14 de outubro de 2012

EUA não têm mais maioria protestante


EUA não têm mais maioria protestante

Julio Severo
Pela primeira vez em sua história, os Estados Unidos não têm mais uma maioria protestante, de acordo com um estudo recente.
Essa foi uma das principais manchetes da mídia americana nesta semana.
Igreja Reformada Collegiate sob a sombra do Edifício Empire State
Desde que os Peregrinos chegaram, os EUA eram uma nação predominantemente protestante. Mas o século XXI trouxe mudanças drásticas. A percentagem de adultos protestantes nos EUA atingiu 48 por cento em sua constante queda desde décadas atrás. Enquanto isso, o número de americanos que não têm nenhuma religião está crescendo, especialmente entre os brancos.
Essa é a primeira vez que o Fórum Pew sobre Religião & Vida Pública registrou com segurança que o número de protestantes caiu para baixo de 50 por cento.
Essa queda já era há muito tempo esperada e chega numa época em que o Supremo Tribunal dos EUA não tem nenhum juiz protestante, e quando o Partido Republicano, cujos líderes são historicamente protestantes, tem um candidato a presidente e vice-presidente que não são protestantes.
Entre os motivos para a mudança está que as grandes denominações protestantes tradicionais, abraçadas a um liberalismo agressivo que tem produzido pastores presbiterianos, luteranos e anglicanos gays, tem afastado membros mais conservadores, que buscam alternativas, inclusive nas igrejas não-denominacionais, que são majoritariamente carismáticas e neopentecostais.
As igrejas mais carismáticas são mais conservadoras, mais fechadas à ordenação de pastores gays e mais abertas ao Espírito Santo e seus dons, enquanto as grandes denominações protestantes tradicionais dos EUA são geralmente o exato oposto: são mais progressistas, mais abertas à ordenação de pastores gays e mais fechadas ao Espírito Santo e seus dons.
Mas nem todos estão optando pelas igrejas não-denominacionais. Um grande número de membros simplesmente abandona as igrejas protestantes tradicionais e fica sem religião. O número desses americanos que não quer nenhuma religião está agora em 20 por cento.
De acordo com reportagem recente da revista Veja, “43% dos evangélicos no final da adolescência e jovens adultos deixaram a igreja tradicional [presbiteriana, luterana, batista, etc.] para seguirem crenças mais liberais.”
Mayflower trouxe os primeiros colonos protestantes para os EUA
A grande preocupação é que, com o crescimento explosivo do liberalismo nas igrejas protestantes e a perda constante de seus membros, o protestantismo nos EUA está seguindo o caminho da Europa, onde as igrejas da Reforma estão lutando para não morrer.
Essa tendência tem implicações políticas, inclusive para o futuro dos EUA.
Os eleitores americanos que se descrevem como não tendo religião votam esmagadoramente em políticos esquerdistas, que já contavam com um apoio considerável dos eleitores protestantes progressistas.
O Pew revelou que os americanos que não têm religião apoiam o aborto e o “casamento” gay numa taxa muito mais elevada do que os protestantes progressistas.
Os evangélicos progressistas sempre foram um importante eleitorado do Partido Democrático, de linha agressivamente esquerdista. Mas agora os americanos sem religião demonstram ser eleitores mais sólidos para esse partido.
Os evangélicos conservadores, compostos em grande parte por carismáticos, pentecostais e neopentecostais, preferem o Partido Republicano, que tem metas políticas relativamente menos progressivas, mas está cada vez menos conservador e está sob menos influência evangélica.
Pela primeira vez na história do Partido Republicano, o candidato a presidente, Mitt Romney, é um homem pertencente ao mormonismo, uma seita não cristã.
O eleitor cristão conservador se depara com um dilema cruel na escolha dos candidatos na disputa presidencial de 2012: um mórmon de intenções duvidosas ou um evangélico progressista que não deixa dúvida alguma com relação à sua intenção já muito bem conhecida de impor a agenda gay no mundo inteiro, com a poderosa máquina do governo americano.
Romney pode ser menos agressivo, mas seu histórico político é também progressista. O primeiro estado americano a legalizar o “casamento” gay foi Massachusetts, sob o governo de Romney.
O avanço conservador moral decisivo hoje na sociedade e política americana vem sendo feito majoritariamente por carismáticos e neopentecostais, mas eles não têm ainda os números e poder social e político que as igrejas protestantes tradicionais tinham até recentemente. Pelo contrário, o conservadorismo carismático enfrenta resistências da esquerda americana, seja de igrejas históricas que adotaram o liberalismo ou da própria mídia pró-aborto e pró-“casamento” gay.
“Os líderes carismáticos que dão um passo para dentro das disputas políticas são normalmente atacados pela esquerda e pelos grandes meios de comunicação no momento em que eles são percebidos como eficazes ou influentes”, o Dr. John Stemberger disse num artigo da revista Charisma. “A esquerda tem transformado numa forma de arte virtual a demonização de qualquer líder [cristão carismático] famoso que assuma uma postura a favor dos valores cristãos”.
O que está acontecendo nos EUA, onde as grandes igrejas protestantes estão se inclinando pesadamente para a esquerda, não é diferente do que está acontecendo no Brasil, onde a igreja cristã predominante, a Igreja Católica, tem majoritariamente seguido a marxista Teologia da Libertação e cuja CNBB teve papel fundamental na fundação do PT.
A contaminação progressista tem feito nas igrejas protestantes históricas dos EUA o que tem feito na Igreja Católica sob domínio da CNBB no Brasil: o enfraquecimento do conservadorismo que defende a família natural contra o totalitarismo esquerdista.
O que poderia salvar os evangélicos dos EUA de um destino catastrófico é uma volta, entre as grandes denominações protestantes, ao exemplo de Anthony Comstock, um evangélico americano do século XIX considerado campeão na luta contra a pornografia, a contracepção e o aborto.
Com informações do DailyMail e Associated Press.

31 comentários :

ELISEU disse...

A partir do momento em que uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente em sua própria sabedoria, essa mesma nação fica espiritualmente desprotegida. E aí ela se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (e também de todo tipo de pecado e vício). É como disse o salmista:

"Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham aqueles que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela" (Salmo 127:1)

O profeta Jeremias diz a mesma coisa:

"Os sábios foram apanhados; ficaram envergonhados e serão aterrorizados. Eis que eles desprezaram a Palavra do Senhor, e que sabedoria eles têm?" (Jeremias 8:9)

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Eu diria que o que está acontecendo nos Estados Unidos (e também no mundo em geral) é um abandono total da verdadeira fé cristã. Estamos vivendo uma época de crise moral generalizada. A respeito disso, Jesus dá o diagnóstico preciso do momento atual:

"Este povo vem a Mim com a sua boca e Me honra com os lábios, mas o seu coração está distante de Mim; e em vão Me adoram, porque ensinam doutrinas que são preceitos de homens" (Mateus 15:8–9).

