11 de maio de 2012

Jovens brasileiros que foram educados em casa atingem rapidamente sucesso profissional


Jovens brasileiros que foram educados em casa atingem rapidamente sucesso profissional

Acusados de abandono intelectual no passado, pais colhem frutos de ensino diferenciado

Protagonistas de uma discussão que ganhou o País, especialmente no âmbito educacional entre os anos de 2007 e 2010, dois jovens da cidade de Timóteo, MG, que foram educados em casa colhem resultados de um ensino diferenciado e que, agora, prova-se, derrubou paradigmas.
Hoje, com 18 e 19 anos, respectivamente, Jônatas Andrade Amorim Nunes, e o irmão, Davi Andrade Amorim Nunes, foram tirados da escola convencional em Timóteo, quando tinham menos de 14 anos, e inseridos em um método de ensino em casa, adotado em diversos países, mas estranhamente sem reconhecimento oficial no Brasil.
Davi, 19 anos e Jônatas. 18 anos, já estão vivendo o sucesso profissional
Por causa da decisão da família, o caso se tornou um grande debate nos tribunais e foi notícia no exterior. “Pode uma criança ser socializada, estudando em casa, sem o convívio diário com as diferenças em um ambiente escolar convencional?”, indagavam os que divergiam do método.
Mas os jovens que estudam em casa não ficam isolados do restante da sociedade. É só na hora dos estudos que cumprem determinadas horas de estudos em casa, defendia a família, que é evangélica.
Passados cinco anos da celeuma, os jovens autodidatas atuam no desenvolvimento de sistemas de informação. Eles agora moram no município de Vargem Alegre e estão prestes a lançar dois produtos no mercado. Davi tem se especializado em programação e Jônatas em multimídia. “Ambos trabalham juntos”, explica o pai, Cléber Nunes.
A reportagem procurou pelos dois jovens ontem, em Vargem Alegre, mas apenas Davi estava em casa. Jônatas viajava para São Paulo, para receber uma premiação, das mãos do governador Geraldo Alckmin.
Os irmãos se inscreveram para participar do Prêmio Mário Covas, que incentiva o desenvolvimento de inovação em gestão estadual. Eles venceram uma categoria e ficaram em segundo na outra. Foram desenvolvidos projetos de reestruturação do portal Acessa SP e uma plataforma de aprendizagem online. “Jônatas foi a São Paulo, receber a premiação em uma cerimônia no Palácio dos Bandeirantes”, explica o pai.

Aplicativo

As conquistas dos jovens vão além. Davi e Jônatas também participaram de um concurso promovido pelo portal de compras Submarino. Sagraram-se vencedores do Open Innovation Submarino 2012, lançado para premiar os autores das ideias mais criativas e inovadoras.
Apesar da feroz oposição estatal, a educação em casa dos filhos de Cleber Nunes foi vitoriosa
Davi Nunes ganhou R$ 10 mil em compras no portal Submarino. Os irmãos também ganharam passagem de ida e volta com estadia para o mesmo evento nos Estados Unidos, programado para o mês de agosto.

Entenda o caso da Família Nunes

Em 2006, insatisfeito com o rendimento dos filhos na escola pública em que estudavam em Timóteo, mas sem recursos para pagar uma escola particular, o pequeno empreendedor industrial e designer Cléber Nunes, lembrou-se do homeschooling, método de ensino em casa que conheceu quando esteve nos EUA.
Arrumou os livros necessários, tirou os filhos da escola e os iniciou nos estudos. Além de idiomas e ciências exatas, os adolescentes se debruçaram sobre conhecimentos de informática.
Ocorre que o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação consideram a instituição escolar tradicional uma obrigação da família, pelo menos até os 14 anos, no Brasil.
Denunciados por um vizinho ao Conselho Tutelar, o caso foi levado ao Ministério Público. O pai, Cléber Andrade Nunes, e a mãe, Bernadeth de Amorim Nunes, foram processados na Comarca de Timóteo, cidade onde moravam até 2010.

