13 de julho de 2012

Em quem você confia: em Deus ou no homem?


Em quem você confia: em Deus ou no homem?

Don Hank
Se fossemos honestos com nós mesmos apenas por um breve momento, admitiríamos que a sociedade ocidental está em profundo pecado e até adorando o pecado, celebrando com carnavais e paradas gays, e ensinando crianças novas a praticasr atos sexuais nas escolas. Romanos 1:25 com precisão descreve o mundo ocidental (Paulo usa os homossexuais como exemplo, mas essa questão tem um extensão muito maior):
trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram objetos e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém!
E o final desse discurso sobre os pecadores descreve o resultado.
… homens com homens, e, por isso, receberam em si mesmos o castigo que a sua perversão requereu.
Uma descrição explícita de algumas dessas recompensas para esse grupo específico de pecadores pode ser vista aqui. Citei isso também em meu artigo (em inglês) “The recompense of their error”.
Então, por que as pessoas deliberadamente se envolvem em práticas autodestrutivas que nossa inteligência superior deveria estar nos avisando para evitar a fim de que nos autopreservemos? Ou, igualmente, por que elas adotam as políticas econômicas de Keynes acumulando montanhas de dívida que ninguém conseguiria jamais pagar de volta numa corrida impetuosa para destruir nossa economia e nossos meios de sobrevivência?
A resposta está bem aqui no discurso de Paulo, e essa é a parte em que os cristãos precisam focar ao examinar o fracasso da sociedade ocidental em seus esforços para administrar suas leis, sua imigração, seus males sociais, suas finananças e sua economia, etc:
E, por essa razão, Deus os entregou a paixões vergonhosas.
Você já parou para considerar o que isso significa?
Foi Deus quem fez isso. Paulo está falando sobre pessoas que adoram a natureza em vez do Criador. Por que as pessoas que outrora adoravam a natureza dão meia-volta e cometem algo contra a natureza, conforme Paulo chama essa conduta nessa mesma passagem? Uma pessoa que analisa isso sem discernimento espiritual diria que não faz sentido e não saberia explicar isso em termos racionais. Alguns analistas espiritualmente cegos (mas, em outros aspectos, muito inteligentes) dizem que por esse motivo, Paulo realmente não queria dizer “contra a natureza” ao descrever essa conduta, e eles falsificam o grego original para fazê-lo dizer outra coisa. (Eles se esquecem de que no 4º século, Jerônimo, que falava fluentemente o grego koiné, traduziu esse termo como “contra naturam” em sua Bíblia Vulgata em latim).
Mas Deus permite que as pessoas cometam atos contra a natureza o tempo inteiro. Quando você se revolta contra Deus, Ele abandona você e você cai em padrões de comportamento projetados por Satanás. Não há nada de natural na conduta de pecado pelo simples fato de que não foi projetada por Deus. Se não é natural, então é sobrenatural ou acima da natureza?
Pois bem, considerando que Deus realiza obras sobrenaturais — isto é, obras acima da natureza —, então as obras de Satanás poderiam ser consideradas melhor como infranatural, ou abaixo da natureza. Um animal não destruiria seu próprio habitat e economia do jeito que os seres humanos estão fazendo. Um animal também não se dedicaria quase que exclusivamente à busca de sexo, principalmente sexo homossexual, do jeito que muitos seres humanos fazem (embora haja casos conhecidos de homossexualidade no reino animal, não existe nenhum caso de animais que são estritamente homossexuais e evitam todos os animais do sexo oposto).
Esses fenômenos infranaturais são exatamente o motivo por que enfrentamos um iminente colapso econômico mundial. Os economistas, supostamente especialistas em matemática, não mais fazem matemática. De forma semelhante, indivíduos com diploma universitário que entendem a anatomia humana de forma deliberada e rotineira utilizam um órgão físico projetado como saída como um lugar de entrada, um estilo de vida que leva a doenças horríveis e morte (veja aqui).
Deus permite isso, porque as pessoas pararam de confiar nEle e acharam que conseguiriam criar suas próprias respostas e soluções. Olhe ao seu redor. Você gosta dos resultados da conduta ocidental secularista, humanista, política, econômica e social? Vote em qualquer candidato, Obama ou seu opositor, e você obterá o mesmo resultado.
É por isso que o Ocidente não precisa de mais leis e um governo melhor.
O Ocidente precisa de reavivamento. E esse reavivamento não acontecerá sem o amor que Jesus ensinou. Os americanos, inclusive os melhores, os mais civilizados e os mais decentes entre nós, estão batendo uns nos outros porque pensamos que o problema tem a ver com pessoas. Acham que se as pessoas fizerem isso ou aquilo, ou se fizerem essa ou aquela lei ou se elegerem esse ou aquele político, então conseguiremos progredir de novo. Como é que esse ou aquele grupo pode ser tão burro, dizem eles?
Mas de novo, eles ignoram as palavras de Paulo em outra de suas cartas:
Porquanto, nossa luta não é contra seres humanos, e sim contra principados e potestades, contra os dominadores deste sistema mundial em trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais.
Se você acha isso extravagante e celestial demais para se relacionar com sua vida e com o mundo ao seu redor, considere este artigo em inglês sobre John Maynard Keynes, o autor de nosso fracassado sistema econômico (assistência estatal para empresas falidas e intervenções governamentais que matam a livre iniciativa)
Se levarmos a sério a mensagem de Paulo em Romanos 1:25-27, poderemos facilmente ver que não é coincidência que Keynes era um pervertido sexual (pedófilo e homossexual) e autor do mais pervertido sistema econômico que a humanidade já viu.
Traduzido por Julio Severo
Versão em inglês deste artigo: Whom do you trust: God or man?

