27 de maio de 2012

Pastor presbiteriano, casado pela quarta vez, casa famosos e não crê em casamento para sempre


Pastor presbiteriano, casado pela quarta vez, casa famosos e não crê em casamento para sempre

Julio Severo
O jornal O Dia classificou, em entrevista recente, o Rev. Luiz Longuini como o “pastor das estrelas” e o “queridinho das celebridades”. Longuini, de 54 anos, é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) há 32 anos e hoje pastoreia a Igreja Presbiteriana do Rio Comprido, no Rio de Janeiro.
Casado pela quarta vez e pai de dois filhos, o professor de Teologia e Filosofia com doutorado na Alemanha é habilitado a realizar casamentos com efeito civil.
Rev. Luiz Longuini: divorciado três vezes, pregando a Teologia da Libertação e casando ao som de baianas e atabaques
Ele já realizou aproximadamente 1.200 casamentos. Entre famosos, a atriz Lavínia Vlasak e Celso Colombo Neto; a atriz Juliana Paes e Carlos Eduardo Baptista (empresário), a atriz Déborah Secco e o jogador de futebol Roger, o meia tricolor Thiago Neves e Marcella, Fabio Porchat e Patrícia Vasquez, Arlindo Cruz e Babi.
Além de se inspirar em Martin Luther King Jr., Longuini faz as cerimônias muitas vezes ao som de Raul Seixas, Tom Jobim, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Beth Carvalho, etc. As cerimônias às vezes também incluem baianas e atabaques.
O Rev. Longuini explica que sua forma de casar é inspirada no amor. Ele diz: “A postura que assumo perante o casal, a família e os convidados é ecumênica, de aceitação da realidade de todos. Não imponho fórmula ou doutrina. Não falo de religiosidade, mas de espiritualidade. O centro da espiritualidade é o amor”.
Longuini tem sido importante referência em obras da Teologia da Missão Integral. Ele é autor do livro “O Novo Rosto da Missão”, publicado pela Editora Ultimato. O resumo do livro esclarece que os “evangelicais, com medo de utilizar o termo ‘pastoral’, devido à forte conotação católica e à relação com o marxismo, preferiram utilizar o termo ‘missão’”, mas que os objetivos são os mesmos: “a inserção dos cristãos na sociedade, visando sua transformação”, a partir, é claro, de uma perspectiva esquerdista.
Sobre o casamento como uma aliança até que “a morte os separe”, Longuini ensina: “Aceitamos o divórcio… a possibilidade de reconstruir uma nova vida em amor e fidelidade…” Pelo jeito, quantas vezes ele achar necessário.
As posturas liberais do Rev. Longuini deveriam estar sendo alvo de condenações firmes, mas a vasta maioria dos calvinistas (onde se incluem os presbiterianos) prefere no Brasil atacar os neopentecostais. Sites calvinistas, como o Genizah, debocham incessantemente de igrejas neopentecostais, enquanto líderes calvinistas liberais são ali mesmo exaltados como referência.
É difícil saber se as grandes denominações presbiterianas dos EUA e Europa, que já sucumbiram diante do supremacismo gay e estão hoje ordenando pastores gays e lésbicas, terão alguma influência entre calvinistas e presbiterianos do Brasil. Mas os sinais não são bons. O exemplo do Rev. Longuini está aí, preparando a Igreja Presbiteriana no Brasil para mais liberalismo.
O Rev. Amaral tem também sido um queridinho da mídia brasileira. Pregue um “evangelho” ecumênico, ao sabor da Teologia da Libertação, e a mídia se encarrega de lhe dar IBOPE.
Evidentemente, muitos líderes da IPB e outros calvinistas não devem estar de acordo com o liberalismo do Rev. Longuini. Mas a voz deles precisa ser ouvida. O liberalismo e o esquerdismo precisam ser denunciados. Se eles permanecerem calados, vozes calvinistas liberais serão a única referência para outros calvinistas. É por isso que o tabloide sensacionalista Genizah tem feito tanto sucesso entre os calvinistas.
A Assembleia de Deus dos EUA e do Brasil não estão, nem de longe, pensando em ordenar homossexuais. Mesmo assim, calvinistas mal-intencionados como Danilo Fernandes, do Genizah, miram em grande parte Silas Malafaia, um pastor assembleiano.
Ele chama Malafaia de “vigarista”, sendo que os registros mostram que quem está com problemas judiciais nessa área é o próprio Danilo.
Enquanto calvinistas mal-intencionados atacam os alvos errados, outros calvinistas mal-intencionados se divorciam várias vezes, fazem casamentos ao som de atabaques e Raul Seixas e se unem a pais-de-santo, ou então defendem bispos vermelhos pró-poligamia.
Estão coando mosquitos, e engolindo manadas de camelos.
Com informações do Holofote e do jornal O Dia.
Sobre a revista Ultimato, cujo fundador e dono é presbiteriano:
Igrejas presbiterianas dos EUA e Europa sucumbindo diante do movimento homossexual:
Sobre divórcio:

21 comentários :

Xavier Campos Joaquim disse...

