4 de abril de 2012

Esquerda continua incomodada com neopentecostais

Esquerda continua incomodada com neopentecostais

Comentário de Julio Severo: A esquerda está confusa. Estava incomodada com os neopentecostais. Agora, parece interessada. Primeiro, foi Gilberto Carvalho, figura sinistra do PT, declarando que a única oposição ao socialismo no Brasil são as posições conservadoras de telepastores como Silas Malafaia e R.R. Soares que, ao serem confrontados com questões de aborto e homossexualismo, falam publicamente o que o PT não quer ouvir, falam o que está na Bíblia e educam suas imensas audiências na defesa da família, atrapalhando assim a hegemonia imoral da revolução marxista no Brasil.
José Dirceu, outra figura sinistra do PT, demonstrou o mesmo incômodo. Afinal, o PT e outros partidos socialistas estão determinados a impor o aborto e o homossexualismo no Brasil. O único impedimento que eles veem são os telepastores neopentecostais — evidentemente, isso não inclui Bispo Macedo e IURD, que embarcaram no apoio ao PT e ao aborto anos atrás.
No artigo abaixo, publicado no blog evangélico progressista PavaBlog, o autor diz que a esquerda não tem diálogo com os evangélicos. Ora! Isso não é verdade. As igrejas adoecidas pela Teologia da Missão Integral mantêm amplos e constantes diálogos com forças esquerdistas. Por que o autor não reconheceu esse diálogo e até a assimilação da ideologia esquerdista entre as igrejas da Teologia da Missão Integral?
O que ele quer dizer é que esse diálogo e assimilação não existem nas igrejas neopentecostais e muitas pentecostais, que são avessas à pregação da Teologia da Libertação ou Teologia da Missão Integral.
Agora, os socialistas querem lidar com essa barreira, para que as igrejas neopentecostais possam perder essa aversão.
Contudo, mesmo que os socialistas consigam fazer tal diálogo e criar tal amizade, do jeito que fizeram com Ariovaldo Ramos, Caio Fábio e outros, haverá compatibilidade entre socialismo e fé cristã?
Os socialistas exigem o Estado no centro de tudo, assumindo controle de espaços que pertencem a Deus, à família e à igreja. A incompatibilidade entre socialismo e fé cristã é abismal, transformando a aceitação da Teologia da Libertação ou Teologia da Missão Integral no meio das igrejas na apostasia perfeita para a instalação de um governo anticristão.
Nesse aspecto, pastores como Silas Malafaia e R.R. Soares demonstram coragem ao falar em público o que os militantes da Teologia da Missão Integral preferem esconder: um testemunho claro sobre questões como aborto e homossexualismo, que tanto incômodo trazem ao PT.
Enquanto a esquerda maquina diálogos para “amansar” o ousado testemunho público neopentecostal, as outras igrejas deveriam condenar a Teologia da Missão Integral muito mais do que criticam a Teologia da Prosperidade. A Teologia da Prosperidade é um problema periférico perto da Teologia da Missão Integral, que possibilita e justifica a intromissão e imposição do Estado em todas as esferas (igreja, família, etc.) com as desculpas mais enganosas, se tornando um problema imenso dentro e fora das igrejas.
Mesmo com todo o apoio servil que as igrejas da Teologia da Missão Integral dão à esquerda, os socialistas as desprezam.
Espero que as igrejas neopentecostais continuem com sua aversão a essa teologia infernal, e espero também que seus pastores se libertem de pregar uma prosperidade que, no caso deles, só ocorre à custa das ovelhas.
Conheço por experiência a realidade entre igrejas apoiadoras da Teologia da Missão Integral e as igrejas neopentecostais. Muitos anos atrás, frequentei uma igreja evangélica tradicionalista que abrigava a elite da cidade. O pastor e outros líderes, além de maçons, eram petistas, e muitas vezes diziam à minha mãe e a nós: “Vocês são pobres. Por que não apoiam o PT? O PT é para vocês!”
Por ordem do pastor, a igreja inteira tinha assinatura coletiva da revista esquerdista Ultimato. Caio Fábio era a palavra final entre eles.
Havia as igrejas pentecostais e neopentecostais na cidade. A Assembleia de Deus tinha sua imposição de costumes, proibindo as mulheres de usarem calças compridas e batons, mas novelas eram permitidas. Havia a IURD, que na época era contra o aborto. Mas, em troca de bênçãos, pedia mais dinheiro do que mendigo na rua.
A igreja tradicionalista, com sua gente rica e refinada, estava infestada de maçonaria e petismo. Já os pobres estavam buscando milagres não no PT, mas na Assembleia de Deus, na IURD ou na Igreja Internacional da Graça de Deus, que não tinham nenhum interesse na Teologia da Missão Integral, na Ultimato, em Caio Fábio e no PT.
Naquela época, não entendíamos bem a Ultimato, mas dava para sentir seu cheiro ideológico e sua ineficácia na vida dos membros da igreja tradicionalista em suas necessidades. Quando precisavam de milagres de cura, eles recorriam a médiuns. Depois que começamos a frequentá-la, eles passaram a nos procurar para receber oração, pois nossa casa estava aberta para ministrar o Evangelho e oração.
Por orientação de Deus, continuamos a frequentar a igreja tradicionalista durante anos, e inspiramos muitos de seus membros a buscarem milagres não no espiritismo ou no PT, mas em Deus, visitando, com eles, especialmente a Assembleia de Deus. Com esse contato, o próprio pastor assembleiano às vezes visitava a igreja tradicionalista, mas ficava no último banco muito acanhado, pois a diferença entre ele (e suas roupas pobres) com os membros da igreja “rica” eram enormes.
Enquanto a igreja tradicionalista, cheia de gente importante da cidade, se ocupava (mediante Ultimato e Caio Fabio) com uma “teologia” dos pobres, a Assembleia de Deus e igrejas neopentecostais estavam cheias de pobres!
Podemos aprender muito com isso. Evidentemente, o autor do artigo no Pavablog não está interessado nas igrejas que têm retórica de defesa aos pobres. Ele está interessado nas igrejas que estão cheias de pobres, mas têm aversão à Teologia da “Libertação”.
As igrejas da Teologia da Missão Integral se desesperam ao ver as igrejas da Teologia da Prosperidade cheias de pobres. Tudo o que podem fazer é atacá-las.
Se todas as igrejas pentecostais e neopentecostais também abraçarem essa teologia socialista, aí tudo estará perdido para as igrejas do Brasil. Aí o PT e outros partidos socialistas poderão dizer: “Não há mais obstáculo para a imposição total da agenda de aborto e homossexualismo no Brasil!”
O artigo esquerdista a seguir é do Pavablog e, embora seja matreiro, façamos como a Bíblia nos ensina: “Examinai tudo e retende o bem”:

