20 de dezembro de 2011

Organização americana faz campanha em favor de uma emenda à Constituição para proteger direitos dos pais

Organização americana faz campanha em favor de uma emenda à Constituição para proteger direitos dos pais

PURCELLVILLE, Virginia, EUA, 1 de dezembro de 2011 (Notícias Pró-Família) — Uma organização pró-família dos EUA está buscando restringir o que eles argumentam é a crescente interferência do governo no modo como os pais criam seus filhos. Eles querem essa restrição mediante uma emenda à Constituição dos EUA com uma cláusula de Direitos dos Pais.
“Os direitos dos pais estão atualmente sob risco de ameaças do governo federal e de organizações internacionais”, disse o Dr. Michael Farris, presidente de ParentalRights.org
ParentalRights.org lançou um docudrama de 36 minutos em 17 de novembro intitulado “Overruled: Government invasion of your Parental Rights” (Detendo a Invasão Governamental nos Direitos dos Pais), retratando a encenação de casos reais onde pais e mães nos EUA perderam seus direitos de criar e educar seus filhos conforme acham melhor. O vídeo, com legendas em português, está aqui: http://youtu.be/DSv96tjz11Q



Num caso, um médico disse aos pais que eles não poderiam ter acesso aos resultados de um teste de drogas feito em seu filho de 13 anos sem a permissão de seu filho. Em outro caso, um pai foi preso depois que fez o que podia para que seu filho de jardim-de-infância fosse isentado de aulas que poderiam lidar com questões homossexuais. E no terceiro caso assistentes sociais trabalharam para colocar um menino de 13 anos num lar adotivo quando ele disse à psicóloga da escola que ele não queria seguir as vontades de seus pais de ir à igreja três vezes por semana.
Os produtores chamaram seu filme de desmascaramento “chocante” de como os direitos dos pais de ponta a ponta nos EUA estão sofrendo “erosão” provocada por ideologias antifamília.
“A vasta maioria dos americanos crê que as mães e os pais deveriam ter a autoridade de educar e criar seus filhos conforme acham melhor: mas o que eles não compreendem é que não há nenhum direito legal que lhes permita ter tal liberdade”, diz Rebecca Hagelin, escritora e defensora da família, no filme.
O filme argumenta que os direitos dos pais estão sendo derrotados por decisões de tribunais e interferências de extensas políticas e leis governamentais em três áreas: medicina, educação e vida doméstica.
O filme dá um alerta sobre a ameaça aos direitos dos pais se os EUA vierem a adotar a Convenção da ONU dos Direitos das Crianças (CDC).
Os produtores do filme argumentam que o tratado da CDC dá aos órgãos governamentais o poder e autoridade de decidir o que está “nos melhores interessas da criança”, não os pais da criança.
Os produtores apontam para o fato de que o tratado estabelece o direito da criança à “liberdade de expressão”, que inclui o direito de receber “informações e ideias de todos os tipos, independente de limites, ou oralmente, por escrito, impresso, na forma de arte, ou por intermédio de qualquer outro meio de comunicação que a criança escolher”.
“Esse tratado que tem a pretensão de dar direitos às crianças realmente deixa as crianças mais vulneráveis à exploração e abusos”, diz Wendy Wright, ex-presidente de Concerned Women for America, no filme.
ParentalRights.org diz que acredita que o melhor jeito de proteger os direitos dos pais acima da criança é consagrar os direitos dos pais na Constituição da nação. Eles estão fazendo campanha para acrescentar três emendas:
1) “A liberdade dos pais dirigirem a criação e educação de seus filhos é um direito fundamental”.
2) “Nem o governo federal nem os governos estaduais violarão esse direito sem demonstrar que seu interesse governamental conforme se aplica à pessoa é da ordem mais elevada e não de outra forma servido”
3) “Nenhum tratado poderá ser adotado nem nenhuma fonte de lei internacional será utilizada para suplantar, modificar, interpretar ou se aplicar aos direitos garantidos por este artigo”.
Farris explica no filme que a primeira seção significa que “os pais têm o direito fundamental de fazer decisões para seus filhos”, a segunda significa que “se o governo for tentar invadir seus direitos, ele tem de ter evidências claras para fazer essa invasão”, e a terceira significa “leis internacionais, fora!”
Jonathan Horton, diretor nacional de ação comunitária de ParentalRights.org, disse para LifeSiteNews que a vasta maioria dos que assistiram ao filme mostrou uma reação muito positiva.
Horton disse que até agora sua organização coletou mais de 250.000 assinaturas em apoio à sua Emenda dos Direitos dos Pais.
ParentalRights.org está solicitando que todos os pais e mães que valorizam os direitos de criar seus filhos conforme eles acham melhor assinem sua petição para preservar e proteger esses direitos na Constituição.
Assine a petição aqui.
Veja o vídeo aqui.
Artigos relacionados:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.
Artigos relacionados no Blog Julio Severo:

3 comentários :

Anônimo disse...