Jurisprudência

O caso virou um debate interminável nos tribunais em dois processos, um Cível e outro no Juizado Especial Criminal. O Juízo da Infância e Adolescência de Timóteo, depois de acatar a denúncia do Ministério Público no processo Cível, condenou o casal ao pagamento de multa e a retornar com os adolescentes para a escola convencional.
O Tribunal de Justiça de Minas Gerais rejeitou um recurso ingressado pela defesa do casal e manteve, em 5 de dezembro de 2008, a decisão da primeira instância. À época, o relator do processo, desembargador Almeida Melo, afirmou que não via razão na decisão da família. “O ensino brasileiro equipara-se ao de países de Primeiro Mundo e havia escolas públicas tão boas quanto as particulares. Na questão do ensino, o Brasil já deveria ser classificado como país de Primeiro Mundo”, relatou o ufanista desembargador. 

Suplência

Para o MP e a Justiça, não bastou que a família comprovasse que os filhos haviam absorvido amplo conhecimento com o método de ensino em casa. Para provar essa condição, os dois adolescentes foram submetidos a provas semelhantes às da Suplência de Ensino, pela Secretaria de Estado de Educação, em janeiro de 2008. As notas foram acima de 70% (Davi) e 65% (Jônatas) mesmo em disciplinas que não constavam do cronograma do homeschooling. “O fato de serem altamente disciplinados para a concentração permitiu que eles aprendessem rapidamente o conteúdo das disciplinas que cairiam nas provas”, justificou o pai à época.
O caso da família Nunes foi o primeiro que enfrentou a Justiça. Anteriormente, havia apenas o caso ocorrido em 2000, quando houve a tentativa de uma família de Anápolis (GO), no sentido de legalizar o ensino na modalidade homeschooling. O pedido foi negado na terceira instância do Judiciário. Também não foi o último caso em Timóteo. Atualmente, há denúncia semelhante contra duas famílias que adotaram o mesmo método de ensino no município, e outros casos estão em vias de ser denunciados.

Defensores do Ensino em casa solidários ao casal

No processo Criminal em que o casal Nunes era acusado do crime de abandono intelectual, por decidir tirar os filhos da escola e os educar em casa, a sentença foi uma multa. O caso foi arquivado em função da maioridade dos estudantes.
Mas tinha também o processo Cível, em que a família foi condenada a pagar o equivalente a 12 salários mínimos (R$ 7.467 em valores de hoje). “Já vasculharam nossas contas bancárias e buscaram dados no Detran para penhorar bens. Chegaram a bloquear R$ 20 que esquecemos na conta do Banco do Brasil.
Com uma divulgação desse desdobramento, várias pessoas, inclusive dos EUA e da Espanha, se ofereceram para pagar a multa para nós, mas jamais pagarei esta multa, simplesmente porque não a devo. O site Lifesitenews divulgou bastante esta matéria, e o Onenewsnow também”, explicou Cléber Andrade Nunes.
Divulgação: www.juliosevero.com

12 comentários :

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Já me disseram que "casa de pai é escola de filho". Independente de quem seja o autor desta frase, não existe verdade maior do que esta.

Outro ditado certo é este: "O homem nada mais é senão o que a educação faz dele". Embora a escola tente, como se diz por aí, ser a continuação da família, a verdade é que a escola JAMAIS conseguirá substituir integralmente a família em termos de ensinar bons princípios. É a família quem dá a verdadeira educação à pessoa desde cedo.

Foi justamente por isso que um antigo sábio disse: "O mundo será o que forem as suas famílias". Nada mais justo. Afinal, é através delas que o destino do mundo é decidido.

Mas a verdadeira educação só é obtida através da Bíblia. É ela quem forma o verdadeiro homem. A própria Bíblia ensina a todos:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência" (Provérbios 9:10)

"Ensina à criança o caminho no qual ela deve andar; e quando envelhecer, ela não se desviará dele" (Provérbios 22:6)

Parabéns à família Nunes por não concordar com a interferência do Estado na educação familiar.

ÉLQUISSON disse...

