22 de julho de 2012

Povo paga celebração do governo em Comitê pró-aborto da ONU


Povo paga celebração do governo em Comitê pró-aborto da ONU

Julio Severo
Durante sua campanha na última eleição presidencial, vendo-se pressionada pela oposição do povo brasileiro ao seu radical histórico pró-aborto, Dilma Rousseff assinou o compromisso de não descriminalizar o aborto. Foi um sacrifício imenso, pois legalizar o aborto está não só nas entranhas de sua antiga militância comunista, mas também no próprio coração do seu partido, o PT. 
Contudo, depois de eleita, Dilma imitou Lula, que em 2002 também havia feito compromisso com 500 líderes protestantes, pentecostais e neopentecostais de não permitir que seu governo promovesse o aborto e o homossexualismo. Semelhante compromisso não foi necessário com a CNBB, companheira na fundação do PT.
Lula nunca conseguiu cumprir seu compromisso e Dilma não parece querer ser infiel aos descompromissos dele.
Além de enviar técnicos de saúde ao exterior para conhecer em detalhes projetos cuja finalidade é garantir o chamado “aborto seguro”, o Ministério da Saúde também tem prorrogado há mais de dois anos convênios com a Fundação Oswaldo Cruz cuja intenção é o estudo para legalizar por completo o aborto no Brasil.
Mais recentemente, Dilma nomeou Eleonora Menicucci como ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). Eleonora, além de ativa feminista e militante pró-aborto, era companheira de atividades terroristas comunistas no passado de Dilma. Seu currículo inclui uma viagem à Colômbia em 1995 para aprender a fazer abortos. De terrorismo contra o governo do Brasil, ambas passaram para o terrorismo contra os bebês em gestação. Hoje, Eleonora é membro do Grupo de Estudos sobre Aborto (GEA), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e da Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Reprodutivos.
Não, não é o Frankenstein. É a Eleonora Menicucci!
Fundada no início da década de 1990 por 40 organizações feministas, a Rede cresceu com o apoio da Fundação MacArthur, uma poderosa instituição americana que é um dos principais financiadores do aborto no mundo inteiro. A Rede Nacional Feminista de Saúde e Direitos Reprodutivos desempenha um papel importante na mudança das mentalidades na luta pela descriminalização do aborto. Na prática, a Rede tem espaço em vários conselhos de Saúde e é apoiada pela ONU, em Nova Iorque.
Foi para Nova Iorque, neste mês, que a ministra Eleonora Menicucci voou, onde, ao lado da assessora especial Marinei Luiz Bonfim, cumpriu agenda entre os dias 8 e 9. O único motivo da viagem, segundo informa a agenda oficial disponível no site da SPM, foi a celebração dos 30 anos da criação do Committee on the Elimination of Descrimination against Women (CEDAW), ou Comitê da ONU para Eliminação de todas as Formas de Discriminação contra a Mulher. O Comitê tem usado e abusado de questões das mulheres para promover práticas abortivas em países como o Brasil. Apesar dos protestos de vários paises, o Comitê tem persistido em cobrar a legalização do aborto de governos de várias partes do mundo.
A data também foi amplamente festejada pela embaixadora do Brasil nos Estados Unidos, Maria Luiza Ribeiro Viotti, que abriu, para receber a ministra e convidados, a Residência Oficial brasileira, localizada na Rua 79, em Nova York. 
Estimativa feita pelo Portal Fé em Jesus aponta que, para a viagem da ministra e sua assessora, foram gastos aproximadamente R$ 4 mil em diárias e outros R$ 20 mil com as passagens aéreas, levando em consideração o pagamento de bilhetes de ida e volta a Nova Iorque na classe executiva, onde costumam viajar autoridades de Estado e assessores especiais. Na TAM, por exemplo, cada trecho nesta classe sai a R$ 5.768,00 para viagens a Nova Iorque realizadas este mês.
Pesquisas de opinião pública já mostraram que 70 por cento do povo brasileiro não quer que a legalização do aborto. Entretanto, esse mesmo povo banca as despesas e luxo de indivíduos que vão a ONU celebrar o que o povo não defende.
A relação do governo brasileiro com o Comitê da CEDAW não é recente. Em 2005 o governo Lula reconheceu, junto ao Comitê abortista, o aborto como direito humano. Na ocasião, foi entregue ao Comitê o documento intitulado “Sexto Informe Periódico do Brasil ao Comitê da ONU para a Eliminação da Discriminação contra a Mulher” onde, nas páginas 9 e 10, ele reconhece o aborto como um direito humano da mulher e reafirma novamente diante da ONU decisão do governo de revisar a legislação punitiva do aborto.
A viagem este mês da ministra Menicucci a Nova Iorque especialmente para o aniversário da CEDAW revela que o governo do PT tem os mesmos interesses e ambições do Comitê da CEDAW, a quem fez a promessa, em 2005, de lutar em favor do aborto livre no Brasil.
Essa é uma promessa que Dilma e suas ministras abortistas estão lutando para cumprir, apesar da vontade oposta do povo e apesar do compromisso assinado por ela em 2010. 
O lema socialista delas para o povo parece ser: “Aceite nossas mentiras, que gostamos!”
A resposta do povo, nas urnas que sempre elevam ao governo os mentirosos e suas intenções abortistas sanguinárias, é: “Me engana que eu gosto!”
Gosta mesmo. Está até bancando farras de abortistas brasileiros em Nova Iorque e outros lugares do mundo!
Ô povo que gosta de ser enganado!

