28 de junho de 2012

Ativistas gays tumultuam audiência no Congresso Nacional sobre CFP proibir psicólogos de ajudarem pessoas a sair do homossexualismo


Ativistas gays tumultuam audiência no Congresso Nacional sobre CFP proibir psicólogos de ajudarem pessoas a sair do homossexualismo

Julio Severo
Ativistas do movimento gay deram muitos gritos, fizeram muito bate-boca e confusão na audiência pública que terminou no início da tarde desta quinta-feira na Comissão de Seguridade da Câmara para discutir o projeto de decreto legislativo 234/11, que garante liberdade para profissionais de psicologia que dão assistência a pessoas que querem se livrar do vício homossexual. De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), o projeto suspende a aplicação de dois dispositivos da resolução 1/99 do Conselho Federal de Psicologia (CFP). O regulamento do CFP proíbe profissionais de ajudarem homossexuais, tachando autoritariamente de preconceito as tentativas de ajuda.
Sob pressão dos supremacistas gays, o CFP rejeitou o convite para participar da audiência. Em 22 de junho, Toni Reis, presidente da ABGLT, o maior grupo supremacista gay do Brasil, enviou ofício ao sr. Humberto Verona, presidente do CFP, pedindo que o “Conselho Federal de Psicologia não se faça presente na referida Audiência Pública”, tachando seus participantes de possuírem um “discurso de intolerância religiosa em detrimento dos ideais da democracia igualitária”. A ABGLT mandou, e o CFP se curvou.
Não é a primeira vez que Toni Reis rotula de intolerantes as pessoas que discordem do sexo homossexual. Ele já enviou ofícios ao Ministério Público Federal contra mim e contra Silas Malafaia.
Contudo, não entendo a queixa dele agora. Eu não estava presente na audiência. Entre os participantes que falaram estava a psicóloga Marisa Lobo, que defende o direito de psicólogos atenderem pacientes que busquem sair da homossexualidade.
Psicóloga Marisa Lobo, defendendo durante a audiência pública o direito de psicólogos atenderem pacientes que busquem abandonar o vício homossexual
A fala da Marisa provocou indignação e tumulto entre representantes do movimento supremacista gay que estavam assistindo à audiência. Esse radicalismo ideológico não toleraria nem mesmo outros homossexuais. Clodovil Hernandes, considerado o mais famoso homossexual do Brasil, também era alvo de indignação e raiva dos supremacistas gays. Num evento no Congresso Nacional anos atrás, Toni Reis e sua turma do estardalhaço vaiaram Clodovil por discordar do fanatismo do supremacismo gay. Veja o vídeo aqui: http://youtu.be/F9Gk51EvGko

Para eles, é inaceitável que um homem que se viciou no homossexualismo tenha liberdade e ajuda para sair de seu vício.
Eles declaram abertamente que a medicina, a ciência e a mídia estão do lado deles. No caso da mídia, eles estão certos: a mídia está 99 por cento com a ideologia supremacista gay. Mas dizer que a medicina e a ciência estão do lado deles é um exagero tão grande quanto dizer que São Paulo tem a maior parada gay do mundo — mentira que caiu por terra recentemente, graças ao lixo e aos porcos que o fazem.
O próprio jornal esquerdista Folha de S. Paulo, antigo aliado do supremacismo gay do Brasil, apontou que o número de participantes da parada gay em São Paulo este ano foi no máximo 270 mil pessoas — um número que está muito longe dos 4 milhões alardeados pelos organizadores da Parada do Orgulho Gay de São Paulo.
Os exageros do supremacismo gay, sustentados com muito estardalhaço, estão virando pó nas ruas de São Paulo. Se todos desacreditarem suas mentiras e estardalhaços, virarão pó também no CFP e no Congresso Nacional.
Com informações do UOL.

7 comentários :

Blog Católico do Leniéverson disse...

Pois é, Júlio, os ativistas gays são os mais dissimulados.Agem com anjos para a mídia, mas nas costas são demônios.Olho neles!

ÉLQUISSON disse...

Vendo a situação que a irmã Marisa está passando, me lembrei da carta que Jesus mandou o apóstolo João escrever para a igreja de Esmirna:

Apocalipse 2:8–11

2:8 E ao anjo da igreja em Esmirna, escreve: isto diz o Primeiro e o Último, Aquele que foi morto e reviveu:
2:9 Eu conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia daqueles que se dizem judeus e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
2:10 Não temas as coisas que haverás de sofrer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.
2:11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: o vencedor não sofrerá o dano da segunda morte.

Naquela época, os fiéis da igreja de Esmirna estavam sendo impiedosamente perseguidos e mortos pelo Império Romano e pela Inquisção, mas Jesus os encorajava a permanecerem firmes a Ele até o fim. Muitos amavam mais a Jesus e à Sua Palavra do que as próprias vidas (uma lição importantíssima para os cristãos dos dias de hoje)!

