3 de maio de 2012

Erro fatal: ativista pró-vida chinês pede ajuda para governo dos EUA


Erro fatal: ativista pró-vida chinês pede ajuda para governo dos EUA

Autoridades americanas desconversam e entregam chinês à cova dos leões do comunismo chinês

Julio Severo
Chen Guangcheng, um ativista pró-vida da China, cometeu o erro fatal de pedir ajuda da Embaixada dos Estados Unidos na China.
Chen Guangcheng
Ele estava sob prisão domiciliar em sua província, mas outros ativistas de direitos humanos se sacrificaram, arriscando a própria vida para criar todo um esquema para que ele pudesse fugir e terminar na Embaixada dos EUA, onde, todos achavam, o refúgio era certo.
Todos esperavam que ele pedisse asilo, mas o desenrolar do caso, sob a atenção da mídia internacional, teve um final pesado. Chen, que é cego desde a infância e está com problemas de saúde devido a anos de prisão e torturas, teve a promessa de autoridades americanas de que ele poderia ficar na China e receber tratamento médico, com a presença constante de um acompanhante americano.
Pelo que foi noticiado na imprensa e informado pela Embaixada dos EUA, Chen é que “queria” permanecer na China. Tal “decisão” livrou Hillary Clinton de complicações diplomáticas e comerciais em sua visita à China. Afinal, os EUA têm imensos interesses comerciais na China, e Chen estava sendo uma pedra nos sapatos chineses e americanos.
Com a “decisão” de Chen de não pedir asilo, Hillary ficou satisfeita, dizendo que a saída dele da embaixada ocorreu de um modo que refletiu as “escolhas” dele e os “valores” dos EUA. “Ufa”, pensaram os americanos, “conseguimos jogar a batata quente de volta para os chineses!”
Contudo, depois da saída de Chen e sua transferência para um hospital de Pequim, nenhuma autoridade americana permaneceu com ele. O compromisso americano, feito para uma alma desesperada, foi jogado por terra.
“Pressionaram-me a sair, prometeram que teria gente comigo no hospital, mas, quando entrei em meu quarto, me dei conta que todos haviam ido embora”, desabafou Chen, conforme reportagem do Estadão.
Ao ser contatado no hospital pela mídia internacional, ele confessou o que é óbvio: ele não pôde pedir asilo ao governo dos EUA, pois sua família estava sob direta ameaça de morte. Ele estava sob pressão. Se ele ousasse decidir partir para os EUA, autoridades chinesas, conforme declaração de Chen, matariam a esposa e filhos dele.
Os americanos da embaixada pouco se importaram e prontamente tiraram o corpo fora, declarando que desconhecem qualquer ameaça ou pressão sobre Chen. Provavelmente, de acordo com o pensamento deles, todo o sacrifício que foi feito para que Chen chegasse à embaixada foi apenas um gesto nobre de dizer um “oi” para os americanos. Nada mais. Depois de seis dias abrigado na embaixada e dizendo “oi”, finalmente o chinês, para alívio do governo chinês e americano, “escolheu” sair e ficar em sua terra.
A “escolha” de Chen muito agradou ao governo dos EUA, pois o ativista chinês não é o tipo de homem que as autoridades americanas teriam prazer em ajudar. Barack Obama e Hillary Clinton são descaradamente a favor do aborto. Em contraste, Chen é pró-vida.
Qualquer indivíduo, por mais importante que seja, que é cruel o suficiente para defender o assassinato de inocentes bebês em gestação é capaz de cometer qualquer outro pecado, inclusive enganar e mentir para um oprimido e pobre chinês cego que enxerga mais sobre o verdadeiro valor da vida do que a maior parte do governo da China e dos EUA.
O governo comunista da China sempre mentiu para o povo chinês e para Chen. E agora Chen tem a experiência desagradável de sofrer conduta não muito diferente e até abandono por parte de um governo que se diz defensor dos direitos humanos, um governo que ele supunha fosse radicalmente diferente do governo chinês.