Misericórdia Senhor!

DeDé disse...

Cada vez mais se cumpre a Palavra do Senhor em nossos tempos, pois as informações vão chegando, graças a conectividade mundial da sociedade. E daí podemos sim cocluir q quando soubermos de tudo isso e mais um pouco, saberemos q a Palavra de Deus é correta.

Anônimo disse...

Ainda bem que a BÍBLIA SAGRADA a palavra de Deus fala que nos últimos dias surgiriam falsos pastores, profetas que negariam a eficácia da Fé começando primeiramente em suas próprias vidas aí tá a prova que tá mais aparecendo nesse mundo.
O que eu aprendo é que depois que um ser humano tem real encontro com Deus nunca mais é mesma pessoa ficar marcado.
Após isso o segundo acontecimento mais importante quando ele vai se realizar na vida sentimenatal encontrar a pessoa "certa" para se casar deixar claro aqui seu "sexo oposto" que será a sua alma gêmea vc terá certeza em Deus que pessoa vc vai fazer uma "aliança" diante principalmente de Deus no altar que o mais importante essa minha FÉ eu CREIO que Deus está preparando para mim a pessoa certa até porque preciso verificar para eu não errar tenho escolher com olhar espiritual e não natural e ter confirmação de Deus.
CASAMENTO É ALGO SAGRADO, SÉRIO DIANTE AOS OLHOS DE DEUS SÓ EXISTE "UM" CASAMENTO QUE AQUELA PESSOA VAI TE COMPLETAR ATÉ QUE A MORTE OS SEPARE ISSO LINDO DEMAIS COMO QUEM TEM ENCONTRO COM DEUS UMA EXPERIÊNCIA MAGNÍFICA.
TBM QUEM JÁ SE CASOU PODE DIZER ESSA EXPERIÊNCIA DE TODA ESPERA E DE SE GUARDAR EU ESPERO MEU DIA CHEGAR TBM(virgindade não é utopia que mundo fala por aí que nada está fora de moda isso conto do diabo quer vc cai no pecado seje igual a todo mundo até bom quero deixar esse recado para moças e rapazes cristãos nós fomos chamados para fazer a "DIFERENÇA" nesse mundo corrompido seja a idade que vc tiver respeite e tenha
TEMOR DE DEUS SE VC QUER SER FELIZ NA VIDA SENTIMENTAL ESSE MAIOR "SEGREDO" OBDEÇA A PALAVRA DE DEUS NÃO TEM OUTRA SAÍDA PORQUE NOSSO CORPO NÃO PARA "PROSTITUIÇÃO" ELE É O TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO DE DEUS NÃO PODE SER VIOLADO "FORA DO CASAMENTO" ESPERAR VALE A PENA ESSA MINHA FÉ QUE EU GUARDO ATÉ O FIM DEPOIS DA BENÇÃO NO ALTAR DE DEUS GUARDE A SUA INOCÊNCIA E PUREZA ISSO PRECIOSO AOS OLHOS DE DEUS QUEM QUER A HONRA DE DEUS VAI SE MANTER GUARDADA E GUARDADO PORQUE?
QUEM TEM ESPÍRITO SANTO DE DEUS EM SUA VIDA NÃO CONSEGUE PASSAR O "SINAL" MESMO QUE QUEIRA ISSO MAIOR PROVA QUE DEUS FALANDO COM A GENTE NOS ENSINADO E NOS ALERTANDO.
Ester!!!!!!!!!

pr Gui artista disse...

Eu acho que tais ministros que alimentam este pensamento doentio e profano deveriam criar sua própria denominação e não usar o titulo presbiteriano que é uma igreja seria comprometida com o evangelho e a salvação das almas.
Sou pastor presbiteriano pentecostal,nada tenho contra os calvinistas e sei que eles também estão fora desta enrascada .
Acho que comissão de doutrina da IPB deveria tomar uma providencia mais seria quanto a isto.

