12 de fevereiro de 2012

Homossexuais aliciam meninos para virar transexuais em SP

Homossexuais aliciam meninos para virar transexuais em SP

Tráfico de adolescentes para prostituição homossexual começa nas redes da internet

SÃO PAULO — Magro, cabelos compridos, short curto. M., 16 anos, abre o sorriso leve e ingênuo dos adolescentes quando perguntado se pode dar entrevista. O relógio marca 1h de sexta-feira. “M” é um garoto e está na calçada, numa das travessas da Avenida Indianópolis, conhecido ponto de prostituição de travestis e transexuais, escancarado em meio a casas de alto padrão do Planalto Paulista, na Zona Sul de São Paulo. A poucos passos, mais perto da esquina, está “K”, também de 16 anos.
Adolescente aliciado por redes homossexuais
“M” e “K” são a ponta do novelo que transformou São Paulo num centro de tráfico de adolescentes nos últimos cinco anos. Meninos a partir de 14 anos são aliciados no Ceará, no Rio Grande do Norte e no Piauí e, aos poucos, são transformados em mulheres para se prostituírem nas ruas de São Paulo e em países da Europa. Misturados a travestis maiores de idade, eles são distribuídos em três pontos tradicionais de prostituição transexual em São Paulo: além da Indianópolis, são encaminhados para a região da Avenida Cruzeiro do Sul, na Zona Norte, e Avenida Industrial, em Santo André, no ABC paulista.
O primeiro contato é feito por meio de redes de relacionamento na internet. Uma simples busca por “casas de cafetina” leva os garotos a perfis de aliciadores homossexuais. Após o primeiro contato, pedem que o adolescente encaminhe uma foto por e-mail, para que seja avaliado. Se for considerado interessante e “feminino”, eles têm a passagem paga pelos aliciadores. Ao chegar a São Paulo, passam a morar em repúblicas de transexuais e a serem transformados. Recebem inicialmente megahair e hormônios femininos. Quando começam a faturar mais com os programas nas ruas, vem a oferta de prótese de silicone nos seios. Os escolhidos para ir à Europa chegam a ser “transformados” em tempo recorde, apenas cinco meses, para não perder a temporada na zona do euro.
É fácil identificar os adolescentes recém-chegados. Além do corpo típico da idade, eles têm seios pequenos, produzidos por injeção de hormônios, e megahair. Testados inicialmente na periferia, os meninos são distribuídos nos pontos de prostituição de acordo com a aparência. Os considerados mais bonitos recebem investimento mais alto e vão trabalhar na área nobre da cidade. Na Avenida Indianópolis, recebem R$ 70 por um programa no drive in e R$ 100 se o programa for em motel. Nos outros dois endereços, o valor é bem mais baixo: entre R$ 30 e R$ 50 no drive in e R$ 70 a R$ 80 em motel.

Menores evitam ruas principais

Não faltam interessados. A partir de 17h, homens homossexuais na faixa de 30 a 50 anos aproveitam o fim do expediente para, antes de seguir para casa, fazer programas rápidos com os transexuais na Indianópolis. Um furgão preto, com insulfilme, faz o transporte de vários transexuais. Mas, nesse horário de maior movimento, dificilmente os menores ficam à vista nas calçadas.
Por existirem há décadas, os pontos de prostituição de travestis são vistos com naturalidade pelos moradores de São Paulo, principalmente agora com leis anti-“homofobia” que punem a crítica ao homossexualismo. Se antes se podia criticar, agora nem isso. Afinal, o homossexualismo em São Paulo está sob a proteção do PSDB e parece que a prostituição homossexual está incluída nessa proteção.
Em geral, os transexuais adolescentes ficam nas travessas, atrás dos grupos de maiores de idade, que ficam quase nus e são extremamente imorais. Os dois grupos convivem bem com a vizinhança, exceto pelo constrangimento proporcionado pelos mais velhos (acima de 25 anos) sem roupa ou exibindo abertamente partes íntimas ou siliconadas.
Os adolescentes são mais discretos, menos siliconados e “montados”. Os implantes de silicone nos seios são menores, num apelo direcionado aos pedófilos. Eles usam saias e shorts curtinhos, como “M” e “K”, e podem muitas vezes ser confundidos com meninas.
Como na Indianópolis prostitutas e travestis dividem espaço, clientes são surpreendidos pela nova leva de jovens vindos de outros estados, de aparência cada vez menos óbvia.
“Y”, 19 anos, é um dos transexuais que fazem aumentar a confusão. Aos 15, foi levado a São Paulo pela rede homossexual de prostituição e pedofilia.
— A cafetina viu que eu era feminina e que ganharia muito dinheiro. Minha mãe assinou autorização para eu viajar, e vim de avião. Ficou preocupada, como toda mãe, mas deixou — conta.
Inicialmente, foi levado a trabalhar na Avenida Industrial, em Santo André, no ABC paulista. Pagava R$ 20 pela diária na república, sem almoço.
— Quem não tivesse os R$ 20 tinha de voltar para a rua, não entrava enquanto não conseguisse — diz ele.
Mesmo sem ter sido transformado, já chamava atenção. Logo começou a faturar R$ 250 por dia. Aos 16 anos, recebeu “financiamento” para colocar prótese de silicone no seio. O implante foi feito por cirurgião plástico. Custou R$ 4 mil, mas “Y” teve de pagar R$ 8 mil à cafetina, pois não tinha dinheiro para quitar à vista.
“Y” diz que aceitou porque queria ficar feminina logo. Neste mercado, os seios são vistos como principal atributo. Quanto mais aparência de mulher, mais os clientes pagam. Agora, o jovem mora sozinha num flat e paga seu aluguel. Diz que divide o espaço da avenida tranquilamente e já não deve nada a ninguém. Faz entre seis e 10 programas de prostituição por noite, afirma, enquanto lança olhares às dezenas de carros que passam rente à calçada, aguarda possivelmente um cliente homossexual.
PLC 122: Senado faz público de palhaço