6 comentários :

Fabiano disse...

Eu trocaria a frase: Ô povo que gosta de ser enganado, por uma mais realista e menos singela: Ô gente trouxa!
Essa gangue terrorista, com sua estrategia ( a mentira descarada ), já contaminou a mente dos que votam com a barriga.
Ve-se isto, nas cidades que eles ainda não contaminaram, como SP, por exemplo. Nesta cidade eles já estão "atacando" os adversários, com sua hostilidade eleitoral, que é uma das marcas registradas do "sapo barbudo", dono do dito partido.
Evangélicos influentes, como Malafaia e o senador Magno Malta, deveriam mostrar ao povo cristão o malcaratismo dessa senhora que subiu no palanque debaixo de mentiras.
Não adiantar vir com a ladainha de que o "estado é laico"... É laico sim, mas o povo de Cristo também vota e defende sua crença. Se a bicharada tem representante defendendo o direito deles lá no congresso ( Jean Wyllys, Marta Suplicy etc ), o povo Cristão não pode? O estado é laico, e heterossexual.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Fabiano,

Não só eu assino embaixo isso que você falou, como eu ainda acrescentaria o seguinte: os eleitores evangélicos em si, na hora em que caíram na lábia da "terrorista" (que se comprometeu, com a maior cara de pau, em não legalizar o aborto), já mostraram a sua fraqueza em se deixar levar pelas promessas mentirosas de candidatos corruptos (não só do PT, como de outros partidos que têm a mesma agenda). Realmente, fica muito difícil confiar nos que se dizem servos de Deus em termos de conscientização política.

Acreditar que algum político do PT (ou de outro partido que pensa e age igual) vai cumprir o que promete (ou acreditar que esse mesmo político está falando a verdade) é o mesmo que acreditar que o diabo se converteu a Jesus! Foi justamente por isso que o apóstolo Paulo disse:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem (principalmente político) mentiroso" (Romanos 3:4, o parêntese é meu)

Será que eu estou certo?

ELISEU disse...

No episódio da tentação no deserto, o diabo, ousadamente, ofereceu todos os reinos do mundo (e suas riquezas) a Jesus, dizendo: "Tudo isto eu Te darei, se, prostrado, me adorares" (Mateus 4:9). Mas Jesus rebateu com firmeza todas as investidas do diabo ao dizer: "Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e somente a Ele servirás" (Mateus 4:10)

O Estado marxista–comunista–esquerdista–socialista age da mesma forma (igual ao diabo) quando propõe ao povo: "Tudo isto (saúde, moradia, educação, empregos, segurança, e outros benefícios) eu te darei se você eleger os meus representantes (do PT e de outros partidos com a mesma agenda política) e deixar que, através deles, somente eu (e não Deus) satisfaça todas as suas necessidades"

Considerando que o povo que não tem conscientização política vota mais com a barriga do que com a cabeça, a maioria não resiste a essa tentação (principalmente quando o Bolsa–Família ou qualquer outro assistencialismo barato é oferecido)!

A mesma coisa acontece quando esse mesmo Estado diz aos políticos da bancada evangélica: "Tudo isto (cargos com altos salários, concessões de emissoras de rádio e canais de televisão, e mil e uma mordomias) eu te darei se você permitir que eu aprove as minhas políticas (a favor do aborto, do homossexualismo e da perseguição aos cristãos) e não faça (e nem diga) nada contra o meu governo"

Considerando que muitos desses mesmos políticos estão se vendendo (ou sendo facilmente influenciados) por qualquer coisa, a maioria aceita sem questionar (ainda mais quando vê muito dinheiro à sua frente)!

