19 de maio de 2012

O “pecado mortal” de duas evangélicas: reclamar do barulho numa das ruas mais barulhentas de SP


O “pecado mortal” de duas evangélicas: reclamar do barulho numa das ruas mais barulhentas de SP

Advogada e pedagoga reclamaram do barulho em frente a uma casa de swing nessa que é uma das regiões mais movimentadas da capital paulista (especialmente à noite). Sem constatar barulho suficiente, um promotor público resolveu processar as duas, acusando-as de “patrulhamento moral”. O motivo? Ambas são evangélicas.
“Eu nunca fui tão humilhada em toda a minha vida”, disse Raquel Barcellos, advogada, à reportagem do jornal Agora. “Não temos por que mentir. O promotor tratou a gente como dois cachorros sarnentos”, completou Elizabete Cassavara, 47, pedagoga e síndica do edifício Augustus, vizinho da boate. (http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/43215-reclamacao-sobre-barulho-em-casa-de-swing-se-volta-contra-as-denunciantes.shtml)
Segundo ele (o promotor), as moradoras fizeram “patrulhamento moral” porque elas se incomodam com o tipo de frequência e de prática que há na boate Nefertitti. “É um egoísmo da parte de pessoas que não sabem conviver em sociedade”, disse. O promotor pediu que a polícia instaure inquérito para investigá-las por denunciação caluniosa, crime com pena de até oito anos de prisão.
Tanto o promotor quanto a fiscalização da Prefeitura alegam que não há barulho suficiente da parte da casa de swing que justifique qualquer reclamação. Para quem não conhece a região, entretanto, é importante ressaltar que a movimentação e a bagunça (especialmente após as 22 horas, quando intensifica-se o trânsito de carros e pedestres em decorrência das inúmeras casas noturnas existentes na rua) são generalizadas, o que pode confundir tanto os moradores, quanto os fiscais, a respeito da origem do barulho, por exemplo.
O que espanta na história toda, ademais, é a ênfase dada à “religião” das denunciantes, expostas agora à humilhação pública conforme deixa claro a notícia de jornal. O vereador Carlos Apolinário, que também é evangélico, manifestou-se a respeito disso na Folha de S.Paulo: “Raquel abriu representação na OAB contra o promotor. Não entro no mérito da denúncia feita por ele. O que me preocupa neste episódio é o juízo de valor que o senhor promotor faz sobre o comportamento delas, relacionando-o à religião, pois dá a impressão de que se trata de preconceito religioso.” (http://carlosapolinario.blogspot.com.br/2012/05/folha-publica-carta-de-minha-autoria.html)
De agora em diante, é mais do que justo esperar que, sempre que alguém fizer qualquer reclamação de barulho na cidade de São Paulo, seja levada em conta não só sua religião, como também seus hábitos e preferências sexuais: quem diz que eventual reclamação contra ruído alto em templos religiosos não terá partido de algum praticante de swing, por exemplo?
Fonte: MídiaMais
Divulgação: www.juliosevero.com
Professora pode ser punida por expressar consolo de Cristo

10 comentários :

Anônimo disse...

Nos últimos tempos, é cada vez mais perigoso demonstrar possuir bom senso, honestidade e ética.
A cada dia se torna mais conveniente concordar com desonestos, e até apoiar os tolos.
Ou...
...por estas e outra vale a pena se sentar na sombra da aboboreira e observar....
Aff!...

Marcio Gil disse...

O que fica claro,é que a interpretação de muitas pessoas usando cargos públicos para discriminar, restringir direito de opinião, de direitos iguais de tratamento perante vários seguimento sociais e de humilhar evangélicos ou católicos praticante, querendo impedir a sua cidadania e torná-los sub-cidadãos indignos, mostra-se a como a face da intolerância contra cristãos. Existe uma pré-disposição de muitos que tem o poder na mão para combater qualquer existência cristã. Não podemos aceitar isto. Parabenizo vareador Apolinário pela manifestação e às duas irmãs vão à luta e exijam os seus direitos.

ELISEU disse...

Sabem qual é a verdade? O diabo e os demônios se sentem incomodados quando alguém mostra as verdades da Palavra de Deus. O diabo não quer que ninguém seja salvo. Ele sabe que o tempo dele está se acabando, e que o destino final dele e de seus seguidores será o lago de fogo quando Jesus voltar.

Mas o verdadeiro cristão não pode ficar calado. O verdadeiro cristão não pode deixar de falar da Palavra de Deus, seja onde estiver. É como disse o apóstolo Paulo:

"Que pregues a palavra, que instes a tempo e fora de tempo, que repreendas e exortes, com toda a longanimidade e doutrina" (2 Timóteo 4:2)

Desde já, dou meu apoio total à advogada e à pedagoga deste artigo. E deixo para ambas alguns versículos para reflexão:

"No mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo" (João 16:33)

"Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida" (Apocalipse 2:10)

"Bem-aventurado é o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, e não se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na lei do Senhor; e nela medira dia e noite" (Salmo 1:1-2)

"Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre" (Salmo 125:1)

Abraão disse...

