11 de outubro de 2012

A nova Geni no cenário evangélico brasileiro


A nova Geni no cenário evangélico brasileiro

Edson Camargo
O neopentecostalismo e a teologia da prosperidade são a nova Geni. Feitos para apanhar, bons de cuspir. Só num ambiente onde impera a tosquice e a desonestidade intelectual trataria-se o neopentecostalismo como um fenômeno homogêneo, uniforme, desprovido de diferenças gritantes e essenciais entre alguns de seus elementos – no caso, denominações evangélicas – que são abrangidos pelo conceito. E o pior: pessoas que reconhecem, em algum momento, a diversidade do neopentecostalismo, quando o criticam, atacam-no como um todo: “o neopentecostalismo”. Maldita Geni! Não há como perceber que há aí, em muitas situações, uma motivação ilegítima, baseada não só na promoção da denominação que representa, por parte do criticastro, como num sentimento de superioridade intrínseca à tudo aquilo que dela não se aproxime.
A outra evidência de que a tosquice, a desonestidade intelectual imperam entre nossos autopropalados “apologetas” e “defensores das doutrinas bíblicas”, é o estardalhaço contra a tal ‘teologia’ da prosperidade. Qualquer professorzinho de EBD, com meia dúzia de versículos bíblicos que falam da fidelidade a Deus sob toda e qualquer circunstância e do desapego a bens materias enquanto virtude cristã,  desmonta, em segundos, a distorção promovida pela ‘teologia’ da prosperidade’, que é, sobretudo, de ênfase.
Enquanto isso, outro problema, muito maior, mais grave, mais sedutor e que apresenta mais resistências, é jogado para debaixo do tapete enquanto se bate na Geni: a onipresença e a aura de inquestionabilidade em torno da farsa socialistóide chamada ‘teologia da Missão Integral”, pensada justamente para ser a “versão protestante da ‘teologia’ da ‘libertação”’ católica, segundo as palavras de um ícone do movimento, Ariovaldo Ramos, conhecido apologeta do socialismo, do MST, outrora de Lula e mais recentemente de Marina Silva.
Sabe-se que a ‘teologia’ da ‘libertação’ nada mais foi que um instrumento para a infiltração comunista na igreja de Roma. Nem por isso os pseudo-apologetas que se descabelam contra a ‘teologia’ da prosperidade deixam de cantar loas aos mentores dessas farsas teológicas socialistas, como o “social-panteísta” Leonardo Boff, Richard Shaull, René Padilla, o tosco e apóstata do Rubem Alves, Caio Fábio, Ariovaldo, e outros que chamo de “lausannéscios”, por idolatrarem o Pacto de Lausanne. Aí temos uma verdadeira ópera de malandros. Para agravar o erro, entre os apoiadores da ‘missão integral’ estão teólogos tidos como fiéis às Escrituras, mas que não só se calam diante o liberalismo teológico grosseiro de outros entusiastas da farsa, como até dividem com estes espaços na Internet e em conferências.
Fica claro, portanto, que o apoio ao embuste socialista os motiva mais que a defesa daquilo que as Escrituras deixam explícito. O que importa é cuspir na nova Geni, que, por sinal, tem nojo, e coberta de razão, da agenda cultural do esquerdismo: “casamento” gay, feminismo, liberação de drogas, aborto, eutanásia, etc.
“Maldita Geni!”
Fonte: GospelMais
Divulgação: www.juliosevero.com
Uma reflexão sobre o neopentecostalismo

11 comentários :

ÉLQUISSON disse...

Se o diabo se mostrasse como ele realmente é, ninguém jamais iria querer aproximação com ele. Mas ele sempre se apresenta como anjo de luz, para enganar os que não estão firmes na Palavra de Deus. É como bem disse o apóstolo Paulo:

"E não vos admireis disto, já que o próprio Satanás insiste em se transformar em anjo de luz. Não é muito, portanto, que os seus ministros apareçam como ministros da justiça; e o fim deles será segundo as suas obras" (2 Coríntios 11:14–15)

Não tenho nenhum medo de dizer: marxismo, esquerdismo, comunismo e socialismo (e outras variações) são ideologias criadas pelo diabo. E essas mesmas ideologias têm diversos objetivos em comum:

– Destruir a família;

– Eliminar todos os valores morais e os bons princípios;

– Legalizar o aborto;

– Destruir a fé cristã;

– Promover o homossexualismo;

– Aprovar a eutanásia;

– Usar a tirania (ou a ditadura) para permanecer no poder, sempre com o argumento mentiroso de ajudar os pobres e necessitados;

– Impor a idéia de que todos devem ser submissos ao Estado.