Anônimo disse...

Cada vez mais podemos ver a diferença entre o joio e o trigo, bodes e ovelhas.

Anônimo disse...

O cara casou quatro vezes?
Poxa...
Ele erra duas vezes. Primeiro, que se dizendo evangélico, deveiria saber que o divórcio não é bem visto aos olhos de Deus.
Mas, como "padre" - se notarem as vestias do fulano -, não deveria nem ter conhecido intimamente uma mulher.
Esperem que vem mais "bomba", a cerca dessa criatura. Talvez a proxima será ele fazendo o casamento do "excelentíssimo" Jean Wyllys com algum namorado!
A cada dia mais eu me convenço, quando a minha esposa diz: O VERDADEIRO CRISTÃO NÃO PERTENCE A ESTE MUNDO!!!
Fabiano Santos

Rev. Ageu Magalhães disse...

Caro Júlio, boa parte dos pastores presbiterianos condena liberalismo, divórcio e ecumenismo. O que ocorre é que esta maioria não é querida pela mídia e, então, o que aparece nela são os polêmicos. Mas, eu repito, estes polêmicos representam menos 1% da denominação. A ala mais bíblica da igreja enfrenta grandes lutas nos concílios internos, mas isso também não vem a tona. Pode acreditar, meu amigo, que a ala fiel da Igreja tem lutado bastante. Um forte abraço.

Casal 20 disse...

Assino embaixo das palavras do Rev. Ageu.

Abraços sempre afetuosos, Julio.

Fábio.

Anônimo disse...

Sei nao viu... O pessoal poderia simplificar as coisas. A Palavra de Deus está aí, pra gente tentar seguir com humildade, mas quem não quer, não tem problema. Cada um é responsável por si. è só dizer: eu sei o que a Bíblia diz, mas não faço pq nao quero. Pronto, fica até bonito e honroso. Mas a galera quer pq quer mudar a verdade de Deus pra dar sustento as suas mentiras... assim nao dá!

MARIA disse...

Misericórdia! O sangue de Jesus tem poder!!! Demônio puro esse Longuini!

rvpss disse...

GOSTARIA DE DIZER QUE...
Sou pastor presbiteriano com muita honra e que jamais apoiei o liberalismo. Estou muito indignado com essas notícias, e muito envergonhado, pois o nome da IPB, Igreja amada onde Deus me salvou, está sendo agredido e manchado diante da sociedade. A imparcialidade é fundamental como princípio de justiça. Não podemos nos calar apenas porque quem errou é presbiteriano... Faço um apelo aos Conselhos, Presbitérios e Sínodos dos pastores citados acima, e até do Supremo Concílio da IPB, que tomem providências, uma vez que isso é pecado "PÚBLICO E NOTÓRIO". E que o liberalismo seja contido e o nome da Igreja Presbiteriana do Brasil seja mantido limpo, com a fidelidade bíblica e doutrinária que sempre a primou como Igreja Reformada. No entanto, sejamos realistas, essas manifestações do liberalismo não são novidade, como também não é novidade que o sr. Longuini tem uma péssima reputação no seio da IPB, tanto por seus vários divórcios quanto por seus discursos. Estes srs. fazem parte de uma ala liberal que ainda sobrevive em nosso meio. Ora, se eles amam tanto o liberalismo, poderiam ir para uma denominação que fosse a cara deles (IPU por exemplo). Mas seriam eles homens suficientemente para deixar o cuidado e o amparo da Igreja local, e serem honestos consigo mesmos? A história prova que não! A Igreja Presbiteriana do Brasil é em sua grande maioria conservadora e tradicional, no entanto existem vários pastores que vivem de namoricos com o liberalismo e outros que até já assumiram abertamente essa postura. Se eles têm agido desse modo, ao ponto de seus atos alcançarem tamanha repercussão na mídia, é porque não é de hoje que eles agem assim. E mais: eles têm tido o apoio de seus Conselhos locais e Presbitérios. A IPB precisa tomar uma posição urgente, a nível nacional, a partir do nosso Supremo Concílio, para que essa onda de liberalismo seja contida imediatamente. A omissão tem um preço alto: vergonha, opróbrio, o nome dessa denominação histórica tão honrada sendo difamado, a invasão do mundanismo e do pecado, e a morte espiritual nas Igrejas. Muito cuidado: Deus nos julgará! Não podemos nos calar! Se você fica indignado (a) como eu fico, fale, divulgue, manifeste sua indignação! (http://goo.gl/aXYie)

Anônimo disse...