Me lembrei daquela parte em que os moradores de sodoma gritavam para Ló, requerendo que os anjos do Senhor saíssem da casa dele.

Fabiano disse...

Assisti esta reportagem em um tel-jornal do SBT. O tal promotor alegou que foi pessoalmente ao local, e não constatou barulho suficiente para gerar denúncia. Lógico, os donos do "bordel" já haviam sidos avisados do comparecimento do tal magistrado. A apresentadora do tele-jornal prometeu enviar um reporter disfarçado, para colocar esta estória a limpo, pois ela já sabia da fama barulhenta do tal cabaré. Então, agora quer dizer que evangélicos perderam até o direito de denúncia? Dequi a pouco, se um evangélico for assaltado, não poderá nem fazer um BO, pois poderão alegar que ele está se baseando na passagem que Jesus condena o ladrão. O bom mesmo seria parar as 3 horas da madrugada na frente da casa desse tal promotor, com esses carros barulhentos que a molecada usa hoje, só pra ele provar do próprio veneno!

Anônimo disse...

Que absurdo agora temos que ficar calado com a "iniquidade" que cada dia nesse mundo está mais DESCARADA E SEM RESPEITO COM PRÓXIMO ANTIGAMENTE SÓ PEGAR HISTÓRIA OS BÓRDEIS ERA ALGO ESCONDIDO E NO FUNDO DO QUINTAL PORQUE TODOS ESTAVAM NO ERRO SABE O QUE FAZIAM NÃO ERA ALGO DINGO E DECENTE.
E HOJE ESTÁ QUERENDO SER FEITO NA RUA E LUZ DO DIA E DA NOITE DEITANDO E ROLANDO FAZENDO BAGUNÇA SEM CERIMÔNIA AI NÃO DÁ NÉ AFF CADÊ RESPEITO AS PESSOAS E FAMÍLIAS???.
Ester!!!!!

Fabiano disse...

É verdade, Ester.
Essa gente ainda vem falando em democracia, liberdade de expressão e bla bla bla... Mas que liberdade é esta, que só os "errados estão certos"?
Que liberdade é esta, que te priva de ter uma saudável noite de sono?
Tenho noção que sou tachado de ignorante por muitas pessoas que me conhecem... Mas, se for pra ser processado por um serzinho imoral, igual este tal promotor, eu acabaria com essa "desordem pública" pessoalmente... Quer reverter a situação e me colocar atrás das gardes? Vai fazer com motivos óbvios!!!

Nil disse...

Vejam a definição de SWING
Significado de Swing:

Orgia sexual entre dois ou mais casais.
Troca de parceiros durante sexo grupa.
Exemplo do uso da palavra Swing:

Sexo grupal onde pessoas trocam de parceiro, misturam-se. Ou seja é um nome mais chique para a dita suruba
Vejam uma reportagem da Revista Gloss :O que rola nas casas de Swing http://gloss.abril.com.br/sexo-amor/conteudo/swing-baladas-liberais-511877.shtml

http://pt.wikipedia.org/wiki/Swing_%28sexo%29

http://www.casalsemvergonha.com.br/2012/01/22/sexo-em-uma-casa-de-swing/

Nós ficamos tão ocupados com homossexualísmo, pedofilia e nos esquecemos um pouco de outras formas de perversão sexual, igualmente degradantes e imorais como o Swing.

O que este promotor vez foi algo absurdo. Essas mulheres moram perto de um lugar onde estes Deprados usam para fazer suas perversões sexuais e mesmo assim só reclamam do barulho.

Noutros tempos quando no Brasil não havia tanto relaxamento moral, a população depredaria essa casa de prostituiçao. Melhor ! Ela jamais existiria.

Num país muçulmano hoje depredariam a casa e lixariam os depravados.

Mas ! Este promotor numa inversão de valores tremenda ao invês de fazer Justiça,defender os bons costumes e a Familia .
Prefere condenar essas pobres mulheres e sair em defensa dos depravados e seu lugar de perversão sexual.

Este promotor esta incentivando tremendamente para que este tipo de perversão sexual cresça muito mais.
Os praticantes do tal SWING devem estar eufóricos com a aprovação da justiça (ou do promotor) ao seu comportamento.

Na realidade este promotor é um ativista do Marxismo Cultural e contra a Moral judaica-cristã.

http://omarxismocultural.blogspot.com.br/

Que o fato abra nossos olhos.

Manda Bala disse...

A Promotoria e o Ministério Público viraram antros de marajás do PT, sem nenhum apêgo à justiça ou à população.
Não servem para nada.

Jessica Wilhelm disse...

Primeiro que esse tipo de "CASA" deveria ser proibido, todas deveriam ser fechadas, engraçado como a sociedade é hipocrita, uma igreja é fechada ou multada por "barulho" mas uma casa do inferno como essa pode incomodar os outros né? Brasil, é uma pais muito hipocrita pqp.