Estas ideologias usam um jogo de palavras tão perfeito (compaixão, ajuda aos desfavorecidos, e outros termos semelhantes) que conseguem enganar facilmente muitas pessoas! Daí a razão de muitos partidos esquerdistas (PT, PC do B, PV, PSOL e outros semelhantes) estarem no poder em quase toda eleição!

Se essas ideologias penetraram as nossas igrejas, foi devido à negligência dos servos de Deus (que se deixaram seduzir pelos enganos do diabo). Toda e qualquer filosofia ou ideologia tem que ser obrigatoriamente testada e aprovada pela Palavra de Deus (para saber se é verdadeira ou não). Foi como disse o apóstolo Paulo:

"Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade" (2 Coríntios 13:8)

Eu prefiro ficar com a Palavra de Deus, porque somente ela tem todas as respostas que eu preciso! Não confio em nada que venha do homem. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

Será que eu estou certo neste meu ponto de vista?

Jorge Trimboli disse...

"a tosquice e a desonestidade intelectual" As palavras são exatas, muito bem escolhidas, empolgantemente precisas..."a tosquice e a desonestidade intelectual". Os adjetivos falam por si só. Pobre igreja de Cristo, sob a lamentável opressão dos toscos e desosnestos falsos lideres.

Anônimo disse...

Curioso, o autor do texto diz que os críticos do neopentecostalismo não enxergam as diversidades no grupo das igrejas neopentecostais, mas o comentarista acima coloca todas as visões mais "liberais", digamos, no mesmo pacote: são todos socialistas, comunistas. Onde está a diversidade agora?
o mesmo peso pra um o mesmo peso para outro. Afinal, aqui nesse blog o "socialismo" é a Geni. Apanha feio.

Aliás, o cristão médio brasileiro (pentecostal, protestante ou católico) não aceita bem a agenda "progressista" dos pastores arrolados pelo articulista. O cristão médio é criacionista, conservador, quando nota na esquerda não é por motivação ideológica, mas por razões econômicas. Ele convive com os homossexuais sem desprezá-los e sem também querer estabelecer uma agenda nacional pro-gay.
Isso é ponto que as pesquisas observam muito bem.
No entanto, a agenda neopentecostal mercantilista, anti-intelectualista e extravagante é mostrada pelo autor do texto como algo tão diversificado e tão criticado que dá até pena.
Concordo que um professor de religião desmonta a teologia da prosperidade. Porém, não há nenhum professor explicando o que é isso aos milhares de adeptos que acorrem às curas, milagres e outras falsidades engendradas pelos bispos do neopentecostalismo, que, de fato, é diversificado, mas bem menos do que sugere esse texto.

Ângelo Mendes

Everaldo disse...

Sei que este meu comentário vai ser repetido, mas me vejo obrigado a repetí-lo (até porque tem tudo a ver com o teor do artigo que está sendo apresentado aqui).

Tudo que o Élquisson disse no comentário dele é a mais pura verdade. Todas as ideologias que ele citou (marxismo, comunismo, esquerdismo, socialismo e suas variações) têm como objetivos destruir a família, a nação, a fé cristã, a obediência à Palavra de Deus, a moral e os bons costumes. São realmente ideologias criadas pelo diabo.

De todas essas ideologias, a principal (e a mais perigosa) é o socialismo (que é o que o governo corrupto de Dilma quer implantar no Brasil). Como cristãos, nossa obrigação é combater toda e qualquer ideologia que seja contra a Palavra de Deus.

Lembro que, há um certo tempo atrás, o nosso amado irmão Júlio Severo, certa vez, publicou aqui neste espaço um artigo falando especificamente disso (eis o link de acesso):

http://juliosevero.blogspot.com/2010/01/por-que-nao-sou-socialista.html

Da mesma forma que o Júlio colocou neste excelente artigo (o qual eu já tive a felicidade de ler), eu também cito aqui alguns dos meus motivos pessoais por que não sou socialista (e por que o Brasil não pode e nem deve ser governado por um sistema socialista).

