31 de julho de 2012

A pequena caixinha chamada escola — uma resposta a Dra. Rosely Sayão


A pequena caixinha chamada escola — uma resposta a Dra. Rosely Sayão

Dra. Rosely Sayão:
Em teu texto publicado no jornal Folha de São Paulo, chamado Fora da panelinha, é admirável tua preocupação com as crianças que vivem em famílias que optaram pela educação em casa, aquilo que em outros países é conhecido como homeschooling. Tuas afirmações são espantosas e merecem ser bem avaliadas.
Como psicóloga, sabes que qualquer ser humano, seja adulto ou criança, necessita de instrução e de direcionamento. Por si mesmo, o homem tende a se perder. Tu mesma adquiriste teus conhecimentos aprendendo de teus mestres e lendo autores que, antes de ti, descobriram o que hoje tu podes saber simplesmente correndo teus olhos pelas letras de um livro.
Onde está, portanto, o conhecimento? Em edifícios criados para receber centenas ou milhares de crianças de uma única vez? Não, e tu sabes disso. O conhecimento está nos livros, nos trabalhos, nas publicações, nos registros das experiências e dos pensamentos. Também está na cabeça dos mestres que possuem a capacidade de transmiti-lo com sabedoria e paciência.
No entanto, quem escolhe os livros e os professores que ensinarão nossos filhos nas escolas? E qual o método de ensino? E o acompanhamento, quem fará? Ora, se eu posso escolher, segundo meu entendimento sobre qual o melhor material a ser usado, a capacidade do mestre que ensinará meus filhos, segundo o método que eu entendo mais eficiente, por que devo ser obrigado a depositar minhas crianças em um prédio no qual elas serão apenas mais uma dentro de um universo gigantesco, aprendendo não de acordo com suas capacidades e possibilidades, mas conforme uma média de conhecimento que possa abarcar todos que lá estão?
E que tu não venhas me dizer que os filhos não me pertencem e que eu não tenho direito de direcionar suas vidas. Tens filhos? Sabes o que é isso? Se tens, os colocaste em uma escola que tu acreditas ser a melhor, que dará melhor ensino e os preparará melhor para o futuro. O que é isso senão o direcionamento de suas vidas? Não estás fazendo com tuas crias o que um proprietário faz com seus bens, aplicando onde acreditas ser o mais rendoso? Os motivos que me fazem preferir que eu escolha a forma como meus filhos vão estudar são os mesmos que tu tens para escolher a escola dos teus.
A diferença entre nós é que tu crês que a escola é realmente um lugar de conhecimento. Como típica acadêmica, prostra-te diante deste ídolo de pedra, que promete, sem cumprir, um futuro brilhante para aqueles que ingressam em seus templos. Tu és, inclusive, cria desse lugar. Como uma sacerdotisa, embriagada pelo vinho do falso conhecimento, inebriada pelas visões quiméricas de catedráticos charlatões, acreditas que fora desse seu universo não há conhecimento, não há sequer vida que valha alguma coisa.
Por isso tu afirmas que aqueles que optam pelo homeschooling o façam por medo do conhecimento. Em tua sandice universitária, vês esses como ignorantes, retrógrados, que temem expor seus filhos a novas teorias, novas formas de pensar. Diante disso, só posso te fazer uma simples perguntinha: de onde tiras tais parvoíces?
Em teu orgulho acadêmico, acreditas sinceramente que uma escola, simplesmente por ser escola, é a depositária do verdadeiro conhecimento. É óbvio que acreditas que todas as teorias, todas as descrições históricas, todas as hipóteses levantadas em sala de aula são inatacáveis. Para ti, o conhecimento é algo estático, propriedade de um grupo, principalmente daqueles que possuem a autorização governamental para fornecer diplomas.
Não percebes que o conhecimento é algo que está além dos muros da academia. Que são os homens que o carregam e o transmitem. Por isso, não entendes que a opção desses pais é, ao contrário do que afirmas, possibilitar que suas crianças tenham acesso a um conhecimento mais amplo, mais sólido e mais profundo do que as escolas podem oferecer.
Defendes as escolas como se elas fossem o paraíso do saber. Com isso, mostras que, além de não compreender o que é o conhecimento, ainda tens o olhar obscurecido para a realidade. Nunca ouvistes falar da péssima formação dos professores, da falta de estrutura das escolas públicas, da ausência de método no ensino e da grade curricular limitadíssima imposta pelo governo? A que escola te referes? Talvez, daquelas que apenas pessoas abastadas podem dar a seus filhos, das quais apenas as mensalidades são de valor maior que o salário de 90% dos brasileiros. Agora entendo porque acreditas que a educação em casa é o mesmo do que a perda do convívio social. Para ti, mulher de posses, há apenas dois ambientes sociais para teus filhos: a família e a escola. Não conheces nada além disso. Para ti, uma criança viver socialmente é ingressar em prédios que parecem mais presídios, cercados de seguranças e arame farpado, sendo monitorada todo o tempo, com horário para todas as atividades. Este é o teu conceito de liberdade, não é? Bom, é bem parecido com as utopias totalitárias imaginadas durante mais de quatro séculos até hoje.
Nunca passou pela tua cabeça que quando escolhes uma dessas escolas estás tentando dar a melhor instrução e o melhor ambiente para teus próprios filhos? E que diferença há entre isso e decidir dar toda a educação fora desse ambiente cerrado? Não, os adeptos do homeschooling não temem o conhecimento, mas querem oferecer para seus filhos mais conhecimento do que qualquer escola pode dar. Tu queres passar a idéia de que são estes os entenebrecidos, quando, na verdade, o que eles buscam é a verdadeira luz do saber.
Tu, com estas divagações, pelo contrário, demonstra-te preconceituosa. O que dizes parece demonstrar uma afeição à diversidade e à universalidade, mas denota, apenas, que não consegues pensar nada fora da pequena caixinha chamada escola. Devias saber que se há algum conhecimento na escola, ele veio de fora e não foi criado em sala de aula. Ora, se ele reside fora dos prédios escolares, por que não buscá-lo diretamente em suas fontes?
E ainda tens coragem de te mostrares amante da liberdade? Acusas os pais adeptos da educação em casa de a ofenderem ou temerem, mas não percebes que és tu que a odeia? Tu não consegues aceitar que os pais possam ter liberdade de escolher a melhor maneira de educar seus filhos. Nem de que esses filhos tenham a liberdade de aprender diferente e além do que se ensina dentro dos currículos herméticos determinados pelo Estado. Se tu amas a liberdade, se te delicias com a diversidade, por que tens tanta dificuldade de aceitar que pais tenham a liberdade de decidir pelo melhor para seus filhos e por que não aceitas a diferença que há entre a visão de mundo deles e a tua?
Na verdade, tu és como os outros: figem amar a liberdade, fingem defender a diversidade, mas odeiam tudo aquilo que é diferente do que consideram seu mundo ideal. És, de fato, intolerante e não sabes lidar com o que não conheces.
Além disso, o que escreveste apenas demonstra que sequer te informaste sobre a tradição do homeschooling, seus métodos, suas formas, suas possibilidades. Despejaste no papel apenas impressões e preconceitos. Com isso, demonstras muito bem o que acontece com aqueles que são forjados dentro dos pátios das academias.
Divulgação: www.juliosevero.com