Estamos sob a influência negativa de um falso moralismo. Em outras palavras: à medida que o tempo passa, os valores bíblicos são cada vez mais relativizados. O pior disso tudo é que muitas igrejas (inclusive as que se dizem cristãs) estão passando a aceitar os valores mundanos impostos por uma sociedade totalmente corrompida. Em outras palavras: ao invés da igreja mudar o mundo, é o mundo quem está mudando a igreja. Os padrões morais de comportamento se tornaram meras convenções humanas variáveis no tempo e no espaço (ao invés de serem a expressão de uma ordem moral eterna e imutável).

Estamos deixando de cumprir o nosso dever como filhos de Deus. Estamos deixando de obedecer ao que disse o apóstolo Paulo:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

Como podemos ser luz num mundo de trevas se a nossa própria consciência nos condena? Como poderemos brilhar se estamos conformados com o mundo e praticamos os mesmos pecados, perversões e temos os mesmos vícios? Somos hoje uma igreja apenas nominal, gostamos de estar nos templos, "louvar a Deus" com os lábios, mas a verdade é que nosso coração está completamente longe da obediência a Deus (e à Sua Palavra). Foi justamente por isso que Jesus disse:

"Assim também vós pareceis justos exteriormente aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e iniqüidade" (Mateus 23:28)

Talvez o crescimento de toda essa maldade em todo o mundo seja algo que Deus tem permitido para despertar uma igreja hipócrita que acha estar vivendo uma época de avivamento. Nunca fomos tantos e nunca fizemos tão pouco pelo Reino de Deus.

O que está realmente faltando para muitas pessoas e igrejas que se dizem cristãs é um compromisso sério e irrestrito com a obediência total à Palavra de Deus. Falando num tom bem direto: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

Para finalizar minha mensagem, cito as palavras que o apóstolo Paulo recomenda aos cristãos para terem segurança somente na Palavra de Deus:

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para vos manterdes firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque temos uma luta que não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados, as potestades, os príncipes das trevas deste século, e as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais" (Efésios 6:11–12)

Anônimo disse...

Uma das razões, também, é a grande conversão ou "fluxo" de Protestantes para o Catolicismo. Desde o início do século, uma debandada de protestantes insatisfeitos com os rumos nocivos das igrejas protestantes, rumos esses tão fartamente noticiados aqui; tem levado a uma debandada de protestantes para o seio das igrejas católicas. Milhares de ex-protestantes cansaram de verem suas igrejas se transformarem em clubes sociais. O púlpito foi ultrajado e a Glória de Deus na maioria delas não se manifesta. Comum é vermos os púlpitos virarem discoteca, e a adoração a Deus deu lugar a adoração aos homens. Is.42.8. Outro fator pouco comentado são as descobertas, feitas por vários protestantes em países da Europa e EUA relacionados às doutrinas, dogmas e a própria história da igreja católica. Diversas difamações de cunho teológico grosseiro e delirante perpetradas por séculos contra o catolicismo não resisitiram às verdades históricas, Bíblicas e factuais desta milenar Igreja de Cristo.
Enquanto isso é nos EUA de cultura e formação protestante, que há décadas se pratica um dos maiores genocídios do mundo, que são os abortos financiados e legalizados pelo próprio Estado. Perto disso, a tão comentada inquisição católica (pois a história registra a existência da inquisição protestante), é quase que uma quimera. Enfim, leia os seguintes artigos:

PRESIDENTE DA SOCIEDADE TEOLÓGICA EVANGÉLICA RETORNA À IGREJA CATÓLICA:
http://www.acidigital.com/noticia.php?id=9899

IGREJA CATÓLICA PARA DE PERDER FIÉIS NO BRASIL:
http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL30239-9356,00.html

CRESCE O NÚMERO DE CATÓLICOS NO MUNDO:
http://tribunadonorte.com.br/noticia.php?id=34690

SITE EVANGÉLICO QUESTIONA: O QUE ACONTECEU COM OS EVANGÉLICOS:
http://tempora-mores.blogspot.com.br/2006/03/o-que-aconteceu-com-os-evanglicos.html

GRUPO DE ANGLICANOS SOLICITA INGRESSAR EM MASSA NA IGREJA CATÓLICA:
http://www.acidigital.com/noticia.php?id=11760

LUTERANOS FINLANDESES QUEREM VOLTAR AO CATOLICISMO:
http://www.pime.org.br/noticias2005/noticiasfinlandia1.htm

IGREJA PROTESTANTE PEDE SOCORRO COM TANTO PASTOR PORNOGRÁFICO:
http://salmo128.wordpress.com/2006/02/14/igreja-pede-socorro/

Enfim, Para constatar a corrida dos evangélicos para a Igreja Católica de Jesus Cristo, consulte o Livro:

“Porque estes ex-protestantes se tornaram católicos! “
Autor: Jaime Francisco de Moura
Editora COMDEUS.

Eduardo

Trindade disse...

Ola Júlio;
Não só perdeu a maioria, mas os verdadeiros evangélicos americanos estão preocupados é com a perda da hegemonia do poder militar mundial, na verdade eles sabem que se ficarem fracos serão destruídos rapidamente; Mas nesse caso eu acredito que devemos só observar, porque é profético e com os EUA forte militarmente Israel esta protegido e as profecias do fim dos tempos fica quase impossível de se cumprir.
Como a Palavra de Deus não mente esse dia vai chegar, cedo ou tarde vai; Mas para os cristãos brasileiros fica só uma certeza É A ESQUERDA MUNDIAL E LOCAL É A PORTADORA DAS IDÉIAS E DOS PLANOS DO ANTI-CRISTO e bastou os EUA partir um pouquinho para a ideologia esquerdistas e os planos do anticristo avançou muito, pouca ou nenhuma influencia tem o Brasil nessa história, mas a ideologia de esquerda aqui como lá tem os mesmos propósitos, ou seja: Destruir os valores judaico/cristão, que são, uma família forte, proteção à vida, uma comunidade cristã zelosa pela Palavra de Deus, enfim tudo que os esquerdistas não querem e os cristãos progressistas insistem em apoiá-los, e por isso acredito que mais cedo ou mais tarde esses ditos cristãos progressista terão que se definir, ou Cristo ou o mundo ideológico esquerdistas.

Anônimo disse...

A biblia fala que "nao passará esta geracao (referindo-se aos judeus participantes da re-fundacao de Israel, ocorrida em 1948) sem que estas coisas (a volta de Cristo) ocorram". 1 geracao, segundo a biblia, é de 70, ate 80 anos. Jesus deve voltar entre 2018-28. Por isso aquele que se santifica, que continue a se santificar, e aquele que se suja, que continue e a se sujar.

Cada um colhera o que plantou.

Saulo

Péricles disse...

Acho que está havendo um certo exagero em dizer que Jesus provavelmente voltará entre 2018 e 2028. Eu, particularmente, não vi essas datas em nenhum lugar da Bíblia.

