18 de abril de 2012

Livro best-seller sobre Hitler promovido no Pravda

Livro best-seller sobre Hitler promovido no Pravda

Novo projeto de evangelista atinge versão em língua portuguesa de jornal russo

Um evangelista que nasceu na Nova Zelândia e agora tem a sede de seu ministério nos EUA escreveu um livro sobre um ditador alemão e Deus. Qual é o lugar mais provável para ser promovido?
O Pravda, da Rússia, na versão em português, é óbvio
É o que aconteceu com o recente best-seller “Hitler, God & the Bible” (Hitler, Deus & a Bíblia), escrito pelo evangelista e escritor Ray Comfort.
O artigo — “Como Hitler torceu a Biblia para matar judeus!” — apareceu hoje na versão online do jornal russo. É uma tradução de uma coluna de Jim Fletcher no WND. Fletcher é diretor da organização evangélica Prophecy Matters (A Profecia É Importante).
A resenha de Fletcher, a qual explica como veio a existir o “monstro”, disse que o livro já está na rota para ser tornar seu “Livro do Ano”.
Ele relatou como o desconhecido Hitler apareceu repentinamente no cenário da Alemanha depois da 1ª Guerra Mundial, quando os alemães “magros de fome empurravam carroças cheias de seu desvalorizado dinheiro de papel pelas ruas na esperança de encontrar um pão velho no mercado”.
Hitler prometeu mudança e esperança, e Fletcher descreveu como, “criado por um pai dominador e arrogante, Alois (até o ataque fatal de coração no velho quando Adolf tinha 13 anos), e por uma mãe coruja, Hitler desenvolveu grandes doses de egoísmo”.
Em seu livro, Comfort escreve: “Quando não faziam o que ele queria — ou se os outros indicavam que tinham soluções melhores — Adolf imaturamente gritaria sua ignorância e sentiria muita auto-piedade”.
Fletcher comentou que “antes da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha estava infestada pelo tão chamado movimento cristão alemão, que procurava ‘nazificar’ o Cristianismo, entre outras medidas, suprimindo o ensino do Antigo Testamento. O que é interessante é que Hitler e seus mais importantes representantes junto com a maioria dos líderes militares e as próprias tropas, haviam sido a vida inteira católicos ou luteranos”.
Ele disse que Comfort “desenterra algumas evidências super-estranhas de que o palco estava armado para Hitler perverter o Cristianismo na Alemanha, e suas próprias origens nesse esforço surgiram por influência do fabricante de carros dos EUA, Henry Ford, e do compositor Richard Wagner, entre outros. Wagner de modo particular estava infectado com o vírus do antissemitismo, realmente chegando ao ponto de afirmar que Jesus havia nascido alemão! (Não é de admirar que Yasser Arafat afirmasse que Jesus era palestino.)”
Fletcher também apontou para o fato de que o livro explica que Hitler era discípulo de Charles Darwin, adotando completamente o princípio da “sobrevivência dos mais fortes”.
O artigo foi traduzido por Julio Severo, um ativista cristão conhecido por sua defesa de padrões bíblicos no Brasil.
Traduzido por Julio Severo do artigo de WND: Bestselling Hitler book promoted in Pravda
Artigos do WND sobre Julio Severo em português:

3 comentários :

Galinha Dos Ovos de Ouro disse...

Parabéns pelo blog, Júlio! Sempre leio seus artigos. Abraço

stefan disse...

COMUNISMO OU SOCIALISMO, E NAZISMO são filhos da mesma mãe; diferem-se apenas no “marketing”; ao fundo, igualam-se às ações. Ambos são fortemente estatizantes, opressores, materialistas e ateus, detestam todas a religiões, devotando ódio particular à Igreja Católica.
O SOCIALISMO/COMUNISMO defende a primazia absoluta do Estado, o governo do proletariado, termo hoje considerado obsoleto, substituído por governo de trabalhadores. Indispõem-se contra pequenas, médias e grandes empresas, igualmente capital e empresas estrangeiras, por considerarem de o capital se sebrepor ao trabalho, em detrimento do enfraquecimento do Estado, o qual o socialismo considera como um “deus todo poderoso” dirigido por alguns poucos déspotas que se abocanham ferozmente entre si pela liderança, dispondo repressivamente de como lhe aprouver de disciplinamento de todo o aparato governamental e social.

Os diversos partidos socialistas são facções em que cada um tenta melhor praticar a chamada “Tese do Partido”, uma espécie de manual do socialismo. Os exemplos atuais de sua performance e linha dura são Cuba, Coréia do Norte, etc.

O NAZISMO atribui-se igualmente mesmos itens anteriores, como estatizante, opressor, materialista e ateu; difere no aspecto “raça”; sendo “ariano” é puro, considerado integrado ao sistema automaticamente; todas as mais impuras, exterminadas ou escravizadas, dependerá de conveniência e, na questão propriedade privada, à medida que se enquadrar na aceitação do esquema de governo é permitida. Irmãos gêmeos, mesmos objetivos, apenas itinerários diferentes.
O S. Padre Bento XVI em visita à Alemanha, cidade de Erfurt, antiga Alemanha Oriental comunista, classificou o SOCIALISMO/COMUNISMO e NAZISMO de "CHUVAS ÁCIDAS" e a cada um em particular de "PESTE VERMELHA" e "PESTE NEGRA" , respectivamente. O católico que promover, aliar ou votar em candidatos desses partidos ou aliados são automaticamente excluídos da Igreja como apóstatas, participando de todas as leis anti cristãs e efeitos injustos postas em vigor, sempre que alguém se valer dela por algum motivo, ajuntando mais penalidades para o dia do Juízo Final.

Eldo Carlos disse...

Por favor Pr. Júlio. Traduza este livro para nós brasileiros. Precisamos muito saber das verdadeiras forças que moveram esse monstro.
Grato.
Eldo