18 de julho de 2012

Criminoso sexual gay ameaça cristão com processo de 1 milhão de dólares


Criminoso sexual gay ameaça cristão com processo de 1 milhão de dólares

Julio Severo
Um ativista homossexual, que consta nos registros policiais dos EUA como criminoso sexual, está processando uma organização pró-família de Massachusetts, exigindo 1 milhão de dólares. Ele está também processando o presidente dessa organização por postar uma carta que o ativista enviou ara vários meios de comunicação incentivando-os a divulgá-la.
Adam Flanders: preso por crime sexual
Mediante seus advogados, Adam Flanders conseguiu dos tribunais americanos um mandado contra Brian Camenker, presidente de MassResistance. Tal mandado proíbe judicialmente que Brian faça contato com o ativista gay ou visite a casa dele. A questão é que Brian nunca teve nenhum contato com Adam nem chegou perto de sua casa, tornando o processo dos advogados um caso de histerismo gay contra o líder pró-família.
Num processo de 29 de junho contra MassResistance e contra Brian Camenker, o homossexualista Adam, de 25 anos, exige uma indenização de 500 mil dólares por “angústia e sofrimento emocional, bem como danos passados e futuros” para sua carreira, e outros 500 mil dólares “para desestimular crimes de ódio e outras formas de assédio e espreitação motivados por preconceito contra cidadãos gays e lésbicos”. Ele afirma que o alegado assédio — o fato de que Brian postou na internet a carta do ativista — constitui uma “grave agressão contra uma minoria, com base na orientação sexual” de Adam.
Adam disse que seu processo legal é necessário porque “indivíduos intolerantes e discriminadores” sujeitam inocentes ativistas gays a bullying cibernético e “assédio”.
Com base na lei americana que “protege” os homossexuais, o próprio chefe de polícia da cidade de Belfast incentivou o ativista gay a iniciar os processos por “difamação”, a fim de que a polícia tente encontrar alguma brecha para acusar criminalmente Brian.
O caso efetivamente blinda os ativistas gays, pois se denunciar pela internet as declarações deles representa difamação, então nenhum líder pró-família pode expor ao público as maquinações e declarações de tais ativistas, sob ameaça de processos e ações policiais.
Brian havia apenas divulgado uma carta que o próprio Adam pediu aos meios de comunicação que divulgassem.
Brian disse que em janeiro de 2007, Adam distribuiu uma carta para os meios de comunicação locais desmascarando uma organização homossexual chamada “Fora do armário! Tudo o que quero ser” (OUT! ... As I Want to Be). A carta declarava que os membros adultos da organização muitas vezes se embriagavam, faziam propostas indecentes para meninos ou os acariciavam, e faziam vista grossa à pedofilia praticada por membros da organização.
O próprio Adams, porém, foi acusado de estuprar um rapaz em agosto de 2006 e seu nome consta nos registros policiais do Estado do Maine como criminoso sexual. De acordo com seu perfil nos registros policiais, a vítima dele tinha entre 14 e 15 na época.
Algum tempo depois de pedir divulgação de sua carta denunciando outros ativistas gays, Adam mudou de ideia e exigiu que todos os meios de comunicação removessem a carta. MassResistance recusou fazer isso. Adam então entrou em contato com a empresa que hospedava o site de MassResistance.