O que a esquerda deveria aprender com os evangélicos

“As massas de homens que nunca são abandonadas pelos sentimentos religiosos
então nada mais vêem senão o desvio das crenças estabelecidas.
O institnto de outra vida as conduz sem dificuldades
ao pé dos altares e entrega seus corações aos preceitos
e às consolações da fé.”
Alexis de Tocqueville, “A Democracia na América” (1830), p. 220. 
No Brasil, um novo confronto, na forma como dado e cada vez mais evidente e violento, será o mais inútil de todos: o do esclarecimento político contra o obscurantismo religioso, principalmente o evangélico, pentecostal ou, mais precisamente, o neopentecostal. Lamento informar, mas na briga entre os dois barbudos – Marx e Cristo – fatalmente perderemos: o Nazareno triunfa. Por uma razão muito simples, as igrejas são o maior e mais eficiente espaço brasileiro de socialização e de simulação democrática. Nenhum partido político, nenhum governo, nenhum sindicato, nenhuma ONG e nenhuma associação de classe ou defesa das minorias tem competência e habilidade para reproduzir o modelo vitorioso de participação popular que se instalou em cada uma das dezenas de milhares de pequenas igrejas evangélicas, pentecostais e neopentecostais no Brasil. Eles ganharão qualquer disputa: são competentes, diferentemente de nós.
Muitos se assustam com o poder que os evangélicos alcançaram: a posse do senador Marcello Crivela, também bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, no Ministério da Pesca e a autoridade da chamada “bancada evangélica” no Câmara dos Deputados são dois dos mais recentes exemplos. Quem se impressiona não reconhece o que isso representa para um a cada cinco brasileiros, o número dos que professam a fé evangélica ou pentecostal no Brasil. Segundo a análise feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a partir dos microdados da Pesquisa de Orçamento Familiar 2009 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a soma de evangélicos pentecostais e outras denominações evangélicas alcança 20,23% da população brasileira. Outros indicadores sustentam que em 1890 eles representavam 1% da população nacional; em 1960, 4,02%.
O crescimento dos evangélicos não é um milagre, é resultado de um trabalho incansável de aproximação do povo que tem sido negligenciado por décadas pelas classes mais progressistas brasileiras. Enquanto a esquerda, ainda na oposição política, entre a abertura democrática pós-ditadura e a vitória do primeiro governo popular no Brasil, apenas esbravejava, pastores e missionários evangélicos percorreram cada canto do país, instalaram-se nas regiões periféricas dos grandes centros urbanos, abriram suas portas para os rejeitados e ofereceram, em muitos momentos, não apenas o conforto espiritual, mas soluções materiais para as agruras do presente, por meio de uma rede comunitária de colaboração e apoio. O que teve fome e dificuldade, o desempregado, o doente, o sem-teto: todos eles, de alguma forma, encontraram conforto e solução por meio dos irmãos na fé. Enquanto isso, a esquerda tinha uma linda (e legítima) obsessão: “Fora ALCA!”.
O mapa da religiosidade no Brasil revela nossa incompetência social: os evangélicos e pentecostais são mais numerosos entre mulheres (22,11% delas; homens, 18,25%), pretos, pardos e indígenas (24,86%, 20,85% e 23,84%, respectivamente), entre os menos instruídos (sem instrução ou até três anos de escolaridade: 19,80%; entre quatro e sete anos de instrução: 20,89% e de oito a onze anos: 21,71%) e na região norte do país, onde 26,13% da população declara-se evangélica ou pentecostal. O Acre, esse Estado que muitos acham que não existe, blague infantilmente repetida até mesmo por esclarecidos militantes de esquerda, tem 36,64% de evangélicos e pentecostais. É o Estado mais evangélico do país. Simples: a igreja falou aos corações e mentes daqueles com os quais a esquerda nunca verdadeiramente se importou, a não ser em suas dialéticas discussões revolucionárias de gabinete, universidade e assembleia.