Rvpss, pq o sr não encaminha via conselho de sua igreja a denúncia, p siga a tramitação legal até a devida instauração do tribunal competente. o próprio Julio Severo poderia assim fazer. Qualquer dúvida, ele poderia consultar na net o Código d disciplina e Constituição da IPB.

Mary disse...

Sou membro de uma igreja batista há pouco mais de 2 anos, porém nasci e fui criada em uma igreja presbiteriana, na qual grande parte da minha família congrega e onde tenho grandes amigos. Fico muito triste ao ver notícias assim, porque, infelizmente, todas as igrejas de todas as denominações, sem exceção, apenas enxergam como pecado digno de disciplina, afastamento da comunhão ou até mesmo exclusão do rol de membros (como é o caso da IPB), o pecado sexual, mais especificamente o adultério e a fornicação. Como ex-membro da IPB eu sei que qualquer membro que seja provado que cometeu adultério ou fornicação é excluído do rol. Mas até hoje não tive notícias de ninguém que tenha sido posto em disciplina por causa de fofoca, intriga, mentira, ou que tenha sido excluído do rol de membros, como esse homem deveria ser, por ser adepto ao ecumenismo. É o mesmo que ser "pastor" e ministro do candomblé. Mas creio, porque conheço muitos líderes presbiterianos, que há muitos verdadeiros cristãos na IPB, dispostos a lutar pela integridade espiritual da igreja, mas para isso eles precisam deixar de lado certas burocracias e formalidades que em nada acrescentam e tomar coragem para abrir os olhos da igreja e fazer exigências ao Supremo Concílio.

rvpss disse...

Mary, IPB tem um código de disciplina que precisa ser seguido sempre que necessário, mas a exclusão nunca é aplicada assim de pronto. Os passos disciplinares são: admoestação, afastamento da comunhão (e cargos), e por último exclusão, quando não há demonstração de arrependimento por parte do faltoso. Convenhamos que adultétio e fornicação são pecados muito mais graves que fofoca. No entanto o faltoso, mesmo que seja por motivo de fofoca, pode sim ser disciplinado quando necessário (conheço vários casos). O pastor faltoso é disciplinado pelo Presbitério, mas o Conselho exerce o papel de gestor na Igreja local, e tem autoridade para solicitar a substituição do pastor e denuncia-lo ao Presbitério. Qualquer membro da Igreja também pode denunciar oficiais ao Conselho, inclusive pastores, em caso de pecado. Nos casos acima parece haver uma complacência geral. Tristemente o formalismo, a burocracia e a política eclesiástica, tornam o terreno fértil para o surgimento dessas manifestações ecumênicas em âmbitos locais e até regionais. Finalizando, creio que o problema aqui é o problema do pecado que é inerente ao ser humano, independente de qual denominação for, seja presbiteriana, batista ou pentecostal (se procurar vai encontrar problemas em todas). E pecado precisa ser tratado com firmeza, sem perder de vista o amor.

rvpss disse...

Bom dia Mary. Completando o que eu disse acima, veja o que a Aliança de Batistas disse oficialmento em seu pronunciamento em relação à decisão do STF, quanto a união de pessoas do mesmo sexo - casamento gay. (Copie e cole esse link: http://goo.gl/suPmZ).

rvpss disse...

Julio Severo, o sr ainda não publicou a minha resposta ao comentário do sr "anônimo". Espero que seja mero esquecimento, ok?

Mary disse...

rvpss, sou membro da batista, mas há tempos me decidi ser cristã e não religiosa. Hoje estou em uma igreja batista (que, graças a Deus, não se aplica, de forma alguma, ao pronunciamento da Aliança de Batistas), mas se algum dia a liderança da igreja se desvirtuar da Palavra e se conformar com este século, eu tô partindo pra outra que seja a verdadeira igreja de Cristo. Não estou à procura de igrejas e pessoas perfeitas, porque essa igreja, só na glória. Falei sobre fofoca e mentira, não querendo igualar a gravidade das ações (apesar de que pecado não tem tamanho), mas porque vi um caso de "quase" divórcio envolvendo um pastor, onde uma 3ª irmã disse que apoiava totalmente e ainda colaborou para que tudo "desse certo", levando e trazendo recados e tudo mais. E essa mesma irmã não sofreu nenhum tipo de disciplina. Mas, voltando ao caso principal, esse homem já casou 4 vezes, continua pastoreando e fazendo essas asneiras, assim como o Marcos Amaral. São casos que vieram a público a nível nacional. Ninguém tá vendo isso? Porque eu acho que teve tempo suficiente para seguir o código de disciplina. Como você disse: "os passos disciplinares são: admoestação, afastamento da comunhão (e cargos), e por último exclusão, quando não há demonstração de arrependimento por parte do faltoso." O que me entristece é que, pelo nível de repercussão, essa complacência, que você citou, está chegando aos mais altos níveis da hierarquia da igreja, que não tem se pronunciado, (como o Júlio Severo costuma dizer: não tem sido como Elias).

