7 de maio de 2012

Medo de perder eleições leva PT a evitar debate sobre aborto


Medo de perder eleições leva PT a evitar debate sobre aborto

Julio Severo
Líderes do Partido dos Trabalhadores (PT) estão preocupados com a possibilidade de que o aborto, “casamento” gay e outras questões morais e éticas sejam introduzidas nas campanhas eleitorais municipais deste ano. O desespero principal é que essas questões possam trazer ameaças aos candidatos petistas, que ainda se recordam de como Dilma Rousseff estremeceu quando quase perdeu a eleição presidencial de 2010 por causa de posturas envolvendo o aborto.
Aliás, ela só não perdeu a eleição porque teve de assinar um compromisso público com líderes evangélicos de não permitir que seu governo promovesse o aborto…
O PT não quer a repetição desse perigo. Por isso, líderes petistas estão se manifestando publicamente pedindo que o aborto e outros assuntos não entrem nas campanhas eleitorais. O deputado estadual petista Edinho Silva disse: “A religião não pode ir para o embate político, isso é muito ruim, muito perigoso. Não devemos instigar a disputa religiosa em processo eleitoral”.
Uma reunião oficial de líderes petistas também já foi realizada, onde foi determinado que o aborto e outros questões morais devem ficar de fora das campanhas.
O entendimento ideológico do PT é que toda oposição ao aborto, ao “casamento” gay e outras ameaças morais configura “postura religiosa”. Já a aceitação do aborto e do “casamento” gay representa mentalidade aberta e progressista, defesa do Estado “laico”, etc.
Por isso, evitar “temas religiosos” é uma tentativa petista desesperada de proteger seus candidatos que defendem aberrações. Fernando Haddad, candidato do PT para a prefeitura de São Paulo, ficou famoso com o kit gay, que ele mesmo ajudou a promover. Se a questão gay entrar na eleição de São Paulo, Haddad pode perder feio.
Claro que José Serra, o opositor de Haddad, não fica atrás na obsessão gayzista. O Estado de São Paulo, sob o governo do PSDB, foi o que mais avançou na implementação de políticas anti-“homofobia”. Há o caso de uma dupla gay que, depois de estuprar um menino de 5 anos, foi favorecida pelo governo do PSDB do Estado de São Paulo. Há também o caso escandaloso onde um gay entrou no banheiro feminino, assustando uma menina de dez anos, mas pela lei anti-“homofobia” do PSDB do Estado de São Paulo, a preferência foi para o gay, não para a menina.
Para os eleitores, as escolhas são terríveis. Se correr, o bicho (Serra) pega. Se ficar, o bicho (Haddad) come.
Se os “temas religiosos” (oposição ao aborto, ao “casamento” gay e outras ameaças morais) prevalecerem, a população ganha.
Contudo, se as “mentalidades abertas e progressistas” (aceitação do aborto, do “casamento” gay e outras aberrações) prevalecerem, tanto Haddad quanto Serra podem facilmente ganhar.

13 comentários :

ÉLQUISSON disse...

Este ano (2012) é ano de eleição para prefeito e vereador. A hora da mudança (no sentido de tentar apagar parte dessa imagem negativa que temos da nossa política) é agora. É hora de sabermos usar a arma que temos: o voto. Só depende de nós mesmos.

Por que eu digo isso? Porque existem coisas que somos nós que resolvemos (não é Deus). No caso, trata-se de saber votar. Não podemos pedir a Deus para resolver um problema (como este do voto) que nós mesmos podemos resolver.

Por que a questão do voto não pode ser resolvida por Deus? Por uma razão muito simples: um anjo não possui título eleitoral. Um anjo não vai descer do Céu para escolher o nosso candidato. Somos nós mesmos que vamos fazer isso.

Uma coisa é certa: temos que assumir as conseqüências das escolhas que fizermos. Se votarmos errado, nós mesmos seremos culpados. Depois, ninguém venha querer fazer campanha de oração para que Deus tire do poder um político corrupto que nós mesmos elegemos!