O projeto de poder evangélico não é fortuito. Ele não nasceu com o governo Dilma Rousseff. Ele não é resultado de um afrouxamento ideológico do PT e nem significa, supõe-se, adesão religiosa dos quadros partidários. Ele é fruto de uma condição evangélica do país e de uma sistemática ação pela conquista do poder por vias democráticas, capitalizada por uma rede de colaboração financeira de ofertas e dízimos. Só não parece legítimo a quem está do lado de fora da igreja, porque, para cada um dos evangélicos e pentecostais, estar no poder é um direito. Eles não chegaram ao Congresso Nacional e, mais recentemente, ao Poder Executivo nacional por meio de um golpe. Se, por um lado, é lamentável que o uso da máquina governamental pode produzir intolerância e mistificação, por outro, acostumemo-nos, a presença deles ali faz parte da democracia. As mesmas regras políticas que permitiram um operário, retirante nordestino e sindicalista chegar ao poder são as que garantem nas vitória e posse de figuras conhecidas das igrejas evangélicas a câmaras de vereadores, prefeituras, governos de Estado, assembleias legislativas e Congresso Nacional. O lema “un homme, une voix” (“um homem, uma voz”) do revolucionário socialista L.A. Blanqui (1805-1881), “O Encarcerado”, tem disso.
Afora a legitimidade política – o método democrático e a representação popular não nos deixam mentir – a esquerda não conhece os evangélicos. A esquerda não frequentou as igrejas, a não ser nos indefectíveis cultos preparados como palanques para nossos candidatos demonstrarem respeito e apreço pelas denominações evangélicas em época de campanha, em troca de apoio dos crentes e de algumas imagens para a TV. A esquerda nunca dialogou com os evangélicos, nunca lhes apresentou seus planos, nunca lhes explicou sequer o valor que o Estado Laico tem, inclusive como garantia que poderão continuar assim, evangélicos ou como queiram, até o fim dos tempos. E agora muitos militantes, indignados com a presença deles no poder, os rechaçam com violência, como se isso resolvesse o problema fundamental que representam.
Apenas quem foi evangélico sabe que a experiência da igreja não é puramente espiritual. E é nesse ponto que erramos como esquerda. A experiência da igreja envolve uma dimensão de resistência que é, de alguma forma, também política. O “não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito” (Paulo para os Romanos, capítulo 12, versículo 2) é uma palavra de ordem poderosa e, por que não, revolucionária, ainda que utilizada a partir de um ponto de vista conservador.
Em nenhuma organização política o homem comum terá protagonismo tão rápido quanto em uma igreja evangélica. O poder que se manifesta pela fé, a partir da suposta salvação da alma com o ato simples de “aceitar Jesus no coração como senhor e salvador”, segundo a expressão amplamente utilizada nos apelos de conversão, transforma o homem comum, que duas horas antes entrou pela porta da igreja imundo, em um irmão na fé, semelhante a todos os outros da congregação. Instantaneamente ele está apto a falar: dá-se o testemunho, relata-se a alegria e a emoção do resgate pago por Jesus na cruz. Entre os que estão sob Cristo, e são batizados por imersão, e recebem o ensino da palavra, e congregam da fé, não há diferenciação. Basta um pouco de tempo, ele pode se candidatar a obreiro. Com um pouco mais, torna-se elegível a presbítero, a diácono, a liderança do grupo de jovens ou de mulheres, a professor da escola dominical. Que outra organização social brasileira tem a flexibilidade de aceitação do outro e a capacidade de empoderamento tal qual se vêem nas pequenas e médias igrejas brasileiras, de Rio Branco, das cidades-satélite de Brasília, do Pará, de Salvador, de Carapicuíba, em São Paulo, ou Santa Cruz, no Rio de Janeiro? Nenhuma.
Se esqueçam dos megacultos paulistanos televisionados a partir da Av. João Dias, na Universal, ou da São João, do missionário R.R. Soares. Aquilo é Broadway. Estamos falando destas e outras denominações espalhadas em todo o território nacional, pequenas igrejas improvisadas em antigos comércios – as portas de enrolar revelam a velha vocação de uma loja, um supermercado, uma farmácia – reuniões de gente pobre com sua melhor roupa, pastores disponíveis ao diálogo, festas de aniversário e celebrações onde cada um leva seu prato para dividir com os irmãos.  A menina que tem talento para ensinar, ensina. O irmão que tem uma van, presta serviços para o grupo (e recebe por isso). A mulher que trabalha como faxineira durante a semana é a diva gospel no culto de domingo à noite: canta e leva seus iguais ao júbilo espiritual com os hinos. A bíblia, palavra de ninguém menos que Deus, é lida, discutida, debatida. Milhares e milhares de evangélicos em todo o país foram alfabetizados nos programas de Educação de Jovens e Adultos (EJAs) para simplesmente “ler a palavra”, como dizem. Raríssimo o analfabeto que tenha sido fisgado pela vontade ler “O Capital”, infelizmente. As esquerdas menosprezaram a experiência gregária das igrejas e permaneceram, nos últimos 30 anos, encasteladas em seus debates áridos sobre uma revolução teórica que nunca alcançou o coração do homem comum. Os pastores grassaram.
Divulgação: www.juliosevero.com

