1 de maio de 2012

Silas Malafaia: uma vitória por quanto tempo?

Silas Malafaia: uma vitória por quanto tempo?

Juiz federal entende que mensagem de Malafaia não foi contra o homossexualismo, mas contra ofensa da Parada Gay aos símbolos católicos

Julio Severo
O Pr. Silas Malafaia, presidente e fundador da Igreja Assembleia Vitória em Cristo, experimentou vitória contra ações do Ministério Público Federal incitadas pela ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros), a maior organização homossexual do Brasil.
No entender da ABGLT, Malafaia incitou violência e ódio aos homossexuais quando disse: “É para a Igreja Católica ‘entrar de pau’ em cima desses caras, sabe? 'Baixar o porrete' em cima pra esses caras aprender”.
Silas Malafaia: juiz lhe deu vitória por entender que sua mensagem não foi contra o homossexualismo
A declaração forte de Malafaia, feita em 2011 em seu programa de TV, veio em resposta à profanação de imagens católicas que ocorreu durante a Parada Gay de São Paulo daquele ano.
A ABGLT pediu punição para o pastor e para a rede de televisão que transmite seu programa. Um procurador atendeu à incitação da ABGLT e, desde então, Malafaia ficou na mira do Ministério Público Federal.
A questão era: Malafaia pregou ou não violência aos homossexuais? Ele pregou ou não contra o homossexualismo?
Na interpretação do juiz federal Victorio Giuzio Neto, da 24ª Vara Cível de São Paulo, Malafaia não pregou nem violência nem contra o homossexualismo.
O juiz Victorio declarou: Malafaia “não se dirigiu a uma condenação generalizada através de um rótulo, ao homossexualismo, mas, ao contrário, a determinado comportamento ocorrido na Parada Gay… no emprego da imagem de santos da Igreja Católica em posições homoafetivas”.
Sendo assim, o juiz deu vitória ao pastor assembleiano, por entender que sua indignação e atitude forte não foram contra o homossexualismo, mas contra uma ofensa específica da Parada Gay contra a Igreja Católica.
Aparentemente, o juiz só viu a parte onde Malafaia condena energicamente a profanação anti-católica, pois ao isentar Malafaia de culpa por não fazer “uma condenação generalizada através de um rótulo, ao homossexualismo”, o juiz deixou claro que se Malafaia tivesse feito tal condenação generalizada ao rótulo homossexualismo, aí sim haveria algum problema.
E se o juiz assistisse aos outros programas de Malafaia onde, com base na Bíblia, ele deixa claro que todo e qualquer tipo de homossexualismo é pecado?
Pelo fato de que o pastor assembleiano defendeu a Igreja Católica de uma profanação de suas imagens santas — e a inviolabilidade do culto religioso é assegurada pela Constituição, tornando crime a homoerotização dos santos católicos feita na Parada Gay —, o juiz não teve alternativa senão cumprir o que já está determinado na Constituição. É tristemente evidente, porém, que nem o juiz nem o MPF em nenhum momento cogitaram de tratar de punição para os autores da profanação.
É evidente também que tudo o que chegou ao conhecimento do juiz foi a reação de Malafaia à profanação aos santos católicos.
Paira no ar, pois, a dúvida do que o juiz faria se chegasse até seu tribunal o conhecimento de que Malafaia citou uma “condenação generalizada ao rótulo homossexualismo”, como:
“Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante”. (Levítico 18:22 NVI)
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar:… nem homossexuais passivos ou ativos… herdarão o Reino de Deus”. (1 Coríntios 6:9,10 NVI)
O que o MPF e os juízes federais farão quando perceberem que a mensagem cristã, quando verdadeiramente baseada na Bíblia, condena sem rodeios os atos homossexuais em si?
Autoridades de Ribeirão Preto removem à força outdoor bíblico em 2011
Aliás, há o famoso caso, ocorrido em agosto de 2011 em Ribeirão Preto, da Igreja Evangélica Casa da Oração, que pagou para a publicação das seguintes passagens da Bíblia em outdoors:
“Se também um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticaram coisa abominável.” (Levítico 20:13 RA)
“Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.” (Romanos 1:26-27 RA)
“Portanto, arrependam-se e voltem para deus, a fim de que ele perdoe os pecados de vocês.” (Atos 3:19 BLH)
O pastor Antônio Hernandes Lopes, responsável pela colocação dos versículos bíblicos nos outdoors, declarou para a Folha de S. Paulo que não teve intenção de ofender ninguém. “Apenas pus a Palavra de Deus que está na Bíblia.”
Mesmo assim, de forma autoritária, os outdoors foram removidos. Desde então, as autoridades continuam ameaçando a igreja que ousou dar testemunho público do que está patentemente registrado na Bíblia.
Talvez apenas por causa de suas importantes conexões políticas, Malafaia obteve uma vitória num capítulo interessante, mas a novela politicamente correta de uma sociedade obrigada a engolir a obsessão gay está longe de terminar.

