma compreensão e consideração melhor dos valores tradicionais compartilhados por toda a raça humana e incorporados nos instrumentos universais de direitos humanos contribuem para promover e proteger os direitos humanos e as liberdades fundamentais no mundo inteiro”.
Ecoando a Declaração Universal de Direitos Humanos, a resolução frisa “que os direitos humanos derivam da dignidade e valor inerentes na pessoa humana” e reconhece o papel positivo da família, comunidade e instituições educacionais na promoção dos direitos humanos, exortando os países a “fortalecerem esse papel por meio de medidas positivas”.
Os países europeus e os Estados Unidos expressaram oposição ao conceito de valores tradicionais quando uma resolução com esse título foi proposta pela primeira vez pela Rússia em 2009. Eles também votaram contra uma resolução que solicitava um relatório sobre a interligação dos valores tradicionais com os direitos humanos à Comissão Consultiva do Conselho no ano passado. Quando a medida foi aprovada, eles assumiram o controle dos esforços da Comissão Consultiva para produzir um relatório que fosse contrário à intenção da resolução.
As delegações da Europa e EUA repetidamente se queixaram de que os “valores tradicionais” são um conceito vago usado para justificar a violência e a discriminação contra as mulheres e os indivíduos lésbicos, gays, bissexuais e transexuais (LGBT). Mas não conseguindo influenciar países suficientes com esse argumento, eles buscaram deter a resolução pedindo ao Conselho que aguardasse o relatório da Comissão Consultiva, a mesma comissão que originalmente tinha a oposição deles.
De qualquer jeito, a Rússia apresentou a resolução, confiante de que teria os votos necessários. A resolução foi adotada com 25 votos a favor, 15 contra e 7 abstenções.
Durante sua adoção, o ministério de relações exteriores da Rússia divulgou uma declaração dizendo: “A Federação Russa, junto com os aliados que têm a mesma opinião, continuará a promover a ideia da conexão inseparável entre direitos humanos e valores morais tradicionais no Conselho de Direitos Humanos”.
Notando que “havia países que votaram contra a versão preliminar (em particular, os EUA e a União Europeia)” a Rússia lamentou que “a oposição negativa desses países, sua indisposição de trabalhar no texto e argumentos fantasiosos contra a versão preliminar da resolução causem desapontamento”.
No ano passado, o presidente Obama ordenou que todos os órgãos do governo dos EUA que lidam com a diplomacia e assistência externa americana promovessem direitos LGBT. Qualquer apoio a valores tradicionais incomoda profundamente os grupos LGBT, conforme reportagem do Gay Star News. A preocupação deles é que esse apoio será usado para defender a família natural, e eles temem que não consigam descriminalizar a homossexualidade no mundo inteiro.
Tradução: www.juliosevero.com
Fonte: Friday Fax
Madonna poderá ser multada se promover a agenda homossexual em show na Rússia

5 comentários :

Roberto Domingos disse...

Nunca pensei em escrever algo parecido, parabéns a Russia!

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

A Rússia pode até nem ser um país cristão, mas tem tido uma postura firme na defesa da família, dos bons princípios, da moral e dos bons costumes (além de ser radicalmente contra o homossexualismo e outras aberrações). Eu diria que a Rússia está dando de goleada em muitos países que se dizem cristãos (inclusive o Brasil).

Aqui no Brasil, a nossa bancada evangélica e nada é a mesma coisa. Além de ser omissa no combate ao pecado, essa mesma bancada ainda aceita "negociar" com o governo corrupto de Dilma (que, por sua vez, é um governo totalmente pró–aborto, pró–homossexualismo, anti–família, e anti–cristão). Será que os membros dessa mesma bancada já viram, em alguma página da Bíblia, Jesus e Satanás sendo amigos (ou Jesus fazendo acordo com Satanás)?

