17 de abril de 2012

“Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta”

“Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta”

Uma resposta pública a Renato Vargens e aos defensores de suas incoerências

Julio Severo
Nota: Antes que os liberais tentem me apedrejar, o título deste artigo pertence a Renato Vargens, que usou originalmente as mesmas palavras, mas citando outro nome, que para ele sofreu as consequências de seu próprio pecado. Peço a paciência dos leitores, pois o texto é longo porque preciso responder a vários críticos e acusações. Para ler meu artigo original sobre Vargens, é só clicar aqui.
“Eu creio que a teologia da libertação deu uma contribuição muito importante ao cristianismo… dando uma abertura positiva à reflexão marxista”. — Dom Robinson Cavalcanti em seu livro A Igreja, o País e o Mundo, da Editora Ultimato.
Essa citação, um claro posicionamento reafirmado ao longo de toda a sua trajetória religiosa e política, seria o suficiente para colocar o bispo anglicano, tragicamente assassinado pelo próprio filho, na mira dos inúmeros críticos do mundo gospel enquanto estava vivo. Por incrível que pareça, Cavalcanti nunca enfrentou oposição por tal postura ideológica. Por algum motivo, os críticos estavam tão ocupados que não viram os problemas sérios do bispo, seja no seu apoio à agenda esquerdista anticristã, seja no seu descarado liberalismo teológico.

Teologia da libertação sexual e poligamia

Para piorar, o bispo enfiava sua ideologia em todas as suas atividades “ministeriais”. Em seu livro “Libertação e Sexualidade”, ele consegue destacar Karl Marx, Rubem Alves e Gilberto Freyre, mencionando de forma muito positiva o Relatório Kinsey como confiável referência científica sobre sexualidade.
Rubem Alves é um dos pais da Teologia da Libertação. Talvez, levando isso em consideração, o título mais apropriado para o livro de Cavalcanti devesse ser “Teologia da Libertação Sexual”. Kinsey era um depravado cujas pesquisas supostamente científicas foram desmascaradas como fraudulentas.
Da página 77 a 108, “Libertação e Sexualidade” trata exclusiva e abundantemente da poligamia, de forma positiva. Cavalcanti disse:
Continuo a anunciar um Deus libertador, que ama seus filhos e filhas, e não um Deus policial, desmancha-prazeres, guardião das tradições repressivas (p. 10).
Considerando o contexto ideológico, podemos ler o texto dele da seguinte forma apropriada: Continuo a anunciar um Deus da Teologia da Libertação, que ama seus filhos e filhas, e não um Deus policial, desmancha-prazeres, guardião das tradições repressivas (união conjugal apenas entre um homem e uma mulher?).
Em vez de ser condenado e repreendido publicamente por suas loucuras e aberrações, o bispo anglicano foi divulgado, ou por propaganda ou por silêncio — “quem cala consente”. Durante anos, a revista Ultimato o teve como colunista de destaque. Mais recentemente, um dos seus grandes propagandistas foi o tabloide sensacionalista Genizah. O resultado não poderia ter sido diferente, como disse o próprio Cavalcanti: “Meu livro foi usado como texto básico para grupos de estudo e lição para Escola Dominical em Igrejas de várias denominações” (página 9). Ele estava consciente de que seu liberalismo teológico estava sendo usado e promovido como respeitável referência em muitas igrejas.

Cavalcanti não era um conservador teológico

Embora o mundo gospel esteja repleto de críticos, cujo alvo preferido parece ser Silas Malafaia e outros televangelistas neopentecostais, Cavalcanti escapou ileso de críticas. Um dos únicos que tiveram coragem de criticar foi o jornalista Edson Camargo, editor do Mídia Sem Máscara, que disse:
A teologia de Robinson Cavalcanti, bem como algumas de suas posições em relação à família e à sexualidade também afrontam não só o conservadorismo, mas também o cristianismo histórico. Sobre a monogamia, ele afirma:
O ideal existe, mas sua manifestação histórica pode ferir outros tantos ideais divinos: sanidade, amor, fé, pois a monogamia pode ser, em muitos casos, apenas aritmética (1+1) e não qualitativa. A manutenção de outros ideais divinos tem levado, por sua vez, à necessidade de modelos não-monogâmicos que tornam possível a preservação e a promoção daqueles outros valores e idéias diante da impossibilidade histórico-conjuntural da simultaneidade de todos os valores (p. ex. Israel no Antigo Testamento. (no e-book Libertação e Sexualidade, págs. 71 e 72)
É claro que ele omite a passagem bíblica em que Jesus Cristo reafirma aos fariseus a prescrição divina irrevogável: Deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua (no singular) mulher, tornando-se os dois uma só carne. Também não fala do padrão paulino para bispos e diáconos: maridos de uma só mulher.
Antes, a preocupação de Cavalcanti é meramente igualitarista, e acarreta na hipótese de que Deus estabeleceria padrões de conduta impossíveis de serem vivenciados ao longo da história:
O ideal divino, edênico, seriam as uniões monogâmicas? Sim, mas para todos. Ou seja, a exigência de absolutização desse modelo seria legítimo historicamente quando, concomitantemente, houvesse as condições objetivas para que todos a usufruíssem, não ficando ninguém sem casar, conforme, igualmente, o ideal edênico. Não seria teologicamente correto, nem eticamente honesto, exigência de um aspecto sem levar em conta a totalidade da Ordem da Criação. (Libertação e Sexualidade, pág 72)
Aqui fica óbvia a transposição da mentalidade “socialista democrática” de Cavalcanti para a esfera teológica, com todas as suas nefastas conseqüências de ordem espiritual e moral. “Só não é pecado se todos tiverem o mesmo direito”. Mas nada apóia esse raciocínio comunistóide nas Escrituras. “As manifestações sociais do pecado, as perversões, como as guerras, as epidemias, as enfermidades, os acidentes, as desigualdades, os preconceitos, têm tornado impossível o outro lado desse ideal”, afirma o bispo no parágrafo seguinte. Como se a presença do pecado no mundo pudesse relativizar a ordenança divina, única fonte da qual se pode entender a noção mesma de pecado. A ilogicidade da assertiva raia o ridículo.
Esse é o verdadeiro e conhecido Robinson Cavalcanti, ainda que faça boas críticas à ditadura gay (que, na verdade, ajudou a forjar, pois sempre se empenhou para que os evangélicos brasileiros apoiassem candidatos esquerdistas).

Um teólogo da poligamia que não era criticado pelos críticos do mundo gospel

Depois do assassinato do bispo vermelho pró-poligamia, Ariovaldo Ramos, em artigo no Genizah, prontamente o elogiou como “profeta”. Ariovaldo é o mesmo homem que disse: “A Teologia da Missão Integral é uma variante protestante da Teologia da Libertação”. Além de todo um histórico de apoio ao PT e ao MST, Ariovaldo já chegou a defender o aborto.
Para Renato Vargens, a morte do bispo foi uma “grande perda”, conforme foi exposto. Em que sentido? Sem Cavalcanti por perto, não haverá mais ninguém para pregar a Teologia da Libertação ou Missão Integral? Há outros “profetas” por aí para pregar esse “evangelho”. Mas não há muitos pastores ousados o suficiente para justificar a poligamia. Nesse ponto, Robinson Cavalcanti era a autêntica referência da “vanguarda revolucionária”, como dizem os militantes da extrema-esquerda.
Teria sido louvável se Vargens tivesse dito: “Lamento a morte do bispo, mas lamento também todos os erros que ele disseminou nas igrejas do Brasil”.
O mesmo Vargens que escreveu “Amy Winehouse, o pecado veio cobrar a sua conta” não teve coragem, coerência e honestidade de dizer: “Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta”. Pelo contrário, Vargens escreveu não um, mas dois textos em favor do bispo morto. O que teria demais em dizer que o assassinato horrendo do bispo foi o preço de seu amor aos seus pecados de marxismo e liberalismo teológico? Vargens preferiu seguir a multidão.
Eu preferi não seguir a multidão. Em vez de seguir a procissão evangélica ao “profeta” morto e dizer que a morte dele foi uma “grande perda”, deixei claro que o “profeta” provocou grandes perdas na igreja brasileira. Essas perdas são de conhecimento público. Ainda assim, fui considerado insensível e agressivo por autoproclamados apologetas, que estão mais preocupados com bajulações do que com a verdade.
Por tal “profanação”, Danilo Fernandes, dono do Genizah, me xingou publicamente no seu blog laranja Observador Cristão. Por sua vez, Renato Vargens prestou total simpatia e solidariedade à morte do bispo, chegando a se queixar de “desdém e desprezo” contra o morto, sem citar nomes. Embora eu tenha sido um dos únicos a não prestar solidariedade pública ao “profeta” morto, meu texto não trouxe nenhum desdém.
Se eu usasse o estilo do Vargens, eu teria com certeza dito: “Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta”.
Mas Vargens só usa seu estilo peculiar para aqueles que estão na sua mira. Cavalcanti & Cia nunca estiveram na lista negra dele e do Genizah.
Em contrapartida, eu e o filósofo Olavo de Carvalho estamos há muito tempo na lista negra do Genizah. Somos alvo de calúnias, grosseiras e xingamentos, mas nunca de objeções coerentes e dignas de cristãos. E ninguém entre os teólogos, líderes de denominações e outros “apologetas” diz um “a” sobre a conduta vergonhosa de Danilo Fernandes e sua quadrilha. Por aí se vê a “coragem” e o “zelo” dos “apologetas” diante de um desafio real.

O “evangelho” de Karl Marx

Eu realmente não tenho como dizer que foi uma grande perda a morte de um homem que pregava marxismo e poligamia.
Não vejo como um homem que é fiel à Palavra de Deus em todas as questões da vida possa dizer que o fim de alguém que justificava comunismo e poligamia teria sido uma “grande perda” para a igreja brasileira, cujo interesse e ocupação deveria ser proclamar o Evangelho em toda a sua pureza.
Mas, por amor à ficção, vamos imaginar um Cavalcanti que não justificava a poligamia. Vamos imaginar que ele pregava um evangelho esquerdista sem os “excessos” do marxismo — mais de 100 milhões de mortos. Qual seria o resultado?
Em seu livro “Era Karl Marx um Satanista?”, o Rev. Richard Wurmbrand, um pastor luterano romeno de ascendência judaica, deixa claro que Karl Marx, o fundador do marxismo, era satanista.
Num dos seus poemas (disponível no livro de Wurmbrand), Marx disse:
Desejo vingar-me dAquele que governa lá em cima
Assim um deus tirou de mim tudo
Nada me restou a não ser a vingança
Meu desejo é me construir um trono
Meus braços são possuídos de força para agarrar e triturar a humanidade. Com a força de um furacão.
Eu reduzirei o mundo a pedaços com as minhas continuas maldições.
Quando escreveu isso, Marx tinha dezoito anos. O plano de sua vida já havia sido estabelecido. Ele desejava arruinar o mundo. A ambição dele era construir para si um trono, e isso se tornou satanicamente realidade, pois seus livros e ideias estão literalmente entronizados em universidades do mundo inteiro. O esquerdismo, por suas raízes no marxismo satânico, sempre termina em tragédia, para a igreja e para o mundo.