6 comentários :

Carlitus disse...

A senhora Rosely nada mais é do que mais um daqueles brasileiros que se julgam intelectuais, mas que na verdade, apenas exibem uma mente bovinizada pela monocultura Marxista que tentam empurrar goela abaixo de todos nós. A mente deles já foi definitivamente homogeneizada. Eles são um caso perdido.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Carlitus,

Não só eu assino embaixo o que você falou, como eu ainda perguntaria o seguinte: de que adianta um determinado país ter uma educação da mais alta qualidade se espiritualmente esse mesmo país é vazio?

Vou colocar novamente aqui algo que eu já disse em um comentário (e que é muito propício para o tema deste artigo):

"Quando uma nação despreza a obediência à Palavra de Deus e passa a confiar somente na sua própria sabedoria (isto é, na sua própria educação), essa mesma nação fica entregue à sua própria sorte (como um barco à deriva num mar revolto, prestes a afundar)"

O que está acontecendo com os Estados Unidos hoje confirma tudo isso. No início, era um país temente a Deus (e obediente à Sua Palavra). Até alguns anos atrás, ainda era considerado o país mais cristão do mundo. Mas o desenvolvimento científico, material e financeiro fez com que seus governantes abandonassem por completo a obediência à Palavra de Deus.

A partir do momento em que uma nação deixa de obedecer à Palavra de Deus para confiar somente na sua própria sabedoria, essa mesma nação fica espiritualmente desprotegida (e perto da ruína total). E aí ela se torna uma presa fácil para os ataques do diabo e dos demônios (sendo facilmente influenciada por filosofias anti–cristãs). É como bem disse o apóstolo Paulo:

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Aqui no Brasil, o quadro não é muito diferente. Considerando que o nosso sistema educacional é todo contaminado por idéias esquerdistas, marxistas, comunistas e socialistas no nosso sistema educacional (que são, na verdade, doutrinas de demônios), não é de se espantar que, da escola primária à universidade, todos já saem educados dentro dessas mesmas idéias (que têm como ponto em comum a concepção socialista de que o governo é quem deve atender às necessidades de todos). E onde fica o compromisso com a obediência à Palavra de Deus ao final disso tudo?