10 RAZÕES POR QUE NÃO SOU SOCIALISTA (E POR QUE NÃO ACEITO O SOCIALISMO COMO GOVERNO PARA O BRASIL):

1 – Não sou socialista porque o socialismo tem suas raízes originadas em sociedades secretas (como a Maçonaria). Muitas dessas mesmas sociedades são adeptas do ocultismo e do satanismo (ou seja, são sociedades anti–cristãs);

2 – Não sou socialista porque o socialismo corrompe e destrói todos os valores morais e cristãos da sociedade, além de promover e glorificar certas aberrações: homossexualismo, aborto e eutanásia (e tudo que é contra a Palavra de Deus);

3 – Não sou socialista porque o socialismo combate Deus, a pátria e a família (ou seja, é um regime anti–cristão). Isso sem contar que Karl Marx (o fundador do socialismo) era satanista;

4 – Não sou socialista porque o socialismo sempre usa o argumento mentiroso de que é um sistema criado para atender a vontade de todos (isso para que seja possível somente o proveito de alguns poucos);

5 – Não sou socialista porque o socialismo só aceita a cultura política socialista, a qual produz um único padrão de orientação de massas. Este mesmo padrão age não de acordo com o bem coletivo, mas somente com o interesse de quem está no poder. É o chamado pensamento politicamente correto;

6 – Não sou socialista porque o socialismo é um totalitarismo disfarçado que deseja moldar o mundo à sua imagem (e à sua ideologia). Diz ser democrático, mas, na verdade, é autoritário (ou seja, não tolera quem se manifeste contra). Todos são obrigados a aceitar as diretrizes socialistas sem questionar;

7 – Não sou socialista porque o socialismo produziu o feminismo, que é um movimento subversivo apoiado na luta de sexos para o domínio da classe feminina. A conseqüência é o desequilíbrio e a instabilidade familiar, obrigando homens e mulheres a competirem (ao invés de se complementarem);

8 – Não sou socialista porque não compactuo com a mentira. Todos os governos socialistas sempre usam a mentira de defender os interesses do povo somente com o intuito de se auto–promover (e estar sempre no poder);

9 – Não sou socialista porque não aceito o argumento de que Jesus foi socialista. Jesus nunca Se valeu de Seus milagres para fazer campanha política ou promoção pessoal. É uma blasfêmia dizer que o nosso Salvador foi (ou ainda é) adepto de uma ideologia satânica causadora de mais de 100 milhões de mortes;

10 – Enfim, não sou socialista porque não aceito que a Palavra de Deus seja substituída por filosofias ateístas, esquerdistas, subversivas, diabólicas, e anti–cristãs.

Que esta minha mensagem seja divulgada em todas as igrejas (e em todo o país), para que o nosso povo seja conscientizado (e para que muitos não se deixem enganar pelas mentiras do socialismo).

Lino disse...

Lendo os comentários do Élquisson e do Everaldo, me sinto na obrigação de divulgar a todos daqui o "modus operandi" do PT (e de todos os partidos com a mesma agenda política).

Em 1913, Lênin escreveu o "Decálogo", que apresentava ações táticas para a tomada do Poder. Este documento é a cartilha de como o PT (e outros partidos semelhantes) agem nos bastidores.

Um aviso importante: qualquer semelhança com os dias de hoje não é mera coincidência! É pura realidade!

Vejamos o que diz o "Decálogo":

1 – Corrompa a juventude e dê a ela total liberdade sexual;

2 – Se infiltre nos meios de comunicação de massa, e depois controle todos eles;

3 – Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a promover discussões sobre assuntos sociais;

4 – Destrua a confiança do povo em seus líderes;

5 – Fale sempre sobre democracia e em Estado de Direito; mas assim que puder (e tão logo haja a primeira oportunidade), assuma o poder sem nenhum escrúpulo;

6 – Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País (principalmente no exterior), e provoque o pânico e o caos na população por meio da inflação;

7 – Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País;

8 – Provoque distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam;

9 – Contribua para a destruição dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes. Nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não–comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa socialista;

10 – Procure catalogar todos aqueles que possuem armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando, deste modo, que seja impossível oferecer qualquer resistência à nossa causa.