Que Jesus vai voltar, disso não há mais nenhum tipo de dúvida. Porém, quando exatamente Jesus voltará, não há quem possa dizer com precisão. Tanto que o próprio Jesus disse:

"Mas daquele dia e hora (da volta de Jesus) ninguém sabe: nem os anjos do Céu, nem o Filho; somente o Pai (Mateus 24:36, o parêntese é meu)

Independente de quando exatamente Jesus voltará, uma coisa é certa: temos que estar preparados para não ser pegos de surpresa. Foi como Jesus alertou ao falar para a igreja de Sardes:

"Pois se não vigiares, virei a ti como um ladrão; e não saberás, de forma alguma, a que horas virei sobre ti" (Apocalipse 3:3)

Será que só este alerta não é mais do que suficiente para estarmos preparados para a volta de Jesus?

ÉLQUISSON disse...

Eu concordo plenamente com os 3 primeiros comentários (do Eliseu, do Eduardo, e do Trindade) em relação ao que está acontecendo em várias igrejas (evangélicas e católicas) dos Estados Unidos (e também do Brasil e de todo o mundo). Todos deram o diagnóstico preciso do atual momento.

Eu vou mais além: diante do que estamos vivenciando hoje em muitas igrejas, eu diria que achar uma igreja 100% perfeita é uma verdadeira "Missão impossível".

Ao lermos o livro de Apocalipse, vemos que Jesus, nos capítulos 2 e 3, manda o apóstolo João escrever 7 cartas para 7 igrejas diferentes: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia. Ao serem avaliadas por Jesus, elas podem ser classificadas da seguinte forma:

– 1 igreja quase perfeita (somente 1 única crítica): Éfeso;

– 2 igrejas 100% perfeitas (somente elogios e nenhuma crítica): Esmirna e Filadélfia;

– 3 igrejas imperfeitas (mais críticas do que elogios): Pérgamo, Tiatira e Sardes;

– 1 igreja totalmente corrompida (somente críticas e nenhum elogio): Laodicéia.

Considerando que quase todas as igrejas hoje estão mais cheias de erros do que de virtudes, vejamos o que Jesus mostra de errado em 5 das 7 igrejas de Apocalipse (e como estes mesmos erros estão em evidência nas igrejas de hoje):

– Éfeso: "Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor" (Apocalipse 2:4)

– Pérgamo: "Tenho algumas coisas contra ti: tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria e se prostituíssem. Assim, tens também aqueles que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que Eu odeio" (Apocalipse 2:14–15)

– Tiatira: "Tenho contra ti que toleras que Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensine e engane os Meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria. E Eu dei a ela bastante tempo para que se arrependesse da sua prostituição; mas ela não quis se arrepender" (Apocalipse 2:20–21)

– Sardes: "Tens nome de que vives e estás morto... não tenho achado as tuas obras perfeitas diante de Deus" (Apocalipse 3:1;2)

– Laodicéia: "Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, estou a te vomitar da Minha boca. Porque dizes: Sou rico e não tenho falta de nada; mas não sabes que és um desgraçado, miserável, pobre, cego, e nu" (Apocalipse 3:16–17)

Agora, façamos a comparação entre estas igrejas de Apocalipse e as igrejas de hoje:

– Éfeso (e hoje): Quantas igrejas hoje já não têm (ou não vivenciam) mais o primeiro amor (como nos tempos de novo convertido)?

– Pérgamo (e hoje): Quantas igrejas hoje estão permitindo a infiltração de heresias e falsas doutrinas (e deturpando a Palavra de Deus)?

– Tiatira (e hoje): Quantas igrejas hoje dão ouvidos aos falsos profetas, às doutrinas de demônios, e toleram os "modernismos mundanos" no seu interior?

– Sardes (e hoje): Quantas igrejas novas surgem a cada dia em cada esquina, sem a unção do Espírito Santo (e com pastores sem uma vida consagrada no altar)?

– Laodicéia (e hoje): Quantas igrejas pregam as bênçãos material e financeira (e esquecem de anunciar que o Reino de Deus deve ser a prioridade das nossas vidas)?

A resposta comum para todas estas perguntas acima é uma só: quase todas as igrejas (inclusive muitas que se dizem cristãs)

Será que esta minha análise está certa? Quem quiser se manifestar, esteja à vontade.

Mateus disse...

O Senhor Jesus, na Sua Palavra, disse com todas as letras:

"É impossível o escândalo não vir ao homem, mas ai do homem por quem o escândalo vem" (Lucas 17:1)

Escândalo. Não existe palavra melhor do esta para definir, de forma precisa, o que está acontecendo no meio do povo evangélico. É graças a esse tipo de coisa que muitas igrejas evangélicas ficam sem ter qualquer tipo de moral para pregar contra o pecado. Não sei se seria exagero da minha parte, mas eu diria que encontrar uma igreja 100% santa está sendo uma verdadeira raridade nos dias de hoje.

Diante de tal quadro, uma pergunta inevitável se faz necessária: qual a verdadeira igreja de Jesus? É aquela que exige santificação dos seus membros, que obedece somente à Palavra de Deus, que combate com firmeza o pecado, que não tolera as coisas mundanas dentro dela, e que não compactua com heresias e nem falsos profetas? Ou é aquela que aceita todo tipo de gente, que adota o "politicamente correto" (mas biblicamente imoral) para agradar aos homens e ao mundo, que tolera os "modernismos" do mundo, e que deturpa a Palavra de Deus para a conveniência de alguns?

Aliás, existem alguns "ingredientes" (escândalo dentro das igrejas, apostasia de alguns líderes e de alguns cristãos, e outras coisas erradas) que fazem parte do "pacote" pré–retorno de Jesus. A própria Bíblia confirma isso:

"E por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos se esfriará" (Mateus 24:12)

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Eu pergunto:

– Não é exatamente isto o que está acontecendo em algumas igrejas nestes últimos tempos?

– Por que muitos líderes e pregadores, que deveriam dar o bom exemplo, são os que mais se envolvem em escândalos (fazendo com que a igreja do Senhor fique com a imagem denegrida perante a opinião pública)?

Muitos pastores e líderes de igrejas talvez estejam esquecidos de que o julgamento de Deus começará dentro da igreja:

"Pois já é tempo de se começar o julgamento pela casa de Deus; e se começa primeiro por nós, qual será o fim daqueles que desobedecem ao evangelho de Deus? E se somente o justo se salva, onde aparecerá o ímpio e o pecador?" (1 Pedro 4:17–18)

A igreja de Jesus tem como obrigação se manter pura neste mundo corrompido. Em outras palavras: quando Jesus voltar, a Sua igreja terá que se apresentar a Ele com as vestes limpas (isto é, sem a mancha do pecado). É como disse o apóstolo Paulo:

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Efésios 5:26–27)

Para esses pastores e líderes que estão sendo tolerantes com o pecado (e que estão permitindo a sujeira do mundo contaminar a igreja), Jesus dá uma advertência muito séria (gostaria que todos prestassem muita atenção a estas palavras de Jesus):

"Nem todo aquele que diz: Senhor! Senhor! entrará no Reino dos Céus, mas somente aquele que faz a vontade do Meu Pai que está nos Céus. Muitos, naquele dia, hão de Me dizer: Senhor, não profetizamos em Teu nome? E não expulsamos demônios em Teu nome? E não fizemos obras grandiosas em Teu nome? Porém, Eu vos confessarei: Nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade" (Mateus 7:21–23)

Só sei de uma coisa: quando Jesus voltar, toda essa sujeira vai ter fim! E muitos pastores e líderes de igrejas que estão agindo errado vão ter que prestar conta a Jesus! Eu não quero estar na pele deles neste mesmo dia!