Quantas pessoas ditas "cultas" acham que podem ser maiores ou melhores que Deus só porque possuem um determinado nível de instrução? Infelizmente, existe uma filosofia (muito errada, por sinal) de que ter diploma de universidade significa competência ou inteligência.

Temos que ter a humildade de reconhecer que todo o nosso conhecimento não é absolutamente nada diante de Deus. A respeito disso, o apóstolo Paulo afirmou com autoridade:

"Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; como está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia" (1 Coríntios 3:19).

A verdadeira educação só vem pela Palavra de Deus. É como disse o salmista:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria" (Provérbios 9:10)

Qualquer país pode ter a melhor educação do mundo. Mas se esse mesmo país não colocar a Palavra de Deus como prioridade, a educação que esse mesmo país oferece não passará de uma fábrica de demônios com diplomas de faculdade. É como bem disse o apóstolo Tiago:

"Quem, dentre vós, é sábio e tem verdadeiro entendimento? Que o demonstre por seu bom proceder cotidiano, mediante obras praticadas com humildade que têm origem na sabedoria. No entanto, se abrigas em vosso coração inveja, amargura e ambição egoísta, não vos orgulheis disso, nem procureis negar a verdade. Porquanto esse tipo de sabedoria não vem dos Céus, mas é terrena; não é celestial, mas demoníaca. Pois, onde existe inveja e rivalidade, aí há confusão e todo tipo de atitudes maléficas" (Tiago 3:13–16)

Que todos possam conhecer as verdades da Palavra de Deus para ter a verdadeira sabedoria!

Anônimo disse...

Concordo plenamente. tenho um filho de 5 anos que foi destaque na escola, porque eu ensino em casa, o primo 6 meses mais velho não consegue montar um quebra-cabeca, o meu filho mistura varios e monta em grande rapidez, qual o segredo, eu ensino em casa. Homeschool Sim. nas férias todos os dias fazemos um peque dever com o meu auxilio. Woshington R Silva.

ÉLQUISSON disse...

Eu dou meus parabéns ao presbítero Valdomiro pela análise precisa que ele fez sobre a educação. E ele disse uma coisa importantíssima que eu faço questão de destacar:

"... Qualquer país pode ter a melhor educação do mundo. Mas se esse mesmo país não colocar a Palavra de Deus como prioridade, a educação que esse mesmo país oferece não passará de uma fábrica de demônios com diplomas de faculdade..."

Para que melhor prova disso do que os médicos que realizam milhões de abortos em clínicas clandestinas? Por que esses mesmos médicos, ao invés de agirem contra a vida, não usam o conhecimento que obtiveram na universidade para salvar vidas? Este é somente um exemplo do que acontece quando a educação é dada sem colocar a Palavra de Deus como prioridade.

Eu ainda perguntaria mais: de que adianta ter um diploma de universidade e continuar a ser egoísta? De que adianta ter a melhor educação do mundo e só viver na prática do pecado?

É justamente por isso que Deus não escolhe pessoas tidas como "cultas" para serem Seus profetas. Ele escolhe justamente aquelas que são ignorantes (na visão do mundo). É como disse com precisão o apóstolo Paulo:

"Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes" (1 Coríntios 1:27)

Jesus afirma a mesma coisa ao dizer:

"Graças te dou, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos.
Sim, ó Pai, porque assim Te aprouve" (Mateus 11:25–26)

Tem até uma frase que sintetiza isso de forma bem clara: "DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, MAS ELE CAPACITA OS ESCOLHIDOS"

Alguém ainda tem alguma dúvida de que a verdadeira educação só pode ser obtida através da obediência à Palavra de Deus?

Lino disse...

Uma das opiniões que me chamou a atenção foi a do presbítero Valdomiro. E ele disse uma coisa muito certa (e que eu transcrevo aqui):

"... Qualquer país pode ter a melhor educação do mundo. Mas se esse mesmo país não colocar a Palavra de Deus como prioridade, a educação que esse mesmo país oferece não passará de uma fábrica de demônios com diplomas de faculdade..."

Valdomiro, você está coberto de razão. No meu tempo de criança, eu lembro que havia o ensino religioso obrigatório (era parte integrante do currículo escolar). Antes de começar a aula, nós rezávamos o Pai Nosso. Tínhamos também aulas de Educação Moral e Cívica, éramos educados dentro dos bons costumes (e do respeito a todas as pessoas). Tínhamos até aula de etiqueta, boas maneiras, procedimento pessoal, enfim, a escola nos ensinava a ser verdadeiros cidadãos de bem. Naquela época, a educação escolar era um verdadeiro complemento da educação familiar. Fazia gosto os pais colocarem os filhos nas escolas (que, em sua grande maioria, eram administradas por religiosos). Não estou dizendo que a escola daquele tempo era 100% perfeita (sem falhas), mas, pelo menos, não tolerava nada de errado. A escola, antigamente, se preocupava em zelar pela integridade moral dos alunos (e havia uma rígida disciplina para punir qualquer erro).