10 PRINCÍPIOS DA ESQUERDA:

1 – Os esquerdistas crêem que não existe moral. Na verdade, os esquerdista crêem apenas na moral favorável a eles, isto é, "não roubar" para os outros (mas os esquerdistas podem roubar à vontade para si e para aqueles que os ajudam);

2 – Os esquerdistas promovem o anti–convencional, violentam os costumes e preferem a descontinuidade;

3 – Os esquerdistas derrubam tudo que seja pré–estabelecido;

4 – Os esquerdistas agem com imprudência e irresponsabilidade;

5 – Os esquerdistas desejam a uniformidade universal: todo mundo igual (exceto eles, quando estão no poder usufruindo dos privilégios);

6 – Os esquerdistas não se impõem limites e acreditam que podem melhorar, aperfeiçoar e acabar com as imperfeições de tudo, inclusive do próprio ser humano. Para fazer uma omelete, é preciso quebrar os ovos (mas eles partem para quebrar todos os ovos, mesmo que não consigam fazer omelete alguma);

7 – Os esquerdistas são contra a liberdade e a propriedade. Preferem a escravidão, embora a chamem por outros nomes: igualdade, responsabilidade social, justiça social, etc;

8 – Os esquerdistas impõem coletivismo forçado. Tudo deve ser de todos (mas somente sob controle do Estado);

9 – Os esquerdistas desejam o poder desmedido e a liberação de todas as paixões humanas (marxismo clássico e marxismo cultural);

10 – Os pensadores esquerdistas não querem estabilidade: pregam a revolução perpétua.

Diante disso tudo: alguém ainda tem alguma dúvida das reais intenções do governo do PT (e de outros partidos com a mesma agenda política)?

Edson Camargo disse...

Ângelo Mendes,
(Se é que é este mesmo o seu nome.)

É obrigação moral de qualquer cristão atacar o socialismo, não só por ser uma ideologia, mas por ser anticristão nas origens, princípios, meios e fins. Pouca gente é mais anticristã nesse mundo do que as elites dos partidos socialistas, comunistas, social-democratas e congêneres. Nada mais matou e perseguiu tantos cristãos na história quanto os adeptos dessa porcaria.

Outra: não falei de “todas as visões mais ‘liberais’”. Falei da patota da Missão Integral (MI), discernindo o liberalismo teológico mais radical de muitos cabeças do movimento, de outros que são teologicamente conservadores mas que nada falam da heresia socialistóide da MI, planejada para cooptar a igreja evangélica e remodelar doutrinas.

“Aliás, o cristão médio brasileiro (pentecostal, protestante ou católico) não aceita bem a agenda "progressista" dos pastores arrolados pelo articulista.”

O cristão médio brasileiro está imerso num ambiente cada vez mais tolerante com o progressismo dessa turma. E um dos motivos é justamente ver ataques sistemáticos e contínuos ao neopentecostalismo, que, sim, tem problemas, mas apenas ressalvas para lá de ocasionais e atenuandas ao lixo da “teologia” da “libertação” (se me permite também usar aspas) e da MI, que é glamurizada e vista como boa em quase todo seminário teológico que exista nesse país.

“No entanto, a agenda neopentecostal mercantilista, anti-intelectualista e extravagante é mostrada pelo autor do texto como algo tão diversificado e tão criticado que dá até pena.”

Estou entendendo seu incômodo com meu artigo. Pelo visto, você, de fato, não reconhece nem a diversidade do neopentecostalismo, e ainda usa um termo típico da esquerda gospel fã da MI para criticá-lo: “mercantilista”.

Saber que gente como você detestou meu artigo é algo muito gratificante.

O anti-intelectualismo não se manifesta só no meio neopentecostal. Se manifesta na adesão, disfarçada com teologia ou não, a uma ideologia genocida ultra-refutada, mas que detém a hegemonia cultural. Seguir a boiada é característica típica e consequência do anti-intelectualismo, seja este diplomado ou não.

“Concordo que um professor de religião desmonta a teologia da prosperidade. Porém, não há nenhum professor explicando o que é isso aos milhares de adeptos”

Primeiro, nem é preciso ser professor para apontar o erro. E se você pensa que não há ninguém denunciando a teologia da prosperidade, certamente não é capaz de enxergar um palmo à frente do nariz. Ou nunca deu um rápido passeio pela blogosfera auto-proclamada “apologética”, cuja característica mais marcante é o anti-neopentecostalismo, mas que canta loas diárias à MI e critica ferrenhamente as mobilizações esporádicas por parte da igreja para resistir ao avanço político e jurídico da estratégia revolucionária comunista em nosso país.

Wilton disse...

Toda vez que alguém estiver ouvindo um discurso do PT (ou de outro partido com a mesma agenda política), pode ter certeza absoluta de que é uma grande mentira!

Os discursos do PT (e de outros partidos semelhantes) lembram muito o episódio da tentação de Jesus no deserto:

"Novamente o diabo O levou a um monte muito alto; e mostrou-Lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-Lhe: Tudo isto eu Te darei se, prostrado, me adorares. Então Jesus respondeu: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e somente a Ele servirás" (Mateus 4:8–10)

Não é exatamente assim que o PT (e os demais partidos de esquerda) fazem para enganar o povo?

