8 de agosto de 2012

O primeiro divórcio gay da história da humanidade


O primeiro divórcio gay da história da humanidade

Jorge Trimboli
A jovem mulher deu o último suspiro na cama rodeada dos seres queridos e morreu.
A mãe chorava inconsolavelmente. Alguns amigos também choravam, outros cochichavam entre eles.
O corpo debilitado da jovem mulher, agora inerte, não resistiu às infeções oportunistas e entrou em colapso geral.
Esta é uma cena muito comum em alguns hospitais, onde milhares de pacientes de AIDS lutam para sobreviver e acabam morrendo sem glória nem honra.
Não era o caso dessa moça jovem. Morreu honrada e glorificada pela imprensa nacional, pelos grupos de direitos humanos, pela toda-poderosa mídia televisiva, pela Internet, por muitos artistas, pelos travestis e por todos os que participam, apoiam ou simpatizam com a causa gay.
Ela era a primeira divorciada dum “casamento” gay no mundo. Uma dupla vitória segundo o olhar dos progressistas. Ela tinha se casado em cartório com outra mulher, e depois de aguentar inúmeras infidelidades conjugais e violência doméstica, se divorciou, tornando-se a primeira divorciada de “casamento” gay do planeta. Ela tinha 34 anos apenas.
A mídia fala pouco das doenças sexualmente transmissíveis entre lésbicas. Aliás, a mídia quase não fala dos problemas de saúde dos homossexuais, fazendo de conta que as doenças não existem. O quadro muda quando conversamos com os médicos, a enfermagem, os assistentes sociais, os padres e os pastores que atendem aos doentes. Mas ninguém faz marketing do que estes heróis anônimos sabem.
Desde a adolescência, esta mulher sofreu várias infeções sexualmente transmissíveis sem ser uma prostituta. Era apenas uma jovem lésbica segundo o padrão das telenovelas e dos filmes brasileiros: uma lésbica normal.
Ela teve clamídia, herpes e gonorreia varias vezes.
Com o sistema imunológico enfraquecido, pegou HIV de alguma maneira que as estatísticas insistem em ignorar, e depois de muita luta, morreu com o nome publicado em todos os jornais nacionais e internacionais. Fizeram dela uma nova Joana d'Arc, uma invenção maluca dos marqueteiros que conseguiram associar a pequena pastora de Domrémy com a primeira lésbica divorciada do mundo, não sei como. E as massas, como quase sempre, acreditaram.
Não é novidade o que aconteceu na sociedade por causa da sua morte: missas, minutos de silêncio, passeatas solidárias e palestras recordavam a jovem mártir, a primeira divorciada lésbica do planeta, uma brasileira.
Mais uma ONG foi criada, para apoiar as vítimas da violência doméstica nos matrimônios gay. É dizer, nada mudou depois da legalização. Para dizer verdade, o orçamento público ficou mais caro para pagar as novas delegacias especializadas em violência doméstica gay. O número de divórcios gays aumentou consideravelmente depois do caso de nossa nova heroína.
Depois de “desencarnar”, como dizem alguns brasileiros, ela entrou num túnel escuro, sem sentir as constantes dores vaginais por causa da clamídia nem as terríveis enxaquecas pela febre alta da AIDS.
Ela se surpreendeu ao perceber que continuava com vida consciente depois de morrer.
Ela caminhou no famoso túnel escuro sentindo um som grave, compassado, como o da batida rítmica da música duma discoteca. Punch-punch-punch!
À medida que ela caminhava em direção à luz no fim do túnel, o som “disco” era mais intenso, ressoando no chão e nas paredes. Era muito semelhante ao som que se ouve na entrada das boates que frequentava na região próxima à avenida Paulista.
O som rítmico e grave de balada lhe deu certa tranquilidade. Sorriu e pensou “deve ser o Paraíso gay, uma eterna balada ao som da música eletrônica. Nada mal!”
