10 de março de 2012

Grupo islâmico ameaça WND

Grupo islâmico ameaça WND

“Não queremos enveredá-los pelo mesmo caminho que outros já seguiram”

Bob Unruh
Um homem que se diz representar a organização United Muslim Nations International (Nações Muçulmanas Unidas Internacional) admoestou o WND para “moderar" as suas reportagens sobre questões envolvendo o islã, devido à maneira como os muçulmanos podem reagir.
O aviso veio na forma de um e-mail ao WND da autoria de Faarooq al Mohammedi, que afirmou estar fazendo a solicitação em nome da organização muçulmana para que o WND “obedeça, pois isso seria do interesse da empresa, uma vez que não queremos enveredá-los pelo mesmo caminho que outras empresas de mídia não-complacentes seguiram”.
A mensagem alertava o WND para que “tomasse precauções extras ao publicar material religiosamente sensível ou ao criar suspeitas religiosamente sensíveis sobre crenças e práticas religiosas”.
Ele ameaça, “Agradeceríamos se vocês pudessem limitar o processo de classificação e moderação dos artigos a serem publicados, pois qualquer material falso publicado pelo WND será tomado como uma brecha nos padrões de notícias internacionais; questões religiosamente sensíveis devem ser baseadas em fatos sólidos e inegáveis, e a recusa em produzir provas de tais artigos publicados nos deixará sem opção a não ser promover a completa remoção do WND online e do público em qualquer mídia impressa”.
Contatado pelo WND por um número de telefone da África, Mohammedi não pode citar qualquer ponto específico das reportagens do WND. Em vez disso, ele promoveu um califado mundial islâmico, assunto mencionado em uma reportagem do WND há alguns dias atrás sobre uma conferência na Áustria.
“Não é interessante?” disse o editor e fundador do WND Joseph Farah, “Esse sujeito faz uma acusação, mas não consegue fornecer provas para sustentá-la. No entanto, faz ameaças abrangentes sobre fechar o WND e aliciar a ajuda de governos não mencionados”.
“É por isso que os americanos que acreditam na liberdade de expressão não devem nunca permitir que agências internacionais se envolvam no policiamento da internet. Nem podemos nos deixar intimidar com autocensura e padrões de ‘politicamente correto’ devido a grupos de interesse”.
Pamela Geller, que escreve para o blog AtlasShrugs e há tempos vem lutando contra a invasão da lei islâmica nos Estados Unidos, disse que embora ela não esteja familiarizada com o grupo, a tática é comum.
“A tática não passa de intimidação supremacista islâmica, uma estratégia consagrada que eles utilizam com frequência”, afirma. “Eles não podem nos responder, então eles tentam nos calar”.
Geller tem lutado constantemente pelo direito de postar anúncios criticando o islã nos mesmos lugares onde há anúncios que o promovem. Ela frequentemente precisa recorrer à justiça para ter o mesmo acesso que organizações pró-islâmicas recebem livremente.
Mohammedi disse ao WND em entrevista por telefone em 28 de fevereiro que sua preocupação é que a publicação de materiais que não lhe agradam “criem um problema em escala global”.
“Algumas pessoas possuem diferentes formas de reagir a diferentes artigos que são publicados”, afirma. “Estamos tentando prevenir que certos eventos indesejados aconteçam devido a essas publicações”.
“Precisamos que essas publicações acabem, pois se vocês querem paz e estabilidade no mundo, precisariam que essas coisas acabassem também".
Com relação ao WND, Mohammedi não consegue identificar um único ponto preocupante, mas afirmou saber que havia alguns, e que ele responderia por e-mail. O e-mail nunca chegou.
Tudo o que ele disse foi que havia artigos que tratavam de “suspeitas” a respeito do islã.
“O islã é muito aberto, muito aberto. Não há nada suspeito a respeito dele”, afirmou.
Mohammedi alegou que o e-mail ao WND era parte de uma campanha.
“Já lidei com várias pessoas. Temos governos envolvidos com investigadores, e eles fizeram ajustes”, explicou.
“Basicamente, nosso conselho é que as pessoas precisam tomar precauções extras e moderar o que quer que seja publicado”, afirmou, referindo-se a recentes menções do califado, embora não fosse capaz de afirmar que elas eram do WND.
“Eles levam a mensagem (do califado)... é quase como se houvesse alguma suspeita ou algo terrível. Do ponto de vista islâmico, o sistema do califado deverá ser uma coisa boa. Não deveria ser visto como algo ruim”, afirmou.
“O califado irá evitar vários conflitos ao redor do mundo, assim como irá fornecer ao mundo uma estrutura central de governo”.
Farah afirmou que seus avós “não fugiram do Oriente Médio tomado pelo islã para que seus netos tivessem que medir palavras sobre a opressão islâmica no mundo, e mais frequentemente, aqui nos EUA”.
“Enquanto eu viver, o WND irá continuar mostrando a verdade sobre a Sharia, a jihad o terror islâmico”, disse Farah.
Embora Mohammedi tivesse afirmado que o website da organização ainda não estava funcionando, o WND localizou um site que parece representar a organização.
O site declara: “O verdadeiro muçulmano se mantêm firme e forte contra os Kufar (infiéis), nós os Mu’min iremos sempre derrotar os Kufar, e temos amor uns pelos outros".
O site também afirma que a sua sede está localizada em Jerusalém e explica, “Não somos apenas uma organização a caminho da união de toda a Umma (nação) islâmica, somos uma organização de direitos humanos de acordo com os mandamentos/Sharia (Lei Divina) do todo-poderoso Alá e do sagrado Alcorão, e conforme prescrito na Suna (exemplos) do nosso adorado Nabi (profeta) Maomé”.
Os links disponíveis no site levam a artigos intitulados “O Mundo Sob o Califado Islâmico”, “Hezbollah”, “Organização para a Libertação da Palestina”, “Organização Islâmica da América do Norte”, entre outros.
A reportagem anterior do WND sobre o Conferência do Califado 2012 noticiou como ele estava sendo organizado por Hizb ut-Tahrir, que foi descrito como um “grupo pan-islâmico extremista que busca estabelecer um Estado islâmico global, ou califado, governado pela lei islâmica da sharia”.
Traduzido por Luis Gustavo Gentil do artigo do WND: “Islamic group threatens WND

3 comentários :

Idevam disse...

“O califado irá evitar vários conflitos ao redor do mundo, assim como irá fornecer ao mundo uma estrutura central de governo”.

Eles Vivem Se Matando Xiitas é Sunitas e dizem que o califado vai trazer paz ao mundo ?

Abraão disse...

Só um cego não vê que isto é só mais um dos instrumentos do anticristo, preparando a chegada dele.
Acredito que o anticristo vai ser aceito pelos islâmicos como o novo califa.

Anônimo disse...

Depois nós que somos cristãos sempre rotulados de "fanáticos" se vê bem a intolerância dessa religião dos mulçumanos mascara deles volta e meia cai e o slogan querem promover tbm vai por terra:
HISTORINHA PARA BOI DORMIR PAZ E AMOR EUCUMENISMO ELES QUEREM AJUNTAR AOS CRISTÃOS BANDO DE HIPÓCRITAS VERDADEIROS LOBOS AFF. Ester!!!!!