7 comentários :

maria disse...

SENHOR DEUS... que triseza no coração, que absurdo... onde estão os politicos nessa hora? e esses pais e mães? nossa eu sinceramente nem imaginava que estava nessa situação! tv globo deve estar satisfeitissima!!
Como eu quero que o povo brasileiro se manifestem simplesmente NÃO ASSISTINDO ESSE LIXO QUE É A TV GLOBO!

HORÁCIO disse...

Já tinha postado este meu comentário em artigos anteriores, mas faço questão de postar novamente.

Se algum homossexual tiver a ousadia de tentar se aproximar de meus filhos, eu vou defender meus filhos à força (nem que isso me custe a prisão ou a morte).

Como pai de família cristão (e também defensor da moral, dos bons costumes, e, principalmente, da obediência à Palavra de Deus), eu NUNCA vou permitir que meus filhos sejam cobaias desses monstros devassos, esses abutres insaciáveis de luxúria demoníaca. Se eu tiver que morrer para defender a honra de meus filhos (ou para impedir que eles sejam assediados, aliciados ou atacados pelos homossexuais), eu morro com a certeza de quem cumpriu o seu dever de cristão aqui na Terra (e de quem não pecou contra Deus).

Eu não gostaria de parecer grosseiro ou mal educado, mas, em virtude das circunstâncias (e considerando o teor deste artigo), eu vou aproveitar a oportunidade de que disponho neste espaço para dar um recado bem direto a todos os homossexuais (e gostaria que eles prestassem muita atenção às minhas palavras, porque o que eu vou dizer agora para todos eles é muito sério):

HOMOSSEXUAIS, JESUS ESTÁ VOLTANDO! UM DIA, TODOS VOCÊS ESTARÃO DIANTE DELE PARA SEREM JULGADOS! SE VOCÊS NÃO SE ARREPENDEREM DESSA VIDA PECAMINOSA QUE VOCÊS ESTÃO VIVENDO ENQUANTO AINDA HÁ TEMPO, O DESTINO FINAL DE TODOS VOCÊS APÓS A MORTE SERÁ O LAGO DE FOGO! LÁ SÓ VAI HAVER CHORO E RANGER DE DENTES! LÁ VOCÊS IRÃO CONHECER (E TAMBÉM SENTIR) TODO O PESO DA IRA DE DEUS CONTRA O PECADO DE VOCÊS! E DE LÁ VOCÊS NÃO VÃO SAIR NUNCA MAIS!

Só sei de uma coisa: estou com a minha consciência tranqüila. Já fiz a minha parte (que é alertar contra o pecado). O recado já está dado. Se, mesmo assim, esses homossexuais não quiserem se converter, é problema única e exclusivamente deles. No dia do juízo final, eles não vão poder dizer que não foram avisados (até porque esta mensagem que eu estou deixando aqui vai servir de testemunha contra todos eles)!