Alguém concorda comigo?

Mateus disse...

O PT e os demais partidos que possuem a mesma agenda política (PC do B, PSOL, PV e outros) sabem que esses temas (aborto, homossexualismo e outras aberrações morais) são perigosos demais para serem abordados nas campanhas eleitorais. Em outras palavras: esses mesmos temas se tornam um obstáculo para as pretensões de muitos desses políticos.

A eleição de Dilma é um bom exemplo disso. Ela esteve seriamente ameaçada de não ganhar a presidência se admitisse publicamente a sua postura pró–aborto. Em virtude disso, ela se viu forçada a assinar um documento público alegando que o seu governo não aprovaria tal política. O povo, como sempre, acreditou nas mentirosas promessas dela (e graças a essa mesma mentira, Dilma foi eleita).

E quem pensa que com o PSDB as coisas seriam diferentes está totalmente enganado. Só para que todos daqui tenham uma idéia disso, foi este mesmo partido (PSDB) que aprovou uma lei (Lei 10.948, de 5 de novembro de 2001) que permite que travestis usem banheiros femininos. Esta mesma lei foi sancionada, na época, por Geraldo Alckmin (então governador de São Paulo em 2001), contando com o auxílio da fiel escudeira dos homossexuais: Marta Suplicy, que, na mesma época (2001), era prefeita de São Paulo.

PT, PC do B, PSOL, PV, PSDB (e outros partidos que agem igual) são tudo farinha do mesmo saco (mudam os personagens, mas o script é rigorosamente o mesmo)!

Padilha disse...

Fazer o quê se o povo não é crente, e sim, cretino? Que cada um receba aquilo que merece... Viva o Brasil! "Um país de tolos..."

ÉLQUISSON disse...

Fabiano,

Você disse tudo com essa frase: "Ô gente trouxa!" Todo aquele que acredita nas mentiras do PT (e de outros partidos com a mesma agenda política) é um verdadeiro trouxa.

Os esquerdistas agem sempre da mesma forma: eles se apresentam sempre bem intencionados, e conseguem enganar a todos com suas falsas promessas. Depois que são eleitos, aí é que eles mostram a sua verdadeira face. São mestres na arte de enganar. Jesus diz exatamente como eles agem:

"Vós (esquerdistas do PT e de outros partidos com a mesma agenda política) sois de vosso pai, o diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi um homicida desde o princípio, e não permaneceu na verdade, porque nele não existe verdade. Quando ele mente, fala só do que lhe é próprio; pois é um mentiroso e o pai da mentira" (João 8:44, o parêntese é meu)

E o episódio que o Mateus citou confirma isso: na campanha presidencial, Dilma esteve seriamente ameaçada de não ser eleita por admitir sua posição pró–aborto. Quando ela viu o perigo que estava correndo, ela assinou um documento em público se comprometendo em não legalizar o aborto. E o povo, como sempre, acreditou nas promessas mentirosas dela (e ela foi eleita).

Este é o verdadeiro caráter dos marxistas, esquerdistas, comunistas e socialistas para conquistar o poder. A tática é sempre a mesma: enganar o povo com promessas mentirosas e usar de todo meio sujo para se eleger. Só mesmo os eleitores sem um senso crítico apurado (ou sem conscientização política) é que caem como trouxas nesse conto do vigário. Em outras palavras: só não entende, não aceita e não enxerga isso (as mentiras do PT e dos demais partidos com a mesma agenda política) quem não quer!

E como todos daqui certamente devem estar lembrados, o STF se declarou favorável ao aborto. E nem poderia ser diferente. Considerando que seus ministros foram escolhidos por Lula e Dilma, por que esses ministros votariam contra as determinações de seus "chefes"?

Tendo um governo totalmente pró–homossexualismo, pró–aborto, anti–família e anti–cristão, que futuro o nosso país terá com um governo corrupto e demoníaco desses no poder?

Por isso é que o governo não tem nenhum interesse que o povo tenha conscientização política. É lógico: quanto mais ignorante for o povo, mais esse mesmo povo é facilmente manipulado (até porque a maioria vota mais com a barriga do que com a cabeça em toda eleição). Em outras palavras: o povo politicamente ignorante se torna uma massa de manobra facilmente manipulável nas mãos de quem está no poder!

P.S: Se alguém quiser se manifestar, esteja à vontade.