11 de junho de 2012

Quando o ódio parte dos próprios gays


Quando o ódio parte dos próprios gays

Exclusivo: Brandlee Dean fala dos homossexuais que simulam crimes contra si mesmos

Bradlee Dean
Floyd Elliot, da cidade de Independence, no Missouri, disse à polícia que dois elementos o atacaram no estacionamento do seu condomínio de apartamentos. Ele afirma que os agressores cortaram sua barriga, marcaram-no com uma faca quente e tentaram gravar a palavra “fag” (bicha) na sua testa. Os investigadores suspeitaram do relato porque a marcação estava invertida, como se tivesse sido feita por alguém enquanto olhava no espelho. Mais tarde, Elliott admitiu à polícia que os ferimentos haviam sido infligidos por si mesmo. Podemos dizer que Elliott pisou na jaca?
Aimee Whitchurch e Christel Conklin: dupla lésbica denunciou um ataque de “homofobia” que na verdade havia sido simulado por elas mesmas
Meus amigos, imediatamente após ler essa reportagem, tive que consultar a palavra “stupid” (burro) no meu dicionário Webster’s edição 1828. Ele a define como “estúpido; insensível, sem lógica”. Burro, digo, não apenas porque marcou “bicha” espelhado na sua testa, mas porque agiu como se o seu crime premeditado não fosse ser punido diante do Deus para quem tudo é nu e descoberto (Hebreus 4:13).
Considerando que todos os crimes são motivados por ódio, frequentemente precisamos examinar as alegações do suposto “crime de ódio” para fazer a distinção de quem o está praticando. Hoje em dia parece que, via de regra, os que condenam o ódio são os que estão na verdade perpetrando-o. Eles pretendem, por meio de ações dissimuladas, transformar em monstros os que não concordam com seus estilos de vida ou agendas políticas, depois retornar à sua natureza carnal para orientações distorcidas, para que no fim eles próprios se tornem vítimas.
O que acontece quando as autoridades examinam um pouco mais a fundo e descobrem que as alegadas “vítimas” eram na verdade as que estavam premeditando e simulando os crimes?
Então vamos examinar as mentes dos distorcidos para vermos até onde eles estão dispostos a chegar com suas agendas:
Há o famoso crime de ódio premeditado de Kerri Dunn, da Faculdade McKenna de Claremont, Califórnia. Dunn tinha uma palestra marcada em um fórum sobre racismo dentro do campus. Ela comoveu a audiência ao dizer que ela havia sido vítima de um crime de ódio naquele mesmo dia. Muito conveniente, não? Seu carro havia sido vandalizado, vidros haviam sido quebrados e pneus cortados. Pichações profanas e antissemitas cobriam a lataria. O problema com sua estória foi que dois estudantes a viram cometer o crime ela própria. Dunn perdeu o emprego e foi para a cadeia por mentir para investigadores federais e por fraude contra a seguradora. (Ela alegou que US$ 1.700 em objetos, incluindo um laptop, haviam sido roubados pelo racista imaginário. Os itens mais tarde foram descobertos em um guarda-roupa em sua casa.) Ah, aliás, ela nem era judia.
Deuteronômio 19:18-19 diz, “Depois de uma cuidadosa investigação feita pelos juízes, se se verificar que se trata de um falso testemunho, e que a testemunha fez contra o seu irmão uma falsa deposição, vós o tratareis como premeditara tratar o seu irmão. Assim, tirarás o mal do meio de ti...”
Quando as pessoas forem responsabilizadas pelos crimes que elas próprias planejaram, somente então temerão cometê-lo novamente. Que ideia original. Justiça é a guardiã da liberdade. Então, América, proteja sua liberdade promovendo a justiça.
Talvez as mulheres não previssem quão seriamente a questão seria tratada, pois quase oito meses depois, com toda a força do FBI envolvida, as autoridades estão dizendo que as próprias mulheres podem ter sido as responsáveis pelos atos. Ambas foram acusadas de vandalismo e falso testemunho, e uma das mulheres, Aimee Witchurch, está sendo acusada também de falsificação.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do WND: “When ‘gays’ are the real haters

6 comentários :

Idevam disse...

E Tudo Que Eles Querem e Uma Lei Draconiana Como o PLC 122/2006 Para Apoia as Falsas Acusações Que Eles Estão Sempre Enciosos Para Fazer com Falsas Provas e Falsas Testemunhas como nos Casos que Acusação Contra o Irmão Julio Severo e o pr. Silas

IMPORT disse...

Tudo que querem é se aparecer, auto afirmar, e isso parece não ter fim alimentar o ego, o que me faz pensar se realmente não seria um distúrbio mental

Robson Lelles disse...

Terá sido uma reação inconsciente de ódio de si mesmo da parte de Floyd Elliot?

As pessoas sabem que estão errando, mas psicologicamente negam o erro, até que ele transborda para o inconsciente, e dá nisso.

Fabiano disse...

Parabéns, Robson Lelles... Em poucas linhas, o Sr disse tudo.
Eu gostaria de ver esta reportagem no Fantástico ( força de expressão, pois eu não assisto essa emissora do diabo ).
Mas isto, a cristofóbica Globo jamais vai permitir.
E isto não vai parar por aí. Podem ter certeza que, com apoio dos governos pró-gays, esta onda vai pegar.
Daqui a pouco, quando alguém tentar se esquivar do assédio desses "stupid fag", vai ser tachado de homofóbico... Ou de racista, pois não duvido que, não muito longe, vão querer ser tratados como uma "raça"... Que, na realidade já são, uma raça ( cria ) do diabo!

Anônimo disse...

Lógico quem tá no PECADO homossexual ou qualquer outro tipo pecado seja lá qual for tem uma revolta porque ela sabe que tá no erro mais o "diabo" prende e domina só JESUS CRISTO PARA LIBERTAR ESSAS ALMAS.
ESter!!!!!!

Anônimo disse...

Se eles tem a capacidade de inventar ataques contra eles próprios, imagine se a PLC 122 for aprovada? Delegacias cheias de boiolas acusando crentes de homofobia só por lerem textos da bíblia e muitos indo pra cadeia, ou a igreja acorda agora ou depois dessa lei aprovada o sal se tornará insipido!

Ruthe Velasquez