A partir do momento em que filosofias e idéias marxistas, comunistas, esquerdistas e socialistas começaram a se inflitrar no nosso sistema educacional, a escola começou a se corromper. O ensino religioso e o de Educação Moral e Cívica foram retirados do currículo escolar. A disciplina rígida que havia foi relaxando (e, depois, deixada de lado). E o que aconteceu depois disso tudo? A escola passou a "se adaptar" às idéias e filosofias que foram introduzidas (e passou também a tolerar tudo que é sujeira). Resultado: as escolas públicas hoje são verdadeiros antros de perdição. Hoje o que rola dentro delas é o uso de drogas e bebidas alcoólicas, gravidez de adolescentes, homossexualismo, enfim, uma podridão total. Em outras palavras: faltou uma vigilância contra a proliferação de idéias erradas dentro das nossas escolas.

A opinião do Élquisson sobre a educação também merece destaque. E ele citou um exemplo bem esclarecedor:

" ... Para que melhor prova disso do que os médicos que realizam milhões de abortos em clínicas clandestinas? Por que esses mesmos médicos, ao invés de agirem contra a vida, não usam o conhecimento que obtiveram na universidade para salvar vidas? Este é somente um exemplo do que acontece quando a educação é dada sem colocar a Palavra de Deus como prioridade..."

Élquisson, você foi preciso no seu comentário. Prova disso é o que está acontecendo na Holanda (que é considerado um país desenvolvido). O que acontece por lá? Tudo que é contra a Palavra de Deus: drogas, prostituição, aborto, homossexualismo (e outras coisas erradas). A Holanda pode até ter uma excelente qualidade de educação, mas, moral e espiritualmente falando, está totalmente escravizada pelo diabo e os demônios. De que adianta um país ter uma educação de ótima qualidade e não obedecer aos ensinamentos da Palavra de Deus? É como disse com muita sabedoria o profeta Jeremias:

"Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e que aparta o seu coração do Senhor" (Jeremias 17:5)

A verdadeira educação só é obtida através da Palavra de Deus, porque ela é quem forma o verdadeiro homem. É como diz o livro de Provérbios:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência" (Provérbios 9:10)

"Ensina à criança o caminho no qual ela deve andar; e quando envelhecer, ela não se desviará dele" (Provérbios 22:6)

Que todos nós possamos lutar para educarmos os nossos filhos dentro dos nossos lares (e na obediência à Palavra de Deus), para que eles sejam futuros bons cidadãos!

Thales disse...

O Élquisson citou uma frase que me chamou a atenção:

"DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, MAS ELE CAPACITA OS ESCOLHIDOS"

Élquisson, eu concordo em gênero, número e grau com essa frase que você colocou aqui. Os próprios apóstolos de Jesus são um exemplo disso: com exceção de Lucas (que era médico), todos os demais apóstolos eram pessoas simples (sem muito estudo). Mateus, por exemplo, era um simples cobrador de impostos. Pedro e alguns dos demais apóstolos eram pescadores. Eles nunca estudaram em nenhuma escola ou faculdade daqui da Terra, mas foram educados pelo Divino Mestre: Jesus. E, por isso, todos eles se tornaram sábios.

Em toda a Bíblia, podemos ver que Deus sempre preferiu as pessoas mais pobres, as mais desprezadas do mundo. Ele fez (e ainda faz) isso para contrariar o padrão do mundo (que acha que só é instruído quem tem faculdade). É como disse o apóstolo Paulo:

"Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes" (1 Coríntios 1:27)

O que acontece no mundo hoje é que quase toda pessoa dotada de muita instrução (principalmente quem tem faculdade) é vista, na maioria das vezes, como sendo superior a quem não tem muito estudo. O que está faltando ao ser humano é a humildade. O homem, mesmo o mais sábio do mundo, tem que reconhecer que todo o seu conhecimento não é absolutamente nada diante de Deus. A respeito disso, um antigo filósofo disse com muita sabedoria: "Se me perguntassem o que é essencial na vida do ser humano, eu prontamente responderia que a primeira e mais importante coisa de todas é a humildade. Sim, pois como poderia ser diferente a atitude da criatura em relação ao Criador, do ser finito perante o Infinito, do homem mortal diante de um Deus eterno, do pecador frente ao Santo?"

A humildade é a primeira (e principal) característica de um verdadeiro cristão. É como disse o apóstolo Tiago:

"Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes" (Tiago 4:6)

Que todos nós possamos ser instruídos pelas verdades da Palavra de Deus, para que sejamos verdadeiramente sábios. É como disse o salmista:

"Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, pois medito nos Teus testemunhos" (Salmo 119:99)