“Outro evangelho” e a fundação do MEP

Embora nos preocupemos com infiltrações satânicas na igreja, ainda não enxergamos que uma grande infiltração já ocorreu, com aparência de anjo de luz, sendo defendida por grandes pastores e revistas. O Apóstolo Paulo alertou:
“Estou chocado de que estejais vos desviando tão depressa daquele que vos chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho, que na verdade, não é o Evangelho. O que acontece é que algumas pessoas vos estão confundindo, com o objetivo de corromper o Evangelho de Cristo. Contudo, ainda que nós ou mesmo um anjo dos céus vos anuncie um evangelho diferente do que já vos pregamos, seja considerado maldito! Conforme já vos revelei antes, declaro uma vez mais: qualquer pessoa que vos pregar um evangelho diferente daquele que já recebestes, seja amaldiçoado!” (Gálatas 1:6-9 KJA)
Consciente do alerta da Bíblia, fui o primeiro cristão do Brasil a denunciar publicamente um homem que nos trouxe um evangelho diferente. Com esse evangelho diferente, ele se tornou membro do PT, teve encontros com Lula e trabalhou ativamente no passado em prol do PT, só abandonando o Partido das Trevas porque, na visão dele, o PT estava abandonando o socialismo e se tornando mais “capitalista”.
Cavalcanti deixou o PT, mas nunca renunciou ao marxismo. Aliás, ele foi o fundador do maior movimento esquerdista evangélico da história do Brasil — o MEP, Movimento Evangelho Progressista. Preocupado com a reação do público evangélico diante das ambições políticas de seu outro evangelho, Cavalcanti teve todo o cuidado de não apresentar o MEP como descaradamente comunista, esquerdista, marxista ou socialista.
O bispo Robinson Cavalcanti disse sobre a fundação do MEP:
Lembro-me do debate sobre a nomenclatura mais adequada quando da fundação do MEP: “evangélicos de esquerda”? “evangélicos revolucionários”? “evangélicos socialistas”? Optamos pela expressão menos controvertida de “progressistas”, embora isso lembre um conceito positivista. Hoje poderíamos falar em um “cristianismo profético”, em “Igreja profética”, em cristãos que incluem o profetismo (“denúncia das estruturas iníquas da sociedade”) em seu conceito de Missão, a serviço do Reino de Deus.
O MEP surge em 1990 com o sentimento de continuidade e aprofundamento de um discipulado integral, que inclui a cidadania responsável. Um importante movimento de opinião, afirmando a compatibilidade entre a fé cristã reformada, protestante, evangélica, com a democracia e o socialismo. O MEP estimulou essa militância nos partidos de esquerda, nos movimentos sociais e nos sindicatos filiados à CUT.
Fonte: OS CRISTÃOS PROGRESSISTAS E A CRISE DA ESQUERDA NO BRASIL, palestra apresentada por Dom Robinson Cavalcanti, em nome do Movimento Evangélico Progressista, no Encontro promovido pelo CLAI (Secretaria Regional para o Brasil) em Brasília, 29 de agosto de 2003.
A astúcia desse homem não permitia que o MEP fosse publicamente designado pelo que realmente era: marxista. Como um dos mais importantes estrategistas e proclamadores de outro evangelho, Cavalcanti tinha de ser denunciado — na vida ou na morte. Essa tarefa cabia especialmente aos críticos do mundo gospel. Mas, muito diferente do que sempre fizeram com Malafaia — onde a crítica de boca escancarada é a regra —, a regra deles para Cavalcanti e outros pregadores de outro evangelho é a boca fechada.
Só o silêncio já é pecado para eles, pois se a missão deles é realmente defender o Evangelho, por que Vargens teve o trabalho de escrever dois artigos sobre o bispo sem mencionar seu “outro evangelho”? Aliás, Vargens, que critica regularmente Silas Malafaia e outros neopentecostais por nome, nunca fez uma única menção negativa a Cavalcanti. Cito Vargens porque o conheço pessoalmente e sei com quem ele anda: ele está diretamente ligado à turma teológica do Mackenzie, cujos estudantes ficaram famosos por confrontarem publicamente militantes esquerdistas durante o regime militar.

“Sigam o blog do Renato Vargens sem restrição!”

Na verdade, essa amizade é tão estreita que logo que escrevi meu artigo denunciando a incoerência de Vargens, teólogos do Mackenzie e aliados se manifestaram prontamente para dar apoio irrestrito a ele. Augustus Nicodemus, chanceler do Mackenzie, deu o tiro de partida, dizendo em sua página de Facebook: “Recomendo o blog do Renato Vargens sem restrição”. Norma Braga e outros copiaram e retransmitiram. “Sem restrição” significa, de acordo com o Dicionário Michaelis, “sem reservas”, “incondicionalmente”. Significa que eles concordam, TOTALMENTE, com tudo o que Vargens diz e disse em seu blog.
E eu que achava que os cristãos nunca alcançariam esse sublime estado de perfeição na terra! Preciso descobrir o segredo divino do Vargens. Meus leitores me apoiam com restrições e críticas. Mas Vargens virou um anjo! Se do lado neopentecostal você encontra apóstolos e bispos, do lado antineopentecostal você encontra criaturas muito mais graduadas. Ninguém pode negar que os anjos estão em hierarquia acima dos pastores, apóstolos e bispos.
O que é fascinante nessa questão é que Augustus Nicodemus Lopes é um teólogo, especialista em hermenêutica. Norma Braga é escritora. Ambos estão aptos a entender profundamente o significado das palavras. Portanto, esse termo “sem restrições” não foi um mero descuido deles. Foi um termo proferido com entusiasmo e convicção, por quem sabe o que fala.
Vejamos agora o comportamento do anjo que é recomendado sem restrição, o anjo que critica Silas Malafaia, mas nunca criticou Cavalcanti.

Renato Vargens faz propaganda de Caio Fábio

Tal qual o Genizah, Renato Vargens, até onde pode, divulga “pregações” de Caio Fábio. Veja a divulgação dele aqui e aqui, com Caio Fábio, para variar, atacando Malafaia. Divulgar o excelente trabalho de Malafaia contra o aborto e a agenda gay ou as posturas pró-vida e pró-família da Marcha para Jesus? Isso nem passa pela cabeça do Vargens. Só para recordar, recebo de Caio Fábio o mesmo tratamento de zombaria que recebo do Genizah.
Confira a zombaria aqui: Caio Fábio ataca Julio Severo

Genizah elogia Caio Fábio e ataca Julio Severo e Olavo de Carvalho

Quanto ao Genizah, esse blog calvinista debochador faz vários elogios e divulgações de Caio Fábio, Cavalcanti e outros “mestres” da Teologia da Missão Integral. Elogia também Leonardo Boff, o “mestre” da Teologia da Libertação. Para mim (e para Olavo de Carvalho), o tratamento é o contrário. Recentemente, Danilo Fernandes, o dono do Genizah, debochou:
E por falar em gente mal intencionada, a minha impressão negativa sobre Pat Robertson ganhou outro patamar quando um certo blogueiro parecido com o INRI Cristo, hoje roommate nos Estados Unidos de Olavinho, a cloaca senil, de Carvalho apoiou a mesma tese racista relativamente ao povo sofrido do Haiti…
Está muito claro que a verdade e a sã doutrina são meros detalhes na defesa dos ideais políticos de INRIzinho. Doutrina cristã não é a praia dele. O camarada é apologista do ideal reacionário e, na sua defesa tropega da ideologia olaviana, ele segue uma linha de raciocínio típica dos esquizofrênicos paranoides, onde se alguém emite uma opinião em concordância com a opinião específica de outra pessoa, a qual defenda alguma tese que o esquizofrênico paranoide esteja vidrado, para este, os dois são iguais e concordam em tudo.

“Defensor da fé”

Como será mostrado mais adiante, Vargens declarou em seu blog: “Louvo a Deus pelos defensores da fé… pelos blogs de apologética como o… Genizah.”
O Genizah promove Cavalcanti, e isso é apologética e defesa da fé.
O Genizah ataca Malafaia, e isso é apologética e defesa da fé.
O Genizah promove Caio Fábio, e isso é apologética e defesa da fé.
O Genizah ataca Julio Severo e Olavo de Carvalho, e isso é apologética e defesa da fé.
O Genizah promove Ariovaldo Ramos, e isso é apologética e defesa da fé.
E ai de quem não louvar o “defensor da fé” e “blog apologético”!
Se temos agora que seguir o blog do Renato Vargens sem restrição, então somos obrigados a dizer: “Oh, Deus, te louvamos porque o Genizah é um blog apologético que defende a fé única e verdadeira nos protegendo de heréticos como Silas Malafaia, Olavo de Carvalho e Julio Severo e nos iluminando com a luz de Cavalcanti, Caio Fábio e Ariovaldo Ramos”.
Ataque a Teologia da Prosperidade e você ganha o direito de promover a Teologia da Libertação, Leonardo Boff, Caio Fábio e Cavalcanti e ainda posar de “santo”, “defensor da fé” e especialista em “apologética”! Com todos esses privilégios, quem é que não vai querer participar, ou pelo menos emudecer?
Genizah e Vargens são implacáveis contra a Teologia da Prosperidade e seus pastores. Mas os dois divulgam sistematicamente o “profeta” Cavalcanti, Caio Fábio e Ariovaldo Ramos, emudecendo com relação aos erros e aberrações desses homens. Aliás, eles vivem à vontade entre teólogos e pastores liberais, nunca os confrontando.
O que está por trás dos ataques aos neopentecostais? O que está por trás da promoção aos pastores liberais e o silêncio diante dos erros deles?
Por que os chamados apologetas calvinistas se calam diante de Cavalcanti, Genizah & Cia? Será que Cavalcanti, Genizah & Cia estão desculpados em todos os seus pecados e liberalismo apenas por sua posição de atacar a Teologia da Prosperidade e os neopentecostais — esporte predileto dos calvinistas liberais e cessacionistas?

Cavalcanti: Teologia da Prosperidade é reflexo do capitalismo

Robinson Cavalcanti via a Teologia da Prosperidade como expressão do capitalismo. Isso pode explicar a razão por que adeptos da Teologia da Missão Integral invariavelmente sejam os mais raivosos contra os adeptos da Teologia da Prosperidade. Embora tentem camuflar sua hostilidade com preocupações “teológicas”, “bíblicas” ou “apologéticas”, sua fonte é essencialmente ideológica.
Em recente entrevista à revista Cristianismo Hoje, Caio Fábio declarou que o grande momento para unificar as igrejas evangélicas do Brasil foi o início da década de 1980. Na entrevista, feita por Danilo Fernandes, do Genizah, Caio Fábio desabafou: “A teologia da prosperidade não existia por aqui, o que prevalecia era a teologia da missão integral. Havia uma quantidade enorme de pastores [adeptos da teologia da missão integral]”. Esse prevalecimento, de acordo com ele, ocorria de forma especial no Congresso Brasileiro de Evangelização, onde até hoje a Teologia da Missão Integral está no pedestal. Mas Deus, em sua graça, destruiu a unificação evangélica que quase ocorreu no começo da década de 1980: Pouco tempo depois, veio a Teologia da Prosperidade, com força total, quebrando a espinha dorsal do monopólio da Teologia da Missão Integral, essencialmente arruinando todos os esquemas socialistas maiores que estavam sendo arquitetados.
A ascensão do neopentecostalismo destroçou o consenso que, de acordo com Caio Fábio, estava se avolumando entre as igrejas com relação à Teologia da Missão Integral.
A destronação da Teologia da Missão Integral foi um golpe “imperdoável”, provocando uma demonização sem precedentes das igrejas neopentecostais, sob a capa de seriedade espiritual e devoção religiosa. Caio Fábio e Robinson Cavalcanti, que tiveram papel destacado em iniciativas para aproximar os evangélicos do PT, se tornaram “profetas” contra a Teologia da Prosperidade e a favor da Teologia da Missão Integral, que usa o Evangelho apenas como palanque da ideologia socialista.
Por atacar a Teologia da Prosperidade, Cavalcanti e outros “mestres” da Teologia da Missão Integral ganharam isenção de toda crítica. Afinal, o Brasil vive uma temporada livre de caça aos adeptos da Teologia da Prosperidade. Por determinação de uma minoria de pastores liberais e pelo silêncio da maioria, é proibido colocar a Teologia da Missão Integral nessa temporada.
Assim, é natural ver multidões aproveitando a temporada de caça, e depois mostrando aos amigos apologetas e genizistas: “Ei, cacei um neopentecostal! Coloquem-me na primeira página! Mereço os holofotes! Mereço prêmios e condecorações!”

