11 de março de 2012

Ucrânia se engaja na luta pró-família

Ucrânia se engaja na luta pró-família

Julio Severo
“A necessidade de proteger e fortalecer a família tradicional”, essa foi a preocupação do 2º Fórum de Pais Ucranianos, que contou com a participação de 1.300 pessoas e líderes, inclusive representantes da Rússia.
O evento ocorreu em de 24 a 25 de fevereiro 2012 em Kiev, na capital da Ucrânia, e recebeu a saudação e bênção do Metropolita Vladimir, primaz da Igreja Ortodoxa Ucraniana (Patriarcado de Moscou).
O Fórum de Pais Ucranianos elaborou uma resolução (que está em russo aqui: http://rodkom.org/2012/879.html) que tem pontos ousados, inclusive:
* Defender o direito à educação escolar em casa.
* Apoiar os Artigos de San José (um tratado pró-vida).
* Apoiar a Resolução de São Petersburgo (que rejeita os mandos e desmandos anti-vida da ONU nas nações e nas famílias)
* Opor-se à agenda homossexual e feminista.
* Opor-se à “abrangente educação sexual”.
A Resolução afirma abertamente: “Os participantes do Fórum declaram unanimemente que a família com base no casamento de um homem e uma mulher, que se esforçam pelo nascimento e criação de filhos, é o alicerce do Estado”.
A Resolução aponta para as ameaças à família no mundo de hoje, enumerando-as da seguinte forma: “destruição dos valores da família tradicional, ampla disseminação do alcoolismo, vício de drogas, prostituição, homossexualidade, pedofilia; propaganda pública de violência, liberdade sexual, estilos de vida imorais e anti-família; propaganda de divórcios e abortos; amplas intervenções do Estado na vida da família sob o pretexto de interpretações irracionalmente vastas dos direitos das crianças”, etc.
O documento denuncia especificamente: “Muitos desses fenômenos destrutivos, que são estranhos à cultura e valores tradicionais da Ucrânia, estão se espalhando com o apoio de estruturas intergovernamentais, tais como a ONU e o Conselho da Europa. Nesse processo, viola-se a soberania estatal da Ucrânia, as normas legais internacionais são distorcidas, o evidente abuso dos tratados e leis internacionais é reconhecido, e a pressão ilegítimas é exercida em nosso país”.
Os participantes afirmaram que “apoiam totalmente… a Resolução de São Petersburgo sobre as tendências anti-família na ONU, adotada nas audiências públicas internacionais e aprovadas por 126 ONGs da Rússia e Ucrânia”. (A Resolução está disponível em inglês aqui: http://blog.profamilia.ru/docs/Saint-Petersburg-Resolution-UN-English.pdf)
Eles então declaram que “todas as normas legais internacionais têm de ser usadas somente nos interesses da família, e não devem levar à destruição da identidade cultural da Ucrânia e dos valores morais e familiares tradicionais de nosso povo”.
Então a Resolução declara: “Os participantes do Fórum também apoiam os Artigos de São José, em que renomados especialistas internacionais declararam a inadmissibilidade da má interpretação das cláusulas de leis internacionais com o objetivo de propaganda de aborto e matança de crianças em gestação”.
Afirmando que é necessário proteger o direito dos pais de educar e criar os filhos em conformidade com seus valores, convicções e opiniões religiosas, o documento então expressamente declara que: “Deve-se garantir o direitos dos pais escolherem o tipo de educação para seus filhos, inclusive o direito de dar educação pré-escolar e de nível escolar em casa”.
Entre as outras coisas, a Resolução declara que é necessário “parar de usar os programas impostos da tão chamada ‘educação sexual’”, então pedindo educação de castidade, preparação para a vida familiar, abstinência de atividades sexuais antes e fora do casamento.
Essas informações foram passadas pelo presidente da maior organização pró-família da Rússia a um grupo de líderes pró-família internacionais, onde fui graciosamente incluído. Entre os líderes estava também o Dr. Stephen Baskerville, do Instituto Interamericano.
O documento, elaborado por ucranianos e russos, colocando como prioridade a defesa da educação escolar em casa e condenando intrusões estatais nas famílias, é muito mais forte do que os documentos pró-vida brasileiros que vi e assinei em 25 anos de envolvimento com o movimento pró-vida do Brasil.
De que forma essas informações da Ucrânia e Rússia podem ser úteis? Em seus tempos de plena atividade terrorista comunista, a senhora Dilma Rousseff e outros “companheiros” viam a União Soviética (que abrangia Rússia, Ucrânia e outros países) como um modelo a ser seguido.
Agora que o povo da Ucrânia e Rússia está dando meia volta volver, temos de reivindicar que Dilma imite esses países, que eram sua antiga paixão!
E uma notícia excelente é que o governador de São Petersburgo, a segunda maior cidade russa, sancionou hoje, conforme informação que acabei de receber da Rússia, a lei que proíbe paradas gays, eventos gays, propaganda gay, kits gays e tudo o mais que tenha a ver com exposição pública do estilo de vida gay. Parabéns ao povo de São Petersburgo!

5 comentários :

Anônimo disse...

Por causa de barulho, Justiça suspende cultos em igreja evangélica de Corumbá.

http://www.midiamax.com/noticias/788855-causa+barulho+justica+suspende+cultos+igreja+evangelica+corumba.html

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Estou em dúvida (e com desconfiança) de que essa ação da Justiça seja leal ou arbitrária.

Também com o Brasil parecendo cada vez mais com a URSS !

Durval Pereira

Fabiano disse...

O atual defensor do gayzismo, o islamista mascarado de cristão, e presidente dos euas, vai classificar este ato historico como "terrorismo contra seus queridinhos". A gang do pt vai ficar escandalizada... A marta e a rosário vão ter mais um daqueles conhecidos chiliques, que elas adoram protagonizar. Ah, quem me dera um dia poder ir embora para Ucrânia!

Anônimo disse...

Ualll, que exemplo além da Rússia a Ucrânia tbm está na luta contra as ideologias anticristãs e defendendo a família e seu país que maravilha.
Como eu tenho Fé e creio no impossível no sobrenatural de Deus espero com todo meu SER que aconteça uma revolução na política brasileira se for preciso faça uma limpeza no planalto para entrar novas pessoas com valores morais, éticos, cristãos que praticam de verdade a PALAVRA DE DEUS que vai lutar pra cima e fazer acontecer igual nesses dois países não estão se redendo as suas nações ao pecado. Ester!!!!!!

João Pedro disse...

Mais uma excelente notícia vinda do Leste Europeu!

Eu fico bastante impressionado com esses povos que têm tamanha altivez de combater essas misérias morais que se alastram como doença aqui pelo Brasil.

Parece que há um compasso entre os anseios desses povos e seus governantes. Enquanto isso, nós estamos sendo governados por uma escória e vendo de braços cruzados eles destruirem nossos valores.

ÉLQUISSON disse...

Da mesma forma que a Rússia, a Ucrânia também está de parabéns por se opor ao homossexualismo.

É isso que está faltando à nossa bancada evangélica: uma postura bem firme para dizer "NÃO" às investidas dos homossexuais.

E aqui no Brasil, onde estão os servos de Deus para serem decididos contra o pecado?

Deixo esta pergunta no ar para alguém responder na primeira oportunidade!