Julio Severo disse...

Vejam bem que esse pastor viciado em divórcio e recasamento tem um livro publicado pela Ultimato. Já fequentei uma igreja da IPB onde se fazia assinatura coletiva da Ultimato. O próprio presbitério tinha orientação nesse sentido. O pastor local fazia todos os líderes terem assinatura dessa revista pérfida, cheia de esquerdistas, que era pintada como referência e equilíbrio.

Eu conheci a Ultimato pela primeira vez nessa igreja, e nunca mais me esqueci de seu esquerdismo.

rvpss disse...

Bem, parece que eu acabei ficando na "berlinda", e aqui o amor precisa ser a base de nosso cristianismo. Pessoal, não sou o porta-voz da IPB, falo como pastor e membro dessa Igreja que é uma mui AMADA E HONRADA INSTITUIÇÃO DE CRISTO. Nasci num lar presbiteriano conservador, não sou liberal. Resolvi falar e mantenho-me em minha posição. Pois bem. Mary, eu citei a Aliança dos Batistas para reforçar o que disse anteriormente que problemas serão encontrados em toda e qualquer instituição. Eu sei que a posição ali não é a posição oficial da Convenção Batista, mas não é de uma Igreja ou pastor isolado, é uma Aliança de pastores batistas, e bem liberais por sinal... Ah, será que algum deles foi disciplinado? Ou apoiar o casamento gay é menos pecado? Aliás me parece que há uma ala de liberais na Igreja Batista, veja essa matéria que foi escrita por um pastor batista (http://www.crerepensar.com.br/na-sola-dos-cinco-solas/). Me perdoem, não sou acusador, estou apenas me defendendo. Bem, vc disse que sairia da sua denominação sem prbls, isso é bem particular seu, mas é muito cômodo, já pensou se todos fizerem isso? Então vc poderia fazer diferença na sua denominação denunciando os faltosos que tem aí, afinal sei que a sua Igreja também possui um código de disciplina. Sei que ela é uma Igreja história das boas, e não é meia dúzia de liberais que vai tirar a honra de sua denominação. Conheço vários pastores batistas, mas assim como a IPB, ela também é uma Igreja heterogênea, não há ditadura, mas livre pensamento a partir da doutrina básica, que é a Teologia Reformada. No nosso caso não temos um "papa" (graças a Deus) não existe "vaticano" aqui, e as disciplinas são aplicadas a partir do âmbito local e regional. No meio de tantas atividades do nosso dia a dia, fica difícil entrar com documentos num presbitério de outro estado. Imagine como isso é complicado... Eu tenho minhas responsabilidades com a Igreja da qual sou pastor...

Se fico indignado com os pastores presbiterianos citados, igualmente fico ao ver um pastor batista que diz "por na sola" os Cinco Solas... Que pretensão hein! Também fico indignado quando vejo uma Aliança de Batistas defendendo o casamento gay... Mas nem por isso vou desmerecer a sua denominação.

Julio Severo, cuidado com a arrogância, vc não é juiz para dizer que esse ou aquele pastor é "viciado" em divórcio... A Bíblia nos alerta que Deus resiste aos soberbos. O seu blog tem tudo para ser uma bênção, (e é), mas certas asseverações suas podem por tudo a perder, não baixe o nível desse instrumento de conscientização para um local de briguinhas de gueto. Seria muito mais sábio de sua parte assumir uma postura um pouco mais neutra, sem querer ser o juiz, deixe esse papel para o Juiz Supremo, apenas exponha os fatos e se condenar faça-o dentro da Palavra, como verdadeiro apologeta. Expressões como "essa igreja" ou "revista pérfida" podem denunciar uma intenção sua de conduzir o debate, e isso não seria nada legal para vc, que tanto condena a manipulação de informações... (Espero que vc publique isso).

Nosso papel como servos em Cristo Jesus não é condenar denominações. Expor o erro sim, mas não caiamos no erro da generalização.