“Profecias, línguas, visões e outros dons do Espírito Santo cessaram há dois mil anos…”

Os neopentecostais, especialmente sua Teologia da Prosperidade, são atacados implacavelmente pelo Genizah, Vargens & Cia. Contudo, se a questão da Teologia da Prosperidade for resolvida, Vargens e seus amigos do Mackenzie ficarão satisfeitos? Claro que não. Eles são cessacionistas — religiosos que acreditam que os dons do Espírito Santo eram apenas para a época dos apóstolos. Portanto, na visão deles, hoje não existe genuínas profecias, dons de cura, dons de línguas, etc.
Eles realmente acreditam que os cristãos que têm esses dons hoje não os receberam de Deus. A questão deles, pois, com os neopentecostais e pentecostais é muito mais profunda e espinhosa, não se limitando apenas à Teologia da Prosperidade. Os dons sobrenaturais do Espirito Santo também estão incluídos na lista de condenação deles do que os cristãos hoje podem ou não ter.
Infelizmente, a heresia cessacionista — que faz seus adeptos ridicularizarem e atribuírem ao diabo as manifestações legítimas do Espírito Santo na vida de milhões de cristãos atualmente — não é atacada com veemência e seriedade por quase ninguém atualmente. (Quem encontrar um apologeta denunciando a heresia cessacionista ganha um pirulito!)
O que tenho para dizer para Vargens e os calvinistas que o apoiam sem restrição é: cuidem de seu quintal. As maiores igrejas presbiterianas do mundo estão descambando para a ordenação de pastores gays e lésbicas. Portanto, parem sua preocupação obsessiva com os pentecostais e neopentecostais e cuidem de seu próprio quintal.
Nunca vi Vargens, que tem 100% de apoio de outros calvinistas, criticar e condenar Robinson Cavalcanti e seus males teológicos e políticos.
Mas tenho certeza de que Vargens jamais perdoaria se visse o Apóstolo Paulo ou outro cristão fazendo isso HOJE:
“E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam.” (Atos 19:11-12 ACF)
O que Paulo fazia era totalmente estranho e avesso à teologia seca e morta dos judeus de sua época, e duvido que seria diferente para os adeptos modernos de teologias secas e mortas.
Provavelmente, pelas mãos de Paulo muitas outras maravilhas extraordinárias eram feitas, não só com lenços e aventais. Mas se hoje um cristão imita Paulo, com lenços ou aventais ou outros objetos, os adeptos da teologia cessacionista prontamente negam que isso seja de Deus, pois afinal, para eles, os dons espirituais cessaram com os primeiros apóstolos, como se o próprio Espírito Santo tivesse ficado velhinho e se aposentado!

Maiores milagres nos últimos dias

É possível hoje um cristão ser usado por Deus para que milagres extraordinários sejam realizados através de lenços, aventais e outros objetos? Claro que sim. Jesus realizou milagres imensos e Ele disse para nós:
“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.” (João 14:12 ACF)
“Aquele que crer e for batizado será salvo. Todavia, quem não crer será condenado! E estes sinais acompanharão aos que crerem: em meu Nome expulsarão demônios; em línguas novas falarão. Pegarão serpentes com as mãos; e, se algo mortífero beberem, de modo nenhum lhes fará mal, sobre os enfermos imporão as mãos e eles serão curados!” (Marcos 16:16-18 KJA)
E nós, que estamos nos últimos dias, somos alvos de promessas não de cessação dos dons, mas de maiores manifestação deles:
“Nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre todos os povos, os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos”. (Atos 2:17 KJA)
De acordo com Jesus, nós que cremos nEle podemos sim fazer obras maiores do que os grandes milagres que Ele realizou, seja por meio de lenços, aventais ou outros objetos ou o que o Espírito Santo inspirar, por mais estranho que possa parecer aos adeptos de teologias mortas e secas, ou por mais escandaloso que possa parecer para os que têm fé firme de que os dons espirituais sobrenaturais só existiram há 2.000 anos e o que se vê hoje, de acordo com eles, é falsificação e operação demoníaca.
Para eles, Deus hoje não fala mais através de sonhos, visões e profecias. Curas por dons espirituais e palavras proféticas? Heresia!
Como a maior parte da igreja brasileira, eu creio que Deus fala hoje, que Deus cura hoje, que Deus faz milagres e maravilhas hoje e que Deus dá dons de visões e profecias hoje. Tenho essa convicção porque não quero andar na contramão da Palavra de Deus e do mover do Espírito Santo.
Creio que os que creem em Jesus podem hoje realizar maiores milagres. Creio na Palavra de Deus. Mas tenho desconfiança de cristãos que se dizem profetas e apoiaram Lula. Tenho desconfiança de líderes cristãos que dizem que oraram e a resposta foi José Serra ou Marina Silva. Tenho desconfiança de cristãos que dizem que oraram e Deus os dirigiu a votar num cristão marxista, profundamente comprometido com a Teologia da Libertação.

A união oportunista de críticos ideológicos e teológicos da Teologia da Prosperidade

Enquanto os críticos ideológicos e liberais teológicos criticam a Teologia da Prosperidade por vê-la como reflexo do capitalismo, críticos teológicos tradicionalistas atacam porque são fundamentalmente contra tudo o que venha do neopentecostalismo.
O fato de que igrejas e líderes não liberais silenciem diante das críticas ideológicas das igrejas da Teologia da Missão Integral deve-se exclusivamente ao ranço teológico, que no final acaba beneficiando o liberalismo teológico, que cresce debaixo do silêncio comprometedor daqueles que deveriam denunciar os perigos maiores da Teologia da Missão Integral.
Os críticos teológicos liberais só vão parar de criticar os neopentecostais depois que os neopentecostais abraçarem a Teologia da Missão Integral.
Os críticos teológicos tradicionalistas só vão parar de criticar os neopentecostais depois que os neopentecostais abandonarem a Teologia da Prosperidade, e depois que abandonarem falar em línguas, profecias, expulsão de demônios, etc. Mas as exigências teológicas, com certeza, não vão parar por aí.

O que você deve fazer com um crítico da Teologia da Prosperidade?

Qual deve ser sua atitude quando encontrar um crítico do mundo gospel numa igreja ou conferência? Você que é pastor ou responsável pela conferência, exija que o crítico só trate dos problemas da Teologia da Prosperidade depois que ele denunciar a Teologia da Missão Integral e a heresia cessacionista. Se o especialista em crítica não aceitar esses justos termos, mande-o plantar batatas no quintal da casa dele.
Se ele quiser atacar Silas Malafaia ou R.R. Soares, exija dele: “Você passou anos atacando esses dois telepastores neopentecostais, mas nunca criticou Ariovaldo Ramos e outros promotores da Teologia da Missão Integral, inclusive o Genizah. Você também nunca atacou a heresia cessacionista. Se não começar agora a denunciar essas heresias, vou vê-lo como falso mestre de hoje em diante”.

Renato Vargens recomenda Ariovaldo Ramos e Genizah

Vargens recomendou publicamente que seus leitores o seguissem no Twitter do Púlpito Cristão, um tabloide notoriamente esquerdista. Veja aqui. Para conhecer o esquerdismo do Púlpito Cristão, clique aquiO Genizah & Cia dizem “amém”! Augustus Nicodemos completa: “Sigam o blog do Renato Vargens sem restrição!”
Vargens também disse: “Louvo a Deus pelos defensores da fé… pelos blogs de apologética como o da Nani, Genizah, Púlpito Cristão, Márcio de Souza, Hermes Fernandes, e dezenas de outros mais que diariamente lutam contra os ensinamentos espúrios dos apóstolos modernos”. (Atenção: O link gravado está aqui: http://archive.is/Tz7B).
Os que seguem Vargens sem restrição em tudo o que ele disse têm também o dever de “louvar a Deus” pelo Genizah e outros debochadores. Como é horrível seguir incondicionalmente meros mortais!
Hermes Fernandes, que foi recomendado por Vargens, já foi repreendido publicamente por ter debochado de Olavo de Carvalho, mas recebeu resposta à altura, que você pode ver aqui:
Em outra ocasião, Vargens louvou a Deus por Antônio Carlos Costa, pela “ousadia de levantar a bandeira da paz neste país”. Essa “ousadia” foi compactuar com a ideia de paz do socialismo: desarmamento da população civil. Vargens também “Bendisse ao Senhor por teólogos como… Ariovaldo Ramos”. Você pode encontrar esses disparates aqui no blog do Vargens. E você pode apostar que o PT e outros socialistas devem estar louvando todos os deuses e deusas por um líder evangélico calvinista progressista como Antônio Carlos Costa que trabalha pelo desarmamento.
Sobre desarmamento, tenho este artigo:
Dá, realmente, para seguir o blog do Renato Vargens sem restrição? Faça essa pergunta ao Rev. Augustus Nicodemus, do Mackenzie.
Aliás, foi graças à intervenção do Rev. Nicodemus, que postou o primeiro comentário de apoio ao texto do Vargens — que tentou defender seus disparates sobre Cavalcanti dizendo que não é socialista , que todos os outros mackenzistas e aliados imediatamente seguiram o rastro, fazendo seus comentários e achando que estavam autorizados a apoiar Vargens e me atacar. Meteram-se na questão do Vargens e Cavalcanti sem nem mesmo dar atenção à Palavra de Deus:
“Como alguém que decide pegar um cão pelas orelhas, assim sofre aquele que se mete em discussão alheia!” (Provérbios 26:17 KJA)
Meu longo artigo é, pois, um reforço ao que eu disse sobre a incoerência do Vargens e também uma resposta às acusações dos que a Palavra de Deus chama de “metidos”.
Eu já havia tratado do assunto do Vargens e Cavalcanti adequadamente neste artigo:

Julio Severo responde aos críticos que não gostam de ser criticados

O que fica mais que evidente é que a turma que adora criticar (vejam só!) não adora ser criticada. Bastou a “recomendação ‘sem exceção’” do Rev. Nicodemus, literalmente sacralizando as incoerências do Vargens, que a turma mackenzista & cia saiu em tropel em defesa do crítico incoerente, sem parar para olhar mais nada. Sorte a recomendação sem exceção não ter envolvido pulo em abismo!
Nessa altura, podemos pensar: será que até mesmo Calvino recebe de seus seguidores um apoio incondicional e sem exceção?
Darei, a seguir, minhas respostas aos que não gostam de críticas e criticaram a mim no blog do Vargens:
Tiago Santos: Ô, moleque, que vai atrás de recomendações sem restrição e tenta agradar lambendo botas e solas dos recomendadores e recomendados. Por que você não cuida melhor da Editora Fiel, que já chegou a colocar propaganda no Genizah? No comentário de apoio ao Vargens, você disse: “Acusá-lo de esquerdismo por sua palavra de respeito à vida do bispo que foi brutalmente assassinado tange a desonestidade e beira o absurdo”. Ora, ora, Sua Santidade Tiago, o único acusado de esquerdismo foi o Cavalcanti. E o que Vargens disse da cantora que morreu? Repito o que ele disse: “Amy Winehouse, o pecado veio cobrar a sua conta”. Não se pode dizer então: “Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta”? Sua teologia é que todos os descrentes vão para o inferno e todos os pastores, inclusive Cavalcanti, vão para o céu? Isso parece predestinação calvinista, bem típico de você e seu grupo.
Ora, você finge desconhecer que a punição para os que conhecem o Evangelho e o distorcem é maior do que para aqueles que, sem o conhecer, pecaram por toda a vida.
Você também disse: “Concluo expressando minha tristeza por perceber que há alguns que confundem a fé cristã com conservadorismo político. Aquela está muito acima desta — e é a base da boa política”.
Alguns, quem, rapaz? Seu comentário deveria ter lidado com a incoerência do Vargens, sem jogar indiretas. Você não poderia estar falando de outra pessoa. Qualquer criança sabe que você se referia a mim.
Agora pergunto: com base em que você faz acusações sobre a vida cristã de outra pessoa?
Você não conhece minha vida devocional, não conhece minha vida familiar, nada sabe da minha vida na igreja local que frequento e nem da minha vida na comunidade em que atualmente moro. Você desconhece meu testemunho na vida diária, desconhece as minhas atividades ministeriais que não aparecem em meu blog, e desconhece outros posicionamentos e convicções minhas em outras áreas.
Mesmo assim, você se atreve a lançar acusações estúpidas.
Querendo por em dúvida a qualidade e a autenticidade da minha fé a fim de justificar, desviar ou acobertar as incoerências do Vargens, você mostrou a qualidade da sua própria fé. Tal erro é muito grave, pois não há nada no padrão ético da Bíblia que justifique sua acusação à minha pessoa ou a qualquer outra pessoa.
Duvido que o propósito da Editora Fiel seja gerar na vida dos leitores o comportamento que você demonstrou. Seja como for, leitores verdadeiramente guiados pelo Espírito Santo não se deixam influenciar por tal carnalidade.
Portanto, deixe de molecagem, e aja com a responsabilidade de um verdadeiro servo de Deus. E isso não vale apenas para você. Vale para todos os que, vergonhosamente, apoiaram sua acusação, como Norma Braga, Uziel Santana e outros.
Norma Braga disse: “É uma piada de muito mau gosto dizer que você é de esquerda”. “Vargens é de esquerda” não são palavras que eu disse, mas que você colocou na minha boca. O que eu disse é que o Vargens é um incoerente. Como você chama um crítico que critica tudo e diz ser contra o marxismo, mas não critica Cavalcanti por seus pecados descarados? Como você chama alguém que diz “Amy Winehouse, o pecado veio cobrar a sua conta”, mas não aplica o mesmo princípio ao bispo que pregava marxismo e depravação? Como você chama um homem que silencia diante dos pecados de Cavalcanti e elogia todos os que debocham de mim e do Olavo de Carvalho? Vargens é um incoerente. Como chamamos alguém que diz condenar o marxismo, mas anda a vontade com pastores dessa linha, os elogia e louva a Deus pela vida deles? Não consigo imaginar o Apóstolo Paulo louvando a Deus por nenhum dos pregadores que proclamavam outro evangelho. Paulo não teria elogiado nem mesmo um anjo se tivesse feito isso.
Mas no seu caso, como você também já declarou que recomenda Renato Vargens “sem restrição”, temos novamente a questão de um anjo encarnado, que não erra. E o que é mais grave: os erros notórios do Vargens passam a ser também os seus, quer você goste disso ou não.
Voltando ao ponto central: Cavalcanti era ou não falso mestre? O que está em questão aqui não é o que você imagina sobre mim e outras pessoas. De leitores de alma, já basta Caio Fábio. E você apoiou a interpretação de alma que o Tiago Santos fez, postando até um elogio seu ao que você chamou de “testemunho bonito” do Tiago Santos. Mas uma amiga sua disse para você sobre esse “testemunho bonito”:
“Eu sei que o Pr. Renato é excelente pessoa. Mas só tem um senão no texto: eu não considero socialistas como irmãos em Cristo, já que o socialismo é frontalmente contrario à fé cristã e sempre procurou e a procura destruir. Prova é o que tem acontecido no mundo e no Brasil. Que o Robinson não era conservador, não era mesmo, hehe”.
É mais fácil levantar qualquer acusação contra mim do que reconhecer que o “anjo” não é dotado de infalibilidade?
Leia minha resposta acima ao Tiago. Vargens — e os que tentam acobertar sua incoerência — fez um desserviço ao Evangelho ao prestar solidariedade a um dos maiores estrategistas do outro evangelho no Brasil.
Uziel Santana: “O fundamento da nossa ação no Reino ou no mundo sempre deve ser Cristo. Não deve haver outro fundamento, seja ele de direita ou de esquerda. Como bem disse o Tiago, confundir as bases da nossa fé com o conservadorismo político é inadmissível, principiante e coisa de quem, ao contrário do que prega as Escrituras, está em busca de partidarismos e divisões na Igreja de Cristo”.
Sua acusação foi além da do Tiago. “Partidarismos e divisões na Igreja de Cristo”? Você está falando do Genizah, Ariovaldo Ramos, Robinson Cavalcanti ou de mim? Prove sua acusação.
Nem direita nem esquerda são o fundamento do Cristianismo, mas a verdadeira fé cristã se expressa com posturas conservadoras. As posturas conservadoras são um dos frutos do verdadeiro Cristianismo, e ficam evidentes quando o cristão maduro tem oportunidades de dar seu testemunho público em questões culturais e políticas. Durante o governo militar, os estudantes do Mackenzie, de direita, entravam em violentos confrontos de rua com os estudantes da esquerda. Acredito que a direita não era a base da fé deles, assim como não é da minha. E só para constar: nunca tive violentos confrontos de rua com nenhum esquerdista.
O que é inadmissível é que, com a desculpa de pregar o evangelho, se faça vista grossa ao apoio à Teologia da Missão Integral, à heresia cessacionista e às incoerências e pecados óbvios de lideranças evangélicas, com o interesse oportunista de forjar uma artificial “união na Igreja de Cristo”, visando, obviamente, alcançar maior poder, visibilidade e influência diante de determinados movimentos. A fé cristã ou ação no Reino sempre foram desculpas bem arranjadas para manipuladores do Evangelho como Cavalcanti. Você conhece a história das grandes denominações brasileiras, repletas de pastores liberais, maçons e esquerdistas. Sabe do que estou falando.
Convenhamos, Uziel, você está hostil comigo desde que rejeitei seu apoio a Marina Silva. Conforme você me disse, você orou e Marina foi a resposta. De forma igual, Valnice Milhomens orou e Marina foi a resposta. Mas duvido muito que foi Deus quem deu uma resposta a vocês. E seus amigos cessacionistas também duvidam com certeza, mas por outros motivos. Contudo, você não se pronuncia sobre suas discordâncias com eles, evitando o confronto do erro, apenas para alimentar interesses de poder, visibilidade e influência debaixo da capa de amor e união cristã.
Você poderia citar para seus amigos cessacionistas John Piper, que é teólogo calvinista e crê nos dons sobrenaturais do Espírito Santo para hoje, inclusive o dom de línguas. Já está mais do que na hora de confrontar a heresia cessacionista, não?
Desde o episódio da Marina, parei de publicar seus artigos e de recomendá-los.
Eu avisei você que Marina tem como conselheiros Leonardo Boff e Caio Fábio. Ambas as criaturas são apoiadas pelo Genizah. E você ainda me perguntou “O que é que você tem contra o Genizah?” O orgulho de satanás foi querer grandeza e posições elevadas. E esse é um problema sério que você tem de lidar na sua própria vida, pois desde que parei de lhe dar oportunidades de publicação, você está em hostilidade.
O que você quer que eu pense a seu respeito, diante de tudo isso?
Solano Portela: Você, como eu, é contra o desarmamento da população civil. Mas já expus minha discordância com você por ter citado favoravelmente o Rio de Paz, organização desarmamentista amplamente apoiada pelo Genizah. Isso é incoerência. Agora, você apareceu no blog do Vargens para participar do ataque em grupo contra mim. Pare de ser incoerente. Copiei aqui meu comentário para você em 2008:
Olá, Rev. Solano! Parabéns pelo excelente artigo! Eu queria publicá-lo no meu blog, mas fiquei preocupado porque seu texto faz divulgação do Rio de Paz, que recentemente patrocinou palestra do ultra-esquerdista Bispo Robinson Cavalcanti. Além disso, as campanhas do Rio de Paz, que lidam com questões de violência e segurança pública, não defendem o direito natural dos cidadãos à defesa pessoal e armada. São campanhas que acabam atendendo aos interesses da ideologia esquerdista (principalmente o desarmamento, tão querido da esquerda) e, como todos somos testemunhas, o esquerdismo é uma doença mental afetando e impulsionando não só o governo Lula, mas também o movimento homossexual. Sou pela paz, mas não a paz da esquerda ou do inferno. Sou pela paz de Cristo, que deve reinar nos corações, junto com a justiça de Deus.
Ciro Sanches Zibordi também comentou, aproveitando a proteção do grupo, para expor elogios ao Vargens e me atacar. Ciro, que já foi repreendido por mim por suas incoerências ao atacar Malafaia, hoje se queixa por ser criticado por criticar. Para aqueles que querem conhecer o motivo do Ciro ter aparecido no blog do Vargens para me criticar em grupo, leiam o artigo:
Euder Faber disse: “A postura de Renato Vargens tem sido pautada pela coerência ética e bíblica, afirmar que ele é um esquerdista é um absurdo. Renato conta com a solidariedade dos que fazem a Vinacc”. Não chamo de coerência ética e muito menos bíblica elogiar Cavalcanti, Ariovaldo Ramos e Genizah. Quem colocou na minha boca a afirmação de que “Vargens é um esquerdista” foi a Norma Braga. Mas é inegável que várias das más companhias dele são esquerdistas. Isso eu deixei muito claro no meu artigo, mas você preferiu se esquivar de todas as ligações do Vargens plantando algo na minha boca. Vargens é um incoerente. Como chamamos alguém que diz condenar o marxismo, mas anda a vontade com pastores dessa linha, os elogia e louva a Deus pela vida deles? Não consigo imaginar o Apóstolo Paulo louvando a Deus por nenhum dos pregadores que proclamavam outro evangelho. Paulo não teria elogiado nem mesmo um anjo se tivesse feito isso.
O papel da VINACC hoje se reduz a se solidarizar com um homem que se solidariza com pastores, líderes e falsos mestres que abraçaram outro evangelho?
O stand da revista Ultimato está sempre nos eventos da VINACC. Então, você tem assuntos muito mais importantes para se preocupar do que seguir “recomendações sem restrição”.
Leonardo Gonçalves, antigo aliado do Genizah e dono do Púlpito Cristão, aproveitou para mostrar sua cara nos comentários. Dois anos atrás, Leonardo participou de um conluio com o Genizah para me atacar, e agora tenta repetir a proeza. Será que sou tão forte assim que o Leonardo só consegue me atacar protegido em bando?
Supondo que não foi por mágoa (não leio a alma de ninguém) nem por um nojento espírito de matilha que você e outros tomaram as dores do Vargens depois do meu artigo mostrando as incoerências daquele que foi recomendado sem restrição, foi então por qual motivo? Foi por zelo à sã doutrina?
Para aqueles que querem conhecer o embate que o senhor Leonardo já teve comigo no passado, leiam o artigo:

Jean Wyllys está certo

Desgraçadamente, tenho de concordar com Jean Wyllys quando disse que os calvinistas são os maiores aliados do movimento gay. Sustentam com unhas e dentes uma apologética raivosa militantemente antineopentecostal, mas toleram o outro evangelho baseado nas ideias de Karl Marx. Não são progressistas, mas toleram essa ideologia, por amor a amizades e corporativismo doutrinário e denominacional. (Quando digo que não são progressistas, não me refiro aos calvinistas Genizah e Ariovaldo Ramos.)
É muito fácil criticar nominalmente pastores da Teologia da Prosperidade. Essa é a onda, que está provavelmente sendo usada para acobertar os próprios pecados dos críticos.
Mas onde está a coragem para denunciar os pregadores do outro evangelho, o evangelho que Cavalcanti pregava? Anos atrás, publiquei um artigo excelente denunciando nominalmente um dos maiores escritores esquerdistas do mundo evangélico. A pessoa que me ajudou a escrever não queria assinar o artigo comigo, pois criticar liberais evangélicos famosos custa caro. No caso dessa pessoa, poderia lhe custar oportunidades em grandes editoras do Brasil. Assim, embora o artigo trouxesse uma imensa contribuição dessa pessoa, fui obrigado a colocar somente minha assinatura, pois ela estava com muito medo de se expor a virar alvo de críticas.
Não tenho medo de críticas. Não tenho medo também de perder oportunidades. Semanas atrás, um dos maiores jornais seculares dos EUA me convidou oficialmente para ser colunista, me tentando com ofertas de um futuro de fama e riquezas. Não pude aceitar porque o dono do jornal é um dos maiores heréticos do mundo.
Não tenho medo nenhum de nadar contra a maré, mesmo quando sou diretamente prejudicado. O mais importante para mim é não negar o nome de Jesus publicamente.
É fácil nadar com a corrente. O difícil é nadar contra a corrente e modismos.
É fácil então enfrentar um cristão como eu. O Genizah faz isso muito bem: com deboches, calúnias e mentiras. Mas não é fácil enfrentar liberais, que vivem cercados de matilhas e multidões enganadas.
O grupo do Mackenzie e simpatizantes que está me criticando por coisas que não sou exclusivamente para desviar a atenção das óbvias e indesculpáveis incoerências do Vargens deveria refletir melhor antes de se reunir como grupo de ataque.
Só entrei nesse assunto porque o foco dessa confusão — a falta de coerência, coragem e honestidade do Vargens de também escrever “Robinson Cavalcanti, o pecado veio cobrar a sua conta” — tem tudo a ver com anos de denúncias proféticas que venho fazendo contra o profetismo esquerdista de Cavalcanti.
Se o pastor Richard Wurmbrand estava certo ao afirmar que Karl Marx era satanista, então Cavalcanti tinha simpatia por uma ideologia satanista. O marxismo e suas variantes são infiltrações satânicas na igreja. É outro evangelho. Não faz, pois, sentido algum acobertar num bispo evangélico liberal tais diabólicas simpatias ou prestar solidariedade a um homem que tanto estrago provocou na igreja brasileira.