Para finalizar minha mensagem, deixo este versículo para a reflexão de todos:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Religiosamente falando, a verdade é que os Estados Unidos era, até alguns anos atrás, considerado o país mais protestante do mundo. E muita gente dizia que era o país mais cristão do mundo. Só que, atualmente, não aparenta ser nada disso (pelo menos é assim que eu vejo).

Estive conversando com uma professora americana que esteve há pouco mais de 2 anos aqui em Recife (onde eu moro). Quando eu perguntei a ela como ela via os Estados Unidos no sentido moral e espiritual, ela me disse exatamente isto:

"O nosso país (Estados Unidos) tinha tudo para ser um país abençoado (e até para servir de referência cristã para o mundo). No começo, éramos muito tementes a Deus. O problema é que, com o passar do anos, o desenvolvimento científico e o progresso material e financeiro subiu à cabeça de alguns dos nossos governantes, e, com isso, eles já passaram a não se importar mais com a obediência à Palavra de Deus. Em outras palavras: a obediência a Deus e à Sua Palavra foi relegada a segundo plano".

E ela ainda acrescentou mais algumas coisas assustadoras:

"Em muitas cidades, há locais onde se pratica a bruxaria, existem pessoas que fazem parte de certos movimentos (como a Nova Era), há as que estão metidas em seitas satânicas (sem contar que a Igreja de Satã está situada na Califórnia), o homossexualismo está aumentando a cada dia, temos casos de pregadores evangélicos, políticos e agentes do governo envolvidos em diversos escândalos (inclusive escândalos sexuais), e, também, há a tolerância ao islamismo. Enfim, o nosso país está se destruindo em todos os sentidos (inclusive moralmente). Que esperança podemos ter, ou melhor, qual será o futuro da nação americana se tal estado de coisas continuar?"

Eu respondi a ela precisamente o seguinte:

"Quando uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente na sua própria sabedoria, essa mesma nação fica, após um certo tempo, entregue à sua própria sorte (como um barco à deriva num mar revolto, prestes a afundar). Os verdadeiros cristãos precisam voltar à obediência à Palavra de Deus para recolocar a nação no caminho certo".

Não sei se esta minha resposta foi 100% satisfatória, mas ela, de qualquer forma, aprovou. E eu até citei o Salmo 33:

"Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual Ele escolheu para a Sua herança" (Salmo 33:12)

Ela agradeceu a minha atenção e disse que iria divulgar o nosso diálogo num encontro evangélico.

Tem horas que eu fico pensando aqui comigo: será que aqui no Brasil não estaria acontecendo a mesma coisa? Se alguém daqui estivesse dialogando com essa americana, quem poderia dar uma avaliação exata dos Estados Unidos, ou melhor, qual seria o diagnóstico dos americanos no sentido moral e espiritual?

E mais: o que o Brasil precisa fazer para se tornar uma nação espiritualmente abençoada (como os Estados Unidos foi no princípio)?

Espero uma resposta sensata de alguém daqui na primeira oportunidade.

P.S: Se alguém daqui quiser se manifestar, esteja à vontade.

Trindade disse...

Olá Júlio;
Com relação ao comentário do Eduardo, eu não concordo, pois nada leva a crer no que ele alega, pois o tal retorno de protestante ao catolicismo é impossível aos que verdadeiramente nasceram de novo, pode ocorrer aos que foram convencidos ou mesmo os que nasceram no protestantismo e nunca tiveram um encontro com o Senhor Jesus, na verdade eram “netos” de Jesus, como se isso fosse possível, o que esta ocorrendo nos EUA é profético, pois enquanto eles estiverem fortes, Israel esta de certa forma se sentindo “protegidos” por eles e deixando de crer No Único que pode proteger Israel; Essa é a verdade, pois os americanos estão ficando cada vez mais sem identidade, seja ela espiritual, moral e de costumes, enfim perderam o contato com os fundadores da nação e seus valores, pois esses são e sempre foram a razão do sucesso dos EUA, pois ao anticristo o que verdadeiramente interessa é destruir a Igreja de Cristo e a nação de Israel, o resto é só pano de fundo.
Com relação ao comentário do Eduardo eu posso afirmar que o cristão evangélico nascido de novo NUNCA mais voltara atrás, pois já provaram da verdade, pode sim é ficar sem opção de congregar devido ao pecado reinante na liderança de muitas denominações cristãs, mas trair ou negar a Jesus Cristo nunca.
Aos católicos em geral devemos sim nos unir para não votar em quem não defende valores comuns aos cristãos, como a descriminalização do aborto, o sindicalismo gay, políticos corruptos, etc.

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém) disse...

Caro presbítero Valdomiro,

Você fez esta pergunta:

"...o que o Brasil precisa fazer para se tornar uma nação espiritualmente abençoada (como os Estados Unidos foi no princípio)?..."

Não sei se a resposta que vou dar aqui vai ser 100% satisfatória para a sua pergunta, mas eu vou dizer exatamente o que eu penso.

Para que o Brasil fosse uma nação abençoada, teríamos que ter verdadeiros cristãos no governo. Em outras palavras: o governo teria que colocar a Palavra de Deus como guia para os destinos do país. É como disse o salmista:

"Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual Ele escolheu para a Sua herança" (Salmo 33:12)

O problema é que está faltando, por parte dos que se dizem cristãos (principalmente os políticos da bancada evangélica), um verdadeiro compromisso com Deus, ou melhor, está faltando obediência total e irrestrita à Palavra de Deus! De que adianta alguém se dizer cristão e não viver em obediência à Palavra de Deus (ou não se manifestar contra o pecado)?

Ser um verdadeiro cristão (como o nosso amado irmão Júlio Severo, que combate com firmeza o pecado) custa um preço muito caro. São muitas as provações, tentações e situações adversas. Mas é nessas horas que a gente vê quem é cristão de verdade (e não só de boca, como muitos que existem por aí)! É como bem disse o apóstolo Tiago:

"Bem–aventurado é o varão que suporta a tentação; pois, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido para aqueles que O amam" (Tiago 1:12)

Como cristãos, nossa obrigação é se manter incorruptível neste mundo de pecado. É como diz a Palavra de Deus:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

"Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração perversa e corrompida, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:15)

"Bem–aventurado é o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, e não se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na lei do Senhor; e nela medita dia e noite" (Salmo 1:1–2)

Se todos os eleitores do Brasil (inclusive os cristãos) tivessem orado e pedido discernimento a Deus antes de votar, não teríamos no poder um governo pró–homossexualismo, pró–aborto, anti–família e anti–cristão. E nem elegeríamos uma bancada que se diz evangélica, mas que não tem tido nenhum compromisso com a Palavra de Deus (além de ser omissa no combate ao pecado)!