18 comentários :

Casal 20 disse...

Querido Luio, segue abaixo meu comentário ao texto de Gaspar de Souza, publicado no Blog da Rô, entitulado "Não apoio o "é vento gospel" do Pr. Silas": http://mulheresabias.blogspot.com.br/2012/04/nao-apoio-o-e-vento-gospel-do-pr-silas.html

Comentário lá:
O Silas se desviou completamente do Evangelho da Graça do nosso Senhor Jesus Cristo. Eu estava assistindo ao programa dele quando aconteceu isso de pedir 1.000 reais pela salvação do ofertante e da família do ofertante. Um escândalo! Assim, não o vejo mais como evangélico ou protestante, tão somente como mais um adepto da heresia liberal da teologia da prosperidade.

É uma infelicidade, se não for mesmo uma tragédia, que ele seja a única voz com projeção nacional e midiática a denunciar o movimento gay. Num país de Igrejas e Pastores, no qual contamos tão somente com Silas para denúnciar no Congresso Nacional sobre as mazelas e peçonhas do movimento gay, é sinal de um cristianismo muito doente e carente de personalidades ilibadas na defesa das causas do Evangelho. Portanto, no frigir dos ovos, não sei se fico com vergonha do Silas ou das nossas Igrejas e Líderes que ainda silenciam ou pactuam ou ainda são coniventes ou já se venderam mais uma vez ao pleito anti-cristão das próximas eleições.