43 comentários:

Cristao Peregrino disse...

Julio, tenho que concordar com particamente tudo o que disse.
O veneno da Teologia da Libertação e a tal da Missão Integral devem sim ser denunciados tanto como a famigerada teologia da prosperidade e o teismo relacional.

Evangelhos falsos.

Sou leitor constante do seu blog, sou ortodoxo conservador, leio tambem o Renato Vargens, gosto dos textos dele, do Augustus tambem.

Mas esse "de cujus" não conhecia o evangelho de verdade, não conhecia o poder libertador da cruz, achava que a libertação viria de uma teologia espuria sem paixão por Cristo.

Edwards, Wesley, Spurgeon, Lutero, Calvino, Agostinho, Arminius e outros teriam ataques de dor de barriga ao lerem os textos do Cavalcanti.

"Esquçam os best-sellers, leiam os clássicos".

O genizah foi um dos primeiros blogs que comecei a acompanhar, mas depois entendi, por mim mesmo, qual era a linha por tras. nao leio nem recomendo.

Fora o socialismo "cristao", esse engodo de cristalizar marx e Cristo, luz e trevas.

teologia da prosperidade é reflexo do pecado, da falta de caráter e temor dos mercantilistas.

Critico o malafaia pela recente ligação com a prosperidade, mas elogio quando ele corajosamente se levanta indignado contra a deturpação dos valores da família que estamos vendo na nossa ditadura democratica dilminha "paz amor e odio", claro com a iminencia parada lulinha "paz amor e fidel".



Andemos na luz.

chega de hermes, ariovaldo, boff, genizah, caio, cavalcanti, gondim, teologias espurias, carregadas de humanismo sem compromisso com a cruz.

Nao ponha os calvinistas no mesmo saco.

Vargens nao tem o apoio de 100% dos calvinistas.

António Jesus Batalha disse...

Irmão Julio, estive a ver algumas coisas em seu blog, e dou graças por haver homens que se interessam em divulgar a Palavra de nosso Deus. Desejo deixar um convite, tenho um blog com o nome de Peregrino e Servo, se desejar fazer parte, eu ficaria radiante em tê-lo como meu amigo virtual, isto é se desejar, se não ficamos amigos na mesma. Decerto irei retribuir seguindo o seu blog também. Um obrigado e muita paz e graça do Senhor Jesus.

J. Essieme disse...

Fiquei sem entender algumas coisas, irmão. Você diz: "eu e o filósofo Olavo de Carvalho (...) somos alvo de calúnias, grosseiras e xingamentos". Mas no mesmo fôlego você incrimina quem discorda de você chamando-os de "Danilo Fernandes e sua quadrilha" (ou quadrilha tem aqui sentido metafórico e não de um substantivo relacionado à criminalidade?) Mais à frente você diz ser contra o desarmamento porque o cidadão têm um direito natural à defesa pessoal e armada. Você se diz a favor da paz de Cristo (de fato, a única paz verdadeira). Mas pergunto: a paz de Cristo tem alguma coisa a ver com ter uma arma de fogo?

Julio Severo disse...

Prezado J. Essieme

Eu e o Olavo não nos apoiamos mutuamente sem restrição. Eu sou evangélico e ele é católico. Temos pois muitas divergências doutrinárias. Na última eleição presidencial, ele apoiou Serra. Eu não. Daí, temos divergências em outras áreas também, e fica claro que não nos recomendamos mutuamente sem restrição. Isso é impossível.

Mas temos a mesma oposição à Teologia da Libertação e ao PT.

Quanto ao termo quadrilha, note que o próprio Genizah usa esse termo para si.

A paz de Cristo nada tem a ver com fechaduras nas portas, janelas trancadas e outros meios para garantir nossa segurança pessoal. Para mais informações, leia este artigo: http://juliosevero.blogspot.com/2010/11/o-rio-e-o-velho-oeste.html

Nunca tive uma arma. Davi, que escreveu e orava o Salmo 91 (de proteção), tinha e usava arma. Isto é, ele orava a Deus pedindo proteção, mas também fazia a parte dele.

Julio Cesar disse...

Caro Júlio,esse foi o melhor texto que o Irmão escreveu,na minha opinião,e o Espírito Santo O dirigiu!

Continue nesse caminho,meu irmão,denunciando o pecado e as alianças nefastas desses Pseudo-intelectuais cessacionistas,que desviam o foco das atenções para os neopentecostais justamente para encobrir suas verdadeiras intenções escusas.

Tem muito ´´apologeta``por aí,referendado pelos ´´mestres adorados``fazendo um serviço prá lá de sujo e maldoso,só que nem todos enxergam isso...Espero que esse texto brilhante escrito por ti esclareça muita gente!

Abraços,meu irmão!!!

MARIA disse...

Júlio, concordo com você também e ainda bem que Deus o tem usado como voz para esclarecer-nos tantas coisas.
Esse pessoal da "teologia cristã marxista" não tem o Espirito Santo de Deus, por isso não conseguem enxergar a realidade espiritual. São cegos e guiam outros tantos cegos. O pior é a falta de informação e esclarecimento no meio do povo de Deus! Mas, terrivelmente a falsa intelectualidade esquerdista invadiu e dominou o meio acadêmico. O Brasil é um país de pessoas ignorantes com diplomas de doutor!! Uma tragédia! Ninguém aprende nada que preste nas faculdades e escolas na área de ciências sociais e filosofia, somente este conhecimento rasteiro e miserável da esquerda marxista! É uma verdadeira tragédia! Só Jesus pode nos livrar do laço dessa morte por sua vida! Que Deus continue te intelectual! Por isso louvo a Deus abençoando e te livrando de todo mal.

MARIA disse...

A última parte do meu cometário saiu com erros de digitação. Corrigindo:
...
"Só Jesus pode nos livrar do laço dessa morte intelectual! Por isso louvo a Deus por sua vida. Que Deus continue te abençoando e te livrando de todo mal."

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Não sei se eu vou estar certo na minha opinião, mas eu diria que houve uma falta de vigilância do povo em geral contra a infiltração e a proliferação de idéias esquerdistas, marxistas, comunistas e socialistas no nosso sistema educacional. E, infelizmente, essas mesmas idéias também contaminaram as nossas igrejas (por negligência dos servos de Deus).

Em virtude disso, o verdadeiro evangelho de Jesus vem sendo deturpado e distorcido por muitos pastores, que se deixaram enganar por essas mesmas idéias. Como prova disso, temos várias "teologias": Prosperidade, Missão Integral, Libertação (e outras semelhantes). Em outras palavras: são criados outros evangelhos (que são, na verdade, caricaturas do verdadeiro evangelho de Jesus).

Só que o apóstolo Paulo, a respeito disso (dos falsos evangelhos), disse em alto e bom som:

"Mas ainda que nós mesmos ou até um anjo do Céu vos apresente um outro evangelho diferente daquele que eu vos tenho pregado, seja anátema. Assim como já vos disse antes, agora novamente vos digo: se alguém vos anunciar um outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. Porque, procuro eu o favor dos homens ou o favor de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo" (Gálatas 1:8–10)

Há muitos e muitos anos atrás, eu lembro que, durante uma pregação na igreja onde eu congregava pouco tempo depois de ter me convertido (na época, eu era apenas um jovem obreiro), o pastor disse (num tom profético): "Irmãos, vai chegar um tempo em que o evangelho do Senhor Jesus Cristo será desprezado e corrompido por idéias demoníacas. E, infelizmente, muitos dos servos de Deus serão influenciados por essas mesmas idéias (que também vão contaminar a igreja do Senhor). Não deixemos que nada isso venha a nos afastar da pureza da Palavra de Deus, e não abandonemos a verdade".

Num primeiro momento, achei que o pastor estava sendo pessimista demais. Ao final do culto, eu perguntei a ele: "Pastor, o senhor não está exagerando? Quem pode corromper a verdade da Palavra de Deus?" E ele me respondeu: "Meu filho, a Palavra do Senhor tem que se cumprir. Vai acontecer muita coisa antes da volta de Jesus. E isso que eu falei é apenas uma de muitas delas. Tenha certeza disso, porque a Palavra do Senhor é verdadeira. Estive orando em casa e o próprio Senhor me revelou tudo isso".

Hoje, quase 40 anos após eu ter ouvido a pregação daquele pastor (que hoje descansa no Senhor), vejo tudo se cumprindo: igrejas corrompidas por filosofias marxistas, socialistas, comunistas, esquerdistas, e outras filosofias anti–cristãs (sem contar outras teologias e outros evangelhos). E a tendência é tudo piorar cada vez mais!

O que o pastor falou naquela época (e que está acontecendo hoje) só faz confirmar as palavras do apóstolo Paulo:

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Alguém ainda duvida da veracidade da Palavra de Deus?

ÉLQUISSON disse...

Diante de tanta sujeira em muitas igrejas, as quais, em sua maioria, estão contaminadas pelas filosofias esquerdistas, marxistas, comunistas, socialistas (e também outras teologias e outros evangelhos), eu diria que está sendo muito difícil encontrar uma igreja 100% santa nos dias de hoje (diríamos que isso é uma verdadeira "Missão Impossível").

Ao lermos o livro de Apocalipse, vemos que Jesus, nos capítulos 2 e 3, manda o apóstolo João escrever 7 cartas para 7 igrejas diferentes (Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia). De todas elas, somente 2 foram 100% elogiadas (ou seja, não sofreram nenhuma crítica de Jesus): Esmirna e Filadélfia. Em 4 delas (Éfeso, Pérgamo,Tiatira e Sardes), há elogios e críticas. Na última delas (Laodicéia), não há nenhum elogio (somente críticas).

Considerando que quase todas as igrejas hoje estão mais cheias de erros do que de virtudes, vejamos o que Jesus mostra de errado em 5 das 7 igrejas de Apocalipse (e como estes mesmos erros estão em evidência nas igrejas de hoje):

- Éfeso: "Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor" (Apocalipse 2:4)

- Pérgamo: "Tenho algumas coisas contra ti: tens aí os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria e se prostituíssem. Assim, tens também aqueles que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que Eu odeio" (Apocalipse 2:14–15)

- Tiatira: "Tenho contra ti que toleras que Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensine e engane os Meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria. E Eu dei a ela bastante tempo para que se arrependesse da sua prostituição; mas ela não quis se arrepender" (Apocalipse 2:20–21)

- Sardes: "Tens nome de que vives e estás morto... não tenho achado as tuas obras perfeitas diante de Deus" (Apocalipse 3:1;2)

- Laodicéia: "Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, estou para te vomitar da Minha boca. Porque dizes: Sou rico e não tenho falta de nada; mas não sabes que és um desgraçado, miserável, pobre, cego, e nu" (Apocalipse 3:16–17)

Agora, façamos a comparação entre estas igrejas de Apocalipse e as igrejas de hoje:

- Éfeso (e hoje): Quantas igrejas hoje já não têm mais o primeiro amor (como nos tempos de novo convertido)?

- Pérgamo (e hoje): Quantas igrejas hoje estão permitindo a infiltração de heresias e falsas doutrinas (e deturpando a Palavra de Deus)?

- Tiatira (e hoje): Quantas igrejas hoje dão ouvidos aos falsos profetas, às doutrinas de demônios, e toleram os "modernismos mundanos" no seu interior?

- Sardes (e hoje): Quantas igrejas novas surgem a cada dia em cada esquina, sem a unção do Espírito Santo (e com pastores sem uma vida consagrada no altar)?