Fiquei chocada com esse vídeo, os E.U.A estão usando o método Nazista de governo, não podemos deixar essa praga chegar ao Brasil, se for necessário uma guerra teremos uma guerra mas nunca abrirei mão de meus direitos, o governo deve gerenciar os bens do estado, mas quem governa minha vida sou eu, serei obediente as leis dentro dos limites da coerência, pois O POVO NÃO DEVE TEMER O SEU GOVERNO, O GOVERNO É QUEM DEVE TEMER SEU POVO! Nunca fui escrava e nunca serei, prefiro morrer livre a ser escravizada por um governo, VIVA A LIBERDADE, FRATERNIDADE E A IGUALDADE!

Kel

Anônimo disse...

Ju'lio mandei esse vi'deo para duas diretoras de escolas de cada um de meus filhos aqui na ame'rica. Uma ate' agora nao respondeu. Mas outra viu e ta lendo seu blog tambem. Ela ficou horrorizada e disse que vai fazer uma reuniao com a prefeitura,daqui (Bridgeport CT),,nao sei em que vai dar Mas acho que muitos americanos nao sabem o que esta acontecendo. Falei da Hillary Clinto que esta promovendo isso junto com o Obama e influenciando esse crime no Brasil. acabei de mandar o video do youtube Querem calar a igreja nao sei qual vai ser a recao dela. vou dedicar meu tempo a agir como voce da maneira que eu puder. Ja' postei um vi'deo no youtube, um pouco enrolado pois e' minha primeira vez.Vou tentar aprender como voce e o Olavo pra fazer melhor e se puder me dar dicas agradeco. Vou agir aqui na ame'rica tambem,,,,se corro riscos,,,,foda-se . Calado nao ficarei. Meu pai me ensinou que covardia e' a maior frauqueza dos bons, sou espi'rita mas para Deus somos apenas seus filhos. Abracos Betopernambuco

Betopernambuco disse...

Mandei esse vi'deo para cerca 20 pessoas aqui em Bridgeport-CT . Todos americanos,fiz questao disso. A primeira que se manisfestou a respeito foi a professora de minha esposa. Disse que isso nao existia aqui, e que o vi'deo poderia ser muito antigo, montado e editado. Que o blog pedia dinheiro, sendo prova que o interesse era outro. Expliquei a minha mulher que os modelos e ano dos carros eram novos. E a impossi'bilidade do vi'deo ser alterado. Pois vi e revi va'rias veses. E como americana ela deveria saber que quem organiza um grupo, faz blog ou site defendendo uma causa aqui na ame'rica, naturalmente recebe ajuda financeiramente por quem concorda com essa causa. Isso e' de praxe aqui. Na segunda conversa minha esposa me contou que ela desconversou e mudou de assunto, nao negou que poderia haver isso em algumas escolas. E pra piorar disse que o gays sao pessoas muito ama'veis e por sinal daqui a' duas semanas estaria indo a um casamento gay. Minha mulher me disse que nao tocaria mais no assunto com ela. Detalhe essa professora nao aparenta ser gay, e' casada tem filhos e netos. Outra americana da qual temos intimidade de falar abertamente nao mostrou interesse pelo vi'deo, pois quando perguntei a respeito, ela nao mostrou ao marido e disse que so' conseguiu ver uns 10 minutos pois as criancas estavam incomodando,,,isso depois de 3 dias. Ela disse a velha resposta, que os gays sao gente boa, etc. Uma professora de um dos meus filhos disse que ia se reunir com o pessoal da escola. Mas ate agora nao falou nada mais a respeito, nem dessa reuniao. E o restante ate' hoje nao tocaram no assunto. Minha filha e seu marido americano, nao tinham a mi'nima ide'ia de que esse tipo de coisa estivessem acontecendo, inclusive iam votar no Obama. E nao sabiam que a Hillary Clinton junto com o presidente muculmano estavam forcando o mundo a' ,,, Aos que disseram que os gays sao ama'veis e tambem sao seres humanos. Expliquei que nao tenho nada contra, quem e', mas apena o perigo que os militantes representam, por constituirem um grupo mafioso que tentam impor a qualquer custo seus ha'bitos, inclusive a' nossas criancas. e da pior maneira, isso e' na surdina. A alguns mandei esse texto que guardo comigo e vivo remetendo " Homosexual propaganda, should not take place where minors can feel its influence; the same is true about heterosexual lechery…. Public manifestations of this way of life are unacceptable for the big majority of society. It is our duty to secure our children against it. They have no right to promote their way of life " ,,,Tenho, desse segundo casamento dois filhos na faxa de 6 anos,,,dois tesouros a' mais, que Deus me confiou, com a obrigacao de educa-los e os tornarem adultos saes, como fiz com os que hoje estao. Mas vivo (sem exagero) aterrorizado. Antes minha preocupacao era so' com as drogas,,,agora mais essa,,, que considero mais nefasta.Vejo nos programas infatis do Cablevision, uma forte tendencia a tornar as mulheres mais influentes que os homens. Em todos os filmes infantis, o menino e' so' mais um coadjuvante. Ate' bloqueei um canal. Nao fui criado assim. Nunca usei drogas nem fui preso, ou negligenciei minha fami'lia. Se nao fosse esses dois anjos que tenho hoje, poderia morrer feliz, consciente da missao cumprida para com Deus. Mas o umbral ta' agindo, e com todas as forcas. E se nao fosse pessoas como voce Ju'lio Severo,,,as serpentes picariam nossos filhos mais facilmente. Pois o trabalho nos come quase todo tempo. Obrigado Betopernambuco