Aproveito para dar mais algumas sugestões:

- O povo tem que ser suficientemente esclarecido através dos verdadeiros servos de Deus para não se deixar manipular por nenhum órgão informativo "oficial" (leia-se Rede Globo);

- Orar a Deus, pedindo discernimento na hora de votar (para não ser enganado pelos muitos lobos em pele de cordeiro que sempre aparecem em todas as campanhas eleitorais);

- Cobrar de quem for eleito que cumpra as promessas feitas durante a campanha;

- Mobilizar o povo para protestar todas as vezes que for necessário.

Não estou dizendo que isso vai acabar de uma vez com a sujeira da nossa política, mas já é o primeiro passo para uma conscientização política do povo em geral. Isso para que o governo saiba que nem todo mundo pode ser facilmente manipulado.

Espero que estas sugestões sejam analisadas por pessoas de bom senso, para termos um povo esclarecido o suficiente em termos de conscientização política.

P.S: Se alguém quiser se manifestar, esteja à vontade.

ELISEU disse...

No episódio da tentação no deserto, o diabo, ousadamente, ofereceu todos os reinos do mundo (e suas riquezas) a Jesus, dizendo: "Tudo isto eu Te darei, se, prostrado, me adorares" (Mateus 4:9). Mas Jesus rebateu com firmeza todas as investidas do diabo ao dizer: "Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e somente a Ele servirás" (Mateus 4:10)

O Estado marxista–comunista–esquerdista–socialista age da mesma forma (igual ao diabo) quando propõe ao povo: "Tudo isto (saúde, moradia, educação, empregos, segurança, e outros benefícios) eu te darei se você eleger os meus representantes (do PT e de outros partidos com a mesma agenda política) e deixar que, através deles, somente eu (e não Deus) satisfaça todas as suas necessidades"

Considerando que o povo que não tem conscientização política vota mais com a barriga do que com a cabeça, a maioria não resiste a essa tentação (principalmente quando o Bolsa–Família é oferecido)!

A mesma coisa acontece quando esse mesmo Estado diz aos políticos da bancada evangélica: "Tudo isto (cargos com altos salários, concessões de emissoras de rádio e canais de televisão, e mil e uma mordomias) eu te darei se você permitir que eu aprove as minhas políticas (a favor do aborto, do homossexualismo e da perseguição aos cristãos) e não faça (e nem diga) nada contra o meu governo"

Considerando que muitos desses mesmos políticos estão se vendendo (ou sendo facilmente influenciados) por qualquer coisa, a maioria aceita sem questionar (ainda mais quando vê muito dinheiro à sua frente)!

Alguém concorda comigo?

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Não só eu assino embaixo o que o Eliseu disse, como eu ainda acrescentaria o seguinte: não foi só a bancada evangélica que se vendeu. Os eleitores evangélicos em si, na hora em que caíram na lábia da "terrorista" (que se comprometeu, com a maior cara de pau, em não legalizar o aborto), já mostraram a sua fraqueza em se deixar levar pelas promessas mentirosas de candidatos corruptos (não só do PT, como de outros partidos que têm a mesma agenda). Realmente, fica muito difícil confiar nos que se dizem servos de Deus em termos de conscientização política.

Acreditar que algum político do PT (ou de outro partido que pensa e age igual) vai cumprir o que promete (ou acreditar que esse mesmo político está falando a verdade) é o mesmo que acreditar que o diabo se converteu a Jesus! Foi justamente por isso que o apóstolo Paulo disse:

"Seja Deus verdadeiro e todo homem (principalmente político) mentiroso" (Romanos 3:4, o parêntese é meu)

Será que eu estou certo?

Anônimo disse...