- Laodicéia (e hoje): Quantas igrejas pregam as bênçãos material e financeira (e esquecem de anunciar que o Reino de Deus deve ser a prioridade das nossas vidas)?

A resposta comum para todas estas perguntas acima é uma só: quase todas as igrejas (inclusive muitas que se dizem cristãs)!

Será que esta minha análise está certa? Quem quiser se manifestar, esteja à vontade!

ELISEU disse...

Socialismo cristão? Desde quando isso existe? Só se for na cabeça de pessoas esquerdistas como Robinson Cavalcanti (e outros que pensam igual)!

É uma verdadeira blasfêmia (e um verdadeiro desrespeito) querer igualar a fé cristã ao mesmo nível de uma ideologia que matou mais de 100 milhões de pessoas! Sem contar que Karl Marx (o principal nome do socialismo) era satanista!

Como bem disse o presbítero Valdomiro, o nosso sistema educacional foi contaminado por idéias esquerdistas, marxistas, comunistas e socialistas. Da escola primária à universidade, todos já são educados com a mentalidade formada por essas mesmas idéias.

Infelizmente, as nossas igrejas também foram atingidas por essa "onda vermelha". E o que vemos hoje? Igreja pregando distorções do verdadeiro evangelho de Jesus!

Diante do que está acontecendo hoje, só podemos confirmar a veracidade das palavras do apóstolo Paulo:


"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Alguém concorda comigo?

Casal 20 disse...

Julio Severo, acabei de ler o artigo e estou perplexo. Há algo mais do que simplesmente defender as posições evangélicas de Silas e companhia... No artigo, houve claramente uma defesa da Teologia da Prosperidade. E você a defendeu de maneira maniqueísta, usando o princípio do yin-yang. Você colocou a Teologia da Prosperidade como o Bem (embora haja problemas) e julgou com inverdades o outro lado como se fosse o Mal (embora com algumas luzes). Este artigo foi para mim uma revelação...

Embora concorde com todas as suas críticas feitas ao Genizah e companhia, embora concorde com suas críticas acertadas sobre o silêncio de muitos teólogos quanto às mazelas do Evangelho Integral e sua cosmovisão, não posso condescender com uma frouxidão com os pastores que seguem corrompendo com o povo e com o povo que segue querendo se corromper com Mamom.

E comparar a TP com o cessacionismo é como comparar formiga com gigante. O estrago feito pela TP é terrível pela multidão que ela abarca e pelo poder do qual ela dispõe por causa da mídia que a promove. O cessacionismo, por outro lado, é um anão no universo evangélico barsileiro e você sabe disso.

Aliás, entendo que você misturou coisas que não deveriam ser misturadas: De um lado, IPB (Calvinismo) com cessacionismo, e do outro lado, TP com Neopentecostalismo e Pentecostalismo. Criando essa dicotomia, você divide um corpo que poderia estar unido contra heresias, mas você colocou os dois grupos como antagônicos. E isso não é produtivo, porque cria um estereótipo do pentecostalismo e do calvinismo que não são verdadeiros no meu entender.

Enfim, embora concorde contigo em todo o seu discurso em relação ao Evangelho Integral e de que haja uma "panelinha" de pessoas que se defendem uns aos outros (o que é muito triste), mas não é um mau menor a robalheira promovida pelas Igrejas da TP. Condeno-as com tanta veemência como condeno o marxismo infiltrado na Igreja Brasileira.

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Geremias Vale disse...

Caríssimo Julio!

Movido por imensa felicidade no Senhor Jesus, que sempre oro por você, pois como cristão perseguido não se escusa de falar a verdade. sempre que posso faço referencia a sua pessoa, pedindo intercessão por você à minha igreja. citando seu caso em artigos no blog: calvinismo hoje. o qual escrevo conjuntamente com um pastor Batista.

Mas quero esclarecer algumas coisas:

não são todos os calvinistas que pensam "esquerdamente", digo até que, é uma minoria, mas uma minoria com força. até porque, o conservadorismo calvinista não é cessacionista, o qual (cessacionismo) também considero um erro. e são poucos os calvinistas cessacionistas.

Defendo a liberdade de expressão. nunca compactuei nem com a teologia da libertação; leiberalismo teológico ou teologia da prosperidade.

infelizmente o brasil é terra em que algumas pessoas são iguais aos papas quando falam ex-catedra: não erram e tudo quanto dizem deve ser aceito como verdade fechada e final - porém, digo, e reafirmo, a maioria dos calvinistas não merecem algumas colocações em seu artigo - estamos lutando lado a lado com você. embora não apareçamos muito e tenhamos pouca força (digo até, temos somente a força da oração, e dos artigos que escrevemos). peço que não me leve a mal. mas não são todos os calvinistas iguais aos que você citou. Meu irmão! que Deus te abençõe! eu de minha parte, calvinista como sou, crendo que os predestinados tem um coração novo e se alguém não tem um novo coração é porque não nasceu de novo. oro por você, para que Deus te dê ainda mais graça e ousadia, e proteção, e reafirmo, sempre que puder seguirei falando do teu ministerio e indicando seu blog, mas peço que nas próximas postagens, classifique aos outros calvinistas como talvez "certos calvinistas" mas não "Os calvinistas".

Caríssimo, umgrande abraço

Deus te abençõe

Julio Severo disse...

Querido Geremias

Não sou antineopentecostal, nem anticalvinista. Só tive de dar uma resposta mais direta e forte porque os calvinistas que me atacaram são líderes.

E, tristemente, os pontos que levantei são realidade em que, aparentemente, enquanto uma minoria de calvinistas liberais radicais fala asneiras, a maioria fica em silêncio. E o silêncio, nesse caso, ajuda muito no fortalecimento do erro.

Mas se você quiser escrever sobre essas questões, me mande seus textos. E se tudo estiver ok nos seus textos, posso publicar. Tenho excelentes artigos calvinistas no meu blog. Jamais hesitarei de publicar o que for bom, seja e calvinista, luterano, assembleiano ou outro cristãos.

Aliás, tenho de fato publicado textos dessas denominações.

Mande seu texto!

Obrigado pela carinho e orações!

Preciso realmente de suas orações.

Julio Severo

Paulo disse...

Julio, o empresário Danilo Fernandes, dono do Genizah, é um neófito na fé por seu pouco tempo de protestante, mas com tamanha arrogância avoca para si a responsabilidade de fazer "defesa da fé".

Como alguém com pouco tempo de protestante tem tamanha audácia. E o pior, diz fazer 'defesa da fé' com 'humor'. Onde já se viu isto?

O apóstolo Paulo nunca tratou de coisas sérias com deboches, mas sempre com severidade, e muita severidade.

Em meio à tristeza que viemos por ver a Igreja do Senhor sofrendo nas mãos de mercadores da fé, como uma pessoa tem a coragem de tratar problemas nevrálgicos, como chocarrices, zombarias e humor.

Enquanto o Espírito de Deus, em muito se entristece com isto, o diabo dá gargalhadas.

O mais deplorável de tudo é saber que 'velhos' na fé - que andam dizendo por aí que são ortodoxos e que fazem defesa da fé - aliam-se, por interesses mercadológicos, ao neófito apologeta Danilo Fernandes.


O deus Mamon precisa ser extirpado do coração de muitos apologetas ortodoxos.

Paulo disse...

ESTE COMENTÁRIO É GRANDE E ESTÁ PARTICIONADO ... (a leitura completa é importante. Máscaras tem que cair).


É sobre o dono do blog Genizah, o empresário Jose Danilo Silvestre Fernandes Filho.

(PARTE 1)

O "respeitado" blog Genizah - do "apologeta" Danilo Fernandes, ataca ou faz chacotas justamente com denominações pentecostais e neopentecostais, deixando PROPOSITADAMENTE de lado aberrações difundidas por grupos progressistas-liberais e "esquerdistas evangélicos".

O dono do blog é um empresário que converteu-se, há não muitos anos, e supostamente motivado por uma defesa do evangelho, ataca tudo e todos, mas procura de maneira bem sutil, deixar sua nociva mensagem.

Tempos atrás o Genizah publicou uma matéria repudiando a atitude de uma igreja pentecostal, pois esta tinha deixado distribuir aos irmãos uma revista, onde constava que Jônatas era AMANTE de Davi. Um desavisado qualquer que lesse o artigo, de primeira iria imaginar que o blog sensacionalista realmente propõe-se a defender um evangelho puro e genuíno, todavia, já conhecendo a figura e a filosofia danosa do blog, entrei lá e deixei um comentário repudiando a abordagem, não por corroborar com o erro cometido pela denominação, mas mostrando ao Danilo (dono do Genizah) que ele só estava publicando aquela matéria, pois era para 'esculachar' uma denominação pentecostal, tendo em vista que se fosse uma denominação da vertente progressista-liberal, certamente teria passado ao largo. No final do comentário identifiquei-me, com meu nome e endereço do blog, como sempre faço.

Paulo disse...

(PARTE 2)

Em resposta, aquele empresário, "defensor" de um evangelho puro e genuíno, mandou-me uma resposta grosseira, dizendo que eu já tinha me vendido a Satanás, por, segundo ele, ser defensor de uma denominação neopentecostal e um político ligado a ela (mal sabe ele que volta e meia sofro ataques via internet de pessoas ligadas a essa denominação, devido minhas matérias que desmascaram as práticas nefastas ao evangelho).

Entrei novamente no blog e retruquei o comentário dele, novamente identificando-me.

Em nova resposta o empresário disse-me as seguintes palavras:

"Paulo, se você pensa que vou te responder aqui para dar audiência ao seu BLOGUINHO, perde o seu tempo. Como diria Voltaire: O mais competente não discute, domina a sua ciência e cala-se.
Escreva os artigos que quiser, meu olhar não alcança mediocridade. Verdade não se inventa. Abandone a sua inveja. Mire no Alvo mais alto".

De imediato, para dar um basta naquele 'pingue-pongue' escrevi-lhe a mensagem abaixo, e após a mesma, calou-se (faço algumas adaptações aqui para ficar mais fácil o leitor entender).

Ao Danilo dono do Genizah: ....

CONTINUA NA (PARTE 3)

Paulo disse...

(PARTE 3) Sobre Danilo Fernandes ...

Escrevi ao Danilo a mensagem abaixo, após sua grosseria a mim:

"Camarada, tenho minha profissão. Meu BLOGUINHO é por hobby. É desejo de informar, algo que sempre tive vontade. Não dependo disso para sobreviver, graças a Deus. Aliás, não dependo de outras coisas. Você porventura já procurou SEU nome completo na internet, no Google (Jose Danilo Silvestre Fernandes Filho)? Pois é, o que tens a dizer (acréscimo para o leitor do Julio entender). Todavia, meu nome sempre foi ligado às coisas de Deus. A coisas santas.

Nem precisava publicar seus comentários direcionados a mim, podia ter mandado um e-mail. Não precisa citar nem meu nome. Isto pouco importa a mim.

Quanto a tal suposta inveja que disse que tenho, parece realmente uma piada. Acho que você se olha no espelho e enxerga nos outros a sua deficiência. Acho também que sua ânsia em atacar o Malafaia, os Valadão, Macedo e Cia Ltda, é mais motivada por inveja, por querer o espaço deles, do que a tão propalada 'defesa do evangelho'.

Lembra que tempos atrás você postou no seu twitter que estaria na Globo falando sobre a funesta pesquisa 'O Sexo e o Crente'? Pois é, não só não se concretizou, como os seus desafetos Malafaia e Ana Valadão por lá chegaram primeiro. Tudo indica que essa sua inveja besta é travestida de 'apologética'.

CONTINUA NA (PARTE 4)

Paulo disse...

(PARTE 4) Ao Danilo Fernandes

Essa turma preferida por ti, como os Hernandes, Macedo, Valdomiro, Malafaia, Valadão e outros mais estão todos na mídia e tem acesso às massas, e certamente isto deve te deixar muuuuuuito chateado. Deve até perder o sono ou quem sabe beber um "veuve clicquot milesimè", de U$ 400 (algo bem "nobre" para um defensor do evangelho puro e genuíno). (Se procurar no Google por "veuve clicquot milesimè Genizah", algo poderá ser encontrado).

