17 de outubro de 2012

Darwinismo é a raiz da cultura da morte


Darwinismo é a raiz da cultura da morte

Kathleen Gilbert
WASHINGTON, DC, EUA (LifeSiteNews.com) — O que Margaret Sanger, a fundadora da Federação de Planejamento Familiar, e Alfred Kinsey, “o pai da revolução sexual”, Lênin e Hitler têm em comum?
Todos esses pioneiros do que alguns chamam de cultura da morte tinham o darwinismo como raiz de suas convicções e ações — um fato pouco conhecido que um líder conservador diz não deveria ser ignorado.
Hugh Owen do Centro Kolbe para o Estudo da Criação disse a uma audiência em Washington antes da Marcha para a Vida do mês janeiro passado que as consequências filosóficas do darwinismo “destruíram totalmente muitas partes de nossa sociedade”.
Owen apontou para o Dr. Josef Mengele, que fazia experiências infames em judeus durante o Holocausto, e o próprio Hitler e outros líderes nazistas como devotos do darwinismo que viam o nazismo e o extermínio de povos como nada mais do que um jeito de “avançar a evolução”. O darwinismo era também o “alicerce” da ideologia comunista na Rússia por meio de Vladimir Lenin, disse Owen, que mostrou uma foto do único objeto de decoração na escrivaninha de Lênin: um macaco sentado numa pilha de livros, inclusive “A Origem das Espécies” de Darwin, e olhando para uma caveira.
“Lênin sentava-se nessa escrivaninha e olhava para essa escultura enquanto dava autorização para o assassinato de milhões de seus compatriotas, pois eles eram um obstáculo para o progresso evolucionário”, disse Owen. Ele também disse que relatos da China comunista contam que a primeira lição usada pelo novo regime para doutrinar os cidadãos religiosos chineses era “sempre o mesmo: Darwin”.
Nos EUA, o fruto do darwinismo simplesmente assumiu a forma da eugenia, a crença de que a raça humana pode ser melhorada pelo controle da procriação de uma população.
Owen disse que Margaret Sanger, a fundadora da Federação de Planejamento Familiar e uma proeminente eugenicista, promovia a contracepção com base nos princípios da evolução. “Ela via a contracepção como o sacramento da evolução, pois com a contracepção nos livramos dos fracos e permitimos que só os fortes procriem”, disse ele. Sanger é famosa por ter apoiado a propagação do “controle da natalidade”, um termo que ela inventou, como “o processo de eliminar os fracos”.
Alfred Kinsey, cujos “experimentos” em pedofilia, sadomasoquismo e homossexualidade escancararam as portas para a anarquia sexual no século 20, também concluiu a partir dos princípios de Darwin que se as perversões sexuais do reino animal não eram impróprias, muito menos as perversões sexuais nos seres humanos. Antes de iniciar seus experimentos sexuais, Kinsey, também um eugenicista, era um zoologista e autor de um proeminente livro escolar de biologia que promovia a evolução.
Owen, que é católico, rejeitou fortemente a noção de que dá para se reconciliar o Cristianismo e o relato bíblico da criação com o darwinismo. Ele narrou o caso de seu próprio pai, que disse fora criado como um cristão devoto antes de perder sua fé quando foi exposto ao darwinismo na faculdade. Ele acabou se tornando o primeiro secretário-geral da Federação Internacional de Planejamento Familiar.
“A trajetória que… o levou a se tornar secretário-geral de uma das organizações mais malignas que já existiram na face da terra começou com a evolução”, disse Owen.
Traduzido por Julio Severo do artigo de LifeSiteNews: Darwinism the root of the culture of death: expert
Leitura recomendada:

5 comentários :

Anônimo disse...

O que esses filósofos realmente querem com suas teorias falsas é exatamente desviar o povo da crença em Deus...
Já ouvi e li alguns casos em que as pessoas deixaram de acreditar na existência de Deus.
No colégio no ensino médio, só escutamos barbaridades, quando as matérias são sociologia, biologia e filosofia; as outras matérias são, mas como não é o assunto a ser ensinado propriamente dito, é em menor proporção que as outras.

-----------------------------------

Devido a fase que estamos vivendo no mundo e devido também a falta de condições em um casal criar seus filhos, a alimentação está cada vez mais cara e a violência só faz crescer, penso que realmente tem que haver um planejamento familiar, não dá para sair tendo MUITOS filhos sem pensar no bem estar daquele ser no futuro, levada nesse pensamento acho que realmente os casais tem que pensar no que será dos filhos deles futuramente.
Sou CONTRA essas campanhas de aborto, redução populacional e sobretudo da eliminação dos fracos.

Penso que do jeito que estou, não tenho condição nenhuma de ter um filho, de alimenta-lo(não só alimento, pois existe várias outras coisas tão importantes quanto a barriga cheia) e assim sei que muitos brasileiros se encontram, mas mesmo assim todo os anos dão vida a um novo ser(digo isso porque vejo, pois tenho caso em minha família!)