Creio que o problema está não somente em muitos dos políticos que se dizem cristãos (como os da bancada evangélica), mas também de alguns cristãos eleitores que os colocam lá. Alguns desses mesmos eleitores votam somente por votar, influenciados por alguém ("Vou votar no irmão da minha igreja, pois foi o pastor quem pediu"), ou sem saber quem realmente é o candidato, que ideais defende, quais compromissos tem, quais interesses visa, enfim, o que realmente fará ao ser eleito.

Daí, surgem certos "políticos cristãos" que estão mais preocupados em cuidar de seus negócios particulares (ou dos negócios de suas igrejas) do que em ter um compromisso sério com a Palavra de Deus e com questões que afetam a sociedade como um todo (especialmente a maioria cristã).

É necessário estar atento e sempre cobrar, dos candidatos e dos políticos eleitos, posturas e ações efetivas no sentido de cumprir o que prometem, já que o futuro do país depende das decisões que eles tomarem.

Que este alerta seja amplamente divulgado a todos, para que todos peçam discernimento a Deus antes de se confiar em alguém. É como bem disse o apóstolo Paulo:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

Espero, amigo Valdomiro, ter respondido satisfatoriamente à sua pergunta. Caso você queira se manifestar, esteja à vontade.

Um grande abraço,

Diácono Elias (Igreja Batista Nova Jerusalém)

Anônimo disse...

R - Ao Trindade:

Dizer dos protestantes que se convertem ao catolicismo, alegando não terem nascido de novo é uma resposta muito fácil.
Mtos católicos também afirmam dos católicos que se convertem ao protestantismo como que filhos pródigos e não católicos de verdade.

Há pessoas que querem se colocar no lugar de Deus, com as mais diversas respostas. Verdadeiros jarguões.

Mas eu deixo a seguinte frase de um dos maiores escritores do século XX, G. K. Chesterton (um ex-protestante), para reflexão:

“Quando me perguntam, ou quando simplesmente se pergunta: “porque é que entrou para a Igreja Romana?”, a primeira resposta que me ocorre, a resposta essencial, ainda que um pouco elíptica, é esta: “para me libertar dos meus pecados.” Porque não há outro sistema religioso que ensine as pessoas (se o professam “realmente”) a libertarem-se dos seus pecados. E encontro a confirmação deste fato na lógica, que a muitos parece estarrecer, pela qual a Igreja deduz que o pecado de uma pessoa que se confessa, e seriamente se arrepende, é realmente apagado; que o pecador arrependido recomeça, verdadeiramente, como se nunca tivesse pecado”. G.K. Chesterton, Autobiografia, 380 p.

Que humildade!

(Chesterton como milhares de outros ex-protestantes, encontraram Jesus e a libertação de seus pecados na Igreja Católica, mas há quem prefere julgar com frases feitas).

Eduardo

Téo disse...

Eu faria uma pequena ressalva em relação ao comentário do Eduardo. Não é porque uma ou outra igreja evangélica tem seus erros que todas devem ser vistas da mesma forma. Não existe, aqui na face da Terra, nenhuma igreja totalmente sem falhas (isso vale tanto para a igreja católica como também para as evangélicas).

O que todas as igrejas (independente da denominação) precisam fazer é procurar corrigir sua postura diante do Senhor, e, principalmente, obedecer somente à Palavra de Deus. Em outras palavras: a verdadeira igreja de Jesus utiliza somente a Palavra de Deus como o único e autêntico guia da verdadeira fé cristã para orientar seus fiéis.

Outra coisa: eu, se quiser confessar meus pecados, eu confesso diretamente ao Senhor. Sigo o que diz a Palavra:

"Se confessarmos os nossos pecados, Ele (Jesus) é fiel para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9, o parêntese é meu)

Só pode perdoar pecados quem não tem pecado (no caso, Jesus). Somente a Ele é que eu posso confessar meus pecados. Novamente o apóstolo João nos ensina:

"Filhinhos, eu vos escrevo estas coisas para que não pequeis; mas se algum de vós pecar, temos um Advogado próximo ao Pai: Jesus Cristo, o Justo. E Ele é a propiciação perfeita para todos os pecados, não somente os nossos, como também os de todo o mundo" (1 João 2:1–2)

O que as igrejas evangélicas precisam fazer é ter a mesma postura firme da igreja católica na defesa da família, da moral, e dos bons princípios. O Vaticano se mostrou firme em ser contra o aborto na conferência "Rio+20" (promovida pela ONU).

Independente da denominação da igreja, o que importa é a obediência à Palavra de Deus, porque somente ela nos dá a verdadeira segurança espiritual neste mundo de pecado. É como diz o salmista:

"Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra, e luz para o meu caminho" (Salmo 119:105)

Esther Kochav disse...

Trindade, quero dizer que concordo com você. E que bom que alguém aqui se manifestou sobre isso!
A Igreja Católica afirma ser a única e verdadeira Igreja de Cristo, alegando sua existência desde o início do cristianismo. Isso é mentira!
Nós sabemos que depois do Pentecostes, os cristãos passaram a pregar o Evangelho em larga escala. E que as igrejas eram autônomas e admitiam serem guiadas pelo Espírito Santo, o Consolador prometido por Jesus Cristo. Enfim, até aí não havia religião católica nem protestante. Podemos dizer que essa sim é a primeira igreja, a igreja primitiva.
Muitas perseguições vieram e depois o Édito de Intolerânicia. Mas em 323, Constantino passou a dominar todo o Império Romano. E foi aí que satanás começou a mudar as coisas drasticamente.
Esse imperador passou a fazer ofertas valiosas aos cristãos, construindo igrejas, isentando-os de impostos e até sustentando clérigos.
Foi aí que parte da igreja começou a se prostituir com o Governo. Podemos colocar aí o início da Igreja Católica.
Os verdadeiros cristãos não aceitaram as ofertas do imperador e não se prostituiram com suas imundícias.
Depois desse “apoio” do Governo para com os falsos cristãos, o falso cristianismo começou a ser praticamente a religião oficial do Império. Isso resultou da entrada de muita gente para a falsa igreja, somente porque era a religião apoiada pelo governo.
Poderia ficar aqui falando do sincretismo com o paganismo e muitas coisas mais que essa falsa igreja fez. Mas ficaria muito extenso.
Os verdadeiros cristãos, foram na realidade, marginalizados por não concordarem com tal situação, formando grupos à parte que sempre marcharam paralelos com a igreja favorecida e entremeada de pessoas que buscavam interesses políticos e sociais. Esses cristãos, por não aceitarem tal situação, no decurso da história, eram agora perseguidos pelos outros “cristãos” e muitos dos seus líderes eram queimados na fogueira em praça pública, como heréticos.
Sabemos, como pode-se ver que o catolicismo romano pode ser encarado como uma religião tão falsa como muitas outras. E infelizmente, a Igreja Católica está usando uma estratégia diabólica que está enganando muitas pessoas, que é o Ecumenismo. Que tem como principal finalidade enredar todos os credos na teia católica e que tem sido aceito até mesmo por alguns evangélicos “desapercebidos”.