3 comentários :

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Este artigo começa com uma pergunta bem direta:

"Em quem você confia: em Deus ou no homem?"

Um verdadeiro cristão responderia logo de imediato: "Eu confio somente em Deus"

Outras pessoas poderiam responder: "Eu confio no homem, desde que seja um homem de Deus"

O problema crucial é que muitas pessoas crêem que podem colocar suas esperanças em outra pessoa. E do jeito que o nosso mundo está tão podre e tão corrompido pelo pecado, essa é uma tendência natural (confiar no homem ao invés de confiar em Deus). Prova disso é a fé que muitos (principalmente os esquerdistas) têm até hoje em Karl Marx, um satanista que criou uma ideologia responsável por mais de 100 milhões de mortes.

O pior disso tudo é quando homens e mulheres que dizem conhecer a Deus decidem confiar o destino de suas vidas (e também do próprio país) nas mãos de homens com pouco (ou nenhum) temor a Deus. O resultado é sempre desastroso: acabam sofrendo na própria pele as conseqüências de sua má escolha e acabam (percebendo ou não) se afastando dos caminhos do Senhor.

Foi justamente por isso que o profeta Jeremias disse em alto e bom som:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

Se todos os eleitores do Brasil (inclusive os cristãos) tivessem orado e pedido discernimento a Deus antes de votar, não teríamos no poder um governo pró–homossexualismo, pró–aborto, anti–família e anti–cristão. E nem elegeríamos uma bancada que se diz evangélica, mas que não tem tido nenhum compromisso com a Palavra de Deus (além de ser omissa no combate ao pecado)!

O problema está não somente em muitos dos políticos que se dizem cristãos (como os da bancada evangélica), mas também de alguns cristãos eleitores que os colocam lá. Alguns desses mesmos eleitores votam somente por votar, influenciados por alguém ("Vou votar no irmão da minha igreja, pois foi o pastor quem pediu"), ou sem saber quem realmente é o candidato, que ideais defende, quais compromissos tem, quais interesses visa, etc.

Daí, surgem certos "políticos cristãos" que estão mais preocupados em cuidar de seus negócios particulares (ou dos negócios de suas igrejas) do do que em tratar de questões como esta abordada na postagem que afetam a sociedade como um todo (especialmente a maioria cristã).

É necessário ficar de olho e sempre cobrar, dos candidatos e dos políticos eleitos, posturas e ações efetivas no sentido de cumprir o que prometem, já que o futuro do país depende das decisões que eles tomarem.

Que este alerta seja amplamente divulgado a todos, para que todos peçam discernimento a Deus antes de se confiar em alguém. É como disse o apóstolo Paulo:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso" (Romanos 3:4)

Anônimo disse...

Eu confio 100% em Deus porque não há nenhum ser humano nessa terra sincero como Senhor Jesus Cristo não mesmo.
O ser humano infelizmente ele sucível a falhar e decepcionar mais Jesus jamais ele oposto do Homem sempre será assim.

Ester!!!!!!!

taelesym disse...

Eu confio apenas em mim mesmo e nos meus pais ....O homem em si merece de minha parte a mesma confiança que lendas e folclores como mula sem cabeça, unicórneos e deuses ou seja nem uma ...