24 de janeiro de 2012

Admirável Mundo Novo: especialista em ética da Inglaterra quer que mulheres abandonem maternidade e usem úteros artificiais

Admirável Mundo Novo: especialista em ética da Inglaterra quer que mulheres abandonem maternidade e usem úteros artificiais

NORWICH, Inglaterra, 23 de janeiro de 2012 (LifeSiteNews.com) — Em comentários que os críticos dizem que, de forma preocupante, lembram a famosa novela antiutopia “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley, uma especialista em ética da Inglaterra está argumentando que pelo fato de que a gravidez provoca “desigualdade natural” entre o sexo feminino e o sexo masculino, as mulheres devem ser libertas dos “pesos e riscos da gravidez” por meio do uso da “ectogênesis”, ou úteros artificiais.
O plano de Smajdor lembra o livro “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, onde bebês são gerados em “chocadeiras”.
“A gravidez é uma condição que provoca dor e sofrimento, e que afeta somente as mulheres. O fato de que os homens não precisam passar pela gravidez para ter um filho com ligações genéticas, ao passo que as mulheres precisam, é uma desigualdade natural”, escreve a Dra. Anna Smajdor num artigo que apareceu recentemente na revista Cambridge Quarterly of Healthcare Ethics.
Em seu artigo Em Defesa da Ectogênesis, publicado online em dezembro de 2011, Smajdor interpreta a gravidez como um “problema médico, junto com outros problemas de saúde que causam dor e sofrimento”. Smajdor é conferencista de ética na Escola de Teoria e Prática de Saúde e Medicina na Universidade de East Anglia.
“Se houvesse uma doença que provocasse sintomas e riscos semelhantes aos que a gravidez causa, afirmo que seria considerada como razoavelmente séria, e que teríamos boas razões para tentar fazer um seguro contra ela”, argumenta Smajdor, que agrupa a gravidez junto com “doenças” que persistem por vários meses, tais como o sarampo.
Para Smajdor, atualmente “os homens colhem todos os benefícios da gestação das mulheres, enquanto as mulheres suportam os riscos e pesos”.
Por isso, na cosmovisão de Smajdor, “as mulheres são um grupo em desvantagem com um destino brutal, pois os homens podem se reproduzir sem passar pelos riscos da gravidez”.
Em outras palavras, ser mulher, para Smajdor, significa simplesmente se tornar biologicamente mais parecida com o homem. Para alcançar essa igualdade, o potencial inato e natural da mulher de procriar, gerar e cuidar de uma nova vida humana tem de ser eliminado e entregue à ciência e tecnologia. Ela propõe que nos aproximaremos mais da genuína igualdade somente quando todos os seres humanos não gerarem filhos.
“Talvez nem todas as desvantagens de ser mulher sejam atribuíveis à maternidade”, reconhece Smajdor, “mas suavizar esses pesos certamente ajudaria”.
Na novela de Huxley, “Admirável Mundo Novo”, o Estado Mundial assume completamente a reprodução, onde filhos são criados, “decantados” e gerados em “incubadoras” e criados em “centros de condicionamento”.
Para Smajdor, a questão é simplesmente de igualdade sexual: “Ou vemos as mulheres como portadoras de bebês que devem subjugar seus outros interesses ao bem-estar de seus filhos ou reconhecemos que nossos valores sociais e nível de especialização médica não são mais compatíveis com a reprodução ‘natural’”, conclui ela.
Para informações detalhadas sobre o paganismo feminista dentro das igrejas evangélicas, adquiria o livro De Volta Ao Lar

17 comentários :

Guilherme disse...

Até quando esses "especialistas" irão tapar os olhos para o óbvio de homens e mulheres SÃO DIFERENTES, seja biologica ou geneticamente? E que nada nesse mundo poderá tornar os sexos num só, como nos devaneios dessa senhora?

Anônimo disse...

Vamos reformular admirável mundo do diabo nada substituirá uma gravidez natural de uma mulher e todo processo da espera dos 9 meses até bebê vir ao mundo esse pessoal tá querendo brincar e ser mais que DEUS VIVO aff. Ester!!!!

Brambilla disse...

Acho que se caísse um meteoro na terra o efeito seria bem menos devastador que essa mentalidade revolucionária que assola nosso tempo.

Anônimo disse...

A vida imita a arte, estão pondo a MATRIX em funcionamento!

paulo_sergio disse...

E essa gente estuda tanto pra dizer uma sandice dessas monta.

Vemos literalmente quando o "conhecimento humano" se torna loucura.

MARIA disse...

Meu Deus!!! Que coisa assustadora! Uma aberração! Esta mulher é a mais perfeita expressão do que é uma mente dominada por Satanás!! O Sangue de Jesus tem poder!

carloshenrique disse...

Não é por menos que eu detesto especialistas no assunto.
Esse tipo de gente não devia falar nada, mas devia ter a boca tampada e ser colocada numa prisão de segurança máxima, sendo condenada a prisão perpétua.
As mulheres foram abençoadas por Deus com a bênção de carregarem nos seus úteros vidas novas, coisa que nenhum de nós homens temos a capacidade para tal, coisa a qual eu admiro.
O fato das mulheres poderem terem filhos, poderem carregarem bebês em seus ventres durante nove meses, é uma coisa admirável, que é um privilégio exclusivamente feminino, privilégio esse que não foi dado para nós homens.
Benditas são às mulheres que geram filhos e que os carregam em seus ventres por nove meses, pois serão como o jardim regado e cheio de flôres lindas das mais diferentes espécies, de belezas inigualáveis.

Blog da Anna disse...

http://www.elnet.com.br/news_interna.php?materia=4293

Abraão Isvi disse...

UHuhauha Parece até piada uma coisa dessas, só rindo para não chorar. Gente a insanidade já tomou conta de tudo, já era. É só vejo as profecias se cumprindo.

Robson Lelles disse...

Há alguns anos publiquei algo a respeito, aqui: http://limud.blogspot.com/2008/10/anunciando-guerra-dos-clones-ser-que.html

Vejo que não demorou tanto para chegar no ponto que eu havia previsto.

Roberto disse...

Que coisa ridícula! Gestação como uma doença... só na cabeça dessa pessoa. Esse dom de Deus que é a maternidade, esse papel conferido a mulher deve ser motivo de satisfação e honra. O que essa pessoinha quer? Um futuro de raça humana andrógena? sem sexos?

ENG EMERSON EDUARDO STAFIN disse...

Mais um cuckould à serviço do feminismo. Deve ser sodomizado por alguma dominatrix feminista e fala estas atrocidades..

Parabéns Júlio Severo por denunciar estes dementes..

Marco Teles disse...

Olá Júlio!

Gostaria de saber qual a opinião dessa senhora sobre homossexualismo e pedofilia. Se gestação é doença...

Anônimo disse...

Que idiota!

Saulo

Idevam disse...

Dra. Anna Smajdo e que está doente da cabeça
será que ela tem filhos ?

Fabiano disse...

Que ridículo uma coisa dessas.
Por acaso o homem vai ter que "amamentar" também? Daqui a pouco esta senhora vai querer que o homem menstrue, só para agradar as feministas de plantão.

Anônimo disse...

É tanto absurdo..podemos ver claramente que estamos no fim!Maranata!