12 comentários:

Idevam disse...

Verdade Vc Disse Tudo o Juiz Não Considerou que o Pr. Silas Tenha Falado Contra a Prática Homossexual

Eu Acho Que So Não Fio Levado a Frente Porque Não dava Para Esconder que a Acusação no casso o Vídeo editado era de conhecimento público que era falso

Nerly Nunes disse...

Ele foi o homem que pregou a mensagem "Céu ou Inferno: Qual a sua escolha?" onde ele fala sobre a idolatria praticada pelos católicos. Ele vai contra os usos dos símbolos católicos e agora quer santificá-los. Acho que esse pastor daqui alguns anos vai estar defendendo o homossexualismo, pois ele está, vez e outra, virando a folha, como fez com a teologia da prosperidade. Antes era contra, hoje é a favor...

Anônimo disse...

Ainda tem muita coisa para rolar. Com esse STF pró-PT e com um MPF dominado por sentimentos anti-conservadores, tudo é possível.

MPF, STF, OAB, estão todos pendendo para a defesa de um estado gay e abortista.

Lula certamente deve rir de dia e de noite.

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

O pastor Silas Malafaia deve ser mais prudente a partir de agora. Ele ganhou uma batalha, mas ainda não ganhou a guerra. Por isso, nada de oba-oba antes da hora.

Tenho plena e absoluta certeza de que o governo e os homossexuais não vão aceitar (e não vão engolir) calados essa derrota momentânea que tiveram. Eu não me espantaria nem um pouco se eles recorrerem ao STF para anular a decisão desse juiz. Desse governo pró-homossexualismo, a gente não pode esperar nada de bom! Por isso, todo cuidado é pouco!

Espera-se que o pastor Silas Malafaia, de agora em diante, seja mais cuidadoso em suas opiniões pessoais. Eu, particularmente, não acho que seja adequado a alguém que se diz servo de Deus usar expressões do tipo "entrar de pau", "baixar o porrete" (e outras similares). A meu ver, isso é um palavreado mundano (inaceitável para alguém que se diz cristão). O apóstolo Paulo diz como o verdadeiro cristão deve proceder:

"Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade; linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe e não tenha nenhum mal que dizer de nós" (Tito 2:7-8)

Todo aquele que se diz servo de Deus tem que ter uma vida santificada, e tem que apresentar uma conduta condizente com a sua vida. Em outras palavras: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver. É como disse o apóstolo Paulo:

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita, e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

Tomara que o pastor Silas Malafaia se lembre disso antes de dizer qualquer coisa em público!

Marcio Estanqueiro disse...

Olá Julio Severo!
Não entendi esse título do post. Até quando por que? Acompanho seu blog, tenho ele no meu site, mas o que vc deu a entender? Por acaso é só o Silas que estará na frente dessa batalha? Tudo bem que vc é contra ele em algunpontos polemicos, mas acho que está contra o homossexualismo é algo que toda a Igreja deve defender, ou foi outra coisa que vc quis dizer? Por favor se puder esclareça. Abs.

Julio Severo disse...

Oi, Márcio! Muitos viram como vitória a recente decisão do juiz, achando que o juiz liberou críticas ao homossexualismo. Mas a decisão, conforme mostrei no artigo, nada teve a ver com homossexualismo. Ainda haverá muitos outros embates.

Will Filho disse...

A decisão foi em 1º instância, isso significa que o MP poderá solicitar revisão até mesmo do STF, que por sinal vem fazendo o papel do legislativo (um problema).

Acredito que o Juiz não se manifestou em relação a citação bíblica contra o homossexualismo, justamente porque é bíblica, ou seja, é de cunho religioso, direito ao exercício livre da crença. Uma manifestação contrária a isso, portanto, seria ainda mais absurda. O Juiz apenas soube separar as coisas.

Abraço.

Anônimo disse...

O Silas Malafaia em relação a "política" é do tipo: "leva quem dá mais". Basta, o mesmo, ver uma possibilidade de influência política para dar cabo a seus interesses estratégicos-financeiros religiosos, e então apoiaria Kassab (como indicou outrora), Lula (como já fez), Serra (nas eleições passadas, por interesse em concessão de TV), Marina (não serviu na verdade porque achou que era "bola fora", ou seja não levou fé que entraria), Eduardo Paes (como já acena), Lindenbergh e outros mais que virão. Silas só pensa "naquilo", ou seja, poder temporal, alianças-estratégicas, enfim reflexo de tudo que aprendeu e absorveu com Mike Murdock, Morris Cerrulo e Miles Munroe. Não estou falando de teologia, mas de sede de poder temporal.