Inclusive posso contar aos irmãos, sobre uma experiência que tive há alguns anos atrás. Certo dia Deus me fez enxergar na dimensão espiritual, e eu vi com olhos abertos o espírito que está por trás da igreja católica. E eu entendi e discerni que é espírito maligno sim!
Eu já sabia disso mesmo sem ver, mas aprouve ao Senhor mostrar-me por algum motivo.
Toda honra e toda glória seja dada a Cristo!

E falando da igrejas evangélicas, realmente a situação de muitas delas hoje é triste. Mas Deus tem o seu povo sincero ali, o povo que não se contamina com o mal. E esse povo, posso dizer que cada um deles forma o corpo de Cristo e é a igreja Dele.
E Deus tem chamado o povo da igreja católica para se converter à Cristo. E o povo que quer ser sincero para com A Palavra De Deus tem ouvido Seu chamado. Muitos se converteram e estão se convertendo à Cristo e deixado a Grande Meretriz e suas prostituições para trás. E o Senhor continua a chamar:
Apocalipse 18:4
E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.

PS: Quem liberta do pecado não é igreja católica, nem outra religião. Quem liberta do pecado é somente Jesus Cristo.

Romanos 6:23
"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor."

Falar o contrário é típico do espírito anticristo.Quem diz o contrário está mentindo!

Anônimo disse...

Eu poderia refutar cada uma das bobagens ditas aqui contra a Santa Igreja Católica, mas devido o espaço ser inapropriado ñ quero tomar meu tempo e nem do caro Blogger. O debate é para quem conhece Apologética e ñ para aventureiros. Sugiro a esses, que reservem seus ataques à Maçonaria. Procurem conhecer e estudar aqui mesmo no Blogger onde há vários artigos sobre o tema.

Guardadas as devidas proporções, deixo para esses que mais parecem tagarelar, as Santas Palavras de Cristo:

"“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando!” (Mt 26:13)

Eduardo

Trindade disse...

Ola Júlio;
Esther Kochav, você foi perfeita em suas colocações, pois nada prova esse grande crescimento de nenhuma denominação cristã americana, pois o que cresce por lá é o islamismo, materialismo e o ateísmo, esse é um fato irrefutável. E é por isso que os americanos logo perderão a hegemonia e o poder mundial, que herdaram dos pais da nação.
Com relação à discussões de posição teológica a Esther Kochav também foi perfeita quando afirma que após o pentecostes os cristãos passaram a pregar em larga escala e em todas as partes do mundo conhecido, sendo impossível identificar uma liderança única, perfeita colocação e qualquer cristão nascido de novo sabe, que a origem de sua fé é em Jesus Cristo, e Jesus Cristo é nascido em Israel e de lá partiram os primeiros missionários que evangelizou o mundo todo e chegou até nós, portanto qualquer outra origem para o cristianismo é erro teológico e tradição de homens, pois Jesus Cristo não iniciou o seu reino em Roma ou Constantinopla, mas em Jerusalém, mais tarde cristãos carnais chegaram até criar cruzadas e algumas violentas e carnais para cumprir peregrinações idolatras que nada tem a ver com os cristãos nascidos de novo que adora o seu Salvador em espirito e em verdade, não precisando de uma cidade específica para isso, pois Jerusalém só foi o ponto inicial e à partir de lá, até os confins da terra conforme ordem direta de Jesus Cristo, que: É O MESMO ONTEM, HOJE E ETERNAMENTE.

MARIA disse...

Lastimável! Que Deus tenha misericórdia do seu remanescente naquela nação!

Anônimo disse...

Está bem preocupante a situação da fé cristã das igrejas evangélicas nos EUA mais como eu creio num Deus que pode mudar situações é Deus pode mudar a situação espiritual dos americanos.
Por favor gente que história essa de que evangélicos voltando para o catolicismo isso é MENTIRA.
Aqui no meu bairro tem umas 2 igrejas católicas ela vivem vazias as moscas sabem quais são os erros da igreja católica:
E não deixar seus sacerdotes, seminaristas, freiras casar e formar uma família eles proibem o casamento.
Coisa que Deus nunca proibiu um casamento de quem está se amando de verdade HOMEM & MULHER a gente vê casos e mais casos por aí padres tendo mulher e filhos escondidos.
Fora casos a gente sabe de denúncias de pedofilia e homossexualismo na igreja católica

Outro erro fatal da igreja católica a "IDOLATRIA" tá na palavra de Deus que os IDÓLATRAS não herdaram o reino de Deus é idolatria é pecado.
O ser humano só deve adorar e exaltar ao Deus vivo ao pai e ao seu FILHO JESUS CRISTO a gente não vê e não toca neles mais a gente CRÊ E TEM FÉ QUE ELES EXISTAM.
A gente não pode adorar imagens e esculturas de "santos" santo tal a santa tal o Deus vivo não divide a glória dele como mais ninguém SOMENTE ELE DEVE SER ADORADO.

Como falaram aqui aqui a questão não só aceitar ao SENHOR JESUS CRISTO como SENHOR E SALVADOR da sua vida isso não basta.
A pessoa todos dias tem que renunciar e se sacrificar a sua carne para viver longe dos pecados e fazer de fato a vontade de Deus mais precisa desse elemento principal.
Quem não prova do NOVO NASCIMENTO repito isso não tem nada haver conhecer a bíblia sagrada de có e salteado a pessoa precisa QUERER se entregar 100% a sua vida ao SENHOR JESUS CRISTO SÓ A ELE DE CORPO, ALMA, ESPÍRITO DEUS PRECISA VÊ A SUA SINCERIDADE E DEIXAR FAZER ESSA OBRA TRANSFORMAÇÃO É DIVINA NÃO TEM DEDO DO SER HUMANO RECRIAR O SEU INTERIOR:
ANTES E PRECISO MORRER PARA CRISTO E SEPULTAR O VELHO HOMEM COM SUAS PAIXÕES E CONCUPCIÊNCIAS MUNDANAS QUE O BATISMO NAS ÁGUAS E MESMO ASSIM TEM GENTE QUE NÃO MORRE TEM QUE LUTAR PARA MORRER.

Ester!!!!

Julio Severo disse...

Não quero entrar em debates de doutrinas religiosas, pois o propósito deste blog é outro. Mas apenas uma informação interessante. Existe um crescimento católico nos EUA, mas esse crescimento nada tem a ver com a perda de membros de grandes igrejas protestantes. Esse crescimento vem dos imigrantes ilegais que chegam em massa da América Latina. Mas é preciso notarque muitos desses são católicos nominais e a maioria foi afetada pela Teologia da Libertação. Quem na América Latina não foi afetado por essa teologia?