Boa noite, irmão Júlio,

Estou lendo os comentários postados, e concordo com todos! Tudo bem bonitinho... Mas basta o candidato do PT prometer que não vai fazer - o que esquece que prometeu e faz - para as opiniões mudarem. Foi assim com a candidata Dilma. Ou o (des)governo Dilma não está pomovendo o casamento gay e o aborto? Claro que está!! E as decisões do STF? Que rasgou a nossa Constituição quais foram? Quantos ministros Lula colocou no STF e Dilma quantos? Alguém aqui acredita na imparcialidade de "nossa justiça"? Porque eu não acredito nem um pouco! As únicas instituiçãos que eu acreditava eram os MPE e MPF... Eu disse acreditava, porque depois de ver essas instituições a serviço da "agenda gay", deixei de acreditar. Sem falar nas condições absurdas em que se encontra o irmão Julio Severo... Condenado por uma lei que "existe".
Nos estamos igual a um "cego armado no meio de uma geurra"... temos arma do voto e nunca sabemos como usar.
Só quero ver, se vai ter algum evangélico que que vote em algum cadidato do Partido das Trevas. Vou aguardar pra ver!!
A amioria da sociedade brasielira é contra o aborto, é contra o casamento entre aberrações... Quem elegem os políticos? É a maioria ou a minoria? Então, o que está acontecendo de ruim em nosso país, a maioria de nos somos os culpados.
"Errar á humano, continar persistindo no ERRO... É???

Um abraço do amigo baiano,
Lúcio

Trindade disse...

Olá Júlio como sempre belo texto, só não concordo que ela só não perdeu a eleição porque assinou uma carta de intenção, porque na verdade o resultado seria outro se a CNBB não tivesse pipocado, digo isso porque uns bispos se manifestaram e a maioria dos outros membros da CNBB se omitira e outros ainda informaram que a regional de onde criaram os panfletos não representavam a entidade e por fim a história final foi que o TRE apoiou o PT e apreendeu o material (censurou) que depois foi descaradamente devolvido, lógico após as eleições.
Tenho comigo que se OS CRISTÃOS BRASILEIROS, Católicos e avangélicos se unirem só se elegem quem eles quiserem, mas para isso é necessário que a liderança se unam em defesa dos valores cristãos que na verdade são valores de 97% dos brasileiros, mas como união não há continuaremos a sermos guiados pelos podres valores de aborteiro(a)s e gayzistas da esquerda.

V.C. disse...

Se vão tirar esses temas de pauta, e dizendo que é "tema religioso", parece ser a hora de dobrar a circulação de conteúdo anti-esquerda e aumentar a luta. Pois muitos, com essa retirada da pauta, vão se tranquilizar, e depois o PT vai retornar com tudo de novo.

Mateus disse...

O PT e os demais partidos que possuem a mesma agenda política (PC do B, PSOL, PV e outros) sabem que esses temas (aborto, homossexualismo e outras aberrações morais) são perigosos demais para serem abordados nas campanhas eleitorais. Em outras palavras: esses mesmos temas se tornam um obstáculo para as pretensões de muitos desses políticos.

A eleição de Dilma é um bom exemplo disso. Ela esteve seriamente ameaçada de não ganhar a presidência se admitisse publicamente a sua postura pró–aborto. Em virtude disso, ela se viu forçada a assinar um documento público alegando que o seu governo não aprovaria tal política. O povo, como sempre, acreditou nas mentirosas promessas dela (e graças a essa mesma mentira, Dilma foi eleita).

E quem pensa que com o PSDB (de José Serra) as coisas seriam diferentes está totalmente enganado. Só para que todos daqui tenham uma idéia disso, foi este mesmo partido (PSDB) que aprovou uma lei (Lei 10.948, de 5 de novembro de 2001) que permite que travestis usem banheiros femininos. Esta mesma lei foi sancionada, na época, por Geraldo Alckmin (então governador de São Paulo em 2001), contando com o auxílio da fiel escudeira dos homossexuais: Marta Suplicy (que era prefeita de São Paulo em 2001).

PT, PC do B, PSOL, PV, PSDB (e outros partidos que agem igual) são tudo farinha do mesmo saco (mudam os personagens, mas o script é rigorosamente o mesmo)!

Murilo disse...

Dizem que "quem não deve, não teme", não é verdade?

Eu tenho uma idéia: sugiro que convoquem todos os candidatos a prefeito e a vereador para participarem de um debate em público.

Neste mesmo debate, serão abordados os seguintes temas:

- Aborto;
- Homossexualismo;
- Casamento gay;
- Kit gay nas escolas;
- PLC 122.

Este mesmo debate terá que ser feito com algumas condições:

1 - Terá que ser ao vivo (com o público presente), e obrigatoriamente transmitido em rede nacional (e sem interrupções);

2 - Deve ser permitido ao público participar ativamente do mesmo debate e fazer quantas e quais perguntas quiser;

3 - O candidato que recusar participar do debate nestas condições estará admitindo que aprova tudo que for contra a Palavra de Deus;

4 - A recusa em participar do debate implicará na retirada da candidatura ao cargo político que está concorrendo.