Adam ameaçou iniciar ações legais imediatas contra o provedor pessoalmente, dizendo que ele era “pessoalmente culpado” e buscaria indenizações dele. Além disso, Adam postou no seu site o nome completo, o endereço residencial e comercial do provedor, exigindo a remoção de MassResistance em 24 horas. Essa tática de intimidação é igual à conduta de Luiz Mott, considerado pela ABGLT e outros como o líder supremo do movimento homossexual brasileiro. Ao ser denunciado por mim e por outros por defesa à pedofilia, Mott publicou em seu site os endereços residenciais de todos os denunciadores, inclusive de Julio Severo.
O provedor de Brian, HostExcellence, se curvou. O site MassResistance foi desligado sem aviso, ficando fora do ar por vários dias.
O WorldNetDaily postou dois artigos denunciando as ações de Adam contra Brian, mas os artigos foram removidos em dois dias, depois de feroz ações legal do ativista gay.
“Se esse cara pode desativar meu site e me silenciar, isso vai virar norma nos EUA”, disse Brian.
As táticas usadas contra MassResistance são semelhantes a uma estratégia mais ampla da Esquerda conhecida como SWATing, em que ativistas radicais fazem falsos boletins de ocorrência nas delegacias policiais locais num esforço para que o lar do blogueiro seja invadido pela SWAT, a elite da polícia americana.
Os ataques contra os cristãos estão aumentando. O Pr. Scott Lively está enfrentando um processo que o acusa de crimes contra a humanidade, por frisar terapia para os homossexuais de Uganda. O processo está sendo feito pelo Centro de Direitos Constitucionais, uma organização marxista financiada por George Soros que regularmente defende terroristas.
Quando não podem jogar a lei suja em cima de seus oponentes, os ativistas gays jogam sem lei, fazendo ligações falsas para a polícia que colocam em perigo a vida de líderes pró-família.
Perguntei a Brian Camenker: você acha que seu caso e outros exemplos de perseguição de cristãos vindo de ativistas gays nos EUA podem afetar cristãos pró-família no Brasil?
Em resposta ao Blog Julio Severo, Brian disse: Com certeza. Esse é um perigo real. Se esse cara tiver caminho livre para prevalecer em seu processo e continuar a ameaçar qualquer um que postar textos sobre ele aqui nos EUA, essa tática sem dúvida será copiada por ativistas homossexuais do mundo inteiro contra ativistas cristãos pró-família. Esse caso poderá ser um problema real em países em que as leis podem ser usadas com mais facilidade para atormentar os outros com ações legais.
O caso de Adam contra Brian é igualmente assombroso. Há uns cem anos, um criminoso sexual como Adam estaria sob risco de linchamento da população, por razões óbvias. Mas nos EUA de hoje, o criminoso sexual usa os meios mais sórdidos para ameaçar e atacar líderes pró-família que fazem campanha contra a pedofilia.
Se os EUA continuarem avançando neste sinistro caminho de perversão, ativistas gays pedófilos ficarão livres nas ruas, enquanto cristãos que lutam contra a pedofilia serão encarcerados apenas por incomodarem os pedófilos. Com os pais presos, os filhos ficarão disponíveis para “adoção”…
Com informações de LifeSiteNews.

