2 de setembro de 2012

Onda de ataques anticristãos varre a Rússia por causa de Pussy Riot


Onda de ataques anticristãos varre a Rússia por causa de Pussy Riot

Matthew Cullinan Hoffman
 (LifeSiteNews.com) — A Rússia e outros países europeus estão sofrendo uma onda de ataques anticristãos e manifestações desordeiras como consequência da condenação da banda de punk russa “Pussy Riot”, inclusive a destruição de cruzes que honravam a memória das vítimas cristãs do comunismo, um ataque ao patriarca russo e o roubo de relíquias da Igreja de Santa Catarina a Grande Mártir em São Petersburgo.
Na Rússia a violência tirou duas vidas na quarta-feira, quando uma mãe e filha foram encontradas mortas a facadas em seu apartamento, com as palavras “Libertem Pussy Riot” rabiscadas na parede com o sangue delas. Contudo, depois que o suspeito foi detido e confessou o crime, a polícia diz que o slogan foi apenas uma tática de desvio de atenção feita pelo criminoso que era o namorado da filha.
Ao todo, cinco cruzes ortodoxas foram destruídas em semanas recentes, inclusive uma grande cruz de madeira em Kiev, Ucrânia, que foi serrada por uma mulher de peitos de fora da organização pró-aborto e pró-homossexualismo “FEMEN” e quatro foram destruídas por indivíduos anônimos na Rússia. A cruz de Kiev e pelo menos uma das quatro cruzes russas haviam sido erigidas para honrar a memória do assassinato de cristãos pelos regimes comunistas da região.
Uma manifestante do FEMEN de peitos de fora também atacou o patriarca ortodoxo russo Kirill em julho, com as palavras “Matem Kirill!” escritas no corpo dela.
Manifestantes com cartazes “Libertem Pussy Riot” levaram seus “protestos” desordeiros para a Igreja Católica na Europa Ocidental, onde um trio vestido como a banda punk foi detido depois de provocar desordem na missa da catedral de Colônia. O incidente segue outro em 2011 quando uma integrante da FEMEN foi detida na praça de São Petersburgo por tirar sua camiseta e gritar slogans anticatólicos em protesto contra a postura da Igreja Católica de condenar o aborto e a conduta homossexual.
No que pode ser um ataque relacionado, várias relíquias foram roubadas na quinta-feira da Igreja de Santa Catarina a Grande Mártir, bem como o cálice de comunhão e cinco cruzes de pescoço, de acordo com a polícia local, relatou o jornal Moscow Times.
Os defensores da Igreja Ortodoxa Russa estão respondendo aos ataques pedindo a criação de Pelotões Ortodoxos para proteger as igrejas de profanações. Em sua reportagem, o jornal Russia Today disse que a proposta tem o apoio de autoridades ortodoxas russas e muçulmanas, enquanto a autoridade de direitos humanos da Rússia a denunciou.
No que pode ser um contra-ataque relacionado, manifestantes ortodoxos atacaram o Museu de “Arte Erótica” de Moscou ontem com tijolos nas mãos, de acordo com uma reportagem da agência Interfax, que citou Alexander Donskoy, diretor do museu. Donskoy pediu uma investigação.
Uma recente pesquisa de opinião pública revelou que a maioria dos russos, 53 por cento, acredita que a sentença imposta ao trio “Pussy Riot” foi “justa”, em contraste com 27 por cento que disseram que “não foi justa”.
Traduzido por Julio Severo do artigo de LifeSiteNews: Update: ‘Free Pussy Riot’ wave of anti-Christian attacks sweeps Russia

Um comentário :

Anônimo disse...

A hora já chegou! Com a desculpa esfarrapada de que sofriam intolerância de cristãos e suas doutrinas bíblicas, grupos que defendem a libertinagem e a perversão estão fazendo o que era antes feito pelos nazistas; e o que ainda fazem os socialistas, comunistas, neonazistas, gayzistas e muçulmanos.

Quem afinal são os intolerante, heim! Imprensa criminosa!!!