Assim, o crescimento católico nos EUA, que se restringe aos latino-americanos, não está necessariamente ligado ao conservadorismo, mas ao tipo de catolicismo de maioria que bem conhecemos no Brasil.

Anônimo disse...

Seu comentário é corretíssimo quanto aos imigrantes, porém isso não descarta a relação pessoal daqueles que encontram sua conversão sincera num Igreja Católica, conversões essas bastante consideráveis. Quanto à Teologia da Libertação, sabemos de sua nefasta influência Marxista. Milhões de católicos já se renderam a essa fumaça do diabo que impregnou a Igreja Católica. Outra fumaça negra, que poucos católicos conhecem e quase nenhum teólogo protestante sabe, foi o Vaticano II que introduziu o Ecumenismo e desfigurou a Santa Missa, antes rezada no rito tradicional e ordinário.

Por outro lado, so para seu nobre conhecimento, divulgo LINK para mostrar onde pode chegar a soberba de alguns que adoram a Bíblia e a Sola Escritura:

http://www.padremarcelotenorio.com/2012/10/pastora-eleita-vice-de-ibirite-prometeu.html

A candidata é do PSDB, mas poderia muito bem ser esbirro do PT.

Eduardo

Henrique disse...

Há um certo tempo atrás, me perguntaram se o Brasil seria um país grandioso (espiritualmente falando) se fosse um país totalmente evangélico ou protestante (como os Estados Unidos).

Respondendo de forma sincera a esta pergunta, eu, num primeiro momento, diria que não. Não sei se eu estou certo, mas acho que não é a existência de uma determinada denominação que vai influir no destino espiritual de uma nação.

O que está acontecendo nos Estados Unidos é uma questão puramente numérica: algumas igrejas evangélicas e protestantes estão crescendo somente em quantidade. Mas o ponto crucial é exatamente este: quantidade não significa necessariamente qualidade. De que adianta ter muitas igrejas, mas não ter, dentre essas mesmas igrejas, nenhuma que seja 100% obediente somente à Palavra de Deus?

Aqui no Brasil não é muito diferente. Em algumas cidades, aparecem novas igrejas evangélicas em cada esquina todos os dias. Muitas pessoas até dizem: "É melhor abrir uma igreja do que um bar, uma boate ou outro local profano". Se olharmos por este lado, diríamos que esta iniciativa (abrir uma igreja) é louvável. Mas, como eu perguntei anteriormente, de que adianta ter muitas igrejas, mas não ter, dentre essas mesmas igrejas, nenhuma que seja 100% obediente somente à Palavra de Deus?

Não sei se o irmão Júlio Severo já publicou aqui algum artigo falando sobre essa questão do Brasil ser um país evangélico. Seria bom se ele colocasse algo relativo a este assunto (que é de crucial importância para todos os cristãos).

Aproveito a oportunidade para perguntar: Júlio, você acha que o nosso país seria abençoado se fôssemos um país evangélico? O que você poderia dizer aos cristãos em relação a isso?

Espero uma resposta da sua parte na primeira oportunidade.

Anônimo disse...

Henrique,

Permita-me contribuir para seu esclarecimento. O Link abaixo foi publicado neste mesmo e excelente Blog:

http://juliosevero.blogspot.com.br/2009/03/um-brasil-evangelico.html

Eduardo

Plínio disse...

Vejam que ironia: a Rússia, antigamente, era odiada por ser um país esquerdista, comunista, marxista e socialista. Os Estados Unidos era visto como um país exemplo para todo o mundo.

Hoje, está tudo ao contrário: nos Estados Unidos, está havendo uma total decadência da moral, da fé cristã e dos bons costumes. Já a Rússia tem sido implacável contra o homossexualismo e outras aberrações (além de estar tendo uma postura bem firme na defesa da família e dos bons princípios)!

Isso que está acontecendo é ironia do destino, coincidência ou cumprimento das profecias bíblicas? Alguém saberia explicar a razão disso (essa mudança radical de comportamento desses 2 países)?

Agradeço se alguém tiver alguma explicação plausível!

Anônimo disse...

Prezado Júlio Severo ! Gosto muito dos teus artigos pois entendo que você não varre a sujeira para debaixo do tapete como faz grande parte dos evangélicos atuais. Você de certa forma tem razão quando fala do esquerdismo da Igreja Católica. Mas se engana na autoria. A doutrina da Igreja Católica é contrária ao Marxismo. Os bispos e padres que perfazem outros caminhos agem contras as diretrizes do Vaticano. Esquerda e catolicismo são incompatíveis. Isto é doutrina. Não há possibilidade de convergência, ainda que o suposto esquerdista seja favorável a família, contra o aborto, etc... Mas estruturalmente, o Marxismo prega uma "igualdade" não desejada e não planejada por DEUS, razão pela qual a doutrina Católica se coloca em oposição. De fato, maus sacerdotes podem contaminar um rebanho inteiro introduzindo novidades que conduzem a perdição. Muitos afirmam inclusive que a extinta União Soviética infiltrou mais de 1000 dos seus seguidores nos seminários católicos no mundo inteiro para se tornarem sacerdortes. Verdade ? Mentira ? Não sei. Mas o fato é que um sacerdote com inclinações esquerdistas se opõe aos ensinamentos milenares da Igreja. Não há necessidade de ser de esquerda para se fazer justiça social ou olhar pelos pobres. A Igreja já ensina tudo isto e faz ainda melhor. A máxima de que todos os "Bonzinhos" são de esquerda foi alardeada nas últimas décadas pela mídia vermelha e os intelectuais de plantão. O julgamento do Mensalão, penso eu, encerra a fábula. Você sabe muito bem que uma mentira repetida mil vezes torna-se "verdade". Foi assim que construíram a idéia de que os "bons" são de esquerda e os maus são de "direita". Da mesma forma, construíram a falsa idéia de que os "democratas" são da esquerda, quando sabemos que de democratas históricamente eles não tem nada. Aqueles que fazem oposição a eles são os "Reacionários". Neste contexto, sacerdotes ávidos por novidades e sem compromisso com a Igreja aproveitaram a oportunidade. Mas o Senhor Jesus já disse: "Os escândalos são inevitáveis." E ele mesmo já antecipou o destino daqueles que causam escândalos. Portanto, como católico não preciso tornar Lutero indispensável e nem preciso constituir outro "reformador". É o próprio Senhor que dá conta e purifica sua igreja.
Parabéns pelo trabalho arrojado e o compromisso com a verdade.
DEUS te abençoe.

Anônimo disse...

De fato a doutrina da Igreja Católico se opõe ao Marxismo. Ou melhor o Marxismo se opõe aos ensinamentos da Igreja. DEUS fez o pobre, o rico, o povo escolhido, os primogênitos, etc...
Só se põe em ordem aquilo que se apresenta em contraste com outro. O arco-iris tem cores distintas. Se todas as cores fossem iguais já não seria tão belo. 50 palavras em ordem alfabética só podem ser reproduzidas se forem diferentes. 50 palavras iguais não podem ser colocadas ao mesmo tempo em ordem alfabética. Ademais, não precisamos de ninguém nos dizendo o que é justiça social, pois ouvimos a vóz do mestre dos mestres. Quem melhor pode ensinar do que Jesus Cristo ? A Igreja coluna e sustentáculo da verdade nos ensina aquilo que aprendeu de seu pastor. Renúncia, caridade, amor incondicional pelo próximo e sobretudo o serviço. Quem quiser ser o maior que seja o menor e servia os demais. Pois o próprio Senhor não vei para ser servido.