A luz no fim do túnel mudava de tons em fagulhas azuis, fúcias e vermelhas que se alternavam, como as luzes “laser” das boates. “Que bom!” ela disse para si mesma. E andou mais rapidamente para entrar logo na festa enquanto ouvia certa gritaria que lembrava as vozes festivas das pistas de dança. Se sentiu animada e pensou: “Olha só! Se soubesse que era assim, teria vindo antes!” sentindo aquele entusiasmo que invadia seu coração indo para as baladas da cidade.
À medida que ela caminhava, o volume da batida grave era mais intensa e as os feixes das luzes eram mais brilhantes.
De repente, aparece a silhueta de um homem vestido de preto, parado no fim do túnel. “Deve ser o leão de chacra” pensou ela, recordando aqueles porteiros vestidos de preto que ficam parados nas portas de entrada das baladas, para selecionar o público que desejava entrar na boite.
Ela nunca foi barrada nas baladas. Ela vestia a roupa da moda, os decotes exagerados, as minissaias, o cabelo arrumado. Ela não era o tipo de lésbica masculinizada. O visual de modelo sexy sempre lhe garantia o acesso nas melhores baladas da cidade. Não seria agora que seria barrada nesta grande balada eterna! “Eu mereço” disse para si mesma pronta para enfrentar orgulhosa o guardião da porta.
E não foi barrada.
Assim ela que se aproximou do porteiro, vieram outros três guardiões vestidos de preto, e os quatro a seguraram pelas pernas e os braços. Ela não conseguiu se safar deles e logo percebeu que algo estava errado.
Como naquela brincadeira de lançar a pessoa na piscina, os quatro guardas de preto, rindo às gargalhadas, a seguraram fortemente, balançando-a e arremessando-a longe, para o centro daquele imenso salão.
Ela voou e caiu dando um alarido, que se perdeu no som ensurdecedor daquele lugar.
O som grave das batidas não era de música. Era o som dos corações múltiplos de uns vermes gigantes que nunca morrem, entrelaçados numa infinidade de corpos humanos lançados naquele lugar. Era uma sopa macabra de vermes e gente.
As luzes psicodélicas eram das chamas que flamejavam vindas de baixo dos vermes. As faíscas e as explosões eram por causa dos corpos humanos que inexplicavelmente continuavam vivos e que nunca se terminavam de consumir num fogo que nunca cessava.
Os quatro guardiões vestidos de preto não eram homens. Eram demônios, aqueles cuja existência ela sempre havia negado durante sua vida mortal. Agora era tarde reconhecer que tudo aquilo que a Bíblia dizía era verdade.
Na superfície da terra, as igrejas fechavam as portas por falta de crentes. Os congressos dos países do mundo festejavam as novas leis que mergulhavam a humanidade numa era de confusão sem precedentes na história da humanidade.
O Céu chorou por mais uma alma perdida. Deus tinha planos melhores para ela. Infelizmente ela ignorou o Criador.
Jesus Cristo disse:
“Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de moinho, e que fosse lançado no mar. E se a tua mão te fizer tropeçar, corta-a; melhor é entrares na vida aleijado, do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. [onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga.] Ou, se o teu pé te fizer tropeçar, corta-o; melhor é entrares coxo na vida, do que, tendo dois pés, seres lançado no inferno. [onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga.] Ou, se o teu olho te fizer tropeçar, lança-o fora; melhor é entrares no reino de Deus com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no inferno. onde o seu verme não morre, e o fogo não se apaga. Porque cada um será salgado com fogo. Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, com que o haveis de temperar? Tende sal em vós mesmos, e guardai a paz uns com os outros. Marcos 9:42-50.
(Este conto é ficção. Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência. Os fatos relatados não aconteceram e são fruto de licença literária).

