12 de maio de 2012

Assembleias de Deus se opõem à postura pró-“casamento” gay de Obama


Assembleias de Deus se opõem à postura pró-“casamento” gay de Obama

Michael Gryboski
Uma das maiores denominações pentecostais dos Estados Unidos anunciou oficialmente sua oposição à postura pró-“casamento” gay do presidente Barack Obama.
As Assembleias de Deus dos EUA, uma denominação com mais de 3 milhões de membros, divulgaram um comunicado na quinta-feira tratando dos recentes comentários do presidente apoiando o “casamento” gay. “A Bíblia ensina claramente que o casamento deve ser um compromisso de vida inteira entre um homem e uma mulher”, disse o George O. Wood, superintendente geral das Assembleias de Deus.
George O. Wood
“Embora tenha se tornado muito comum citar a Bíblia grosseiramente fora de contexto para atender a uma agenda pessoal ou política, isso porém não muda o que a Palavra de Deus declara claramente”.
Durante a eleição presidencial de 2008, o senador Barack Obama, que era então candidato, não apoiava o “casamento” gay. Em toda a sua presidência, à medida que grupos gays prosseguiam pressionando, Obama falava de sua posição sobre a questão como “evoluindo”, o que trouxe, como resultado, críticas tanto da direita quanto da esquerda por sua ambivalência.
No domingo, o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, disse no programa de TV “Meet The Press” (Um Encontro com a Imprensa) da NBC que ele estava totalmente à vontade com o “casamento” gay sendo legalizado, o que aumentou a pressão no presidente para anunciar apoio também. A declaração de apoio de Obama ocorreu na quarta-feira.
“[Michelle e eu somos] cristãos praticantes… quando pensamos acerca da nossa fé, que está na raiz de nossas convicções, não só Cristo se sacrificando em nosso favor, mas também a Lei de Ouro — tratar os outros do jeito que gostaríamos que nos tratassem”, disse Obama depois de afirmar para a ABC News que “as duplas de mesmo sexo têm o direito de se casar”.
De acordo com a posição oficial das Assembleias de Deus, “a crescente aceitação cultural da identidade e conduta homossexual, masculina e feminina, é sintoma de uma desordem espiritual mais ampla que ameaça a família, o governo e a igreja”.
“Atividades homossexuais de todos os tipos são contrárias aos mandamentos morais que Deus nos deu”.
Outros líderes e denominações cristãs fizeram declarações tanto em apoio quanto em oposição aos comentários de Obama sobre essa questão social que provoca tantas divisões.
Joel Hunter, muitas vezes considerado conselheiro espiritual de Obama, disse ao Christian Post numa entrevista passada que ele estava desapontado com o modo de pensar do presidente.
“A Lei de Ouro está na Bíblia, mas não dá para usá-la para contradizer o modelo de casamento de Deus defendido e confirmado por Jesus em Mateus 19:4-5”, disse Hunter.
“Embora discorde do modo como o presidente interpreta a Bíblia, não abandonarei nossa amizade… Apenas continuarei dizendo a ele o que creio que a Bíblia diz e deixar o resto com Deus”.
O reverendíssimo Larry R. Benfield, bispo da diocese episcopal de Arkansas, divulgou um comunicado apoiando os comentários de Obama.
“Concordo com a posição do presidente. Muito diferente da decisão da Carolina do Norte, o casamento civil de duplas gays um dia será visto como bom para a sociedade”, disse Benfield. “Aguardo o dia em que tais casamentos ocorrerão neste estado de modo que possamos viver uns com os outros num espírito de igualdade e justiça”.
Traduzido por Julio Severo do artigo do Christian Post: Assemblies of God Opposes Obama’s Same-Sex Marriage Stance

7 comentários :

Idevam disse...

Um Bom Exemplo Para a AD do Brasil que Parece está Muda Cega e Surda Para este Pecado Abominável e Mortal do Homossexualismo que leva suas Vítimas a Morte Espiritual e Física

Luciano de Paula Lourenço disse...

