8 de junho de 2012

O avião está caindo


O avião está caindo

Controle populacional, sexo recreativo, tempestades e morte

Julio Severo
O malfadado voo 447 da Air France, que saiu do Rio de Janeiro com destino a Paris, caiu depois de atravessar uma tempestade tropical fora do comum sobre o oceano Atlântico em 1 de junho de 2009.
Capitão Marc Dubois
Desde então, especialistas em aviação tentam entendem o que levou à tragédia que deixou um saldo de 228 passageiros mortos.
O maior mistério era por que o capitão não estava na cabine na hora do desastre, quando os copilotos estavam desesperados e em necessidade da presença dele. De acordo com o jornal Daily Mail de 7 de junho de 2012, parece que uma possível resposta foi encontrada.
O capitão Marc Dubois estava viajando com Veronique Gaignard, uma aeromoça da Air France que estava de folga. Ao que tudo indica, ela estava no voo apenas para fazer companhia ao capitão.
Veronique Gaignard, a companhia do capitão
Bem ao estilo do prazerosamente correto do politicamente correto, Dubois estava “se divertindo” com Gaignard, demorando para agir (ou para sair da diversão) durante a emergência. Quando ele conseguiu se desgrudar de Gaignard, já era tarde.
Marinha brasileira resgata parte dos destroços do avião da Air France
Dubois estava vivendo a filosofia do planejamento familiar. A Federação Internacional de Planejamento Familiar, fundada pela feminista socialista Margaret Sanger, prega há décadas o prazer sexual acima de tudo, inclusive acima da família, dos valores morais e da vida dos bebês — que seus especialistas chamam de consequências não planejadas. O aborto é a maior fonte de renda — e adoração — de sua indústria multibilionária.
Quando se valoriza o prazer sexual acima de tudo, nenhuma vida tem valor.
Hollywood, a maior máquina de propaganda do mundo, tem sido parceira dos planejadores da família, tendo como prioridade a exaltação do sexo sem compromisso, juntamente com a sodomia e o aborto.
A Organização das Nações Unidas, debaixo da poderosa pressão do governo dos Estados Unidos, vem há décadas trabalhando para impor a ideologia do controle populacional nas nações. Assim, cada vez mais, os povos são como Dubois, ocupando-se com “diversões” sem darem atenção à realidade e às tempestades da vida.
As famílias podem sobreviver sem a ONU e sem nações enlouquecidas por políticas anti-famílias. Mas as nações, a longo prazo, não podem sobreviver sem as famílias e seus filhos.
As nações do primeiro mundo caminham para o ocaso de suas civilizações, com uma bagagem macabra de bebês legalmente abortados aos milhões e tendo como única alternativa, diante da pirâmide demográfica invertida sobrecarregada de idosos, políticas agressivas de eutanásia. Será uma sociedade permeada de morte do começo ao fim. Uma sociedade que, por fingida compaixão, não condena à morte assassinos, mas por compaixão ideológica, condena à morte bebês em gestação e, por meio da eutanásia, doentes, deficientes e idosos.
As populações que voam no avião do controle da natalidade encontrarão tempestades previsíveis à frente. A principal é a implosão populacional, condenando nações hoje ricas a um envelhecimento e estagnação econômica inescapáveis e crescentes.
Previsões populacionais revelam que países da Europa e Japão já estão envelhecendo, e sua morte demográfica e cultural é questão de poucas décadas.
O avião europeu e japonês está caindo.
O avião russo está caindo, embora os russos estejam agora reagindo condenando políticas de homossexualismo e controle populacional.
O avião americano está atrás do avião europeu, só se salvando, minimamente, por causa da imigração, que já está alterando radicalmente sua cultura cada vez mais depravada. Ao contrário dos russos, a sociedade americana está paranoicamente se voltando contra a família e até suas bases cristãs, tendo se tornado, de longe, o maior exportador da ideologia abortista e gayzista do mundo.
O capitão Marc Dubois, rico e despreocupado, espelha muito bem os líderes europeus e americanos. Enquanto seu avião está caindo, enquanto suas famílias estão caindo, enquanto as bases morais de sua sociedade estão caindo, eles estão, como recomendou certa famosa sexóloga depravada, “relaxando e gozando”, numa alucinante viagem de tragédia que culminará com a destruição de suas vidas e as tripulações e passageiros populacionais que embarcaram com eles no voo fatal da cultura da morte.

10 comentários :

Bruno Willian disse...

Belíssimo texto.

Já devemos esperar para o pior, muitos já escolheramo o lado na guerra final. Outros ainda estão dormindo ou curtindo o carnaval rumo ao precipício como uma folha fica a mercê da maré.

Gostei da frase:
"Uma sociedade que, por fingida compaixão, não condena à morte assassinos, mas por compaixão ideológica, condena à morte bebês em gestação e, por meio da eutanásia, doentes, deficientes e idosos".

Tomemos cuidado com o Anteprojeto de Código Penal. Devemos fazer uma super manisfestação contra esse monstruso projeto que surgirá para ser discutido nas comissões do Senado.

Herberti disse...

Parabéns Júlio. Excelente postagem.

Will Filho disse...

Infelizmente, isso não é apenas uma impressão da realidade, É a realidade. Volto a bater na mesma tecla, não podemos esperar que outros façam o que nós podemos fazer. Podemos não mudar o curso do que já está determinado, segundo a bíblia, mas podemos mudar a história de pessoas em sua individualidade.

Caro Julio, abaixo segue o link de um artigo que escrevi, tentando denunciar aquele que será o próximo passo "filosófico" do ativismo GLBTS para implementar uma geração Assexuada. Certamente, neste avisão caindo, um membro ilustre se chama "Poliamor - A prostituição dos sentimentos humanos"

http://vitrine2009.blogspot.com.br/2012/06/poliamor-prostituicao-dos-sentimentos_08.html

IMPORT disse...

Pena que não cai um avião por dia com pessoas abortistas e outros destruidores da familia e religião. Um mundo melhor provavelmente teria.

"Política sem medo" disse...

Boa postagem Julio. E esclarecedora tambem. Agora entendi o que aconteceu. Uma tragedia com tantos por causa da irresponsabilidade de um. Abracos.

Newton Carpintero, pr. e servo. disse...

Caro Julio Severo,

A paz amado!

Excelente abordagem em um momento em que os países estão a borda do precipício com a vergonhosa atitude de governantes sem temor a Deus, se auto assassinam em detrimento do melhor para a sociedade.

Triste!

O SEnhor seja contigo,

o menor.

Anônimo disse...

o avião brasileiro ta caindo tbem...

Anônimo disse...

Depois dessa terrível tragédia do air france a VERDADE saiu da caixa do avião aliás de uma cabine fora do avião aff.
Quer dizer que o comandante piloto oficial tava fora da cabine e deixando seus co-pilotos quer dizer tava se "divertindo" com sua "acompanhante" que absurdo isso inrresponsabilidade não tem mais tamanho pagou caro a morte dele e de todos estavam nesse avião misericórdia.
REVOLTANTE PERGUNTO NÃO DUVIDO NADA ISSO PODE SER INFELIZMENTE MAIS COMUM E NÃO SÓ SENDO UM CASO ISOLADO AFF.
Ester!!!!!!!

hugoo disse...

Grande J.severo!
Um abracao, diretamente de pais de Finlandia!

Carmen Correia disse...

Essa é a realidade das sociedades sem Deus. Parabéns pelo texto!