Sim, o Silas é um mal hoje no seio do evangelicalismo do Brasil, contudo concordo com o Júlio Severo quando também vejo que há um mal ainda pior no Brasil que são nossas Igrejas e Pastores votando e se macumunando com pessoas que defendem um rolo compressor contra o Evangelho no Brasil.

Repito aqui o título do livro do Rev. Augustus Nicodemus: "O que estão fazendo com a Igreja?" e a capa que ilustra o livro é um peixe numa lata de lixo. Pior do que o Silas que prega um Evangelho anátema, é a Igreja que se prostitui na cama com os estrategistas deste mundo tenebroso que planejam assassiná-la.

Enfim, precisamos clamar a Deus pelo remanescente, aquele pequeno "toco" anunciado ao Profeta Isaías e que ainda não dobrou os joelhos diante de Baal.

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Casal 20 disse...

Agora, quanto a sua introdução ao artigo acima, perfeita! Mais uma vez, vi o retrato da Igreja Brasileira.

Conheço bem essa Igreja tradicionalista, que assina Ultimato e namora com a maçonaria, enquanto afugenta de seus bancos os pobres.

Embora saiba também que as práticas sobre as quais se sustentam as neo-pentescostais são práticas espíritas, romanas e sincretistas.

Continuo orando pelo "toco".

Sigamos salgando!

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

MARIA disse...

O autor do artigo do Pavablog lamenta que o analfabeto não tenha sido fisgado pela vontade de ler "O capital", como se esse livro estivesse a altura da Bíblia. Ora, quem é que vai ser estimulado a aprender a ler para ler "O Capital"? Aquela porcaria (lixo) intoxicante escrita por uma mente absolutamente doente, inimiga de Deus! Que sujeito estúpido, alienado o cara o pavablog!!! Marx era um louco, um cretino. Nada, nada, nada, que esse cara escreveu pode ter alguma serventia. Porque? Porque a Bíblia diz: "O temor ao Senhor É o princípio da sabedoria". Quem não teme a Deus, quem é inimigo de Deus, como Marx era NÃO pode ter nada de útil e sábio para ensinar! Só engano diabólico! Marx era inimigo do cristianismo, era avesso a bíblia e a Cristo. Isso é sabido por todo mundo. Que cara estúpido esse cara do pavablog!

MARIA disse...

Isso que o Pr. Silas pediu mil rais pela salvação É UMA MENTIRA ABSURDA! Não é nada disso!

Anônimo disse...

Entendo que neste caso cabe a esquerda brasileira rejeitadora de Cristo a sabedoria de Gamaliel quando falou as autoridades judaicas em ATOS cap 5: 38 e 39: - Deixai-os (os apostolos), pois se a obra deles é de homens por sí só se desfará, mas se é de Deus não poderão derrotá-los, cuidado para não lutarem contra Deus.

Se os petistas radicais acham que lutam contra homens, pobre ignorantes das coisas Divinas; Jesus disse: - as portas do inferno NÃO PREVALECERÃO CONTRA A MINHA IGREJA( e aqui ele não fala de igrejas, mas do Corpo formado pelos crentes(judeus e gentios crentes) onde Jesus(Deus Eterno encarnado) é seu Governante e cabeça.

Doug

Idevam disse...

Porque Está Raíz de Amargura Contra o Pr. Silas ?

Idevam disse...

Eles Reconhecem o Bom Trabalho das Igrejas e se perguntam como (resolvesse o problema fundamental que representam.)
São Satanicos e Pervesos. da minha parte nem que desa um "anjo" do céu eu não dou meu voto ao PT.PSOL.PCdoB.PCO.PPB.ou qualquer outro partido de esquerda não que tenhamos um partido que represete o eleitorado conservador não temos temos apenas escolha entre um mal maior e um mal menor mas tudo e mal

ÉLQUISSON disse...

Idevam,

Eu concordo em gênero, número e grau com o que você disse. E eu ainda acrescentaria o seguinte: o PT é versão brasileira da Al Qaeda. Talvez a única diferença entre ambos é que a Al Qaeda é um grupo terrorista que não tem (por enquanto) o poder político nas mãos, mas que, mesmo assim, ainda faz atentados terroristas em vários lugares do mundo (como foi o caso do 11 de setembro).