Ninguém pense que a situação hoje é diferente daquela época. Quem desejar ser um verdadeiro cristão tem que estar preparado para enfrentar o pior a qualquer momento. A vida cristã é uma vida de lutas, de provações, de dificuldades, de problemas a resolver. Assim como o ouro precisa ser provado no fogo para remover as impurezas, assim também o cristão precisa ser provado para enfrentar a maldade do mundo (Tiago 1:12). O verdadeiro servo de Jesus tem que estar sempre pronto para dar a vida por amor a Ele e à verdade de Sua Palavra. Quantos, hoje, fariam como os fiéis de Esmirna (que aceitaram a morte sem nenhum medo)? O verdadeiro cristão nunca pode pensar que nunca será posto à prova por amor a Jesus!

Para a irmã Marisa, eu digo o seguinte: amada irmã, você não está sozinha esta luta. O Senhor Jesus está contigo. E nós, cristãos, estamos com você. Desde já, pode contar conosco (e também com as nossas orações).

Aproveito para deixar alguns versículos para sua reflexão:

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor a Ti, somos entregues à morte todos os dias; fomos separados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou" (Romanos 8:35–37).

"Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre" (Salmos 125:1)

"No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo" (João 16:33)

"Entrega o teu caminho ao Senhor; confia Nele, e Ele tudo fará" (Salmo 37:5)

Peregrino9001 disse...

Esse Toni Reis e os demais gayzistas são todos uns charlatães covardes. Ele nunca teve a coragem de debater com o Silas Malafaia nas audiências do Congresso Nacional porque sabe que toda mentira que saísse de sua boca Malafaia desmascararia.

Ana Maria disse...

Os homossexuais afirmam de que não trata-se de "opção" sexual, mas sim de orientação sexual. Se pudessem escolher, muitos dizem que não escolheria ser assim.

Então reconhecem de que ser homossexual não é normal, além de ser um fardo. Porém eles se orgulham de serem o que não escolheram?? COMO ASSIM?

Eu tenho transtorno de ansiedade e frequentes ataques de pânico. Eu não escolhi isso e também não nasci com isso. Portanto, não tenho de viver com isso, vou procurar a cura. E não tenho o menor orgulho disso.

Mas essa renca aí, não! Negam sua natureza - nascem de um sexo, mas dizem-se outro -, mas não negam o declínio, pelo contrário, acoita. Reconhecer o problema não é acoitar o problema, portanto não tem essa de que homossexualismo "é assim e pronto, não tem cura."

É só submeter-se á Deus e enfrentar isso. Psicólogos até que dizem coisas com sentido, mas mais são manipuladores. Não posso sozinha, porém não acoito meu declínio.

ELISEU disse...

O apóstolo Paulo disse que todos aqueles que quiserem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos (2 Timóteo 3:12). Nas épocas da Inquisição e do Império Romano, ser cristão era assinar a própria sentença de morte. Milhões de cristãos foram queimados vivos nas fogueiras, atirados às feras na arena do Coliseu, decapitados, e mortos de muitas outras formas.

Muita gente talvez ainda não tenha percebido, mas estamos, a cada dia que passa, voltando novamente a esses mesmos tempos. Se isto que estão fazendo com a irmã Marisa não é perseguição, então eu não sei mais o que é.

Estou pronto para pagar o preço que for necessário em favor do evangelho, e, neste exato momento, dou todo meio apoio à irmã Marisa. Ao mesmo tempo, manifesto meu repúdio à atitude do CFP (Conselho Federal de Psicologia). Este mesmo Conselho se diz imparcial, mas está, na verdade, totalmente submisso aos ditames deste governo corrupto e dos homossexuais.

Se mesmo com a lei ainda permitindo (por enquanto) a nossa liberdade de expressão já estamos sendo perseguidos, agora imaginem quando nos tirarem esse direito!

Tudo isto que está acontecendo só faz confirmar uma coisa: Jesus está voltando!

Da mesma forma que o Élquisson perguntou no comentário dele, eu também pergunto: quantos, hoje, fariam como os fiéis de Esmirna (que aceitaram a morte sem nenhum medo)? Quem, nos dias de hoje, morreria por amor a Jesus e à Sua Palavra? Quem teria a coragem de um Elias ou um João Batista para denunciar as coisas erradas dos poderosos (e também dizer as verdades que muitos precisam ouvir)? Quem?

Fica a pergunta no ar para alguém responder na primeira oportunidade!

El Misionero Matsuura Junichiro disse...

Me desculpe a exagerada franqueza, irmão Julio, mas, homofobia é (como diria Gregorio di Falco)o "cazzo".

André L. disse...

É só começar a pesquisar, ligar os pontos e qualquer um descobre que o CFP (Conselho Federal de Psicologia) não é tão imparcial quanto demonstra ser. Qualquer tentativa de associar psicologia às práticas cristãs são veementemente combatidas, mas práticas como terapia de vidas passadas e outras aberrações são aceitas. O Senhor Humberto Verona, atual presidente do CFP, segue Toni Reis no Twitter... quais interesses em comum esses dois teriam? Façam suas respostas e salve-se quem puder.