Tem um desses pregadores neopentecostais que você não ataca nem faz chacota, por questão pessoal sua, devido o tal líder ter sido amigo ou até ter sido consagrado ao ministério pelo pai de um de seus colaboradores. Ou seja, pacto de amigos (Referi-me a neopentecostal RR Soares. Este foi consagrado ao ministério pelo pai de um dos colaboradores do blog Genizah).

Sou eu porventura um pastor presbiteriano fundamentalista? (fiz alusão ao um blog 'fake', onde o autor se passa por 'pastor presbiteriano fundamentalista', mas que através de pesquisa nos registros de domínio descobriu-se que o 'fake' na verdade estava registrado em nome de Danilo Fernandes). Lembra?

Cara, eu não preciso dessas sujeiras. Não vivo em torno dessas palhaçadas.

CONTINUA NA (PARTE 5)

Paulo disse...

(PARTE 5) Ao Danilo Fernandes


Não preciso ter ao meu lado gente que se diz apologeta, mas só escreve aquilo que lhe interessa (referi-me aos apologetas relativos, aos parciais, aos politicamente corretos, que são colaboradores deles e que conseguem enganar muita gente que não tem discernimento espiritual).

Por que você ou seus colaboradores não escrevem, por exemplo, em defesa do evangelho e até estimulem um debate público sobre "MAÇONARIA VERSUS EVANGÉLICOS" ou mesmo sobre "PASTORES ADÚLTEROS" (aqueles que trocam de esposa, vão para a secretária, depois abandonam-na e partem para outra e por aí vai ...). Porventura há rabo preso em relação aos temas? Tem coragem?

E mais, seja competente. Não discuta comigo, como orientou o filósofo francês. Não responda a essa mensagem, apenas leia.

Envio-lhe uma mensagem bumerangue: "Mire no Alvo mais alto. Oro por tua alma, para que encontres motivação de crescer somente Naquele que é o Justo".

Ressalto: não responda a essa mensagem, apenas leia. (até coloquei como anônimo)".

Paulo (www.holofote.net). """

Após isto o cara 'apologeta' se calou.

Fato é que quando percebem que verdades virão à tona, alguns preferem recuar.


Muita gente precisa saber realmente qual é a fisolofia do blog Genizah.

Danilo "bateu" na Assembleia de Deus que erroneamente deixou distribuir uma revista de palavras cruzadas onde diz que Jônatas era AMANTE de Davi, mas NUNCA, NUNCA, NUNCA mostrou as ligações de líderes 'protestantes' progressistas-liberais que defendem o "casamento gay", a exemplo do reverendo de São Paulo, da Igreja Anglicana, que está esperando a aprovação da lei do 'casamento gay' para fazê-lo em sua denominação.

Nunca o Danilo publicou sobre o Arcebispo Anglicano de Ribeiro Preto (SP) que disse que Davi era gay.

E o outro Anglicano brasileiro que disse que a orientação sexual de alguém não interfere em sua salvação, hein! Por que o "apologeta" omite-se. Fica pianinho.

Vai enganar outro ...

O Danilo precisa converter-se realmente e parar de causar estragos no meio evangélico, por meio do Genizah. Precisa retirar a trave de seus olhos.

Como um sujeito que até pouco tempo vivia no mundão, converte-se e como um verdadeiro NEÓFITO na fé, fica querendo esculachar a igreja brasileira? Quem deu autoridade a esse cidadão para AVOCAR para si isto?

Infelizmente muitos outros pastores pentecostais estão atrelados ao Danilo, por conveniência, claro! Muitos destes fazem apologética segundo lhes é vantajoso.

FIM.

P.S. Quem estiver interessado procure na internet o nome do senhor Danilo, por completo, já citado anteriormente.

Jorge Bay disse...

Julio, esse falso Evangelho marxista é uma piada e um lixo. Quem busca a Deus com sinceridade e de fato medita na Palavra e a conhece, logo percebe isso. Quanto a Missão Integral, nem sabia que isso existia. Estou começando a ler sobre isso agora no seu blog e está bem claro que é mais uma deturpação do Evangelho. Por fim, a Teologia da prosperidade, tem causado um terrível estrago na Igreja do Senhor, causando mornidão e apostasia em grande escala, contribuindo para que se torne semelhante a Igreja de Laodiceia. Embora eu abomine a TP, também não quero nada com a turma citada no texto que você postou. Está claro que estão totalmente desviados da Verdade e propagando heresias de perdição por toda parte. O meu humilde blog cristaosmilitantes.blogspot.com, é fruto de uma chama de zelo e indignação que arde no meu peito, ao ver a Igreja sendo atacada por falsos profetas e suas heresias. Através dele, procuro na medida do possível alertar as pessoas dessas armadilhas que já se encontram aos montes espalhadas pelas Igrejas, sendo propagadas pelos meios de comunicação etc. Conhecendo melhor sobre esse falso evangelho marxista e sobre a Missão Integral, com certeza farei minha parte denunciando esses males, assim como faço com a Teologia da Prosperidade. Há uma frase de Leonard Havenhil que creio se encaixar com aquilo que você e todos nós leitores do teu blog sentimos: "Sinto-me como um marinheiro que vi surrando um soldado, certa vez, porque, explicou ele, esse sujeito xingou minha mãe. O meu Senhor também foi insultado, e Sua igreja tratada como vil. E diante de dois insultos desses, meu coração se angustia. A igreja tem muitos inimigos. Não posso deixar minha espada na bainha. De modo algum." Abraços a todos!

Cláudio disse...

Julio você sabia que depois desse post, a perseguição contra você vai vir de dentro da igreja também? Agora será Rev. Nicodemus=IPB, Pr.Ciro e muitos outros pastores..

Wesley Moreira disse...

Fica firme Julio, Deus é contigo! Da mesma forma disse Jesus, perseguiram os profetas que eram antes de nós.

Roberto disse...

Parabéns Júlio!
Eu não entendo muito a fundo das coisas que acontecem com os evangélicos, apesar de ter aprendido bastante coisa, inclusive no seu blog, mas dou parabéns quando vejo alguém contra a mentira e a enganação!
Um grande abraço irmão!!

Julio Severo disse...

Um anônimo enviou a este blog um comentário questionando que Karl Marx era satanista. Para ele, Marx era apenas um filósofo. Nada mais. Pelo fato de que o questionador se reservou o direito de enviar o comentário sem utilizar sua conta de Facebook ou outra identificação verificável, nós nos reservamos o direito de não publicar, especialmente agora que o anônimo está protestando para nós achando que temos a obrigação de publicar todos os comentários anônimos. Repito a informação deste blog: O MODERADOR SE RESERVA O DIREITO DE PUBLICAR OU NÃO COMENTÁRIOS ANÔNIMOS, SEM NENHUMA IDENTIFICAÇÃO VÁLIDA E VERIFICÁVEL.

Anônimo disse...

O que tenho para dizer para Vargens e os calvinistas que o apoiam sem restrição é: cuidem de seu quintal.

As maiores igrejas presbiterianas do mundo estão descambando para a ordenação de pastores gays e lésbicas.

Portanto, parem sua preocupação obsessiva com os pentecostais e neopentecostais e cuidem de seu próprio quintal.
Nunca vi Vargens, que tem 100% de apoio de outros calvinistas, criticar e condenar Robinson Cavalcanti e seus males teológicos e políticos.
Mas tenho certeza de que Vargens jamais perdoaria se visse o Apóstolo Paulo ou outro cristão fazendo isso HOJE:

“E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam.” (Atos 19:11-12 ACF)

2.

Pastor Caleb

Cristao Peregrino disse...

Pastor Caleb,
Vargens NÃO tem 100% apoio dos calvinistas.
Nem apoio de 100%.

Fredy disse...

É isso aí, Julio,ortodoxia e coerência. Força, há milhares orando por ti.

Abraão disse...

"É fácil nadar com a corrente. O difícil é nadar contra a corrente e modismos."

A mais pura verdade Julio.

"É fácil então enfrentar um cristão como eu. O Genizah faz isso muito bem: com deboches, calúnias e mentiras. Mas não é fácil enfrentar liberais, que vivem cercados de matilhas e multidões enganadas."

Quando conheci o Genizah, e comecei a lê-lo, fiquei incomodado em meu espírito. Então, quando vi a forma debochada e anti-bíblica dele agir, não tive dúvidas e parei de lê-lo.

Como os irmãos não percebem que o Genizah é uma lixeira? Como os irmão não podem perceber que o Genizah é uma paródia com a Igreja?

O Genizah faz brincadeira com coisa séria, o evangelho é coisa séria, não pode ser levado na piada.

O mundo está muito difícil, muitos irmãos têm caído na tentação da hipocrisia, a nova corrente do mundo, aceitação irrestrita de tudo que uma pessoa é.

Abraços que DEUS te abençoe.

PS: Ao ler o blog do Vargens, também fiquei muito incomodado na primeira vez, e agora entendo o motivo disto. Ele precisa se arrepender, deste orgulho tolo e reconhecer o seu erro, o de ser incoerente e consequentemente hipócrita.

Paulo disse...

Gostaria de enfatizar que faz alguns meses percebi algo de muito estranho em relação ao pastor Renato Vargens.

Até então não tinha opinião formada sobre ele, todavia uma atitude sua me fez começar a vê-lo com outros olhos.

Primeiramente ao referi-me ao pastor Malafaia quero izer que não estou em sua defesa, pois quando mesmo toma atitudes estranhas, eu sou um dos primeiros a 'baixar o pau' nele. Mas temos que ser comedidos, coerentes e imparcias.

No mês de abril de 2011 um site da Bahia publicou uma notícia onde dizia que o pastor Silas Malafaia fora visto andando pela Cidade de Porto Seguro, em uma limousine, cujo aluguel diário era de R$ 7.000,00, além de estar frequentando restaurantes pela cidade.

Um dos primeiros, senão o primeiro veículo evangélico a reverberar a notícia foi o Blog Renato Vargens. Eu mesmo fui levado ao blog, minutos após a postagem da notícia, por meio do Twitter.

Quando o assunto começou a ganhar destaques, a assessoria do pastor Malafaia publicou um direito de resposta no jornal Bahia online, que primeiro divulgou a notícia, e afirmou que sequer o Pastor viajou para o estado no período relatado. O jornal havia tirado uma foto de uma limousine em frente a uma churrascaria a beira-mar e afirmado que após muita dificuldade finalmente tinha conseguido o registro do suposto veiculo do Pastor que estaria almoçando no local no momento.

Após este desmentido, voltei ao blog do Pastor Vargens para ver se havia publicado o desmentido. PARA SURPRESA MINHA, ele havia retirado o artigo do ar, sendo que o mais correto era publicar a outra versão da história. Ou seja, usar a mesma velocidade para a transmissão da informação. Não o fez. A essas alturas muitos cristãos já tinham copiado o assunto e repercutido a mentira, tomando por base o republicado por Renato Vargens.

Cerca de um mês depois, entrei novamente no blog do pastor Renato Vargens e postei um comentário como "anônimo" em um artigo escrito por ele sobre a "falência nos púlpitos".

Assim postei:

"Amado, falar de falência nos púlpitos é fácil. E a crítica ao pr. Malafaia sobre a tal Limousine?

Até agora não pediste desculpas aos seus leitores?

Cuidado com o 'sepulcro caiado' !!!

Amado, perdeu a graça, seus textos. Sinceramente!!!"

Indignado o pastor Vargens respondeu-me:

"Prezado anônimo,

O que escrevo eu assino. Vc não. Vc é frouxo e não tem coragem de assinar o seu nome. É fácil se esconder atrás do anonimato, não é verdade?

Pr. Renato Vargens"

Veja o link dessa resposta dele, no final deste comentário.

Detalhe: outros anônimos que escreveram palavras de apoio ao texto dele, não receberam comentarios dele. Só o 'anônimo' (eu) foi quem recebeu. Justamente por tê-lo repreendido.


OLHEM SÓ ENTÃO ISTO !!!

Em sua resposta a mim, Vargens disse (conforme citei acima):

"O QUE EU ESCREVO EU ASSINO. Vc não. Vc é frouxo e não tem coragem de assinar o seu nome".