Será que esses homossexuais querem ver para crer? Ou eles acham que Deus mudou os Seus princípios?

"Não erreis: Deus não Se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso ele também ceifará" (Gálatas 6:7)

P.S: Me desculpem se eu usei um tom carregado para dar a minha opinião, mas, com a revolta que eu estou sentindo diante do episódio relatado neste artigo, eu não consigo me manifestar de outra forma!

Roberto Avelar, pastor disse...

Um absurdo o que estão fazendo com as nossas crianças! E ainda existe uma parcela da sociedade brasileira de gente do bem que apoia a questão dos homossexuais que a cada dia se colocam como vítimas de preconceitos generalizando toda e qualquer manifestação contrária as suas práticas como "homofobia" – UMA VERDADEIRA MORDAÇA GAY QUE ESSES SENHORES QUEREM NOS IMPÔR; e com isto eles vão ganhando espaço e seguem disseminando todo esse lixo comportamental contaminando as nossas crianças e pessoas em geral; e ainda existem grupos de héteros/políticos que apoiam a distribuição do tal "kit-gay" nas escolas; querem a todo o custo transformar nossas crianças em homossexuais; um verdadeiro absurdo!
Eu que já fui contrário e até já esbravejei contra o ativista Julio Severo, depois de analisar os grupos de homossexuais pude ver o quanto esse rapaz está com a razão e me coloco aqui, de público como mais um aliado a causa (não homofóbica porque homofobia realmente é algo horrível, e ser contrário as práticas homossexuais, definitivamente, NÃO é homofobia), verdadeiramente em favor da família e de todas as crianças do nosso querido Brasil; e o Brasil precisa não se intimidar com toda a mídia que os grupos homossexuais têm em seu favor e nem se influenciar pelo “modismo-gay”; sim porque hoje em dia “ser gay está na moda” e por isso muitos heterossexuais se influenciam por esse modismo e acabam (não apenas respeitando os homossexuais), mais se influenciando de tal forma que chegam até terem o que eles mesmos chamam de “experiências-homossexuais”. Bom, cada um (que não conhece a bíblia) faz o que bem entender com os seus corpos, o que não devem é tentar empurrar nenhum enlatado ideológico, político, comportamental guéla-a-dentro de toda a sociedade com a desculpa de lutar contra a discriminação (que acho legítimo), e acabarem por promoverem à reboque um espírito de VINGANÇA gerando na maioria dos homossexuais um sentimento HETEROFÓBICO (HETEROFOBIA); já pensaram se nós heterossexuais bradassemos por um Projeto de Lei Anti-Heterofobia? Que tal PL 123? Seria cômico se não fosse trágico, não é mesmo, leitores?! O BRASIL PRECISA ACORDAR, POIS, A QUESTÃO É MUITO MAIS SÉRIA DO QUE ATÉ EU MESMO IMAGINAVA!

Idevam disse...

e a corrupção do ser humano que tristeza espostos a todo tipo de dsts e maudade que algum "cliente" resolver fazer com estes adolescentes perdidos na vida que tristeza

Idevam disse...

Onde está Juizado da Criança e do Adolescente o ECA o Ministério Público os famosos Diretos Humanos Eles so sabem intervir nos lares Cristãos para interfirir e desestruturas famílias saudáveis que lutão para educar os filhos e crialos da melhor maneira possível.
Vê essa lei anti-paumada e iso que eles querem destruir nossas Crianças.
DEUS nos livre deses Políticos das Trevas e nos temos que fazer nossa parte votando contra esse inventores de kit gay e outras armadilhas que tem em vista destruir as nossas Crianças

Anônimo disse...

que vontade de vomitar por causa dessas pessoas que aliciam esses menores!!!!

Saulo

Anônimo disse...

Bom dia! irmão epa,epa como assim? Isso o movimento homossexual e suas vertentes NÃO falam ficam tudo quietinhos dizer tem pessoas maiores de idade dessas práticas aliciando menores de idade para se "prostituirem"? Isso pra mim é pedofília é crime.
Perderem a inocência e pureza e o principal sua identidade sexual heterossexual em questão.
Cadê?? nessa hora o pessoal do ECA orgão responsável da "proteção de crianças e adolescentes" a não já sei preferem perseguir os pais que estão educando os seus filhos com as "palmadas" aff.
Cadê a polícia tbm no incauso para investigar não fazem nada porque que não correm atrás isso sim que é IMPUNIDADE!!!!!! Ester