No caso do PT, ele chega a ser igual ou pior que a Al Qaeda (até porque tem poder para fazer tudo). Todas as políticas promovidas pelo PT são típicas de grupos terroristas (só o fato de ser pró–aborto já diz tudo).

Da mesma forma que você, eu também não vejo a hora de extirparmos esse câncer maligno chamado PT do nosso governo. Aliás, a própria sigla (PT) já diz o que ele realmente é:

PT = Partido Terrorista

E mais: não basta tirar somente o PT do poder. Embora o PT seja o carro–chefe de toda essa sujeira, tem que tirar também o PSOL (do deputado homossexual Jean Wyllys), PV (do deputado pró–homossexualismo Fernando Gabeira), PC do B, enfim, todos os demais partidos que possuem a mesma agenda do PT.

Assim como Jesus expulsou os vendilhões do templo (João 2:14–16), está na hora de expulsarmos esses terroristas do nosso governo!

NÃO VAMOS ENTREGAR O NOSSO PAÍS A SATANÁS E AOS DEMÔNIOS! O BRASIL É DO SENHOR JESUS CRISTO, REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES PARA TODO O SEMPRE!

Alguém concorda comigo?

PRESBÍTERO VALDOMIRO disse...

Não sei se eu vou estar certo na minha opinião, mas eu diria que houve uma falta de vigilância do povo em geral contra a infiltração e a proliferação de idéias esquerdistas, marxistas, comunistas e socialistas no nosso sistema educacional (e também nas igrejas). Em virtude disso, o verdadeiro evangelho de Jesus vem sendo deturpado e distorcido por muitos pastores, que se deixaram enganar por essas mesmas idéias.

Há muitos anos atrás, eu lembro que, durante uma pregação na igreja onde eu congregava pouco tempo depois de ter me convertido (na época, eu era apenas um jovem obreiro), o pastor disse (num tom profético): "Irmãos, vai chegar um tempo em que o evangelho do Senhor Jesus Cristo será desprezado e corrompido por idéias demoníacas. E, infelizmente, muitos dos servos de Deus serão influenciados por essas mesmas idéias (que também vão contaminar a igreja do Senhor). Não deixemos que nada isso venha a nos afastar da pureza da Palavra de Deus, e não abandonemos a verdade".

Num primeiro momento, achei que o pastor estava sendo pessimista demais. Ao final do culto, eu perguntei a ele: "Pastor, o senhor não está exagerando? Quem pode corromper a verdade da Palavra de Deus?" E ele me respondeu: "Meu filho, a Palavra do Senhor tem que se cumprir. Vai acontecer muita coisa antes da volta de Jesus. E isso que eu falei é apenas uma de muitas delas. Tenha certeza disso, porque a Palavra do Senhor é verdadeira. Estive orando em casa e o próprio Senhor me revelou tudo isso".

Hoje, quase 40 anos após eu ter ouvido a pregação daquele pastor (que hoje descansa no Senhor), vejo tudo se cumprindo: igrejas com pensamentos socialistas, progressistas e outras filosofias anti–cristãs. E a tendência é tudo piorar cada vez mais!

Alguém ainda duvida da veracidade da Palavra de Deus?

António Jesus Batalha disse...

Passei e vi seu blog e gostei, quero deixar um convite: Isto é, se o desejar, gostava que fizesse parte dos meus amigos virtuais no meu blog Peregrino e Servo. É um blog evangélico, falamos de várias coisas, e é a intenção ajudar a cada pessoa a ser mais feliz, este blog foi feito a pensar na sua felicidade, pretende também aproximar mais a criatura do seu Criador. Obrigado.

ÉLQUISSON disse...

Achei interessante o episódio que o presbítero Valdomiro citou da sua época de jovem, quando o pastor da igreja dele disse que muitos iriam corromper a Palavra do Senhor (e seriam influenciados por idéias diabólicas).