Anônimo disse...

Isso ali não é pastor. Nem de perto. Se o fosse, leria a Bíblia. E nem estaria com esta cara de quem está feliz.

calebe disse...

Meu caro irmão Júlio:
Leio constantemente os seus artigos e tenho admiração por sua coragem em defender os princípios evangélicos. Li esse artigo sobre o pastor da IPB de Rio Comprido. Conheço muitas das posições dele. Discordo delas, especialmente da que é tratada no seu artigo. Mas o que quero considerar não é a posição desse pastor mas as suas afirmações sobre os calvinistas. Sobre isto, gostaria de destacar o seguinte:
1. Esses calvinistas, com todo o respeito, eu os chamaria de "calvinistas de araque";
2. Há muitos que se dizem calvinistas, mesmo alguns até com cursos de mestrado ou doutorado, dizem que o são, mas na verdade não praticam os princípios do chamado calvinismo;
3. Quem conhece e aceita os Cinco Pontos do Calvinismo (eu prefiro chamá-los de Cinco Pontos da Fé Evangélica), visto que quando foram aprovados Calvino já havia falecido. O nome calvinismo foi dado em homenagem ao grande reformador que defendia exatamente os princípios bíblicos dos Cinco Pontos aprovados no Sínodo de Dort, na Holanda, em 1608. Aliás, pontos da fé evangélica aprovados oficialmente por um Sínodo por culpa dos discípulos de Arminius que encaminharam ao Sínodo cinco pontos da crença semi-pelagiana de Jacob Hermann Arminius. Tanto foi dado o nome de Cinco pontos do Calvinismo em homenagem ao grande reformador que, o chamado "príncipe dos pregadores batistas", Charles Haddon Spurgeon disse o seguinte sobre esses Cinco Pontos doutrinários: "Deleito-me em proclamar estas velhas e fortes doutrinas apelidadas de Calvinismo, porque são certa e seguramente a verdade revelada por Deus, como ela está em Jesus Cristo";
4. Esses calvinistas, que eu chamo de araque (com todo o respeito), também citam, em muitos casos, as Institutas de Calvino, mas não sei se já as leram ou se apenas ouviram falar porque, se eles a tivessem lido de verdade e as aceitassem, jamais teriam as posições que o irmão constantemente cita em seu blog. Bataria citar o que Calvino diz no Livro I, item 9, em carta que endereça ao rei Franciso I, da França, sobre "O Valor do Costume", para provar que eles nada têm de calvinistas. Diz o grande reformador, na carta aludida:
"Agora, pois, lancem eles (os inimigos do protestantismo), como quiserem, exemplos diante de nós não apenas dos séculos já decorridos, mas ainda dos tempos atuais. Se santificarmos ao Senhor dos Exércitos, não seremos grandemente espantados. Ora, ainda que muitos séculos tenham concordado com a mesma impiedade, poderoso é Aquele que exerce vingança até à terceira e quarta geração (Ex 2.5; Nm 14.18; Dt 5.9), ainda que o mundo todo, ao mesmo tempo, conspira na mesma perversa maldade, Ele nos tem ensinado, pela experiência, qual é o fim daqueles que transgridem com a multidão, como quando destruiu, pelo dilúvio, a todo gênero humano, preservando a Noé com sua pequena família, o qual, por sua fé, e fé de um só, condenou o mundo todo (Hb 11.7; Gn 7.1).
"Afinal, continua o grande reformador, o mau costume não é outra coisa senão algo como uma peste pública, que acaba vitimando a todos quantos caem na multidão. Além disso, seria conveniente que levassem em conta o que Cipriano diz em certo lugar: 'Os que pecam por ignorância, embora não possam ser considerados como não culpados, podem, contudo, de certo modo, ser escusados. Os que, porém, rejeitam, teimosamente, a verdade pela benevolência de Deus, não têm como se desculpar'"; os calvinistas sempre citados por você, que eu chamo de "calvinistas de araque", se enquadram perfeitamente nas palavras de Calvino, especialmente na citação que ele faz de Cipriano. O costume deles os condenará, sem nenhuma dúvida;
5. Concluo lembrando que, um grande pesquisador como o irmão verdadeiramente é, deveria fazer a devida distinção entre os "calvinistas de araque" e os verdadeiros calvinistas para que quem o lê não chegasse à conclusão de que o irmão confunde "alhos com bugalhos" ou "Garibalde com balde do gari".
Atenciosamente,
D. G. Rocha