Mas e se o governo americano não fosse essa decepção e se Chen recebesse asilo nos EUA, o que aconteceria? Ele prosseguiria seu trabalho já conhecido de denunciar o crime do aborto? Nesse caso, o alvo das denúncias seriam as próprias autoridades americanas. Isso sem dúvida alguma seria um grande problema!
O tipo de trabalho de direitos humanos desenvolvido por Chen não tem a simpatia do governo americano.
Bebê legalmente morto em clínica de aborto nos EUA
Por 39 anos, a lei do aborto impera no que era até recentemente a maior nação evangélica do mundo. Se é horrível uma nação comunista como a China sustentar o aborto com unhas e dentes, o que dizer então de uma nação evangélica?
O fato é que os autoproclamados “evangélicos” Barack Obama, Hillary Clinton, Bill Clinton e outras poderosas autoridades americanas não têm interesse algum de resgatar homens que clamam publicamente pelo resgate de bebês em gestação.
A presença de Chen na Embaixada dos EUA em Pequim era pois um incomodo. A presença dele nos EUA, engrossando as fileiras dos ativistas pró-vida, seria um incomodo muito maior.
Se Chen fosse um ativista homossexual, a presença dele na embaixada seria um prazer. Obama e Clinton dariam todo apoio. Aliás, desde dezembro de 2011, as embaixadas e órgãos americanos no exterior têm ordens do governo dos EUA de dar tratamento preferencial para ativistas gays.
Para o governo dos EUA, atender de bandeja a todos os mimos homossexuais é vastamente mais importante do que impedir bebês em gestação de serem assassinados!
Desorientado e desesperado, Chen não sabe o que fazer, a não ser fazer um apelo público em direção ao próprio país que não foi sincero e justo com ele: “Gostaria de pedir ao presidente Obama, lhe suplico, para que faça tudo o que possa para que nossa família possa ir embora”.
Talvez, por pressão dos inúmeros americanos pró-vida, Obama consiga agir contra sua própria consciência pró-aborto e dar uma chance a um indefeso chinês cercado por opressores a serviço do Estado. Talvez.
Ativista pró-vida americano é preso e surrado pela polícia pelo “crime” de orar na frente de uma clínica de aborto
Entretanto, é certeza que suas opressões não terminarão nos EUA, onde ativistas pró-vida são furiosamente detidos pela polícia pelo único “crime” de orar em frente de uma clínica de aborto, enquanto médicos e funcionários assassinos matam bebês à vontade sob a proteção de uma lei que, em muitos sentidos, não é melhor do que as leis nazistas, que relegavam os judeus e outros seres humanos indefesos à classe dos merecedores de extermínio. Nos EUA, os bebês em gestação estão nessa categoria infeliz.
Polícia americana prende jovem que estava orando na frente de uma clínica de aborto. Nos EUA, o aborto é legalmente sagrado.
Se quiser ajuda do governo dos EUA, Chen vai ter de orar, jejuar e esperar muito até aparecer um novo Ronald Reagan. Mas se ele quiser uma ajuda maior, ele não precisará esperar por décadas ou séculos, pois Deus diz:
“Não ponham a sua confiança em pessoas importantes, nem confiem em seres humanos, pois eles são mortais e não podem ajudar ninguém. Quando eles morrem, voltam para o pó da terra, e naquele dia todos os seus planos se acabam. Feliz aquele que recebe ajuda do Deus de Jacó, aquele que põe a sua esperança no Eterno, o seu Deus, o Criador do céu, da terra e do mar e de tudo o que neles existe! O Eterno sempre cumpre as suas promessas; ele julga a favor dos que são explorados e dá comida aos que têm fome. O Deus Eterno põe em liberdade os que estão presos e faz com que os cegos vejam. O Eterno levanta os que caem e ama aqueles que lhe obedecem.” (Salmos 146:3-8 BLH)

7 comentários :

Adilson disse...

oLÁ Julio.
Gostaria apenas de tirar uma dúvida: este ativista pró-vida cristão, Chen Guangcheng, certamente é aquele cuja visita por Christian Bale foi impedida no ano passado? Na ocasião, teu blog e a BBC noticiaram a violência dos capamgas chineses contra Bale! O mais lamentável foi ver que a mídia nacional e os principais telejornais nada falaram! Inclusive a Globo!