Júlio Servo disse...

Ainda não li o texto. Estou certo porém de que é fenomenal. Feliz por ter acompanhado o crescimento do Edson Camargo como colaborador no ofício de espalhar a verdade. Que Deus nos abençoe!

IRMÃO MARCOS disse...

Júlio Severo, graça e paz.

Se de um lado temos aqueles apologetas que dão ênfase em "teologizar" sobre os malefícios da 'teologia da prosperidade' em detrimento da omissão de fazê-lo também acerca da 'teologia da Missão Integral'. Temos também aqueles, que a pretexto de lutar pela família, não o fazem com sinceridade, mas visivelmente como plataforma política, para angariar benefícios para si ou para suas instituições, o que é profundamente lamentável. Senão vejamos:

Silas Malafaia. Que na verdade está mais interessado em conseguir através de alianças políticas, concretizar seu tão sonhado objetivo e consolidar seu maior desejo, que são as concessões de rádio e Tv. No fundo, Malafaia sente bastante (e é ressentido) pelo fato de estar na Tv a tanto tempo quanto outros Televangelistas e não possuir um canal próprio, coisa que Macedo e R. R. Soares possuem. Por isso esse desejo desenfreado por poder, por estar na mídia criando polêmica, tentando demonstrar aos políticos que ele (Malafaia) exerce grande influência sobre a massa evangélica. Sendo assim, ele joga onde tiver mais chances e menas concorrência. Exemplo: Nas eleições presidenciais não apoiou Dilma, pois a Dilma já havia fechado "aliança política" com José Wellington (CGADB) e Edir Macedo, ambos desafetos de Malafaia. Em São Paulo nas eleições municipais não apoiou Russomano, e todos sabem o porquê (pelo fato de Russomano ser o candidato da Universal de Edir Macedo), em contra partida apoiou no Rio de Janeiro, o candidato mais amado dos homossexuais, Eduardo Paes, e no entanto não fez nenhum alarde quanto a este fato. Todos sabem que o prefeito do Rio, Eduardo Paes, apoia e financia com dinheiro dos cofres públicos o movimento homoafetivo, inclusive há liberação de verbas do município para campanhas homoafetivas. O mesmo que patrocina comerciais com dinheiro público, colocando e promovendo o Rio de Janeiro como uma cidade de turismo "homoafetivo", como você mesmo sabe. Mas porque o Silas não "bota a boca no trombone" para criticar o prefeito, mas pelo contrário, o apoia para reeleição e o coloca no "PALCO" da dita "Marcha Pra Jesus". É claro, lembrem-se que esse ano a prefeitura do "Eduardo Paes" liberou R$2.400.000,00 (DOIS MILHÕES E QUATROCENTOS MIL) para a "Marcha Pra Jesus". E quem é o líder da "MARCHA" aqui no município do Rio??? SILAS MALAFAIA!!!!!! Felizmente, aqui no Rio de Janeiro todos aqueles que pensam e tem discernimento, já perceberam qual é a do Silas (ou melhor, o "propósito"). Não é defesa cristã, mas interesse usando a defesa cristã como arma de ataque, tipo, "o fim justifica os meios".

Gostaria de ouvir seu comentário e o seu posicionamento a respeito desse fato concreto. E se possível, que você fizesse faça um artigo sobre esse tipo de contradição, envolvendo defesa cristã e alianças políticas obscuras, etc.

Att. Marcos.

Julio Severo disse...

Irmão Marcos

Já tenho artigos sobre esse assunto. Veja:

http://juliosevero.blogspot.com/2012/10/malafaia-e-agenda-gay-em-sao-paulo.html

http://juliosevero.blogspot.com/2012/02/silas-malafaia-e-seu-apoio-fhc-lula-e.html

http://juliosevero.blogspot.com/2012/04/silas-malafaia-acendendo-uma-vela-para.html

http://juliosevero.blogspot.com/2012/05/silas-malafaia-avon-e-esquerda-gayzista.html

Anônimo disse...

Longe de mim discordar de tudo que foi dito, mas muito humildemente quero protestar contra o termo "Qualquer professorzinho de EBD"... Fui uma delas...rs... Ñ sou teóloga, mas gosto do estudo bíblico, além de ser batizada no Espírito Santo e falar em línguas, etc, etc.... por favor, use outros termos de comparação sim....rs..rs..