Infelizmente, o nosso sistema educacional, já corrompido pelo mal (e por valores esquerdistas, marxistas, comunistas e socialistas), nos impõe valores totalmente contrários aos que aprendemos na nossa família. Em outras palavras: a escola tem uma grande parcela de culpa nesse sentido. Somos ensinados a valorizar mais o "ter" do que o "ser", a cultivar o individualismo, enfim, a ser egoístas. Tanto é que o apóstolo Paulo dá o diagnóstico preciso dessa decadência moral que vivemos nos dias de hoje:

"Nos últimos dias, haverá tempos críticos, difíceis de suportar; porque os homens serão amantes de si mesmos, egoístas, pretensiosos, soberbos, blasfemadores, desleais, caluniadores, ferozes, falsos, sem afeição natural, antes amantes dos prazeres do que amantes de Deus, tendo uma forma piedosa de devoção, negando-lhe, porém, o poder" (2 Timóteo 3:1–5).

Eu pergunto: o que está acontecendo com a geração atual não é a confirmação destas palavras do apóstolo Paulo?

Faço das palavras do presbítero Valdomiro as minhas: é a família quem dá a verdadeira educação à pessoa desde cedo. E digo mais: NENHUMA ESCOLA OU UNIVERSIDADE, POR MELHOR QUE SEJA, JAMAIS VAI SUBSTITUIR A FAMÍLIA EM TERMOS DE FORMAÇÃO MORAL!

Que todos nós possamos lutar para educarmos os nossos filhos dentro dos nossos lares (para que eles sejam futuros bons cidadãos)!

ELISEU disse...

O que o presbítero Valdomiro e o Élquisson falaram é a mais pura verdade. Infelizmente, muitas escolas (tanto públicas quanto particulares) têm sido verdadeiros antros de perdição.

Eu falo com conhecimento de causa. Um dia desses, minha filha caçula (4 anos) me perguntou: "Papai, é certo dois meninos ou duas meninas se beijarem na boca em frente de todo mundo?" Quando eu quis saber onde ela tinha visto isso, ela me disse: "Lá na escola isso acontece direto, e a diretora não diz nada".

Não tive dúvidas: tirei minha filha de lá. Quando a diretora quis saber o motivo, eu fui direto ao ponto: "Não quero que minha filha seja contaminada pela sujeira daqui!". Aí ela quis contra–argumentar: "A educação de hoje tem que estar adaptada aos tempos modernos. O mundo evoluiu. Não podemos ter discriminação contra certas inovações". Eu respondi a ela num tom bem direto (e bem grosseiro): "EU NUNCA VOU PERMITIR QUE MINHA FILHA ESTUDE NUM COVIL DE DEMÔNIOS (COMO ESTA ESCOLA)!". Nada mais justo. Afinal, como pai de família cristão, eu não posso compactuar com o pecado (pois eu estaria colocando a integridade e a formação moral de minha filha em perigo).

Hoje, ela recebe aulas particulares de professores cristãos tementes a Deus dentro de minha casa. Eu nem me importo em ter que pagar para isso, mas eu pago com satisfação. Pelo menos, eu tenho certeza de que minha filha não estará espiritualmente desprotegida (e nem estará num lugar onde ela iria se corromper pelo pecado do homossexualismo)!

Que tal se todos os pais de família agissem assim (para proteger seus filhos das más influências)?

Fica aqui a minha sugestão para a análise de todos.

Juan disse...

Eu ouvi tanta mentira quando era estudante e quem as contavam eram meus próprios professores.
Tinha um que era ateu, mas acreditava em "Deuses extraterrestres". Ele repetia a estória que todos ouvimos de que a Igreja Católica era a favor da escravidão por considerar os índios e negros desprovidos de alma. Uma mentira que a Igreja nunca rebateu abertamente, mesmo que a bula Sublimus Dei, de 1534, proíba a escravidão destes povos e incentive que a palavra de Deus lhes seja anunciada. O pior de tudo é que eu acreditava nesse professor e me revoltei contra a igreja, até que (graças a Deus) conheci a verdade e percebi que estavam tentando me manipular a cair na armadilha do comunismo.
Somos muito vulneráveis quando crianças, portanto o papel dos pais é o de alertar contra esse tipo de pessoa que usa do cargo de professor para espalhar mentiras e subverter a sociedade livre. A educação em casa é um dever dos pais que desejam o melhor para os seus filhos e deve ser praticada mesmo por quem não tem tempo de educá-los em tempo integral. Acompanhe o seu filho, ensine-o pelo menos a bíblia, isso fará uma diferença enorme em sua formação.

Nielson disse...