Idevam disse...

EUA Sobe um Governo Satânico

A Rússia Lutando Contra o Estilo de Morte Homossexual

Sim Estamos Próximos do Fim

Anônimo disse...

Obama se diz cristão e afirmou que lê a Bíblia todos os dias. De duas uma. Ou a Bíblia dele é diferente das demais ou ele faz uma leitura super seletiva da mesma.

ELISEU disse...

Diante de tais acontecimentos, só dá pra chegar a uma única conclusão: quem quiser um verdadeiro cristão tem que estar pronto para ser odiado pelos homens. Mas quantos, hoje, teriam esta mesma disposição?

Jesus, na Sua primeira vinda à Terra, não veio para agradar aos homens. E por agir assim, Ele foi odiado por muitos (principalmente pelos poderosos da época). Por que Jesus foi odiado? Porque Ele sempre falava a verdade. Ele desmascarava os hipócritas (e Ele revelava o pecado oculto de muitos). Quem fala a verdade sempre é odiado. Se com Jesus foi assim, quanto mais com os Seus servos!

O nosso amado irmão Júlio Severo é um bom exemplo isso. Por ter falado a verdade sobre o movimento homossexual, ele passou a ser odiado (e também perseguido) pelos homossexuais e pelo governo (já quiseram até saber o endereço dele, se é que já não o ameaçaram de morte). Por causa disso, ele teve que ir, com a sua família, para um exílio forçado no exterior.

Este é o doloroso preço que o verdadeiro cristão tem que pagar pela sua fidelidade a Jesus. Quantos, hoje, fariam como os fiéis da igreja de Esmirna (que, por amor a Jesus e à Sua Palavra, aceitaram a morte sem nenhum medo)?

Quem desejar servir somente a Deus tem que ter plena consciência de que vai ser odiado pelos homens (e também pelo mundo). É como disse o apóstolo Paulo:

"Porque, procuro eu o favor dos homens ou o favor de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo" (Gálatas 1:10)

Os mártires da fé cristã não hesitaram quando foram obrigados a escolher entre o pecado e a morte. O lema deles era: "Antes morrer do que pecar". Eles permaneceram firmes nas suas convicções, e acreditavam que esta corajosa decisão que tomavam agora certamente será lembrada no tribunal divino.

Se estivermos realmente decididos a ser verdadeiros cristãos (ainda que tenhamos que ser odiados pelo mundo), temos que obedecer ao que Jesus diz em Sua Palavra:

"Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e Me siga. Pois quem desejar salvar sua vida vai perdê-la, mas aquele que perder a sua vida por amor a Mim vai achá-la. Porque de que adiantará ao homem conquistar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que dará o homem em troca de sua alma?" (Mateus 16:24–26).

"Entrai pela porta estreita; porque grande é a entrada e largo e espaçoso é o atalho que leva à perdição, e muitos são os que vão por ele; ao passo que estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz à vida, e poucos são os que encontram" (Mateus 7:13–14)

Quem teria coragem para agir assim nos dias de hoje?

ÉLQUISSON disse...

Eliseu,

Faço das suas palavras as minhas: quem quiser ser um verdadeiro cristão tem que estar pronto para ser odiado pelos homens.