Silas não é nada ingênuo ou bobinho. Bôbo é quem pensa que ele é bôbo. Já que o interesse dele é estratégico. Isso é o que faz ele mudar de discurso, seja teológico (teologia da prosperidade) ou no campo político (ao se defender com pífios argumentos sobre seu apoio a certos políticos que apoiam a agenda gay).

Sabe o porquê Silas não apoiou a Dilma? Simplesmente porque a Record/Edir Macedo já estavam no páreo, então partiu para o José Serra na esperança de conseguir a sua tão sonhada TV.
Segundo ele, a Marina foi descarta com base no argumento de que ela não se posicionou em relação ao aborto. Mas e o Eduardo Paes? Todos sabem o posicionamento dele. Mas porque convidá-lo para uma reunião com pastores. Isso é um absurdo!



Silas e Magno Malta são iguais a camaleão, mudam de cor conforme o ambiente. Ou pior, só enganam aqueles que fecham os olhos, tapam os ouvidos e querem ser enganados (mas eles sabem que Deus os conhecem e D'Ele não se escondem). Magno Malta (tem suas falhas, o seu calcanhar de Aquiles também fere, tem os pés de barro) não é nenhum baluarte ou ícone na/da política, assim como Demóstenes Torres prova não o ser.

O Silas então,... (aguarde as cenas dos próximos capítulos)

O que move esses homens, ou metaforicamente falando - "essas aves de rapina" - é o amor que eles têm pelo poder (querem ser notícia, pois amam a mídia; querem lucrar; ser eleito e não ficar de fora - no caso do Magno Malta - desse filão; cultivar suas sementes, ou melhor, seus impérios, para isso devem mostrar militância à causa; estar sempre em evidência e por aí vai). Mas como diria Paulo aos Filipenses:

“Todavia. que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei“. (Fp 1:18)

E a propósito. Júlio Severo, parabéns pelo post.

Irmão Marcos.

Julio Severo disse...

Marcos, você disse: “Silas só pensa naquilo, ou seja, poder temporal, alianças-estratégicas, enfim reflexo de tudo que aprendeu e absorveu com Mike Murdock, Morris Cerrulo e Miles Munroe”.

Quando Silas apoiou Lula em 2002, ele era contra a teologia desses três. Daí, ele já tinha esses interesses quando sua postura era contra os três.

Até onde eu sei, Mike Murdock e Morris Cerrulo não têm interesses políticos. Mas meu conhecimento é limitado.

Myles Munroe, sim, é um homem que deu apoio para Nelson Mandela na África do Sul. Mandela muito avançou para a legalização do aborto, homossexualismo e bruxaria na África do Sul.

Mas o ponto principal é que Silas Malafaia (assembleiano), Nilson Fanini (batista), Guilherminho Cunha (presbiteriano) e outros pastores ferrenhamente contra a Teologia da Prosperidade deram amplo apoio para Lula e para o PT em 2002.

Antes disso, Caio Fábio, que era contra a Teologia da Prosperidade, estava trabalhando muitos anos antes para promover Lula e o PT.

Marcio Estanqueiro disse...

Olá Julio Severo!
Entendi agora o que vc quis dizer.Na verdade o juiz não tinha outra alternativa, senão estaria rasgando a Constituição. Também acredito que nós como cristãos devemos nos posicionar políticamente, não que pratiquemos a mesma, porém saber o que está por trás delas, e nisso vejo que o Silas não se importa. Está claro que os políticos que estão no poder, aqui no Brasil, estão muito longe do Cristianismo. É preciso vigiar em tudo. Um abraço.

Marcio Estanqueiro disse...

Olá Julio Severo!
Entendi perfeitamente o que vc quis dizer. Na verdade se o juiz não desse causa ganha, estaria rasgando a Constiuição. Quanto a política, acho que aqui no Brasil devemos estar vigilantes, pois sabendo quem está no poder, não podemos achar que tudo está a nosso favor (cristaos). Acho que devemos conhecer tudo, inclusive política e nos posicionar, é lógico que fazer política é outra coisa. Não podemos acreditar em quem é a favor do abordo, do homossexualismo, do racismo, e da perseguiçào cristã. Está tudo muito claro. Um abraço.

Davi disse...

Obrigado por colocar em suas postagens o lugar correto de onde é Silas Malafaia (Assembleia de deus VITORIA EM CRISTO) e não da Assembleia de Deus, A igreja do ministério do Belenzinho ( a original)agradece.
favor tambem não confundir com a AD de Samuel Câmara que é diferente da original.apesar de estar em Belem.