Essa é também a posição da Assembléia de Deus no Brasil. A Bíblia é a nossa regra de fé e prática, e ela é enfática com relação ao casamento, que deve ser, inexoravelmente, entre uma mulher e um homem. Foi Deus quem o instituiu assim. Contrariar o que Deus criou e o que ele determina é afrontá-lo, é desrespeitá-lo implica em rebelião contra Deus.
É pelo casamento, entre um homem e uma mulher, que é formada uma família. Através de seu ensino Jesus confirmou o que Deus instituiu no principio. O Senhor Jesus não mudou, em nada, o que Deus havia estabelecido em relação à formação da família – “Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: é licito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo, disse-lhes: não tendes lido que aquele que os fez no principio, macho e fêmea os fez, e disse: portanto deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não separe o homem”(Mt 19:3-6). Querer mudar essa regra significa rebelião contra o Criador. Certamente pagará muito caro por isso: ou nesta vida ou no além túmulo.
O homem é livre para fazer o que quiser, mas a liberdade sempre se estabelece debaixo de um senhorio divino, debaixo de regras e mandamentos estabelecidos pelo Senhor. Por isso a liberdade redunda em responsabilidade. O outro lado da liberdade, o outro lado da possibilidade de se atender, ou não, ao mandamento divino é a responsabilidade, ou seja, o homem responde pela opção que tomar. O homem não é senhor de si; não é ele quem estipula as regras e as normas que terá de responder diante de Deus pelo que tiver feito. Este princípio, aliás, foi muito bem apontado por Paulo quando escreveu aos gálatas: “ Não erreis, Deus não Se deixa escarnecer, porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gl 6:7).
Aliás, não é inteligível afirmar que existe casamento entre duas pessoas do mesmo sexo. Há, portanto, um ajuntamento excêntrico, imoral e imbecil, que visa a destruição do núcleo familiar criado por Deus. Forçosamente se fala em “casamento”, mas para satisfazer os desejos imorais daqueles que apóiam ou simpatizam ou praticam essa ruptura do padrão moral que Deus deixou para o estabelecimento de uma sociedade sadia.
Que Deus abençoe o nosso Brasil!
Luciano Lourenço

DeDé disse...

Muito bom o comentario acima do irmão Luciano. Disse tudo e mais algumas coisas.

ÉLQUISSON disse...

Temos que renunciar a tudo que tem haver com o pecado irmão, já tinha exluido minha conta do Orkut depois que soube que o criador era Gay, e agora vou excluir minha conta do facebook também, olha isso, e peço a você e a todos os seguidores de Jesus, da moral e dos bons costumes que façam o mesmo... sem gaybook ou facebook! não podemos alimentar fortuna do demônio, quem nao excluir o facebook ta alimentando o pecado.

http://mundo.gay1.com.br/2011/05/dono-do-facebook-e-seu-namorado-sao-os.html#

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Irmão Luciano,

Concordo em gênero, número e grau com você (você disse tudo). E digo mais: a lei de Deus é soberana, eterna e imutável. Para Deus, pecado (seja qual for, inclusive o homossexualismo) é pecado sempre (e ponto final).

A lei de Deus nunca irá se sujeitar (ou "se adaptar") aos tempos modernos ou ao "politicamente correto" do governo, dos homossexuais, dos abortistas, dos falsos profetas, e dos falsos evangelhos. A lei de Deus não foi feita para agradar aos homens (e nunca irá se sujeitar a homem nenhum). A respeito da lei de Deus, Jesus foi taxativo:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Pois em verdade Eu vos digo que, até que passem os Céus e a Terra, nenhum i ou til jamais passará da lei, sem que tudo se cumpra" (Mateus 5:17–18)

De uma coisa eu tenho plena e absoluta certeza: Jesus voltará um dia para julgar a todos (inclusive os homossexuais e seus cúmplices). O próprio Jesus garantiu:

"Não seles as palavras da profecia deste livro, pois o tempo está próximo. Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, que se suje ainda mais; e quem for justo, procure se manter justo; e quem é santo, continue a se santificar. Eis que Eu venho sem demora, e tenho Comigo o Meu galardão para dar a cada um segundo a sua obra. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, o Primeiro e o Derradeiro. Bem–aventurados aqueles que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro, para que possam ter direito à árvore da vida e entrem na cidade pelas portas. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os idólatras, os homicidas, os que se prostituem, e todo aquele que ama e pratica a mentira. Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos testificar estas coisas nas igrejas; Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã" (Apocalipse 22:10–16)

Já preguei o evangelho para muitos homossexuais. Mas, como quase sempre acontece na maioria das vezes, eles não me deram ouvidos. Muitos me xingaram de homofóbico (e de outros nomes feios que eu nem vou publicar aqui, por uma questão de educação), enfim, me insultaram de tudo quanto é jeito.

Só sei de uma coisa: eu já fiz a minha parte (que é pregar contra o pecado). Estou com a minha consciência tranquila (até porque eu já cumpri com o meu dever de cristão). Se esses homossexuais não quiserem se converter, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, será cada um por si diante de Deus na hora de prestar contas. É como alertou o apóstolo Paulo:

"Cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus" (Romanos 14:12)

Se os homossexuais e seus cúmplices quiserem ver para crer, depois não vai ter desculpa de falta de aviso!

Anônimo disse...

Olá irmão Élquisson, não sabia dessa informação que criador do facebook é gay.
Pra mim não a problema de sair disso porque não tenho conta e não uso redes sociais: Twitter,facebook na internet primeiro eu acho muita exposição de fotos e tbm não me fascina me dá pouca de preguiça as pessoas estão viciadas nisso hoje.
Quando começou com orkut um parente fez pra mim só durou uma semana foi exortação de Deus mesmo.
Tento voltar com um blog abandonado meu tem que ter disciplina mais não coloco fotos minha e nem de parentes gosto colocar textos falar de coisas que eu gosto falar sobre a vida, artes, motivação e até sobre pouco da fé cristã blog de variedades. Ester!!!!!!

ELISEU disse...

O irmão Luciano e o presbítero Valdomiro estão certíssimos nos seus comentários. Homossexualismo é um pecado, é uma rebelião contra Deus.

Faço das palavras do presbítero Valdomiro as minhas: a lei de Deus nunca irá se sujeitar (ou "se adaptar") aos tempos modernos ou ao "politicamente correto" do governo, dos homossexuais, dos abortistas, dos falsos profetas, e dos falsos evangelhos. A lei de Deus não foi feita para agradar aos homens (e nunca irá se sujeitar a homem nenhum). A respeito da lei de Deus, Jesus disse com todas as letras:

"Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Pois em verdade Eu vos digo que, até que passem os Céus e a Terra, nenhum i ou til jamais passará da lei, sem que tudo se cumpra" (Mateus 5:17–18)

A LEI DE DEUS NUNCA PODERÁ SER MUDADA POR NADA (NEM NINGUÉM). SE DEUS, NA SUA PALAVRA, DISSE QUE O HOMOSSEXUALISMO É PECADO, É PECADO E FIM DE PAPO (NÃO TEM MEIO TERMO). SE OS HOMOSSEXUAIS NÃO QUISEREM ACEITAR O QUE A LEI DE DEUS DIZ, ENTÃO QUE ELES RECLAMEM DIRETAMENTE COM DEUS!

Da mesma forma que o irmão Luciano, eu também cito o texto do apóstolo Paulo aos gálatas (e que serve de alerta aos homossexuais):

"Não erreis: Deus não Se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso ele também ceifará" (Gálatas 6:7)

Será que os homossexuais querem pagar pra ver se a justiça de Deus funciona ou não?