8 comentários :

ÉLQUISSON disse...

Amado irmão Júlio Severo,

Diante deste artigo, eu só consigo chegar a uma única conclusão: morrer sem salvação é a pior coisa que pode acontecer ao homem. No caso do homossexual que morre assim, é o resultado de uma escolha deliberada (ou seja, é uma escolha que foi feita por vontade própria)! Quando isso acontece, simplesmente é a confirmação de que o homem preferiu ser ímpio durante toda a sua vida aqui na Terra. O que significa ser ímpio? Ímpio é aquele que vive somente na prática do pecado e não quer se arrepender.

Não quero ser grosseiro, mas eu diria que muitos homossexuais (90% deles) são (ou querem ser) ímpios. Muitos não se importam em morrer de AIDS, contanto que façam o que querem enquanto ainda estão vivos (ou seja, querem viver eternamente na prática do pecado)! Infelizmente, eles não têm a mínima idéia do que os espera após a morte se não se arrependerem enquanto ainda há tempo! Eles ignoram esta seríssima advertência da Bíblia:

"Coisa horrível é cair nas mãos do Deus vivo" (Hebreus 10:31).

E o livro dos Salmos ainda diz:

"Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as pessoas que se esquecem de Deus" (Salmo 9:17).

Não sei se seria exagero eu dizer isso, mas eu acho que muitos homossexuais só se converteriam se tivessem uma visão espiritual. Explicando: se eles pudessem ver agora o mundo espiritual com os olhos carnais, talvez eles ficassem horrorizados quando vissem milhões de homossexuais ímpios queimando agora no inferno, chorando e suplicando por misericórdia da parte de Deus! Só talvez assim eles se convertessem!

Só que muitos deles são como Tomé: só acreditam se verem com os próprios olhos. Enquanto isso não acontecer, ou melhor, enquanto eles não tiverem essa visão que eu citei anteriormente, eles nunca se converterão (esta é que é verdade)!

O que me corta o coração é pensar que, no juízo final, muitos homossexuais irão ouvir Jesus dizer: "Apartai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos" (Mateus 25:41).

Se os homossexuais quiserem pagar pra ver, depois eles não vão poder dizer que não foram avisados!

Vânia Santacatarina disse...

Como o povo se apega a coisas vã, eles nem lembram das dolorosas doenças dessa mulher, doenças essas que a levaram a morte.
A grande população do Mundo, está realmente perdida: -Transformaram o errado como certo e o certo como errado...

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Amada irmã Vânia Santacatarina,

Não só eu assino embaixo o que você colocou, como eu ainda acrescentaria o seguinte: o que está acontecendo no mundo em geral (inclusive aqui no Brasil) é um abandono total da verdadeira fé cristã. Estamos vivendo uma crise moral generalizada. A respeito disso, Jesus dá o diagnóstico preciso do momento atual que estamos vivendo:

"Este povo vem a Mim com a sua boca e Me honra com os lábios, mas o seu coração está distante de Mim; e em vão Me adoram, porque ensinam doutrinas que são preceitos de homens" (Mateus 15:8–9).

Estamos vivendo uma verdadeira inversão de valores: o errado é o certo, o certo é o errado; o mal é o bem, o bem é o mal; a luz são trevas, e as trevas são luz. Em outras palavras: vivemos dentro de um relativismo moral, que faz com que os padrões de conduta sejam meras convenções humana variáveis no tempo e no espaço (ao invés de serem a expressão de uma ordem moral divina e eterna). Esse mesmo relativismo moral que já contaminou o mundo e as igrejas faz com que as pessoas procurem uma religião ou uma igreja que satisfaça somente as suas próprias conveniências pessoais (ou que não diga nada contra o pecado). As pessoas só querem acreditar no que elas desejam (e não no que elas realmente precisam). Por isso é que a imoralidade está dominando o mundo todo. E é exatamente por isso que a Bíblia, com muita razão, diz que "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19).

Infelizmente, o que está acontecendo com muitas pessoas e igrejas hoje é algo que já foi dito pelo apóstolo Paulo:

"Ninguém, de forma nenhuma, vos engane; pois não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de modo que se assentará como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus" (2 Tessalonicenses 2:3–4)

Essa mesma apostasia é que será o principal sinal do arrebatamento. No entanto, as transformações políticas e a plena corrupção em que o mundo todo está vivendo hoje confirmam que a Palavra de Deus é 100% verdadeira. Se, como diz a Bíblia, o mundo jaz no maligno, a tendência natural das coisas é que o mal reine de forma absoluta até a volta de Jesus. Enquanto ainda dispomos de uma relativa liberdade, podemos protestar contra as obras das trevas e suas leis . Porém, quando elas assumirem o controle total do pouco que ainda resta, será suicídio tentar enfrentá-las de igual para igual.

Se quisermos conscientizar a todos de que a obediência à Palavra de Deus é a verdadeira e única segurança de que dispomos contra o mal, temos que agir como verdadeiros filhos de Deus neste mundo de trevas. Em outras palavras: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença. É como a Palavra de Deus ensina:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais sinceros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

"Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, toda aquele que se faz amigo do mundo se torna inimigo de Deus" (Tiago 4:4)

Lino disse...

Muitos homossexuais deveriam ler este artigo publicado pelo Jorge Trimboli. A personagem citada neste mesmo artigo (a jovem de 34 anos que morreu de AIDS) pode até ser fictícia, mas o enredo é bem real. É um alerta muito sério, ou melhor, é o possível futuro que muitos homossexuais terão se morrerem na prática do pecado!