A Palavra de Deus diz qual deve ser a postura de um verdadeiro cristão:

"Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou amará a um e odiará o outro, ou há de se dedicar a um e desprezar o outro" (Mateus 6:24)

"Não vos coloqueis num jugo desigual com os incrédulos. Pois, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que união pode haver da luz com as trevas? E que aliança há entre Cristo e o Maligno? E que parte tem o fiel com o infiel? E que concordância existe do templo de Deus com os ídolos?" (2 Coríntios 6:14–16)

Será que muitos que se dizem cristãos (como os políticos da bancada evangélica) ainda estão lembrados disso?

Uma certeza nós temos: a lei de Deus, além de ser soberana, eterna e imutável (nunca poderá ser mudada por nada, nem ninguém), é implacável contra todo e qualquer pecado (inclusive o homossexualismo). A respeito de lei de Deus, Jesus foi taxativo:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Pois em verdade Eu vos digo que, até que passem os Céus e a Terra, nenhum i ou til jamais passará da lei, sem que tudo se cumpra" (Mateus 5:17–18)

Que esta mensagem desperte muitos que se dizem cristãos (mas que têm sido omissos no combate ao pecado)!

"PARA QUE O MAL VENÇA, BASTA QUE OS HOMENS DE BEM NÃO FAÇAM NADA"

Anônimo disse...

A Russia é um país cristão SIM! Por mais que a igreja esteja diretamente ligado ao governo (igual na Inglaterra-Anglicanismo).
A fé do povo russo pode ser observada no seu dia a dia, em manifestacoes favoraveis aos valores morais e corretos para um sociedade sadia.
Os russos nao aguentam mais radicalismos de esquerda, tanto é que essas imbecis das Pussy Riot foram ridicularizadas pela maioria dos russos ninguem apoia essas agentes made in US.
Outro pais com forte fé cristã é a Servia sempre, em todas manifestacoes civicas eles sempre fazem questoes de levantarem os estandartes cristaos pra que todos vejam que ALI é UM PAIS CRISTÃO e nao um país islamico.
Podem falar mal da Russia, Putin mas coisa é certa a fé do povo russo nunca esteve tão forte quanto nos dias de hoje alem do mais o numero de monasterios/igrejas cresceram assustadoramente!

Anônimo disse...

Dá-lhe, Rússia não se curvando e nem se intimidando com essa organização ONU, esse país dando show dos valores morais e cristãos a favor da vida, família e do casamento legítimo por Deus de um HOMEM & MULHER defendendo com força e verdade as posições de um país ou melhor de um mundo inteiro.

Ester!!!!

Mateus disse...

Como bem disse o presbítero Valdomiro, a Rússia está tendo uma postura firme na defesa da família, dos bons princípios, da moral e dos bons costumes (além de ser radicalmente contra o homossexualismo e outras aberrações).

Quanto à ONU, ela nada mais é do que uma entidade a serviço do diabo. Tudo o que ela propõe é contra a Palavra de Deus. Aliás, da ONU se pode esperar tudo (menos qualquer coisa que preste)!

Está na hora dos representantes das famílias, dos grupos pró–vida, e de todos os cristãos se unirem para protestar contra toda e qualquer aberração que a ONU deseja impor a tudo e a todos. Temos que lutar (com a mesma postura firme do Vaticano) pela preservação da família, da vida, da moral, dos bons costumes, e da obediência às verdades eternas da Palavra de Deus.

Vamos todos dizer juntos (em alto e bom som):

– NÃO ÀS IMPOSIÇÕES DA ONU!
– NÃO AO HOMOSSEXUALISMO!
– NÃO AO ABORTO!
– NÃO A TUDO QUE FOR CONTRA A PALAVRA DE DEUS!

O BRASIL NUNCA SERÁ ESCRAVO DA ONU, E NEM DO DIABO!

O BRASIL PERTENCE AO SENHOR JESUS CRISTO, REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES PARA TODO O SEMPRE!