FireHead disse...

Eu diria que os Estados Unidos, ainda que tenha sido (pegando na notícia em questão) protestante nominalmente no que diz respeito à sua maioria populacional, acho que é pertinente não nos esquecermos das suas origens maçónicas. Os grandes estadistas e fundadores da nação americana eram maçons: o próprio George Washington era grão-mestre.

Em relação ao comentário do Anónimo do passado dia 16 que vocifera barbaridades contra a Igreja Católica (falando da idolatria, enfim, a ladainha protestante anti-católica do costume), sugiro que ele estude mesmo a sério o que é que é o Cristianismo porque felizmente já começam a surgir muitas pessoas que já não papam essas acusações infundamentadas mas infelizmente generalizadas há imenso tempo. Como dizia Göbells, uma mentira depois de muita vezes repetida torna-se verdade.

O Catolicismo cresce no EUA e é de facto a Igreja com mais crentes porque o protestantismo é um conjunto de todas as seitas que afirmam ser "cristãs" (logo incluo também os mórmons, ao contrário do autor que não os considera "cristãos"): se as separarmos uma a uma, o número de crentes de cada não chega sequer para comparar com os, tanto quanto sei, cerca de 25% de católicos norte-americanos. E não é só a imigração latino-americana que constitui o aumento do Catolicismo. A católica Irlanda é o país da Europa que todos os anos exporta pessoas para os EUA. E há também importantes comunidades católicas italiana ou polaca por lá. Só para não falar, claro, de imensas conversões que se operam constantemente.

Cumprimentos.

Julio Severo disse...

FireHead, você parece que dormiu no tempo. Houve uma grande imigração de irlandeses católicos no passado, mas isso nunca teve um efeito grande nas eleições. O maior presidente conservador de sangue irlandês, Ronald Reagan, era evangélico. O único presidente de sangue irlandês católico foi John Kennedy, que era liberal e esquerdista. No caso da recente reeleição, os católicos votaram em maioria esmagadora em Obama. Os bispos católicos americanos são geralmente são pró-vida, mas como a grande base da população católica nos EUA é latino-americana, eles tendem a votar como no Brasil, guiados por princípios básicos da Teologia da Libertação. O catolicismo nos EUA, vindo das massas, não é diferente do catolicismo do Brasil. Quem votou de forma mais conservadora nas eleições foi uma minoria evangelica, que está num beco sem saída, pois os EUA já descabaram para o socialismo há muito tempo. Se os EUA dependeram da população católica americana e suas preferências políticas, vão acabar virando uma Cuba do primeiro mundo.

Anônimo disse...

É uma piada é esta discussão religiosa sobre catolicismo x protestantismo. Achar um católico realmente discípulo de Cristo, segundo as características definidas por ele mesmo, é como procurar agulha no palheiro. E as igrejas evangélicas estão ficando iguais ou piores. Católicos e evangélicos em sua grande maioria não têm a mínima idéia do que significa ser um discípulo de Jesus Cristo.
Há muitos discípulos de Cristo mundo afora, mas não são estes milhões de que se fala. E estes estão cada vez mais desapontados com as estruturas religiosas.

"Quando vier o filho do homem, achará, por ventura, fé na terra? (Lc 18.8)

Marcos Moraes

Valter Amorim disse...

Como alguém já comentou que essa antiga união oligárquica política americana com o ideal protestantismo, em sua essência se caracteriza-se pela defesa militar do país, em união com Israel para cumprimento das profecias.

- Só posso afirmar que as pessoas estão caindo na real do grande engodo que é o protestantismo moderno.

Com suas resoluções deturppada da bíblia, para previlegiar elites que só possuem fins de domínios, principalmente através das guerras e do capitalismo americano.

Vejam este link, e compreendam sobre a verdade oculta da TEOLOGIA protestante em seu grande equivoco racional e histórico e cristão na história das civilizações.

http://aquariuspage.blogspot.com.br/2012/09/relogio-de-deus-conspiracao.html

Abraços...

Anônimo disse...

Não tem como. O protestantismo pelo seu caráter de livre interpretação e divisão é fadado ao fracasso. Espero que o catolicismo cresça nos EUA.

Dom Ricardo Lorite de Lima disse...

O que acontece é que nos EUA há uma diferença entre Protestantes e Evangélicos. Estão entre as Igrejas Protestantes Históricas (Mainline Protestant, também vhamcdos de American Protestant e Old Line Protestant)as Igrejas Metodista, Presbiteriana, Episcopal (Anglicana), Batista, Luterana (ELCA), Unida de Cristo, Discípulos de Cristo, Quakerns, Reformada, Morávia, Congregacional, Comunidade Metropolitana e Conselho Internacional das Igrejas da Comunidade (organismo que agremia igrejas livres e independentes, de várias linhas teológicas. As Igrejas Protestantes Históricas são ecumênicas, liberias em questões políticas e teológicas, engajadas socialmente, através de uma leitura do Evangelho Social. Já os evangélicos são compostos de igrejas fundamentalistas: anglicanas, luteranas, presbiterianas, congregacionais, batistas etc., pentecostais e neo pentecostais. O que ocorre é que antigamente os Protestantes Históricos eram uma maioria entre todos os cristãos reformados, já na atualidade não são mais, pois os evangélicos é que são maioria! Mas os EUA continua a ser uma país "protestante", pois a maioria de sua população ainda é composta de protestantes históricos e evangélicos. O mesmo ocorre no Brasil, onde a divisão é um pouco diferentes, pois entre os Protestantes Históricos estão aquelas denominações mais antigas, que chegaram primeiro no Brasil, como os Presbiterianos, Luteranos, Batistas, Episcopais (anglicanos), Congregacionais, Menonitas, Metodistas, e igrejas mais novas, como a Igreja Cristã de Ipanema, Igreja Bethesda, Igreja da Comunidade Metropolitana, etc., mesmo que entre eles estejam liberais e fundamentalistas, e de um outro lado os Pentecostais e Neo Pentecostais, que hoje também são maioria no Brasil.

jose melo disse...

a humanidade deveria se tocar e abrir o espaço para a intercompreensao ou seja o equilibrio ideologico das opinioes de diversos credos, desde q ue cristãs e benignas, assim como reconhecer o dogma catolico como autentico, pois q outra denominação forma tantos santos e seus milagres como o catolicismo mesmo com suas falhas, tudo nele não deve ser só mero ilusionismo ou manifestacao demonologica, muitas revelacoes e visoes de fé nele se apresentam, mesmo sob o desdem do protestantismo radicalista, apesar de crença ser uma questao de escolha e opiniao.