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

A Palavra de Deus diz claramente:

"O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e nem pode entendê-las, pois elas se distinguem espiritualmente" (1 Coríntios 2:14)

Infelizmente, a maioria dos cientistas (mais precisamente os evolucionistas) só entendem (ou só aceitam) o que está diante dos seus olhos. Fazem como Tomé: têm que ver para crer!

Ainda de acordo com a mesma idéia, só pode ser considerada válida uma teoria que foi comprovada cientificamente. Assim, se Deus não pode ter a Sua existência atestada pela ciência (de modo que todos possam ver Deus), então Deus não existe!

Não tenho nenhum medo de dizer: o Evolucionismo é uma teoria de caráter ateísta. Essa mesma teoria nega a autoridade e o poder do Criador. Quer provar tudo pela ciência (como se só a ciência pudesse dar todas as respostas que o ser humano precisa).

Mas como estamos num mundo onde tudo está ao contrário, aqueles que seguem a Deus (e obedecem à Sua Palavra) são chamados de loucos, enquanto que aqueles que negam a Deus (e à Sua Palavra) são considerados sábios (na visão do mundo).

Eu penso assim: é melhor eu ser "louco" e passar a eternidade com Deus do que ser "sábio" pelos padrões do mundo. É como disse com muita precisão o apóstolo Paulo:

"Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes" (1 Coríntios 1:27)

"Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois como está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia" (1 Coríntios 3:19)

Jesus afirma a mesma coisa ao dizer:

"Graças Te dou, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim Te aprouve" (Mateus 11:25–26)

E a Bíblia ainda diz:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria" (Provérbios 9:10)

"Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, pois medito nos Teus testemunhos" (Salmo 119:99)

Tem até uma frase que resume isso: DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, MAS ELE CAPACITA OS ESCOLHIDOS.

Alguém ainda tem alguma dúvida de que só a Palavra de Deus é o verdadeiro e único conhecimento a ser adquirido?

Esther Kochav disse...

Li uma coisa bem interessante em um artigo de Abraão de Almeida.

Aqui está um trecho do artigo:
Certamente, sentindo o tremendo peso das consequências de suas opiniões, tanto no mundo científico como religioso, o professor Darwin, nos últimos anos de sua tumultuada existência, revelou-se pesaroso pelo que fizeram dos seus escritos. Elizabeth Reid, uma cristã de Northfield, conhecida pelo nome de Lady Hope (Sra. Esperança), que visitou Darwin nessa ocasião, relatou o seguinte:
“Em um belo dia de outono, dos que raramente se experimentam na Inglaterra, fui convidada a visitar o Dr. Darwin, que, durante os seus últimos anos, passava os dias na cama. Quando entrei no seu quarto, um sorriso acolhedor iluminou o seu rosto, ao mesmo tempo que, com uma das mãos, indicava a paisagem que, através da janela aberta, era possível contemplar. Na outra mão, segurava uma Bíblia aberta.
-O que está lendo, senhor professor? - perguntei-lhe, enquanto me assentava ao pé da cama.
- A epístola aos Hebreus – respondeu o sábio – Mais uma vez a epístola aos Hebreus. Chamo-a um livro divino. Não é maravilhoso?
Em seguida, indicou-me o que acabara de ler e explicou-me. Aproveitei para fazer referência a respeito da criação e dos primeiros capítulos de Gênesis. Notei que ele ficou mal impressionado e, por várias vezes, passou a mão sobre a cabeça, dizendo por fim: - Eu era bem novo naquele tempo, e tinha algumas ideias malformadas, que participei a outros. Para minha grande surpresa, essas ideias pegaram, e os homens fizeram delas uma espécie de religião.
Darwin parou um pouco para pensar e, depois, continuou suavemente, proferindo palavras acerca da glória de Deus e das grandezas do livro que segurava entre as mão. De repente, disse-me:
- Tenho uma pequena casa no parque onde se podem alojar umas 30 pessoas. Gostaria que fizesse um culto ali. Sei que tem o costume de ler a Bíblia para o povo nas aldeias que visita ao redor. Amanhã à tardinha, vou convocar os criados para um culto naquela casa, com alguns vizinhos, para que lhes fale!
- De que lhes falarei? - perguntei.
- De Jesus Cristo – respondeu Drawin, com voz firme – e da Sua salvação – continuou, baixando a voz. - Não é o melhor assunto que se pode escolher? E, ao mesmo tempo, tem de cantar alguns hinos com eles.
Jamais poderei esquecer o brilho do seu rosto enquanto proferia essas palavras. E, continuou:
- Se quiser, poderemos ter o culto às 15h, e vou ter a janela aberta para poder cantar convosco.
Como eu desejava ter um retrato do velho sábio e da linda paisagem nesse dia memorável!”

Anônimo disse...

Muito interessante esse artigo Esther Kochav, você poderia mostra o link desse artigo.

grato: Ronie

Esther Kochav disse...

Oi, Ronie!

Este artigo é de uma revista. Se você quiser posso digitalizar e mandar para o seu email.
O meu email está disponível em meu perfil. No caso de qualquer dúvida é só avisar.