5 comentários :

paulo_sergio disse...

O fato é que está faltando a comunidade cristã esse ativismo que os grupos "GLBTTWYZ..." estão fazendo.Quando surge qualquer fato que eles não concordem ,os caras entram logo com uma ação na justiça.Os católicos e evangélicos não aprenderam isso ainda.Apareceu o fato processo neles e de uma maneira sistemática.Dias desses um ativista gay disse com todas as palavras que pegaria em armas para defender a sua causa e ninguém fez nada,ninguém o processou .

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Não é de hoje que o irmão Júlio Severo vem insistentemente alertando a todos sobre os perigos e as ameaças do movimento homossexual. Muito pelo contrário: este mesmo alerta já vem sendo dado há muito tempo (se eu não estiver enganado, há mais de 10 anos).

Mas, pelo jeito, parece que a ficha ainda não caiu, ou melhor, parece que muitos (principalmente os que se dizem cristãos) ainda não têm noção da real gravidade da situação (e das ameaças contra os verdadeiros cristãos).

Para que todos daqui tenham uma idéia de como agem os ativistas homossexuais (e do perigo que eles representam), vamos relembrar alguns casos:

– Mesmo não havendo nenhuma lei anti–homofobia em vigor, o pastor Ademir Kreutzfeld foi, certa vez, intimado a prestar depoimento num tribunal simplesmente por ter se manifestado contra o homossexualismo;

– Jael Savelli, que mostrou a verdade sobre um artigo publicado por Luiz Mott (onde ele faz uma apologia escancarada à pedofilia), teve que sair da cidade onde morava, temendo pela própria segurança (e pela segurança de sua família)

É exatamente assim que o movimento homossexual age: ameaçando tudo e todos que se colocarem no seu caminho (e isso a mídia corrupta nunca mostra)!

Eu diria mais: está sendo muito difícil, ultimamente, achar cristãos autênticos (que tenham compromisso somente com a obediência à Palavra de Deus). Quem quiser um verdadeiro cristão tem que estar pronto para ser odiado pelos homens. Mas quantos, hoje, teriam essa mesma disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele revelava o pecado oculto de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, quanto mais com os Seus servos!

O nosso amado irmão Júlio Severo é um bom exemplo isso. Por ter falado a verdade sobre o movimento homossexual, ele passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o endereço dele, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, ele teve que ir, com a sua família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus. Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)?

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram firmes nas suas convicções, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a ser verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

Anônimo disse...

A democracia americana está desabando..

Chefe de polícia incentivando criminoso a processar ativistas pró-vida? e o sujeito em questão é um grande pedófilo e defensor da pedofilia.

No Brasil não está diferente.

jorge.oraetlabora disse...

Este gay tem mesmo cara de alienado mental... Aliás, a maioria deles são isso mesmo: seres disfuncionais. Têm tratamento, mas não se querem tratar.
Que Deus tenha piedade daqueles que sofrem em silêncio a sua "anormalidade" e que Ele os ajude a curarem-se.
Os outros - os que publicamente fazem ruidoso alarde dessa "diferença" e insultam as pessoas normais -, desses há que não ter medo das suas jactâncias.
Pena que alguns governos estejam "prisioneiros" destes grupelhos! Por que será? Porque no governo há gente gay?
Isto é atrozmente diabólico: essa gente, aberração, pretende comandar o mundo...?! É satanás no seu estertor!!! Mas está para breve o fim do reino de Belzebu!!!

Luciano Ribeiro disse...

O que nós, pró-família devriamos fazer é entrar nesta raia e usar nosso voto como forma de pressionar nossos parlamentares. Eu entrei no site do senado e camara dos deputados, peguei os emails de cada um dos parlamentares e usando o CCO(desta forma você escreverá a mesma coisa a todos eles) mandei uma mensagem educada a todos informando que repudio o maldito pl 122(mordaça gay) e a cartilha gay nas escolas. Informei que irei observar a atitude do parlamentar nestes assuntos e que o meu voto se basearia nos seguintes termos: votou a favor nestas porcarias? Não recebe o meu voto e vice-versa. O voto é um arma poderosa nas mãos de quem o sabe usar. Nos estados Unidos foi a forma encontrada para que os negros pudessem ser ouvidos. Nós somos a maioria e o nosso voto é muito mais representativo do que aquele do lgbt. Não adianta ficarmos batendo palmas para o pr marcos Feliciano e o Malafaia que vêm brigando contra essas frentes se nós também não engorssarmos a corrente. Engraçado é que algumas pessoas ao lerem esta minha proposta sentem vergonha de escrever aos congressistas, eu acho que vergonha é um Páis com dimensões continentais como o Brasil e com uma população gigantesca ficar sentada, passiva, na arquibancada apenas observando àquele que deveria lhe representar pintar e bordar sem ao menos este ter a consciência de que seu atos e palavras podem lhe trazer consequencias. Outros ficarão apenas orando a Deus pedindo que o pl e a cartilha não saiam do papel....gente, Deus atuará naquilo que nós não podemos realizar, todavia, neste caso, nós podemos fazer a nossa parte. Lembre-se da ressusreição de lázaro, onde Jesus mandou que retirassem a pedra para que Ele operasse o milagre. Ou seja, nós fazemos a nossa parte e Deus a Dele.