Já faz muito tempo que acompanho este blog, já é meu hábito diário. Para aqueles que estão por aqui a pouco tempo, eu recomendo a leitura do artigo "A Marca da Besta", que foi escrito pelo irmão Júlio em abril de 2005, procurem aqui mesmo na relação de post's antigos. Mais uma vez o irmão Júlio é usado por Deus para nos mostrar os riscos de um sistema educacional que tem como principal objetivo destruir tudo aquilo que o aluno possa ter de valores éticos, morais e principalmente cristãos, e olha que ainda era o primeiro mandato do chefe da caPeTada, não tínhamos ainda notícias do kit gay do senhor Haddad (que agora na rede está sendo conhecido como BIANCÃO). Além de não aceitarem que eduquemos nossos filhos em casa, também tiram nossa autoridade para corrigí-los. Já passou da hora de nós nos posicionarmos contra estes desmandos encaPeTados e deixarmos claro que para nós nenhuma lei está acima da Bíblia, que é a palavra de Deus, e que nós, por amor à nossa família, resistiremos até o fim. Parabéns à firme decisão do casal de Timóteo, meus vizinhos com muito orgulho. E que uma coisa fique muita clara: "Que venham, por aqui não passarâo".

pretinha disse...

Declaro desde já meu total apoio em oração, ao casal, senhor e senhora Nunes, pela decisão de educar seus filhos em casa.
Eu sofri muito nas escolas em que passei, e nunca tive apoio. Até mesmo na faculdade foi um problema estudar com gente atoa que não queria estudar, e não deixava o professor dar aula.
SEM contar que, muitos eram completamente analfabetos, sem a menor condição de aprender matérias mais complexas, pois mal conseguiam interpretar um texto.
Penso que agora está difícil p/ vocês por existem poucos pais adeptos do método, mais se Deus, nosso Pai, nos ajudar em breve seremos muitos. Em sala de aula nunca rendi mutio, porém em casa, sozinha e tranquila, sempre tive bons resultados.
O que falta e a união de pessoas de bem neste país.

No mais, que Deus os abençoe ricamente. Estarei orando por vocês.

Pretinha, esposa do Renato (Aprendiz), que sempre comenta neste blog.

Anônimo disse...

Nossa contra fatos não há argumentos até porque eles foram testados que diferença desses jovens que estudaram em casa para os que estão na escola hoje ou no mercado de trabalho aff. Ester!!!!!

Mateus disse...

Uma coisa eu garanto: nenhuma escola do mundo jamais vai educar meus filhos.

Como pai de família cristão, eu jamais vou deixar meus filhos à mercê dos demônios. Muito pelo contrário: meus filhos serão educados na obediência à Palavra de Deus.

A própria Palavra de Deus ensina:

"Bem-aventurado é o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, e não se assenta na roda dos escarnecedores. Antes o seu prazer está na lei do Senhor; e nela medita dia e noite" (Salmo 1:1-2)

"Ensina à criança o caminho no qual ela deve andar; e quando envelhecer, ela não se desviará dele" (Provérbios 22:6)

"Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes" (1 Coríntios 15:33)

Parabéns à família Nunes, por agir na obediência à vontade do Senhor!

Anônimo disse...

O correto nao é abandono intelectual, e sim abandono ideologico! Ideologico por causa da doutrinacao esquerdista q as criancas recebem na escola, logo é por isso q o governo nao quer q ninguem saiz da escola.

Saulo

Lino disse...

Saulo,

Você está certíssimo no seu comentário. O termo correto é exatamente este: abandono ideológico. Mas o governo deturpa tudo justamente para confundir a mente dos cristãos (e das pessoas que não têm um senso crítico apurado).

Comunismo, socialismo, marxismo, esquerdismo, enfim, todos estes "ismos" foram inventados pelo diabo. Isso sem contar que o socialismo foi responsável por mais de 100 milhões de mortes.

Como o Élquisson disse com muita sabedoria no comentário dele, o nosso sistema educacional infelizmente já é totalmente contaminado por filosofias socialistas, esquerdistas, comunistas e marxistas. Quando eu era criança, lembro que alguns dos meus professores eram simpatizantes de Marx, Lênin, Stálin, Fidel Castro, Che Guevara (e outros socialistas). E alguns deles ajudaram a fundar partidos políticos tipicamente esquerdistas e socialistas: PC do B, PT, PCO, PSOL, PSTU (e outros semelhantes).