O pastor Varges disse que ele assina o que escreve. VERDADE mesmo? Para um desavisado, isto poderia ser a verdade absoluta. Todavia, o que ele falou sobre a limousine do pastor Malafaia, ele não ASSUME. Tanto é que retirou o artigo do ar, pensando que seria fácil esconder seu ERRO.

No link a seguir encontra a verdade dos fatos: (tente acessar esta página).

http://renatovargens.blogspot.com/2011/04/silas-malafaia-desfila-de-limusine-em.html

CONTRA FATOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS.

"Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna". (Mateus 5:37)

E aí, pastor Vargens. ASSUMES realmente o que escreve? Porque retirastes o artigo sobre a limousine do ar e depois disse que assino o que escreves?

Com a resposta, o pastor Vargens ...

Link do escrito pelo apstor Vargens dizendo que assume o que escreve: https://twitter.com/#!/PauloTeixeiraRJ/status/192985209963159553/photo/1

Fabio Blanco disse...

Um dos artigos mais corajosos de Julio Severo. Mais uma vez, demonstra que não tem o espírito de matilha que tem afetado tantos outros. Independência em relação à opinião e submissão à Verdade. Parabéns, meu amigo!

Aprendiz disse...

Julio

Sinceramente, tenho de concordar apenas em parte. Em primeiro lugar, é verdade que a tolerância com as heresias esquerdistas é imensa, e você faz bem em apntar isso. Mas...

Você apontou que a TP como A CAUSA quebra da anterior unidade dos evangélicos sob a TMI, que é uma doutrina espúria, e até ai concordo com você. Ocorre que a TP é também espúria, e a impressão geral do seu texto é que você a considera algo vindo de Deus. Na sua imensa sabedoria, até é verdade que Deus tem o poder de fazer dois inimigos seus lutarem entre si, para os enfraquecer mutuamente, como fez aos inimigos de Gideão. Espero que tenha sido esse o sentido de suas palavras, mas você não foi claro.

Eu NÃO sou cessacionista, em sentido nenhum, mas não confundo crítica à TP com cessacionismo, tanto assim que muitos pentecostais criticam a TP. Critico a enfase da TP no bem estar dos homens. Quanto às igrejas pentecostais e neopentecostais (note que eu creio na atualidade dos dons, não é por preconceito que eu critico essa igrejas) elas criaram a espúria doutrina do lider absoluto e inquestionavel: "ai daquele que tocar o ungido do Senhor". Muitos de seus membros creem mais nos seus "líderes" que na Bíblia. Os ministros cometem pecados e crimes e ninguém faz caso disso, "porque são ungidos". Isso já existia antes, e ficou pior agora com o advento da TP.

É evidente que nos tempos bíblicos, não era aceitável que um apóstolo ou profeta enriquecesse do ministério (embora alguns profetas tivessem situação econômica confortável ou fossem até ricos, por outras atividades). Essa prática de Jesus e de seus apóstolos, de jamais enriquecerem do seus ministérios, foi jogada no lixo por muitos pastores atuais. Lembremos que os sacerdotes e levitas recebiam seu sustento em gêneros e não em dinhero, e que esses gêneros eram para consumo (também dos necessitados, conforme a Bíblia), e não para venda. Isso nos ensina que o salário do obreiro de Deus é para sustento, não para enriquecimento.

Então há fatos reais e graves a serem criticados nessas igrejas em geral, e na TP em particular. Até entendo que você não queira dar ênfase ao que outros já dizem, suponho que você não quer chover no molhado. Mas eles estão errados muito mais pelo que omitem do que pelo que critcam.

Aprendiz disse...

Júlio

Outro ponto que quero discutir com você é o cessacionismo. Eu não sou cessacionista, e não considere o que vou escrever como uma defesa do cessacionismo.

O cessacionismo "classico" digamos assim, foi um conceito criado ou explicitado (até onde sei, não há registro anteriores) por Agostinho, que depois voltou atrás. Mas pela influência dos seus escritos, tornou-se crença comum tanto nas Igrejas orientais quanto na ICAR. Esse cessacionismo difuso não era a descrença nos milagres de Deus, mas a descrença em que Deus continuva a agir por meio dos dons carísmáticos. Discordo dessa interpretação (isso seria motivo para um longo artigo, que não é o caso aqui) mas compreendo porque muitos creem nela.

Como todos em sua época, os pré-reformadores, os reformadores, os anabatistas, os primeiros arminianos eram cessacionistas nesse sentido, isto é, não consideravam que todos os dons da igreja primitiva estavam em vigor (embora, ao mesmo tempo cressem em milagres, curas, visões, etc).

Aparentemente Wesley (e talvez Edwards) foi o primeiro a considerar a hipótese da plena vigência dos Dons em temnpos atuais. O restante da história da recuperação dos Dons é coisa bem conhecida.

Embora eu discorde do cessacionismo, mesmo nesse sentido clássico, fica difícil para mim chamar de hereges aqueles que arriscaram a vida (e muitos morreram) em favor do evangelho e fizeram renascer a mensagem da fé em Cristo para salvação dos pecadores.

Você talvez não tenha idade para lembrar disso, mas décadas atrás os pastores "cessacionistas" brasileiros expulsavam demónios, oravam por cura (e curas aconteciam) oravam por milagres (e milagres aconteciam). Conversando com os antigos, conheço muitas histórias antigas dos milagres de Deus entre os evangélicos brasileiros (converse com alguns antes antes que todos os antigos morram) e eram, como todos fora a AD naquela época, cessacionistas.

Dito isso, há um novo cessacionismo, nascido nos EUA, pela polarização do debate, que nega todo e qualquer milagre, e proíbe orar por cura. Esse novo cessacionismo absoluto se faz de herdeiro da tradição evangélica, mas nega o que criam todos os pré-reformadores, reformadores, anabatistas, arminianos, etc. É na verdade um deísmo travestido de evangelho, que proíbe o que sempre foi ordenado, que se orasse por doentes e se buscasse de Deus a solução para os nosso problemas. Alguns poucos pastores brasileiros tem aderido a essa doutrina aloprada.

Você quer discutir o cessacionismo, e isso é bom, é um assunto importante. Só peço que não jogue todos no mesmo saco.

Aprendiz disse...

Quanto ao meu primeiro comentário, lendo-o percebo que algo pode não ter ficado claro. O que critico na TP é a enfase na busca EGOISTA pelo próprio bem estar, e o desprezo pela pregação da doutrina inteira a ponto de muitos terem se tornado tão críticos da Bíblia quanto os liberais.

O bem estar das pesssoas deve ser buscado, mas não deve ser desculpa para a negligência com a pregação do arrependimento e nem deve ser desculpa para o egosimo.

Julio Severo disse...

Olá, Aprendiz! Creio que Deus prospera, mas nossa ênfase de vida deve ser: "Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e todas as todas as outras coisas vos serão acrescentadas".

Além disso, não é certo os pastores da TP pregarem prosperidade e só a receberem por meio de dízimos e ofertas. Eles realmente não estão praticando o que pregam!

Contudo, temos de atentar que muitos teólogos que criticam a TP vivem também luxuosamente, têm gabinetes pastorais bem equipados, carrões, casões, etc.

Dá para evitar a percepção de que os anti-TP estão com inveja porque os da TP têm casões e carrões maiores do que os anti-TP?

Sobre dons espirituais, concordo com você. Os reformadores não tinham a contrariedade obtusa aos dons que se vê hoje.

Teólogos hoje que se consideram da linha da Reforma negam COMPLETAMENTE todos os dons espirituais. Isto é, eles negam frontalmente o que está na Bíblia. (Alguns deles estão citados neste artigo. Só os citei porque eles tomaram a iniciativa de me atacar.)

Temos então o padrão bíblico:

1) Buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e sua justiça (Mateus 6:33).

2) Buscar os maiores e melhores dons espirituais, especialmente o de profetizar (1 Coríntios 14:1).

3 Buscar uma vida de santificação, humildade e simplicidade (isso vale tanto para os TP quanto os anti-TP que vivem em casões e carrões).

Silvio disse...

Li "quase tudo"!
Meu simples parecer é que, precisa-se voltar para a cruz de Cristo e o Cristo da cruz.
Gálatas 6.14 Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo.
Hebreus 12.2 olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.
Filipenses 3.18 Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo.
Mateus 23.12 Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado.
Graça, paz e atenção!!

Anônimo disse...

Irmão Júlio. Graça e Paz vos sejam multiplicadas! Sou leitor de seus artigos, embora nunca os tenha comentado. Como um leitor crítico nem sempre concordo 100% em tudo que leio e isso não se aplica, é claro, apenas aos seus textos. Desejo manisfestar aqui meu apreço à sua coragem e comprometimento com a verdade bíblica. Nossa geração vive momentos de grande apostasia e desvios da sã doutrina. Se falam tanto hoje em "sair do armário", creio que é chegada a hora de pararmos de assistir passivamente a tudo que querem nos vender como verdade. Aliás, tenho para mim que mais nicivo que a mentira são as verdade mescladas com a mentira ou as mentira mescladas com a verdade. Parabéns pelo texto! Que Deus continue te abençoado!
Pr. Antonio Luiz

Voltareli disse...

Meu irmão em Cristo Julio, continue mandando chumbo grosso nas asas de satanás, seu principados e potestades!

Daladier Lima disse...

Prezado Júlio, discordo de algumas de suas teses, de maneira geral e sem ressentimento pessoal, porém, esse comportamento de manada contra você é reprovável e típico dos acostumados a debater a partir do púlpito. Já senti na pele o que é discordar de um Ciro Sanches, um Augustus Nicodemus e tantos outros. Já fui até expulso de alguns blogs progressistas. Por falar em incoerência, é a marca registrada dos escritos da maioria dos nossos blogueiros evangélicos. Nada me assusta nessa turma.

Abraços!

Ashbel Simonton Vasconcelos disse...

Caro Júlio,
Excelente texto. Você coloca bem os pingos nos i´s.
Mas subscrevo o primeiro comentarista acima (Cristão Peregrino). Não coloque todos os calvinistas no mesmo barco. Certamente Calvino teria um ataque se lêsse o GENIZAH, Ariovaldo, Cavalcanti, C.Fábio, e tantos outros lixos que se pretendem calvinistas desonrando o primoroso legado deixado por homens como ele (cheio de falhas, como todos nós, mas um instrumento nas mãos de Deus).
Não posso concondar com sua posição não cessacionista dos dons miraculos, mas respeito a sua luta ao lado dAquele que nos chamou da morte para vida, e milagrosamente tem nos conduzido e nos amparado todos os dias, e sabe desfazer toda trama do mal.
Na Paz de Cristo.

Julio Severo disse...


ATENÇÃO: Danilo Fernandes, dono do Genizah, o tabloide louvado por Renato Vargens, saiu enfim do armário, manifestando-se aos palavrões neste blog. Para conferir o que disse ele, clique em:

A boca suja do dono do Genizah (Parte 2)

Julio Severo disse...

Um trabalho mais abrangente sobre o esquerdismo cristão ou leniência a ele se encontra no link abaixo. É só clicar:

Teologia da Libertação e neopentecostalismo: o grande desafio da igreja evangélica do Brasil

Maya Felix disse...

Olá, Júlio,

Pode acreditar que não estou surpresa com as "revelações" de seu texto. A maioria das pessoas que você cita eu conheço, tive com leas contato pessoal e posso afirmar que são desonestas, têm mau caráter, mantêm as aparências porque isso faz parte de um manual religioso, não porque amam na Deus, são invejosas, competitivas, ambiciosas, dissimuladas e pobres de espírito.

Que Deus tenha piedade delas.

Maya

Patrícia disse...

pois é julio. essa cambada atacou vc como se vc tivesse atacado a honra de um marxista, como se fosse proibido lembrar o lado marxista dele logo depois de sua morte. Mas o Genizah, cujo dono participa de almoços na Universidade Mackenzie (onde trafegam muitos dos seres citados neste texto), publicou nesta semana um texto sobre a morte de Myles Munroe LEMBRANDO o lado que essa cambada acha desagradável: o neopentecostalismo: http://www.genizahvirtual.com/2014/11/morre-em-acidente-aereo-myles-munroe-e.html

Quadrilha do inferno.