Se o presbítero Valdomiro me permite, eu diria (com todo respeito à atual idade dele) que, muito antes dele e do pastor nascerem, o apóstolo Paulo já havia alertado sobre isso há muito mais tempo:

"Ninguém, de forma nenhuma, vos engane; pois não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de modo que se assentará como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus" (2 Tessalonicenses 2:3–4)

"Mas o Espírito expressamente adverte que em tempos posteriores muitos apostatarão da fé, e darão ouvidos aos espíritos enganadores e às doutrinas de demônios" (1 Timóteo 4:1)

Eu pergunto: o que está acontecendo hoje com muitas pessoas (e igrejas) que se dizem cristãs não é a confirmação destas palavras do apóstolo Paulo?

E por que tudo isso está acontecendo? Por uma razão muito simples: enquanto os que se dizem servos de Deus estão dormindo (e estão tolerando o pecado, e outras idéias anti-cristãs), o diabo e os demônios estão muito bem acordados (e estão atacando impiedosamente a tudo e a todos)!

Uma coisa é certa: quando Jesus voltar, a Sua igreja terá que se apresentar a Ele com as vestes limpas (isto é, sem a mancha do pecado). É como bem disse o apóstolo Paulo:

"Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela Palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível" (Efésios 5:26–27)

O que está realmente faltando para muitas pessoas e igrejas que se dizem cristãs é um compromisso sério com a obediência à Palavra de Deus. Falando num tom bem direto: o verdadeiro cristão tem que fazer a diferença onde estiver. Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo" (Filipenses 2:14–15)

"E não vos conformeis com este mundo; mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de Deus" (Romanos 12:2)

De uma coisa eu tenho certeza: a cada dia que passa, a volta de Jesus está ficando cada vez mais próxima. O cerco está se fechando, e fatalmente vai chegar o dia em que muitos que se dizem cristãos serão postos à prova para saber quem realmente é cristão de verdade (e não só de boca)! E quantos estarão preparados para este dia?

Para finalizar minha mensagem, cito as palavras que o apóstolo Paulo recomenda aos cristãos para terem segurança somente na Palavra de Deus:

"Revesti-vos da armadura de Deus, para vos manterdes firmes contra as astutas ciladas do diabo; porque temos uma luta que não é contra a carne e o sangue, mas contra os principados, as potestades, os príncipes das trevas deste século, e as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais" (Efésios 6:11–12)

Anônimo disse...

Silas ta aí, apesar da heresia da prosperidade, expondo parte da realidade que ocorre no país. Apesar da estupidez política, expondo os maus-feitos do PT.

Quando o inimigo começa a bajular pode se preparar. Lembro que, se não me engano, na Alemanha e na Rússia a igreja é (ou fora) biônica, ou seja, aparentemente e igreja continuava firme e forte mas estava vazia e Deus.

No Brasil, ao meu ver, o que bioniza a igreja é a tal Teologia da Missão Integral ou qualquer variante com o mesmo objetivo.

O que eles querem não é acabar com os programas neopentecostais, eles querem convertê-los ao satanismo marxista e com isso enganar a muitos.

Bruno Araújo

Everaldo disse...

Eu concordo em gênero, número e grau com a opinião do Bruno Araújo, e ainda diria mais: ou o Brasil acaba de uma vez por todas com o projeto socialista, ou esse mesmo projeto vai acabar com o Brasil.

O irmão Júlio Severo já teve a oportunidade de publicar aqui neste espaço um artigo falando especificamente disso (eis o link de acesso):

http://juliosevero.blogspot.com/2010/01/por-que-nao-sou-socialista.html

Da mesma forma que o irmão Júlio Severo colocou no seu excelente artigo (o qual eu já tive a felicidade de ler), eu também cito aqui alguns dos meus motivos pessoais por que não sou socialista (e por que o Brasil não pode e nem deve ser governado por um sistema socialista).

10 RAZÕES POR QUE NÃO SOU SOCIALISTA (E POR QUE NÃO ACEITO O SOCIALISMO COMO GOVERNO PARA O BRASIL):

1 - Não sou socialista porque o socialismo tem suas raízes originadas em sociedades secretas. Há quem diga que certas sociedades secretas (como a Maçonaria) possuem uma forte ligação com o socialismo;

2 - Não sou socialista porque o socialismo corrompe e destrói todos os valores morais e cristãos da sociedade, além de promover e glorificar outras aberrações (como o homossexualismo e o aborto);

3 - Não sou socialista porque o socialismo combate Deus, a pátria e a família (ou seja, é um regime anti-cristão). Isso sem contar que Karl Marx era satanista;