E aí, quem aceita?

Anônimo disse...

É tão óbvio que partido do PT e seus candidatos estão morrendo de medo dessas questões polêmicas IMPORTANTES PARA SOCIEDADE ATÉ PORQUE AINDA O POVO BRASILEIRO É CRISTÃO NÃO PERDEU AINDA TOTALMENTE SEUS VALORES GRAÇAS A DEUS AINDA PODE SALVAR
SOBRE: FAMÍLIA,CASAMENTO DE "HOMEM & MULHER" SEUS PAPÉIS, BÊBES E O DIREITO A VIDA.
AGORA ESPERO QUE POVO CRISTÃO ACORDE E FAÇA REVANCHE NÃO VOTAR EM NGM DO PT AÍ QUERO VÊ ELES SE ASSUSTAREM AFF. Ester!!!!!!

pr Gui artista disse...

Isto não nos seduz pois conhecemos os intentos do coração petista .
Como ministro do evangelho não nos cabe influenciar ao rebanho de Cristo quanto a preferencia politica mais instrui-lo a orar a Deus que os ilumine em escolher candidatos que tenham compromisso com Jesus e a sua palavra coisa que muitos poucos tem tido .

ÉLQUISSON disse...

Amiga Ester,

Eu concordo em gênero, número e grau com o que você disse. E eu ainda acrescentaria o seguinte: o PT é versão brasileira da Al Qaeda. Talvez a única diferença entre ambos é que a Al Qaeda é um grupo terrorista que não tem (por enquanto) o poder político nas mãos, mas que, mesmo assim, ainda faz atentados terroristas em vários lugares do mundo (como foi o caso do 11 de setembro).

No caso do PT, ele chega a ser igual ou pior que a Al Qaeda (até porque tem poder para fazer tudo). Todas as políticas promovidas pelo PT são típicas de grupos terroristas (só o fato de ser pró–aborto já diz tudo).

Da mesma forma que você, eu também não vejo a hora de extirparmos esse câncer maligno chamado PT do nosso governo. Aliás, a própria sigla (PT) já diz o que ele realmente é:

PT = Partido Terrorista

E mais: não basta tirar somente o PT do poder. Embora o PT seja o carro–chefe de toda essa sujeira, tem que tirar também o PSOL (do deputado homossexual Jean Wyllys), PV (do deputado pró–homossexualismo Fernando Gabeira), PC do B, enfim, todos os demais partidos que possuem a mesma agenda do PT.

Assim como Jesus expulsou os vendilhões do templo (João 2:14–16), está na hora de expulsarmos esses terroristas do nosso governo!

NÃO VAMOS ENTREGAR O NOSSO PAÍS A SATANÁS E AOS DEMÔNIOS!

O BRASIL É DO SENHOR JESUS CRISTO, REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES PARA TODO O SEMPRE!

Thales disse...

O Murilo está certíssimo: quem não deve, não teme. Se um candidato do PT (ou de qualquer outro partido com a mesma agenda) for realmente corajoso, tem que participar de um debate aberto em público (e tem que responder a toda e qualquer pergunta que for feita)!

Eu mesmo faria uma pergunta bem direta:

"Sr(a) candidato(a), qual a sua posição em relação a alguns temas considerados polêmicos (aborto, homossexualismo, casamento gay, kit gay nas escolas, e PLC 122)? Seu voto é a favor disto ou contra tudo isto? Que garantia teremos de que o(a) Sr(a) se comprometerá com a palavra dada aos seus eleitores?"

Eu queria ver o que muitos iriam dizer!

Anônimo disse...

Esses partidos socialistas, todos, sem exceção,usam o esquema de "todos os meios justificam os fins", não importanto o que fazer.Também: entre eles mentir é virtude, desde que ajude na consecução da meta e são todos materialistas e ateus.
Se v ler os 10 mandamentos de Stálin, vai ter uma noção ideal de como agem.
E na net tem esses 10 mandamentos