Da escola primária à universidade, todos são educados (e obrigados) a aceitar a ideologia socialista. Em outras palavras: tudo é programado desde cedo para que todos aceitem o "politicamente correto" do esquerdismo-socialismo sem questionar!

Não podemos mais esperar: ou eliminamos do nosso sistema educacional esta praga chamada socialismo, ou seremos destruídos por ele.

Everaldo disse...

Eu concordo em gênero, número e grau com a opinião do Lino, e ainda diria mais: ou o Brasil acaba de uma vez por todas com o projeto socialista, ou esse mesmo projeto vai acabar com o Brasil.

O irmão Júlio Severo já teve a oportunidade de publicar aqui neste espaço um artigo falando especificamente disso (eis o link de acesso):

http://juliosevero.blogspot.com/2010/01/por-que-nao-sou-socialista.html

Da mesma forma que o Júlio colocou no seu excelente artigo (o qual eu já tive a felicidade de ler), eu também cito aqui alguns dos meus motivos pessoais por que não sou socialista (e por que o Brasil não pode e nem deve ser governado por um sistema socialista).

10 RAZÕES POR QUE NÃO SOU SOCIALISTA (E POR QUE NÃO ACEITO O SOCIALISMO COMO GOVERNO PARA O BRASIL):

1 – Não sou socialista porque o socialismo tem suas raízes originadas em sociedades secretas. Há quem diga que certas sociedades secretas (como a Maçonaria) possuem uma forte ligação com o socialismo. Sem contar que Karl Marx (o fundador do socialismo) era satanista;

2 – Não sou socialista porque o socialismo corrompe e destrói todos os valores morais e cristãos da sociedade, além de promover e glorificar outras aberrações (como o homossexualismo e o aborto);

3 – Não sou socialista porque o socialismo combate Deus, a pátria e a família (ou seja, é um regime anti–cristão);

4 – Não sou socialista porque o socialismo recorre sempre ao argumento de que é um sistema criado para atender a vontade de todos (isso para que seja possível somente o proveito de alguns poucos);

5 – Não sou socialista porque o socialismo só aceita a cultura política socialista, a qual produz um único padrão de orientação de massas. Este mesmo padrão age não de acordo com o bem coletivo, mas sim com o interesse de quem está no poder. É o chamado pensamento politicamente correto;

6 – Não sou socialista porque o socialismo é um totalitarismo disfarçado que deseja moldar o mundo à sua imagem. Diz ser democrático, mas não tolera quem se manifeste contra. Todos são obrigados a aceitar as diretrizes socialistas sem questionar;

7 – Não sou socialista porque o socialismo produziu o feminismo, que é um movimento subversivo apoiado na luta de sexos, para o domínio da classe feminina. A conseqüência é o desequilíbrio e a instabilidade familiar, obrigando homens e mulheres a competirem (ao invés de se complementarem);

8 – Não sou socialista porque não compactuo com a mentira. Todos os governos socialistas sempre usam a mentira de defender os interesses do povo somente com o intuito de se auto–promover;

9 – Não sou socialista porque não aceito o argumento de que Jesus foi socialista. Jesus nunca Se valeu de Seus milagres para fazer campanha política ou promoção pessoal. É uma blasfêmia dizer que o nosso Salvador foi (ou ainda é) adepto de uma ideologia que matou mais de 100 milhões de pessoas;

10 – Enfim, não sou socialista porque não aceito que a Palavra de Deus seja substituída por filosofias ateístas, esquerdistas, subversivas e anti–cristãs.

Que esta mensagem sirva de alerta para muitos não se deixarem enganar pelas mentiras do socialismo.

Wilton disse...

A opinião do Everaldo foi mais do que sensata. Não temos escolha: ou derrubamos o socialismo, ou o socialismo vai destruir o nosso país.

E mais: temos que tirar do poder todos os partidos esquerdistas–socialistas (PT, PC do B, PV, PSOL, PCO, PSTU e outros semelhantes). Estes partidos são verdadeiros representantes do inferno aqui na Terra.

Que esta mensagem do Everaldo seja divulgada em todas as escolas, igrejas e em todo o país, para que o nosso povo seja politicamente conscientizado.