Muitos homossexuais mal sabem que o seu próprio pecado terá, cedo ou tarde, suas conseqüências. A Palavra de Deus é bem clara neste sentido:

"Não erreis: Deus não Se deixa escarnecer. Porque tudo o que o homem semear, isso ele também ceifará" (Gálatas 6:7).

O homossexual semeia o pecado, e, dia sim dia não, vai colher o resultado: a AIDS e, posteriormente, a morte. Mas parece que muitos homossexuais, totalmente escravizados pelo diabo, não estão se importando nem um pouco em correr este risco!

Um verdade dolorosa tem que ser dita aos homossexuais (eles aceitando ou não): a Bíblia sempre foi, sempre é, e sempre será contra o pecado (inclusive o homossexualismo). Se os homossexuais não aceitam que a Bíblia seja desta forma, que eles reclamem diretamente com Deus (porque foi Ele mesmo quem determinou isso).

Vejamos como a Bíblia condena de forma bem direta o homossexualismo:

"Com varão não te deitarás como se fosse com mulher; abominação é" (Levítico 18:22)

"Quando um homem se deitar com outro homem como se fosse com mulher, ambos fizeram abominação; certamente morrerão; e o seu sangue cairá sobre eles" (Levítico 20:13)

"Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras,nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus" (1 Coríntios 6:10)

Para encerrar minha mensagem, vou deixar 3 versículos para a reflexão dos homossexuais:

"Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as pessoas que se esquecem de Deus" (Salmo 9:17)

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

"Aos homens está ordenado morrerem uma única vez, vindo, após isso, o juízo" (Hebreus 9:27)

Gilson disse...

A verdade é a seguinte: Jesus veio ao mundo para salvar a todos os pecadores (e os homossexuais também estão incluídos entre eles).

Se esses homossexuais não quiserem se converter, a própria Palavra que foi pregada a eles é quem os condenará no dia do juízo. A respeito disso, Jesus foi taxativo:

"Quem rejeitar a Mim e não receber as Minhas palavras, já tem quem o julgue: a Palavra que Eu tenho pregado, essa o julgará no último dia" (João 12:48)

A Palavra de Deus está aí (sendo abertamente pregada a todos os pecadores). Crer ou não crer depende do livre arbítrio de cada um (e cada um, através da sua crença ou descrença, decide o seu próprio destino eterno após a morte).

Se os homossexuais não quiserem se converter enquanto ainda há tempo, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, eles não vão poder dizer que não foram avisados! E aí já será tarde demais para o arrependimento!

Será que os homossexuais querem ver para crer? Ou eles estão duvidando da verdade da Palavra de Deus?

Quero ver se vai aparecer aqui algum homossexual com coragem o suficiente para responder a estas perguntas!

Anônimo disse...

Mãe lésbica mata a própria filha com a ajuda de companheira, diz polícia...

http://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2012/08/mae-mata-propria-filha-com-ajuda-de-companheira-em-praia-grande-sp.html

Fabiano disse...

Apesar de ser um conto, uma ficção, não deixa de ser um alerta a todo aquele que duvida ou menospreza a palavra de Deus.
Podemos incluir nesta estória os alcólatras, fumantes, ladrões, prostitutas, mentirosos e os ateus. Todos tem noção de um "LIVRO" que ensina o caminho da verdade ( e só a verdade voz libertará ), mas raro é aquele que aceita ou admite.
A diferença está em os bêbados, ladrões, fumantes e mentirosos, não ter leis humanas que os proteja... Já, as prostitutas, ateus e gays, estão debaixo da asa das leis porcas do esquerdismo.
Nem precisamos imaginar o inferno, após a vida, ele já está infiltrado nas casas noturnas ( baladas ), que a raça humana tanto aprecia.
O diabo contaminou a mente dessas pessoas, inclusive dando altos cargos para que influenciem mais e mais adeptos do liberalismo demasiado.
Querem contaminar-se?... Deus lhes deu o livre arbítrio para tal. Mas, por favor, parem de tentar levar junto as nossas crianças!!!

Anônimo disse...

Olá, irmão Severo magnífico texto sobre o que tá por detrás da VERDADE do que querem fazer legalizar isso aqui no Brasil "casamento gay" desse casamento falsificado diabólico pelo próprio Satanás.

Ester!!!!