4 - Não sou socialista porque o socialismo recorre sempre ao argumento do sistema que se funda para atender a vontade de todos (isso para que seja possível somente o proveito de alguns poucos);

5 - Não sou socialista porque o socialismo só aceita a cultura politica socialista, daqui resulta um único padrão de orientação de massas, não de acordo com o bem, mas sim com o interesse de quem está no poder. É o chamado pensamento politicamente correto;

6 - Não sou socialista porque o socialismo é um totalitarismo disfarçado que deseja moldar o mundo à sua imagem. Diz ser democrático, mas não tolera quem se manifeste contra. Todos são obrigados a aceitar as diretrizes socialistas sem questionar;

7 - Não sou socialista porque o socialismo produziu o feminismo, que é um movimento subversivo apoiado na luta de sexos, para o domínio da classe feminina. A consequência é o desequilíbrio e a instabilidade familiar, obrigando homens e mulheres a competirem (ao invés de se complementarem);

8 - Não sou socialista porque não compactuo com a mentira. Todos os governos socialistas sempre usam a mentira de defender os interesses do povo somente com o intuito de se auto-promover;

9 - Não sou socialista porque não aceito o argumento de que Jesus foi socialista. Jesus nunca Se valeu de Seus milagres para fazer campanha política ou promoção pessoal. É uma blasfêmia dizer que o nosso Salvador foi (ou ainda é) adepto de uma ideologia que matou mais mais de 100 milhões de pessoas;

10 - Enfim, não sou socialista porque não aceito que a Palavra de Deus seja substituída por filosofias ateístas, esquerdistas, subversivas e anti-cristãs.

Que esta mensagem sirva de alerta para muitos não se deixarem enganar pelas mentiras do socialismo.

Idevam disse...

Quem dera que os Cristãos do Brasil parassem para refletir e pensar que votar em partidos de esquerda e o atalho mas rápido para se chegar ao Inferno Comunista

A sim eles evitariam está contribuindo para as ostes do malignas

Idevam disse...

Concordo e digo nas igrejas não se fala mas desas verdades porque incomoda os irmão que so querem saber de vitória e cantam a quela canção agora eso vitória agora e so vitória a luta acabou...
Eles não entendem que e agora que a luta vai se ampliar cada vez mas e se alguem fala iso no pupito logo os irmãos olham com aquele olhar de desaprovação eles não querem encherga o que está acontecendo a nossa volta estão dizendo paz paz quando não há paz não estão vigilantes e muito triste

Anônimo disse...

VIA O PASTOR SILAS MALAFAIA POR TER A CORAGEM DE ENFRENTAR ESSA CORJA DE COMUNISTAS...OS QUE CRITICAM ELE ,SÃO OS QUE NÃO FAZEM NADA PELO BRASIL...E OUTRA, AQUI DEVE ESTAR CHEIO DE PETRALHAS INVADINDO ESSE SITE...O BRASIL NÃO É DO PT É DE TODOS OS BRASILEIROS...XÔ COMUNISMO NO MEU PAÍS...E DEP.JAIRBOLSONARO PARA PRESIDENTE DO BRASIL E VICE O PR.SILAS MALAFAIA !!! ESSES DOIS SÃO CORAJOSOS...DEUS PROTEJA O POVO BRASILEIRO E LIVRE O BRASIL DO COMUNISMO...AMÉN

Wilton disse...

A opinião do Everaldo foi mais do que sensata. Não temos escolha: ou derrubamos o socialismo, ou o socialismo vai derrubar o nosso país.

E mais: temos que tirar do poder todos os partidos esquerdistas (PT, PC do B, PV, PSOL, PCO, PSTU e outros semelhantes). Estes partidos são verdadeiros representantes do inferno aqui na Terra.

Que esta mensagem (e a mensagem do EVeraldo) sejam divulgadas em todas as igrejas (e em todo o país), para que o nosso povo seja conscientizado.

Jarbas disse...

Parabéns ao Everaldo por esclarecer a todos aqui sobre os perigos do socialismo.

Como disse o Idevam, quem dera se os cristãos parassem para refletir e pensar que votar em partidos de esquerda é o atalho mais rápido para se chegar ao inferno comunista.

Só que, infelizmente, são poucos os cristãos que têm uma conscientização política na hora de votar.

Júlio, se puder, publique mais artigos falando sobre os perigos do socialismo.