16 de junho de 2012

Clodovil e sua cobra chamada “Marta”


Clodovil e sua cobra chamada “Marta”

Homenagem do mais famoso homossexual do Brasil à famosa petista adepta do supremacismo gay

Julio Severo
A cobra de bronze, que servia de pé de mesa, ficou famosa. Famosa pelo seu dono, Clodovil Hernandes, o mais famoso homossexual do Brasil, falecido em 2009. Famosa pelo nome, “Marta”, em homenagem a Marta Suplicy, conhecida como rainha dos gays.
A obra de arte recebeu de Clodovil o apelido de “Marta” por causa da longa história de inimizade entre ele e Marta Suplicy, desde a década de 1980, quando ambos trabalhavam na TV Mulher, da Globo. Ele, falando de moda. Ela, em suas eternas conversas de sexo.
O papo de “relaxa e goza” de Marta nunca convenceu o mais famoso homossexual do Brasil, que via na rainha do movimento gay do Brasil apenas oportunismo de cobra traiçoeira — oportunismo que ficou evidente quando, ao ver que estava perdendo a eleição para a prefeitura de São Paulo anos atrás, ela insinuou, na propaganda de sua campanha, que o candidato opositor era homossexual. Foi uma jogada estratégica: sabendo que a população é em grande parte contra o homossexualismo, Marta se aproveitou e tentou tirar a força o outro candidato do armário, a fim de que o povo reagisse contra ele e a favor dela.
Foi uma jogada de cobra.
Por isso, a cobra de Clodovil ficou famosa. É uma justa homenagem do mais famoso homossexual do Brasil à mulher que ficou famosa por lutar para implantar no Brasil o supremacismo gay.
Postar um comentário