19 de julho de 2012

Grupo gay de Uganda faz segunda queixa contra pastor nos EUA


Grupo gay de Uganda faz segunda queixa contra pastor nos EUA

Julio Severo
Nesta semana, o grupo gay Minorias Sexuais de Uganda (MSU) e o Centro de Direitos Constitucionais (CDC), que recebe financiamento de George Soros, apresentaram uma queixa atualizada contra o Pr. Scott Lively por “Crimes contra a Humanidade”. A queixa foi apresentada num tribunal federal dos EUA, que, por causa da lei anti-homofobia aprovada no primeiro ano do governo de Obama, permite que qualquer ativista gay do mundo inteiro processe um pastor nos EUA.
Pr. Scott Lively
O Pr. Scott declarou que esse processo é no final das contas “uma tentativa de definir como crime minhas opiniões bíblicas contra a homossexualidade. O que está claro é que esse processo tem a intenção não só de me silenciar como uma voz eficaz de oposição à agenda ‘gay’, mas também de intimidar todas as outras pessoas que ousarem seguir meu exemplo”.
O motivo do processo é que anos atrás o Pr. Scott pregou em igrejas e no Parlamento de Uganda contra a homossexualidade. Sua base foi a Bíblia. Mas num esquema internacional para pegar o pastor americano, o MSU acusa que a pregação dele provocou uma onda de assassinatos de homossexuais em Uganda. A acusação falsa, que foi transformada em processo nos EUA, tem o único objetivo de intimidar e silenciar os cristãos.
O Pr. Scott disse: “Mas não estou intimidado, e pretendo usar qualquer notoriedade que esses brigões criarem para mim para avançar a causa de Cristo. Jesus deu o exemplo de coragem quando sob perseguição, exatamente como Ele estabeleceu regras para a família e sexualidade que estou me esforçando imperfeitamente para defender”.
O Pr. Scott também comentou: “A inteira guerra cultural é sobre a cosmovisão bíblica. Os covardes e os que agradam aos homens na tão chamada igreja ‘emergente’ se encolhem de medo na hora de defender a Bíblia em face do fascismo homossexual. Mas o remanescente se recusa a se render aos brigões, e estamos sofrendo os primeiros golpes — a primeira onda do tsunami de perseguição que está vindo contra os verdadeiros cristãos. As ovelhas e os bodes estão sendo separados, e o Senhor está usando a questão da homossexualidade como o divisor — exatamente como ocorreu com relação ao Grande Dilúvio e Sodoma. Esse processo exemplifica o contínuo crescimento do homofascismo nos EUA, significando o autoritário abuso de poder para suprimir toda a oposição à ideologia gay. Mas, por Sua graça, ganhando ou perdendo, continuarei a falar a verdade de Deus custe o que custar”.
Décadas atrás, não havia necessidade de pregar que o comportamento homossexual é pecado, pois a cultura, com suas raízes cristãs (ainda que imperfeitas), já tinha esse entendimento.
Contudo, o marxismo mudou a cultura, de modo que todos os antigos pecados se tornaram virtudes e sagrados, e todas as antigas virtudes se tornaram pecados. Agora, o homossexualismo é bom e belo, mas qualquer um que diga que o homossexualismo é anormal, perversão, abominação ou pecado é imediatamente rotulado de criminoso. Efetivamente, o marxismo jogou a verdade no chão e colocou a mentira no pedestal da idolatria social.
Numa era de paixão pelas mentiras doces, pregadores da verdade, como o Pr. Scott Lively, são verdadeiros heróis.
Postar um comentário