E mais: quem agrada aos homens (e ao mundo) desagrada a Deus. A respeito disso, o apóstolo Tiago disse com muita sabedoria:

"Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, todo aquele que se faz amigo do mundo torna-se inimigo de Deus" (Tiago 4:4)

Vendo o que está acontecendo com o ativista pró–vida Chen Guangcheng, eu me lembrei da carta que Jesus mandou o apóstolo João escrever para a igreja de Esmirna:

Apocalipse 2:8–11

2:8 E ao anjo da igreja em Esmirna, escreve: isto diz o Primeiro e o Último, Aquele que foi morto e reviveu:
2:9 Eu conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia daqueles que se dizem judeus e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.
2:10 Não temas as coisas que haverás de sofrer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida.
2:11 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: o vencedor não sofrerá o dano da segunda morte.

Naquela época, os fiéis da igreja de Esmirna estavam sendo impiedosamente perseguidos e mortos, mas Jesus os encorajava a permanecerem firmes até o fim. Muitos amavam mais a Jesus e à Sua Palavra do que as próprias vidas (uma lição importantíssima para os cristãos dos dias de hoje)!

Ninguém pense que a situação hoje é diferente daquela época. Quem desejar ser um verdadeiro cristão tem que estar preparado para enfrentar o pior a qualquer momento. A vida cristã é uma vida de lutas, de provações, de dificuldades, de problemas a resolver. Assim como o ouro precisa ser provado no fogo para remover as impurezas, assim também o cristão precisa ser provado para enfrentar a maldade do mundo (Tiago 1:12). O verdadeiro servo de Jesus tem que estar sempre pronto para dar a vida por amor a Ele e à verdade de Sua Palavra. Quantos, hoje, fariam como os fiéis de Esmirna (que aceitaram a morte sem nenhum medo)?

O apóstolo Paulo disse que todos aqueles que quiserem viver em Cristo Jesus serão perseguidos (2 Timóteo 3:12). Nas épocas da Inquisição e do Império Romano, ser cristão era assinar a própria sentença de morte. Milhões de cristãos foram queimados vivos nas fogueiras, atirados às feras na arena do Coliseu, decapitados, e mortos de muitas outras formas.

Muita gente talvez não esteja percebendo, mas estamos, a cada dia que passa, voltando novamente a esses mesmos tempos. Para que maior prova disso do que a perseguição aos cristãos que se recusam a obedecer ao "politicamente correto" do governo e dos homossexuais? Isso sem contar as perseguições e mortes de muitos cristãos em países islâmicos (e em outros onde a Bíblia é proibida)!

Diante disso tudo, eu pergunto:

- Quantos, hoje, teriam coragem de morrer por Jesus (e pelo amor à verdade da Sua Palavra)?

Quem puder, responda de forma sincera a esta pergunta na primeira oportunidade!

Abraão disse...

Júlio,

Fico vendo estas notícias terríveis e vejo que a cada dia que passa o mundo se torna mais e mais perverso.

Atualmente está acontecendo uma mudança na mentalidade dos cientistas. Estes como não podem mais negar as evidências da criação (principalmente do homem), estão criando uma nova teoria, a TDI ( teoria do design inteligente).

Mas quando pensamos que o homem irá dar glórias a DEUS por reconhecer que ele foi criado, nos deparamos com estes cientistas dando glórias a demônios sob o título de extra-terrestres.

Ou seja, os cientistas contemporâneos começam a reconhecer que fomos criados, mas preferem dizer que fomos criados por supostos homenzinhos verdes.

Para mim isto só irá acelerar as coisas, esta cosmovisão do ser humano coisificado irá apagar de vez qualquer vestígio de amor.

Anônimo disse...

Coloca ERRO nisso o pró- vida Chen deu tiro no pé pedir proteção logo aonde?
Nos EUA que é favor do aborto política de anos sobre isso já é algo avançado e legalizado aff.
Estados Unidos eu acho foi primeiro país sempre lutou essa "ideologia de morte", eles conseguiram hoje eles fazem de tudo para que outros países os copie a legalização esse umas das missões da ONU(filha e criada nos EUA).
A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO TEM CLÍNICAS E MAIS CLÍNICAS PARA PRATICAREM SEUS ASSASSINATOS BEBÊS EM GESTAÇÃO VONTADE COM TODA LEI AO LADO DELES!!!!!!! Ester